Perfume íntimo de Anitta: entenda por que o produto pode não ser aliado da saúde feminina

Ingrid Rodrigues - Especial para o Estadão

Especialista alerta sobre o uso desse tipo de produto, que pode 'mascarar' sérios problemas ginecológicos

Cantora Anitta na campanha de seu perfume íntimo Puzzy by Anitta.

Cantora Anitta na campanha de seu perfume íntimo Puzzy by Anitta. Foto: Marco Ovando

Mais um lançamento de Anitta, anunciado na última quinta-feira, 28, promete ser sucesso. Dessa vez, a novidade é um perfume íntimo, Puzzy, desenvolvido em parceria com a farmacêutica Cimed. Segundo a cantora, a fragrância é a mesma utilizada por ela há anos. Contudo, apesar de parecer tentadora, a ideia acende o alerta em relação à saúde íntima

A flora vaginal é uma região que merece atenção e cuidados específicos, visto que o uso de certas substâncias pode desequilibrar o pH e trazer uma série de consequências. Por isso, antes de optar em perfumar a área, é imprescindível a consciência de que “vagina tem cheiro de vagina”, conforme destaca Viviane Monteiro, ginecologista, obstetra e membro da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro (SGORJ).

Segundo a especialista, não é possível, nem recomendado tentar, extinguir o cheiro natural fisiológico da região. “A virilha tem mais glândulas sudoríparas do que as axilas, então a ideia não é a gente bloquear a sudorese, mas manter um controle”, explica a médica.

Além disso, o odor fétido, normalmente persistente mesmo após o banho, pode ser um indicativo de saúde e, por isso, é importante reconhecê-lo. O cheiro como peixe podre, por exemplo, pode sinalizar uma vaginose ou, quando acompanhado de corrimento amarelado ou esverdeado, uma infecção bacteriana. Nesse caso, é imprescindível consultar um ginecologista.

Viviane esclarece que perfumes e desodorantes íntimos podem ser utilizados moderadamente, somente em ocasiões específicas, como “naqueles dias mais corridos em que não vai dar tempo de tomar um banho antes de ir para determinado lugar”, por exemplo. Sua indicação é não aplicar diretamente na vulva. Como alternativa, borrife na calcinha ou em um papel e passe delicadamente na região externa.

Para evitar o odor desagradável, é importante manter as consultas e exames ginecológicos em dia, bem como realizar a higiene básica da região. Lembrando que nunca se deve lavar dentro do canal vaginal. A limpeza deve ser feita com produtos específicos (sem álcool e hipoalergênicos) somente na parte externa, ou seja, na vulva. Ainda, vale aderir ao uso cotidiano de calcinhas de material natural, como o algodão. 

O perfume íntimo de Anitta

Puzzy by Anitta foi desenvolvido em parceria da cantora com a farmacêutica Cimed.

Puzzy by Anitta foi desenvolvido em parceria da cantora com a farmacêutica Cimed. Foto: Cimed

Conforme a Cimed, a fórmula de Puzzy by Anitta foi 100% desenvolvida pela farmacêutica, é aprovada em testes ginecológicos e dermatológicos e autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“A produção de Puzzy foi realizada de forma a garantir que o produto não cause ardência, já que a fórmula é 100% sem álcool e hipoalergênica, além de não conter parabenos”, informa a marca.