A ioga é uma das formas mais antigas, desenvolvida pelo homem, de harmonizar as diferenças existentes primeiro em nós mesmos, depois com os outros seres.

Acredito que esta ciência é tão bela e poderosa por considerar os 4 níveis de manifestação do ser:

-corpo;

-mente;

-emoções;

-energia ou vitalidade (espírito).

Essa ciência nos ensina ainda que é possível viver em harmonia, apesar de termos estas 4 manifestações completamente distintas. Assim como conviver harmonicamente com as diferenças entre os seres de uma mesma origem, como a humana.

Não se faz necessário que as pessoas tenham as mesmas crenças, hábitos ou compreensão da vida, ou até mesmo que sigam a mesma filosofia. Basta estar aberto ou disponível para compartilhar. Mas para que o compartilhamento seja possível a ioga tem como propósito a observação, na vida cotidiana, de 8 comportamentos que podem nos ajudar a criar a ponte entre as diferenças sem precisar torná-las iguais. Nos textos antigos, isto se chama Ashtanga, e significa, literalmente, “oito passos”. Esses passos são:

– Yama;

– Niyama;

– Ásana;

– Pranayama;

– Pratyahara;

– Dharana;

– Dhyana;

– Samadhi.

 

Nos próximos posts, trarei um pouco do meu olhar sobre como viver esses 8 passos no dia a dia.