Gravidez ectópica: 10 cuidados para tomar no caso de gestação nas trompas

Camila Tuchlinski - O Estado de S.Paulo

Entenda o que é gravidez nas trompas, quais são os sintomas, riscos ao feto e tratamento

Gravidez ectópica: implantação e desenvolvimento do ovo ocorrem fora da cavidade corporal do útero

Gravidez ectópica: implantação e desenvolvimento do ovo ocorrem fora da cavidade corporal do útero Foto: Pixabay/LorenaLopes

A chegada de um bebê é repleta de expectativas desde a gestação. Mas o que ocorre quando a mulher descobre que tem uma gravidez nas trompas?

A princípio, a constatação pode assustar um pouco.

Isso porque a gravidez ectópica é aquela que a implantação e o desenvolvimento do ovo ocorrem fora da cavidade corporal do útero, segundo o professor doutor Mário Macoto Kondo, chefe do Departamento de Obstetrícia do Hospital e Maternidade Santa Joana. 

“O ovo implantado na trompa (tuba) começa a se desenvolver levando à ruptura da trompa com sangramento que pode levar a um quadro grave de choque hemorrágico se não for diagnosticado e tratado precocemente”, alerta.

Para responder às principais dúvidas das gestantes que estão nesta situação, a reportagem do Estadão ouviu o médico e a ginecologista Michele Panzan, obstetra e especialista em reprodução humana da Huntington Medicina Reprodutiva, e elencou 10 cuidados para tomar no caso de gravidez ectópica.

Qual a diferença entre gravidez normal e gravidez ectópica?

Na gravidez normal o ovo se implanta e desenvolve na cavidade corporal do útero, local preparado para o crescimento do embrião. Na gravidez ectópica, o óvulo irá se implantar na trompa (tuba) em 95% dos casos, segundo o médico Mário Macoto Kondo: “E, mais raramente, o óvulo ficará na região cervical e na cicatriz da cesárea, locais que não são adequados para o crescimento do embrião, levando à ruptura do local com sangramento importante e risco para a gestante”.

 

Quais são os sintomas de uma gravidez ectópica?

Os principais sintomas de uma gravidez ectópica são: dor abdominal, atraso menstrual, sangramento vaginal, massa anexial dolorosa e sinais de choque hemorrágico nos casos graves.

 

Gravidez ectópica dá positivo no teste de farmácia?

Por meio do teste de farmácia é possível saber somente se a mulher está grávida ou não. Não é possível determinar se é uma gravidez nas trompas.

 

Na gravidez ectópica ocorre menstruação?

Não é possível ficar menstruada durante a gravidez, porém, existem algumas mulheres que têm sangramentos durante a gestação. “Tanto na gravidez uterina quanto na ectópica a mulher pode ter sangramentos, mas não é obrigatório que aconteça”, ressalta a ginecologista Michele Panzan.

 

Qual exame detecta gravidez nas trompas?

Para saber se é uma gestação ectópica, é necessário realizar um ultrassom transvaginal. Por meio desse exame será possível localizar o saco gestacional. Com apenas cinco semanas de gestação ou quando o Beta HCG estiver entre 1.000 e 2.000 a mulher poderá realizar esse exame.

 

Existem fatores de risco da gravidez ectópica?

Os principais fatores de risco para a gravidez ectópica são: antecedente de gravidez nas trompas, antecedente de cirurgia nas tubas, antecedente de infecção pélvica, gravidez após falha de dispositivo intrauterino ou contracepção de emergência (pílula do dia seguinte), gravidez após reprodução assistida, infertilidade, endometriose e tabagismo.

 

Qual é o tratamento para gravidez ectópica?

O diagnóstico de gravidez ectópica tem sido realizado de forma mais precoce por meio da história clínica, dosagens de Beta hCG e ultrassonografia pélvica transvaginal, permitindo mais opções de tratamento, como a salpingectomia ou salpingostomia por laparoscopia ou laparotomia e o tratamento clínico que pode ser a conduta expectante ou tratamento medicamentoso com metotrexato. 

“Os tratamentos expectantes e o medicamentoso seguem protocolos de segurança da paciente e se aplicam a casos específicos, que necessita de seguimento rigoroso que pode durar semanas até a completa resolução”, acrescenta Mário Macoto Kondo, chefe do Departamento de Obstetrícia do Hospital e Maternidade Santa Joana.

 

Em quais casos é recomendada a cirurgia da gestação ectópica?

Quando o diagnóstico da gravidez ectópica é precoce. “É recomendado fazer o tratamento medicamentoso, por meio de uma injeção, que causa o aborto. Caso o diagnóstico não seja feito logo no início da gestação, a cirurgia é recomendada. Portanto, a gestante deve passar pela cirurgia quando sentir dores abdominais intensas; quando estiver com sangramento abdominal (hemorragia interna) e correr risco de vida; quando o saco gestacional na trompa estiver com mais de 3,5 cm; quando a paciente tiver alguma contraindicação para fazer o tratamento medicamentoso (por exemplo, problema renal ou hepático); quando o tratamento medicamentoso não fizer efeito; ou também quando tiver uma gestação uterina e uma gestação ectópica ao mesmo tempo”, explica Michele Panzan, especialista em reprodução humana da Huntington Medicina Reprodutiva.

 

É possível engravidar normalmente após a cirurgia ectópica?

Existem dois tipos de cirurgias: aquela em que é retirada a trompa (salpingectomia) e a cirurgia plástica em que é retirado o saco gestacional. “No caso do primeiro procedimento, a mulher terá somente uma trompa e isso tornará a gravidez natural mais difícil. Já no segundo caso, será necessário avaliar se a trompa não ficou obstruída por meio do exame histerossalpingografia – feito em laboratório e necessário o uso de contraste”, esclarece Panzan.

 

Tem como reverter gravidez ectópica?

Não é possível reverter a gravidez ectópica. “Quando a mulher é diagnosticada com a gravidez nas trompas, a única possibilidade será de interromper a gravidez por meio do tratamento medicamentoso ou através da cirurgia”, finaliza a ginecologista.