yoga

O que o yoga propõe para ter mais consciência

O asthanga yoga, que ficou tão conhecido no Brasil e no mundo há mais ou menos uma década e do qual sou um dos precursores por aqui, é um sistema de hatha yoga (yoga físico), que eu, como praticante e instrutor há mais de 20 anos, gosto muito de chamar de “a respiração em movimento”. Mas o que muita gente não sabe é que ashtanga, em sua raiz, significa “8 passos”. Vou falar um pouquinho de cada um e de como esses aspectos, se incorporados ao nosso dia a dia, podem ser efetivos na transformação de uma vida estressante, arrastada e com muito pouca presença, para uma vida mais saudável, atenta, plena e consciente.

 

Primeiro passo:

Yama, que é comportamento da gente conosco mesmo, como:

  1. Ahimsa, que significa “não-violência”;
  2. Asteya, que significa “não roubarás”;
  3. Satya, cujo significado é “serás comprometido com a verdade”.
  4. Brahmacharya, que significa contenção, ou “conterás seus maus hábitos ou vícios”;
  5. Aparigraha, que é a não-possessividade.

Segundo passo:

Niyama, que também são comportamentos, dessa vez do indivíduo para com a sociedade:

  1. Saucha, que significa pureza, física e mental.
  2. Santosha, que significa contentamento, ou se satisfazer com o que a vida te der;
  3. Tapas, ou austeridade, ou “terás disciplina com amor”;
  4. Svadhyaya, que é o estudo do “eu” através das escrituras sagradas;
  5. Isvara Pranidhana, que significa entrega a deus.

Terceiro passo:

Asanas; que é o aprimoramento de como você se posiciona na vida, praticando o auto-conhecimento com, por exemplo, os asanas do hatha yoga.

 

Quarto passo:

Pranayama, que é aprender o controle da vitalidade através de práticas de exercícios respiratórios.

 

Quinto passo:

Pratyahara, o aprender sobre o funcionamento da sua mente através da observação da mesma.

 

Sexto passo:

Dhyana, quando se aprende a ver com clareza o que a vida nos mostra. E não contaminado com nossos desejos.

 

Sétimo passo:

Dharana, o aprender da concentração. Manter sensações física,mental e emocional no mesmo ponto.

 

Oitavo passo:

Samadhi, que é quando se atinge a verdadeira meditação, que é a união com o todo.

Um grande equivoco é acreditar que a prática desses princípios é algo fácil ou difícil. Para incorporá-la, é necessário antes de mais nada respeitar o nível de compreensão que você tem sobre cada um deles e se comprometer em praticá-los no dia a dia. É claro que vamos esquecer muitas vezes, mas devemos sempre voltar à prática. Assim, vamos nos apropriando desses comportamentos. Namastê!