Na semana passada recebi no consultório uma paciente com 38 anos que me fez uma pergunta muito frequente: que exames ela deveria fazer e qual medicação deveria tomar para viver mais e evitar o envelhecimento.

Sei que tal ponderação pode causar polêmica, pois nossa crença em alguma medicação seja ela qual for, tem efeitos inimagináveis e no que se refere aos produtos anti-aging é ainda maior.

Mas, sejamos claros, não existe uma pílula mágica, embora alguns produtos até usem o termo “elixir”, como se fossem uma poção mágica da juventude. Caso tenham escutado alguma dica da vizinha, de uma amiga, procurem seu médico. A medicina evolui muito, mas não se engane, continuamos a ter doenças e a envelhecer.

É evidente que há muito a se fazer em termos de prevenção, mas esse muito exige não só exames e consultas exige também a vontade de modificar seu estilo de vida. E nós, médicos, existimos para ajudar as pessoas a separarem o joio do trigo.

Enquanto isso, vamos acompanhando os estudos sobre o envelhecimento, como esse sobre a mutação genética das baleias, um estudo interessante e que quem sabe, um dia, nos permita chegar a tal poção.

http://vida-estilo.estadao.com.br/noticias/longevidade,mutacoes-geneticas-das-baleias-da-groenlandia-podem-explicar-longevidade,1616724