Consumo de álcool e insônia podem causar ganho de peso; entenda

Camila Tuchlinski - O Estado de S.Paulo

Metabolismo é influenciado por hábitos de vida

Consumo excessivo de álcool e oscilação do sono podem prejudicar processo de emagrecimento

Consumo excessivo de álcool e oscilação do sono podem prejudicar processo de emagrecimento Foto: Pixabay/distelAPPArath /StockSnap

Você se propõe a fazer uma dieta para perder alguns quilos a mais. Cumpre toda a meta alimentar que foi estabelecida, mas não consegue alcançar o objetivo. Pode ser que o seu consumo de álcool ou a oscilação do sono sejam seus adversários no processo.

“Com o isolamento social, não são raras as pessoas que afirmam que os dois comportamentos foram potencializados em suas rotinas devido à quarentena. Por isso, o alerta é tão importante neste momento”, afirma o endocrinologista Filippo Pedrinola.

O processo de produção do álcool vem da destilação e fermentação do açúcar, fazendo com que a molécula do produto passe a ter mais calorias. O médico explica que o metabolismo é afetado pelo consumo do álcool durante o processo de emagrecimento.

“Quando há a ingestão da bebida alcoólica, além de consumir o dobro das calorias do açúcar, o metabolismo vai priorizar a eliminação do álcool do organismo. Isso significa que ele acaba deixando de lado o processo normal de queima calórica do corpo, proveniente dos alimentos que ingerimos, como se atrasasse o metabolismo”, esclarece.

Já a privação do sono desregula hormônios no organismo, gerando uma hiperprodução de grelina, produzida no estômago e responsável por nos fazer sentir fome.

 

Bebida alcoólica prejudica emagrecimento

Dependendo de como a bebida alcoólica é preparada em coquetéis, as calorias são ingeridas em dobro. Uma caipirinha, por exemplo, contém açúcar, uma batida pode conter leite condensado, há quem misture vodca com energético que, além da caloria, ainda tem o problema do excesso de cafeína.

“O problema do gin tônica, por exemplo é que a água tônica, principal ingrediente, é um dos refrigerantes mais calóricos que existem. O quinino em sua composição demanda uma grande adição de açúcar para que o sabor fique mais equilibrado. Existem alternativas para reduzir essa caloria, como utilizar água tônica com zero açúcar ou substituir o açúcar branco de uma caipirinha por adoçante. Não podemos afirmar que estas versões dos coquetéis alcoólicos não engordam, porém são opções mais adequadas para o consumo de quem está controlando o ganho de peso”, declara Pedrinola.

Para emagrecer com saúde e não deixar o álcool atrapalhar o processo, o ideal é sempre evitar o excesso de bebida, consumindo com moderação e buscando fazer misturas que tenham o mínimo de açúcar possível.

Oscilação do sono pode desregular metabolismo

O ato de dormir é composto por quatro ciclos e cada um demora aproximadamente 90 minutos para se concluir. A fase REM é essencial para o corpo e para a mente e é  responsável por liberar os hormônios necessários para o bom funcionamento do cérebro e a dose necessária de grelina, leptina e cortisol.

“Com a privação do sono, esses hormônios ficam desregulados, gerando uma hiperprodução de grelina, produzida no estômago e responsável por nos fazer sentir fome. Uma hipoprodução de leptina, desenvolvida nas células de gordura, responsável pelo aumento da fome e maior produção nos níveis de cortisol, hormônio responsável pelo estresse. Inclusive, o estresse é outro fator que influencia muito no ganho de peso e tem relação direta com o acúmulo de gordura na região abdominal”, explica o endocrinologista.

Em média, grande parte da população precisa dormir de sete a oito horas por noite, mas há aqueles que só ficam completamente “descansados” quando dormem por mais de nove horas e aqueles que precisam de menos de sete horas de sono para se recuperarem.

O ideal é sempre se manter alerta ao seu relógio biológico e criar uma rotina diária, como um horário certo para ir dormir, evitar usar o celular pelo menos 30 minutos antes de se deitar e evitar o consumo de certos alimentos que podem estimular o cérebro ao invés de relaxar.