As publicações modernas sempre tentam nos mostrar que envelhecer é ruim. As manchetes sejam de anúncios ou de matérias de beleza e saúde gostam de estampar conceitos como “Entre em forma e volte a ter 30”, “40 anos são os novos 20” ou “o creme que faz sua pele voltar a brilhar como aos 20 anos”. Essas afirmações fazem parte de um mundo moderno baseado no consumismo e na ânsia de voltar a ser jovem a qualquer custo. No entanto, é uma realidade falsa pois a medida que vivemos estamos envelhecendo.

Um livro muito interessante da norte-americana Jo Ann Jenkins sugere que é hora de repensar o que significa ficar mais velho. Para ela, 50 anos são 50 anos e a forma com que você lida com estes 50, seus hábitos de vida e as oportunidades que você abraça é que vão realmente determinar a sua idade.

Para ela, é preciso que as pessoas repensem as histórias negativas que contam a elas mesmas e aos outros sobre o envelhecimento. Chamado de “Disrupt Aging” ou na tradução livre “Romper o Envelhecimento”, o livro (que acabou de ser lançado) dá alguns conselhos e sugere reflexões como:

1- Tome o controle de sua saúde
2- Escolha onde você quer viver
3- Faça seu dinheiro durar
4- Coloque a sua experiência em prática
5- A nossa capacidade de viver mais tempo e ter uma vida saudável é uma das nossas maiores conquistas

Esses são conselhos valiosos que devemos levar para a nossa vida independente da nossa idade. Mas você pode ser produtivo e ter uma vida plena aos 50, 60 ou 90 anos, basta você querer e aceitar a sua idade. Rompa a barreira do envelhecimento e Viva mais e melhor.