Os sentimentos superam os pensamentos. Eu explico. A longevidade nunca foi um assunto tão comentado nas mídias sociais e na imprensa. Redes de televisão se renderam ao tema e hoje, falar da melhor idade é bastante corriqueiro.

Muitas vezes a razão não deixa o coração alcançar tudo o que almeja

Mas afinal de contas o que é envelhecer? O que é chegar na melhor idade melhor? Com mais saúde? E como alcançar a longevidade? E o que pensamento e sentimento tem a ver com isso?

Já falamos diversas vezes aqui no blog que todas as respostas a estas perguntas implicam em uma série de fatores. Alimentação saudável, exercício físico periódico e uma vida social ativa, ou seja, a tríade da longevidade são os principais. Mas tem mais coisa.

O que quero mostrar para vocês neste texto é que pensar que é velho é menos importante do que sentir que é. Embora nossa sociedade não nos estimule e nem nos ensine que sentimentos são mais importantes do que os pensamentos. Eles de fato são. É preciso dar mais valor a eles.

Se você se sente feliz jogando conversa fora com suas amigas aos finais de semana. Isso importa. Pensar que talvez não tenha mais idade para tal, não é importante.

Se sente que deve praticar um exercício físico com mais impacto – e que seu médico lhe liberou, claro – vá em frente. Não pense nos anos da carteira de identidade, leve em conta o que sente. Se você se sente bem como se ainda tivesse com 40 anos, mesmo tendo 60, isso é o que importa.

O que sentimos é muito mais gratificante para nós do que aquilo que pensamos, pois muitas vezes a razão não deixa o coração alcançar tudo o que almeja. Viva mais e melhor.