Campanha de instituição britânica propõe ficar 30 dias sem redes sociais

Redação - O Estado de S.Paulo

A Scroll Free September desafia as pessoas a refletirem sobre o uso das redes sociais e como isso afeta a saúde mental

Instituição do Reino Unido faz campanha para conscientizar sobre o uso excessivo de redes sociais.

Instituição do Reino Unido faz campanha para conscientizar sobre o uso excessivo de redes sociais. Foto: Pixabay

Você conseguiria ficar um mês sem acessar nenhuma rede social? Pois essa é a iniciativa da Royal Society for Public Health (RSPH), uma instituição britânica sem fins lucrativos, para o mês de setembro.

A campanha Scroll Free September desafia as pessoas a ficarem 30 dias longe das redes sociais. De acordo com o site, a campanha "oferece uma oportunidade única de tirar um descanso dos perfis nas redes sociais", citando estudos sobre o impacto que o uso excessivo das redes pode causar na saúde mental, incluindo o aumento da ansiedade e depressão, cyberbullying, insônia e problemas de autoestima.

"Ao passar um mês sem 'rolar a tela', você vai ter a chance de releftir sobre o seu uso das redes sociais – o que você perdeu, o que você ganhou, e o que você pode fazer para aproveitar o tempo em vez de usar as redes", explica o site.

Sabendo da dificuldade que é se desligar num mundo hiperconectado, a campanha oferece diferentes caminhos para lidar melhor com as redes sociais, seja se desligando completamente por um mês, ou de forma mais gradual.

Uma das opções é ser o Social Butterfly (borboleta social, em tradução livre), que consiste em ficar longe do celular e não postar nada durante eventos sociais, como festas, jantares e almoços com amigos e família, e reuniões em geral.

Outra opção é a Night Owl, ou coruja noturna, que indica não usar mais as redes sociais após as 18h. Já a Busy Bee (abelha ocupada) sugere que se mantenha longe das redes durante o trabalho ou a escola. A quarta sugestão é não usar o celular na cama – resolveu ir dormir? Então é hora de fechar os olhos e adormecer, não ficar horas rolando a tela para baixo.

"O Scroll Free September é ótima para destacar as preocupações crescentes sobre como as redes sociais estão contribuindo para aumentar problemas de saúde mental em pessoas jovens. Nós precisamos ver uma ação conjunta, com todos assumindo responsabilidades, incluindo os gigantes da mídia social, para que o NHS não tenha de lidar com uma epidemia de saúde mental na próxima geração", diz Claire Murdoch, diretora da área de saúde mental do Sistema Nacional de Saúde da Inglaterra.

O site conta com uma contagem regressiva, de dias, horas, minutos e segundos, para calcular quanto tempo falta para completar um mês sem celular.