O romancista norte-americano F. Scott Fitzgerald disse certa vez que “a vitalidade é demonstrada não apenas pela persistência, mas pela capacidade de começar de novo”. E este é o tema que eu quero discutir hoje: a capacidade de recomeçar.

Há algumas semanas, aqui mesmo neste jornal, uma matéria chamou muito a atenção sobre idosos que disputam vagas de estágio. O texto parece um pouco deprimente por tratar de desemprego, crise financeira e de como os governos tratam mal seus idosos. Por outro lado, mostra que existe a possibilidade de recomeço, basta querer.

Para as empresas ter em seu quadro de pessoal pessoas mais maduras significa poder contar com a experiência e a diversidade. Para quem voltou ao mercado de trabalhohands-545394_1280 é a oportunidade de se sentir útil e de ter uma atividade na pós-aposentadoria.

Nem todos os idosos estão dispostos a voltar a trabalhar. Uma porque não precisam e outra por não terem interesse. Mas quero pegar esta ideia e propor que você cogite recomeçar algo em sua vida, mesmo que seja um curso, uma aula livre ou mesmo uma atividade esportiva.

Para isso é preciso que você sinta que pode ainda dar algo para alguém, seja para uma empresa, para um grupo de pessoas ou para sua própria família.

Faça algo de novo, se não der certo da primeira vez, recomece, recomece e recomece. Dê chances a você e ao mundo aprender um pouco com sua experiência e sua história de vida. Garanto que você vai se sentir útil, feliz e vivo. Afinal de contas o que é a vida senão tentativas e erros? Viva mais e melhor.