Conheça os benefícios do pilates para grávidas

Marcela Lima - O Estado de S.Paulo

Exercícios podem melhorar a força muscular e o equilíbrio, corrigir a postura e fortalecer os músculos do assoalho pélvico

Exercícios físicos são fundamentais para o funcionamento e a manutenção do corpo. No caso das grávidas não é diferente, já que ao longo da gestação é comum que as futuras mamães sintam dores na região lombar e nas articulações. Uma das atividades mais indicadas para gestantes é o pilates, por melhorar a força muscular, o equilíbrio e a circulação, corrigir a postura e fortalecer os músculos do assoalho pélvico.

Nos três primeiros meses de gravidez os exercícios físicos são contraindicados (Foto: Jenn and Tony Bot/Flickr)

Segundo o fisioterapeuta e professor de pilates Antonio Claudio Fretz, do Maha Pilates, nos três primeiros meses de gravidez os exercícios físicos são contraindicados. No período restante, é recomendado que as atividades tenham liberação do médico que acompanha a grávida.

Ao longo do período gestacional, há algumas restrições de atividades, como os exercícios abdominais e os feitos de barriga para cima, que podem sobrecarregar a coluna. Desta forma, o ideal é que os movimentos sejam feitos pela gestante em pé ou sentada.

Para as mulheres que pretendem fazer o parto normal, é importante fazer exercícios que fortaleçam os músculos da região do assoalho pélvico, que ajudam na sustentação da bexiga, do útero e do intestino, e ajudam a controlar o fechamento do ânus, vagina e  uretra. Desta forma, todos os estágios da gestação são beneficiados: há uma melhor sustentação do peso extra, o trabalho de parto é facilitado e a recuperação do períneo após o nascimento do bebê é mais rápida.

Fretz instrui que o ideal é que a prática do pilates se inicie antes da gravidez. Caso a gestante queira começar do zero e não tenha um fortalecimento prévio, os exercícios são mais básicos. As sessões devem ser feitas, de acordo com o fisioterapeuta, de duas a três vezes por semana, com um intervalo de um dia entre uma e outra. 

Em entrevista ao programa Rota Saudável, da Rádio Estadão, a coordenadora e professora dos cursos de pós-graduação do método pilates da Universidade Estácio de Sá e Universidade de São Caetano do Sul, Ticiane Cruz, indica que é importante a associação do método à prática da caminhada e da hidroginástica. 

Assim como o professor do Maha Pilates, Ticiane frisa as restrições da gestante durante a realização do exercício. “Deve-se evitar os movimentos de ponte quando a grávida estiver no último trimestre gestacional, por causa da sobrecarga que isso pode gerar, além de evitar movimentos que gerem muito desequilíbrio”, diz a professora. O disco de rotação - que testa o equilíbrio - é contraindicado no fim da gestação, por exemplo, de acordo com ela. “A gente tem de pensar na segurança da gestante”, completa.