Dieta balanceada aliada à prática de exercícios físicos reduz doenças cardiovasculares

Bárbara Pereira* - O Estado de S.Paulo

Celebrado em 29 de setembro, Dia Mundial do Coração conscientiza sobre problemas cardiovasculares

Adotar um estilo de vida saudável é fundamental para cuidar da saúde do coração.

Adotar um estilo de vida saudável é fundamental para cuidar da saúde do coração. Foto: Unsplash / @jamie452

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, problemas cardiovasculares podem vitimar até 400 mil pessoas apenas no Brasil em 2018. Fatores de risco como hipertensão, colesterol elevado, tabagismo e sedentarismo contribuem para elevar o número de mortes causadas por essas doenças. Pensando nisso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estipulou o dia 29 de setembro como o Dia Mundial do Coração, com o objetivo de conscientizar a população sobre os riscos envolvidos. Além de incentivar os cuidados com o coração, a data também serve para lembrar que a saúde das veias e artérias são igualmente importantes.

As principais doenças cardiovasculares que causam mortes no Brasil são o enfarte agudo do miocárdio e o acidente vascular encefálico (AVE). São mais de mil mortes por dia, aproximadamente uma a cada 90 segundos. De acordo com o Kleisson Pontes, membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia, muitas dessas mortes poderiam ser evitadas ou postergadas com cuidados preventivos e medidas terapêuticas. "O alerta, a prevenção e o tratamento adequado dos fatores de risco e das doenças cardiovasculares podem reverter essa grave situação", explica. Para evitar as doenças, o especialista recomenda o controle dos principais fatores de risco: hipertensão arterial, colesterol alto, tabagismo, diabetes, sedentarismo e estresse.

Controle de risco

A hipertensão arterial é a principal causa de morte no mundo. É uma doença crônica em que a pressão sanguínea das artérias fica constantemente elevada. Por não apresentar sintomas, é imprescindível detectar a condição na fase inicial e adotar um estilo de vida mais saudável, como a mudança de hábitos alimentares, redução do consumo de sal, prática regular de atividades físicas, não fumar e consumir álcool com moderação.

O colesterol alto também acarreta em problemas cardiovasculares. Pode ser causado por tendências genéticas ou hereditárias, obesidade e pouca atividade física. No entanto, Pontes evidencia a dieta como um dos fatores mais importantes: "As gorduras, sobretudo as saturadas, presentes em alimentos de origem animal, contribuem para o problema do colesterol elevado. Uma dieta rica em frutas, verduras, legumes e grãos também evita o aumento do colesterol".

Quanto ao tabagismo, o especialista alerta: "É necessário parar de fumar completamente, já que não existe uma quantidade segura de consumo de cigarros". Controlar o estresse e interromper o sedentarismo também são medidas indispensáveis para cuidar da saúde do coração e impedir muitas outras doenças de se manifestarem no organismo. Aliando uma dieta balanceada à prática de exercícios físicos, o corpo se beneficia de várias formas: melhora progressiva da capacidade para fazer atividade física, melhora da respiração, controle da glicose, perda de peso, diminuição da sobrecarga nas articulações, entre uma série de outras vantagens.

A Sociedade Brasileira de Cardiologia aconselha a realização de check-ups regulares para observar possíveis anormalidades, já que nem todas as doenças do coração apresentam sintomas. Procurar especialistas na saúde e usar os medicamentos prescritos adequadamente também é essencial.

VEJA TAMBÉM: Cinco sinais de que seu coração não anda bem

* Estagiária sob supervisão de Charlise Morais