Envelhecer faz parte da vida. É uma realidade que todos, ou quase todos, enfrentaremos. Mas estamos preparados para lidar com a velhice?

Ao vermos nossos pais, tios e avós envelhecerem não nos damos conta de que eles irão perder a vitalidade, a memória, o ânimo. É muito difícil vê-los numa situação de fragilidade e temos a tendência de achar que eles continuarão iguais, apesar dos anos.

Saber lidar com as novas situações requer um exercício de paciência e observação. Vale saber que algumas alterações fisiológicas ocorrem com o decorrer da idade. Perda de audição, visão e paladar são algumas delas. O idoso perde muito a capacidade de ouvir e ver e, muitas vezes, os mais novos não têm paciência em lidar com esta deficiência. Na hora de comer, pode parecer frescura, mas realmente o paladar muda e pode ficar ainda mais seletivo.

Outra incapacidade é a de locomoção. Os mais velhos movimentam-se mais devagar e o ritmo  lento às vezes irrita os parentes mais próximos.

Uma recente matéria publicada neste jornal, no blog de Edison Veiga, o Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) teve uma ideia interessante:  treinar médicos e funcionários a como lidar com os idosos. Para isso, os profissionais tiveram que vivenciar situações que afligem esses pacientes como a dificuldade de visão, locomoção, audição e paladar.

Eles tiveram que caminhar por um corredor com degrau enorme, tendo o chão forrado de brita, foram obrigados a ouvir um chamado com um volume muito baixo e a andar pelo hospital usando andador, muletas e bengalas.

No convívio familiar, não há treinamento para lidar com os nossos entes queridos. Mas assim como ocorreu com os profissionais temos de tentar nos colocar no lugar deles para viver bem. Uma boa dose de paciência, praticar a arte de ouvir e observar e compartilhar com outras pessoas que vivenciam as mesmas situações podem ajudar a lidar com os mais velhos.

Sabemos que os defeitos pioram com a idade, por isso, não espere que os idosos fiquem mais tolerantes. Pratique você a tolerância, o respeito e o amor. Tenho certeza que sua atitude será retribuída com gratidão pelo seu parente que tanto lhe fez quando era mais jovem. Viva mais e melhor.