pick-and-mix-171342_640

 

Você se propõe a fazer uma reeducação alimentar. A semana começa e promete não comer mais doces, não exagerar na comida e a cortar as bebidas alcoólicas. A dieta vai bem até…. o final da tarde ou até você chegar em casa. Por que isso acontece?

 “Qualquer pessoa que passar o dia em restrição alimentar, quando chegar em casa, terá episódios de compulsão. É fisiológico. É uma resposta do corpo. Entretanto, se a alimentação for organizada, os alimentos distribuídos de forma regrada durante o dia, provavelmente esses episódios desaparecerão”, afirma a nutricionista Dania Sanchez Flores, de Brasília.

Para falar sobre essa e outras dificuldades no dia a dia da dieta, convidamos Dania e a também nutricionista Juliana Lisboa Martins. Abaixo, eis a entrevista.

 

Nove entre dez mulheres relatam que o horário mais difícil de se manter na dieta é entre o final da tarde e o começo da noite. Por que isso acontece?

 

Dania – Muitas pessoas, não apenas mulheres, passam o dia fazendo restrição dietética. Alegam que não dispõem de tempo para alimentar-se por causa do excesso de trabalho ou da vida “ocupada”. Isso pode levar à episódios de compulsão alimentar, que geralmente ocorrem nos finais de tarde ou noite. Qualquer pessoa que passar o dia em restrição alimentar, quando chegar em casa, terá episódios de compulsão. É fisiológico. É uma resposta do corpo. Entretanto, se a alimentação for organizada, os alimentos distribuídos de forma regrada durante o dia, provavelmente esses episódios desaparecerão.

 

Juliana – É verdade. Isso é questionado por muitos. Isso acontece devido, muitas vezes, a um descontrole glicêmico ocasionado por refeições, anteriores a esta, mal balanceadas, mal planejadas ou de baixo valor nutricional.

Como fazer para controlar o apetite nesse horário?

 

Dania – Com auxílio profissional, investir em reeducação alimentar. Organizar a rotina alimentar diária, de modo a educar o relógio biológico em relação aos horários alimentares para a pessoa perceber que é capaz de controlar os episódios de compulsão e de atingir um nível satisfatório de saciedade.

Juliana – Comece modulando sua glicemia com um bom café da manhã. Isso ajuda e muito a controlar o que vamos comer ao longo do dia; beba água e não sucos ou bebidas açucaradas; faça refeições ricas em alimentos com boa composição nutricional, especialmente nos pequenos lanches, consuma alimentos como castanhas, abacate, ovos, whey e fuja de alimentos refinados e até mesmo do consumo isolado de frutas.

Por que, na maioria das vezes, as mulheres relatam ter vontade de comer doce?

Dania – Fala-se muito em preferência por açúcar, mas quem trabalha com transtorno alimentar vê o problema de forma diferente. Embora muitos tenham compulsão por doces e pães, existem pacientes que perdem o controle diante de alimentos salgados, nas refeições principais ou fora delas e, por exemplo, após concluírem o almoço ou no meio da tarde repetem o arroz, o feijão e a carne que acabaram de consumir. Consumem, geralmente em grandes quantidades, de forma rápida e descontrolada, mesmo se sentindo estufada ou plenamente saciada.

Juliana – Devido às oscilações hormonais como o ciclo menstrual, algumas mulheres ficam bem sensíveis à serotonina (neurotransmissor ligado à sensação de bem estar) neste período. Assim, buscam alimentos que aumentam a liberação desse neurotransmissor. No entanto, há alimentos que trabalham nesse mecanismo e, ainda, nutrem nosso organismo como a aveia, banana, nozes, pimenta caiena, água e folhas verde escuras (faça um Suco Verde).
Quais as estratégias que podem funcionar para não colocar a dieta a perder?

 

Dania – Seguir o planejamento elaborado pelo profissional especializado, feito com e para você, respeitando seus hábitos e preferências alimentares, mas sem alimentar vícios.
Juliana – Prefira alimentos ricos em gorduras monoinsaturadas, proteínas e fibras como as sementes oleaginosas, abacate, coco e suplementos de proteína para adicionar em iogurtes e vitaminas.

Quais alimentos que podem estar presentes na dieta de maneira a ajudar a controlar a ansiedade e compulsão alimentar?

Dania – Incluir alimentos ricos em magnésio e potássio: amêndoas, nozes, couve flor, repolho, abóbora, mamão, feijão, espinafre, maracujá e outros.

– Consumir carboidratos integrais como; arroz integral, raízes (mandioca/batata doce/baroa/inhame cará e outros).

-Priorize temperos naturais, alho, cebola, cebolinha, açafrão, pimentas e outros. Desperte o chef que tem em você!

– Consumir proteínas de boa qualidade como: ovos, carnes magras, abolir o consumo de embutidos e processados como: salsichas, peito de peru, presunto mortadela, ricos em nitrosaminas (agentes carcinogênicos) e elevada quantidade de sódio.

– Não consumir adoçantes, se for adoçar o alimento, preferir mel de abelha, açúcar mascavo ou demerara, (em pequenas quantidades). Para que açúcar? Você já é doce o suficiente!

– Priorize alimentos de verdade, aqueles que não precisem de rótulos, encontrados em feiras ou quitandas de rua.

 

Juliana – Gosto muito da biomassa da banana verde para esse fim. Além de ser um alimento super versátil na culinária podendo ser utilizado em preparações doces e salgadas.

Até a próxima semana!