Acaba de chega à multimarcas Surface to Air novos modelos da Lomography, a câmera fotográfica mais queridinha dos modernos e que tem até seguidores da prática da lomografia.

Para quem não conhece, a prática foi inventada por um militar russo nos anos 80, ainda em tempo de Guerra Fria. Depois de se apaixonar por um modelo de câmera japonês, passou a providenciar sua produção. A câmera, quem diria, tinha o propósito de fazer as pessoas comuns fotografarem seu dia-a-dia para propagandear o estilo de vida soviético. Era feita de plástico e com preço superacessível.

Depois de cair em desuso, a Lomo foi redescoberta por estudantes austríacos numa viagem a Praga, no começo dos anos 1990. Daí para virar cult foi fácil.

A genial camerazinha virou febre no mundo todo, tendo até comunidades na rede voltadas para o assunto. Não à toa, já que qualquer leigo com uma dose extra de inspiração pode se tornar um artista com os efeitos dela. Cores saturadas, aspecto embaçado, ares vintage, quadruplicação das imagens e recursos como Fisheye ou “olho de peixe” (como se a foto fosse tirada uma lente redonda), são alguns dos efeitos que ela produz. E o resultado e sempre inesperado, só visto na hora de revelar o filme.

A Colorsplash (foto), por exemplo, tem 9 filtros com efeitos variados. O pacote inclui, além da câmera, um livro de fotografias, pôster, 12 filtros coloridos para o flash, e sai por R$ 304,00.

Surface to Air: Alameda Lorena 1985, Jardins ou pelo site da loja.

Foto: divulgação Surface to Air e site Lomography.