Dia Nacional do Doador de Sangue 2019: tire dúvidas sobre a doação

Ludimila Honorato - O Estado de S.Paulo

Conheça os critérios para se tornar um doador voluntário; mês de novembro precede período de baixos estoques nos bancos de sangue

Dia Nacional do Doador de Sangue sensibiliza a população sobre a importância da doação de sangue.

Dia Nacional do Doador de Sangue sensibiliza a população sobre a importância da doação de sangue. Foto: Felipe Rau/Estadão

O Dia Nacional do Doador de Sangue é celebrado em 25 de novembro e tem o objetivo de agradecer os doadores voluntários e sensibilizar a sociedade sobre a importância da doação de sangue.

O penúltimo mês do ano foi escolhido para a data por preceder um período de baixos estoques nos bancos de sangue devido à aproximação das férias, comemorações de fim de ano e outros feriados prolongados.

A data é diferente do Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado em todo 14 de junho, que foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2005.

Para a celebração brasileira, centros de hemoterapia em todo o País costumam fazer campanhas na semana de 25 de novembro para chamar a atenção da população a fim de tornar esse ato solidário frequente.

Reforça-se que a doação de sangue é um ato voluntário, ou seja, a pessoa doa o próprio sangue por livre e espontânea vontade, sem qualquer tipo de recompensa. Isso é importante para garantir a qualidade do material doado, uma vez que a pessoa pode ocultar alguma informação de saúde apenas para conseguir a retribuição.

Abaixo, listamos os critérios básicos para ser um doador de sangue e quais os impeditivos. Os requisitos, porém, não esgotam os motivos que podem barrar a doação de sangue. Outras informações prestadas pelo candidato na triagem clínica serão consideradas para definir se ele está apto ou não.

Quem pode doar sangue?

Homens e mulheres entre 16 e 69 anos de idade, pesando mais de 50 quilos, podem doar sangue, desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos. Pessoas com menos de 18 anos só podem fazer a doação mediante consentimento formal de um responsável. A Fundação Pró-Sangue, de São Paulo, informa os documentos necessários e o termo de autorização.

Sobre a permissão ou não para pessoas da comunidade LGBT+ doarem sangue, o Ministério da Saúde afirma que "a orientação sexual não é usada como critério para seleção de doadores de sangue por não constituir risco em si". Porém, a prática sexual do possível doador pode ser um impeditivo.

Uma das determinações dos órgãos de saúde é que pessoas que tiveram contato sexual com outra que tem aids ou teste positivo para HIV não podem doar sangue por um período de 12 meses após a exposição. Nesse contexto, a OMS já alertou que homens que fazem sexo com homens têm 19,3 vezes mais chance de ser infectado pelo vírus HIV do que a população geral.

Pessoas tatuadas podem doar sangue?

Sim, desde que a tatuagem tenha sido feita há, pelo menos, 12 meses. O mesmo vale para quem colocou algum piercing no corpo, sendo que o intervalo de tempo pode ser de seis meses a um ano. Caso o piercing esteja na cavidade oral ou região genital, a pessoa pode ser impedida permanentemente de doar sangue devido ao risco permanente de infecção.

Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos de idade, pesar mais de 50 quilos e cumprir outros critérios de saúde.

Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos de idade, pesar mais de 50 quilos e cumprir outros critérios de saúde. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

É necessário estar de jejum para doar sangue?

Não. A recomendação é que a pessoa esteja bem alimentada, descansada (dormir pelo menos seis horas na noite anterior à doação) e evite consumir produtos gordurosos três horas antes de doar sangue.

Qual o intervalo entre uma doação e outra?

Os homens devem esperar dois meses entre uma doação e outra, e as mulheres precisam aguardar três meses. Há também um limite de doações de sangue por ano: quatro para eles e três para elas.

Quais são os impedimentos temporários para doar sangue?

Pessoas com febre, gripe ou resfriado devem esperar sete dias após o desaparecimento dos sintomas para doar sangue. Mulheres no pós-parto devem esperar 90 dias no caso de parto normal e 180 dias depois de cesariana. Quem teve diarreia recente e grávidas ficam um período sem contribuir. Mulheres que amamentam devem aguardar até 12 meses após o parto.

No caso de transfusão de sangue, deve-se esperar um ano. Para quem se vacinou, o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina, então pergunte para um especialista. Pessoas que extraíram algum dente aguardam 72 horas e quem teve apendicite, hérnia, amigdalectomia ou varizes espera três meses.

VEJA TAMBÉM: Mitos e verdades sobre a doação de medula óssea

Ernesto Rodrigues / Estadão
Ver Galeria 8

8 imagens

Quais são os impedimentos definitivos para doar sangue?

Segundo o Ministério da Saúde, diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade consiste em recusa definitiva do doador. Outras proibições incluem evidência clínica ou laboratorial de aids, vírus HIV, doenças associadas aos vírus HTLV I e II e doença de Chagas, uso de drogas ilícitas injetáveis e malária.

Qual a quantidade de sangue por doação?

Uma pessoa adulta tem, em média, cinco litros de sangue. Em cada doação, o máximo de sangue retirado é 450 mililitros.

Quais precauções tomar após uma doação de sangue?

A recomendações do Ministério da Saúde são evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas, aumentar a ingestão de água, não fumar por duas horas, evitar bebidas alcoólicas por 12 horas, manter o curativo no local da punção por, pelo menos, quatro horas, não dirigir veículos de grande porte, não trabalhar em andaimes e não praticar paraquedismo ou mergulho. Logo após a doação, pode-se fazer um pequeno lanche.

Onde posso doar sangue?

Para doar sangue, basta procurar as unidades de coleta de sangue, como os hemocentros, para verificar se você atende aos requisitos necessários para a doação. Confira neste link onde está o posto de coleta mais próximo de você, separado por região do País.

Atestado do doador de sangue

Segundo as leis trabalhistas, o empregado que doa sangue pode deixar de comparecer ao serviço, sem prejuízo do salário, por um dia, a cada 12 meses, desde que a doação seja comprovada.

Em maio deste ano, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania aprovou o projeto de lei 503, de 2017, que determina a isenção no pagamento da taxa de inscrição em concuros públicos aos doadores de sangue. Também é preciso comprovar.