Fotógrafa monta calendário com cães-guia para custear treinamento

Pedro Prata* - O Estado de S.Paulo

Genevieve Bernardoni criou o projeto para angariar fundos para a Escola de Cães-Guia Helen Keller, que treina os animais e os fornece gratuitamente a cegos

Modelos posaram ao lado de cães-guia

Modelos posaram ao lado de cães-guia Foto: Genevieve Bernardoni / Acervo Pessoal

A fotógrafa catarinense Genevieve Bernardoni encontrou um meio especial de ligar a sua arte a uma causa social. Ela produziu um calendário com cães-guia para atrair atenção para a importância deles na inclusão e independência de pessoas cegas e também angariar fundos para uma instituição responsável pelo treinamento destes animais.

“Eu me emocionei e resolvi ajudar a causa porque eu sou fotógrafa, minha visão é fundamental para minha profissão. Então, este projeto nada mais é do que uma reverência significativa a uma escola que está treinando cães-guias para guiar pessoas que não têm o meu dom [de enxergar]”.

Segundo dados levantados pelo último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010 aproximadamente seis milhões de brasileiros possuíam dificuldade visual e 500 mil eram incapazes de enxergar completamente.

Existem ONGs que treinam estes animais e os fornecem gratuitamente para os deficientes visuais. No entanto, esse processo pode demorar até dois anos e o custo é alto. Estimativas não oficiais apontam que há apenas 150 cães-guias no País.

Genevieve desconhecia essa realidade quando uma mulher cruzou o seu caminho acompanhada de um cachorro. Ela contou ao E+ que diversas vezes encontrou essa pessoa em eventos sociais e que ela sempre estava com o animal. Em 2014, durante uma exposição, a catarinense decidiu questioná-la sobre os motivos para ela estar acompanhada dele.

A mulher, Marta, lhe contou que deveria ficar com o animal por 18 meses, levando-o para todo lugar que fosse, porque fazia parte de um treinamento para que ele se tornasse um cão-guia. Ao fim do período, o cão seria devolvido a uma escola para completar seu treinamento.

Foi assim que a catarinense conheceu a Escola de Cães-Guia Helen Keller, instituição sem fins lucrativos que trabalha com a capacitação de cachorros para se tornarem cães-guia e que já formou 23 duplas de cegos e cães-guia em 18 anos de existência.

Todo o treinamento, que dura aproximadamente dois anos, é custeado pela escola e o animal é entregue ao cego gratuitamente. Na mesma noite em que ouviu as explicações de Marta, a fotógrafa teve a ideia de montar um calendário que pudesse ser vendido para angariar fundos para a escola.

“Eu fiquei tão enlouquecida com a ideia que eu fui para a minha casa pensando que faria um calendário com belas mulheres e seus cães-guia. Abri uma garrafa de vinho e fiquei pensando sobre o projeto. Nisso, ouvi a música Luz dos Olhos, do Nando Reis, e pensei: ‘Tá aí! Um calendário chamado Luz dos Olhos e que toda a verba pode ser revertida para a Escola Helen Keller’. Seria um trabalho que alinharia minha arte com uma causa social”.

Ela contou com modelos que se voluntariaram para as fotos e também com o apoio de amigos para fazer o design do calendário. Contudo, por falta de patrocinadores, o projeto ficou parado. Até que, neste ano, a Escola Helen Keller se interessou pelo calendário e resolveu imprimir mil cópias.

As fotos mostram cães-guias conduzindo mulheres através de dunas, praias, pontes e rochedos que simbolizam os obstáculos superados pelos animais e seus donos. “Eu mostrei as dificuldades pelas quais eles passam de uma forma subjetiva e poética”, explicou Genevieve.

A fotógrafa explica que não pensou em incluir deficientes visuais no calendário, pois quis usar mulheres modelos que ela já havia fotografado: "Eu me inspirei em mulheres que já tinham posado para mim e em pessoas que eu achava que poderiam estar compondo essa ideia, não me passou pela cabeça em nenhum momento fotografar os cegos com seus cães-guia. Quis aliar meu DNA fotográfico com os cães, mas nada impede de fazer outras edições com propostas diferentes", explica. Ela ainda contou que o intuito inicial era imprimir o calendário em braile, mas isso não foi feito por conta dos altos custos. 

A Escola de Cães-Guia Helen Keller gasta entre R$ 30 mil a R$ 50 mil com cada cachorro treinado, por isso o projeto da fotógrafa é de extrema importância, uma vez que todo o dinheiro arrecadado será revertido para a instituição. Os calendários de mesa custam R$ 15 cada, além dos gastos com despacho.

Atualmente, só é possível fazer compras em lojas físicas de Itajaí e Balneário Camboriú (lojas Vive La Vie, Santacosta, Luxe SPA, Voltz, Cia da Criança, Decanter, Saúde Animal Clínica Veterinária, Vinero Wine, Artezanalle, Natuzzi Casa Hall Shopping, Depyl Action, Mundo Animal e L´Art Du Vert), todas em Santa Catarina, além da sede da Escola Helen Keller em Balneário Camboriú. A expectativa é que até o fim do mês de março eles também estejam disponíveis em uma loja virtual que poderá ser acessada clicando aqui.

Confira, abaixo, as fotos que compõem o projeto:

 

 

*Estagiário sob supervisão de Hyndara Freitas