É seguro experimentar amostras de produtos de beleza expostos em lojas?

Bárbara Pereira * - O Estado de S.Paulo

Especialista alerta quanto ao risco de transmissão de doenças contagiosas

Clientes devem ter cuidado ao experimentarem produtos de beleza expostos em lojas.

Clientes devem ter cuidado ao experimentarem produtos de beleza expostos em lojas. Foto: Unsplash/@malvestida

É muito comum vermos produtos à disposição dos consumidores quando frequentamos lojas de produtos de beleza. Os chamados testers nada mais são do que produtos identificados e que servem exclusivamente para o cliente prová-lo antes de realizar uma compra. No entanto, é seguro experimentar essas amostras que ficam expostas em lojas?

"Qualquer produto de beleza em exposição merece atenção, pois além do risco de infecções, existe o risco de reações alérgicas, contaminação dos produtos por prazo de validade vencido e falhas na conservação e higiene dos materiais de uso comum", alerta a dermatologista Luciana Molina. A especialista sugere que consumidores utilizem amostras individuais e, de preferência, descartáveis. "Evite usar produtos em exposição e de uso comum por várias pessoas", alerta.

"Usar um batom já usado por outra pessoa pode ser perigoso, pois algumas doenças contagiosas podem ser transmitidas", explica. No caso desse e de outros produtos labiais, Luciana destaca o risco de contrair herpes, gripe, mononucleose e até mesmo doenças respiratórias ou causadas por bactérias, já que a transmissão se dá por causa de gotículas da saliva.

O mesmo cuidado serve para produtos de olhos, como lápis, rímel ou delineador. "Se uma pessoa com conjuntivite, por exemplo, experimentar o lápis de olho, as bactérias e/ou os vírus podem proliferar neste produto e atingir as conjuntivas de outros consumidores", ressalta.

Para garantir uma segurança maior aos clientes, a quem disse, berenice?, marca de beleza brasileira do Grupo Boticário, fornece aplicadores descartáveis para batons líquidos e máscaras de cílios. "Em todos os casos, os descartáveis podem ser utilizados tanto para experimentação quanto para limpeza", ressalta Marcella Nogueira, gerente de categoria da marca. As lojas e franquias também sempre têm em seu estoque álcool em gel 70% (para limpeza de embalagens e mãos) e álcool etílico líquido de baixa graduação (para acelerar a secagem das cerdas dos pincéis após a lavagem).

 

* Estagiária sob supervisão de Charlise Morais.