pepino

Você sabia que a obsessão pela alimentação saudável também é uma doença? “É clichê, mas é real. Tudo que é exagerado é errado e faz mal”, adverte a nutróloga Liliane Oppermann.

Segundo ela, a preocupação em excesso com o estilo de vida fitness e com a qualidade dos alimentos consumidos é um comportamento inadequado, que leva à doença.

A seguir, a nutróloga fala sobre o tema. Veja a entrevista.

O que é a ortorexia?

Liliane Oppermann – Diferente da maioria dos transtornos alimentares, onde existe repulsa ou compulsão por comida, a ortorexia nada mais é do que a obsessão pela alimentação e vida saudável. Trata-se de um comportamento alimentar caracterizado pela preocupação em excesso com o estilo de vida “fitness” e com a qualidade dos alimentos a serem consumidos. A pessoa que tem ortorexia acaba sendo extremamente exigente consigo mesma, onde impõe regras e normas dentro da sua alimentação, se preocupando com a forma que os alimentos são preparados, etc.

 

Quais os riscos da ortorexia?

Liliane – É como aquela velha frase clichê: Tudo que é exagerado é errado e faz mal! A pessoa ortoréxica acaba excluindo muitos grupos alimentares da sua rotina, e isso pode causar quadros de carências nutricionais no organismo desse indivíduo. O problema maior é que na cabeça dessa pessoa não existe a possibilidade dela estar agindo errado, afinal, que mal tem em se alimentar de forma extremamente saudável? Diante disso, ela acaba não fazendo nenhum tipo de acompanhamento e nunca assume estar fazendo mal para sua saúde. Nessa restrição de grupos alimentares, a pessoa pode ter graves problemas de saúde, tais como anemia, osteoporose, deficiência imunológica, perda de peso excessiva, distúrbios digestivos, impotência sexual, lesões oculares, insônia, amnésia, etc. Outra desvantagem é que a pessoa acaba se excluindo da sociedade, pois evita eventos, restaurantes e reuniões com amigos e familiares para que não tenha risco de cair em tentação. Essa culpa causada pela “quebra das regras” pode causar outros tipos de distúrbios.

 

Na busca exagerada pela alimentação saudável, há risco de se desenvolver também a depressão?

Liliane – Conforme mencionado acima, o indivíduo que tem ortorexia acaba se isolando da sociedade, e isso é uma consequência de uma possível depressão, sem dúvidas. O fato dele viver em seu próprio mundo, onde 24h por dia a preocupação é apenas sua alimentação, torna essa pessoa sozinha, inconveniente e distante, e o fato dela ficar em casa apenas pensando e fazendo isso, causa uma tristeza profunda, muitas vezes silenciosa.

 

Como saber se a busca pela alimentação saudável está exagerada? Quais os sintomas da ortorexia?

Liliane – Existem vários sintomas ligados a ortorexia:

– Quando a pessoa se recusa a consumir alimentos industrializados, com conservantes ou corantes, sem exceção alguma.

– Exclusão radical do consumo de sal, açúcar e gordura (inclusive das boas)

– Obsessão pela forma que o alimento é preparado (se não está em casa e percebe que tem óleo, por exemplo, em alguma preparação, ela não come de jeito nenhum)

– Quando a pessoa recusa qualquer alimento que não é feito por ela mesma e nunca faz alguma refeição fora de casa

– Caso a pessoa abra uma exceção por impulso, a forma como se culpa por esse “crime” e como isso impacta na sua vida, causando a possível depressão

– Falta de confiança até nos profissionais da área de saúde, onde acabam não ouvindo mais ninguém e só sabem seguir seu próprio estilo de vida estipulado

– Criticas ao estilo de vida das outras pessoas que não são 100% radicais como ela

– Exclusão dos eventos sociais

– Perda de peso excessiva por conta da dieta restrita, que pode até causar anorexia futuramente

 

Como é feito o tratamento da ortorexia?

Liliane – O primeiro passo é fazer com que a pessoa reconheça que está com esse transtorno, sugerindo então o acompanhamento profissional de psicólogos, nutricionistas, nutrólogos, etc. Cada caso é um caso, até porque existem vários graus de ortorexia, e é necessário avaliar as causas e fundamentos que resultaram nesse problema para essa pessoa.

O que será feito é um processo de readaptação e retorno a uma alimentação normal e balanceada.

 

Até semana que vem