Sugestões para manter a dinâmica da vida durante a maratona da convivência com a Covid-19

Como disse o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, corremos bem os primeiros 100 metros de uma maratona na convivência e adaptação ao coronavírus. O importante agora é o planejamento dos dias das nossas vidas.

Confesso que após 4 meses de convivência com o vírus acredito que a rotina é o que mais ajuda. No caso dos meus filhos, vejo o quanto a escola, agora online, marca o dia e dá ritmo a vida difícil de ficar em casa. Ambos me surpreendem por fazer seus afazeres e suas brincadeiras sem reclamar de nada. Minha esposa, também tem dedicado as horas cuidando deles para que façam as atividades da escola e cuidando da casa. Uma rotina que pode parecer simples, mas faz toda a diferença na manutenção da nossa sanidade.

No meu caso, continuo tratando os pacientes no hospital, residencial de idosos e consultório, e agradeço todos os dias por poder estar em cada um desses locais tentando fazer a diferença. Para o consultório vou de bicicleta, uma forma de fazer um pouco de exercício. Tenho o privilégio de poder dividir minhas dúvidas, minhas conquistas e minha vida com meus colegas de trabalho, de pensar, planejar e executar o possível. Converso com meus pais e procuro trocar todas as impressões dos dias em tempos de covid. Em alguns dias consigo visitá-los com todas as precauções dos novos tempos. E todos estão bem graças a Deus.

E por que estou contando tudo isso? Para mostrar a vocês, leitores, que são hábitos simples que podem nos ajudar nesta batalha longa contra o coronavírus. Acreditem, como disse Santo Agostinho: Salve a ordem, e a ordem te salvará.