diet-403588_640

 

A busca pela boa forma faz nove entre dez pessoas cometerem erros básicos, que vão desde a alimentação errada à adoção de hábitos ruins, como comer em frente à TV, por exemplo. Pedimos à nutróloga Ana Luísa Vilela, de São Paulo, ajuda para a elaboração de uma lista dos erros mais comuns cometidos por quem quer emagrecer e, muitas vezes, acaba sabotando, segundo ela, a própria perda de peso. Vamos a ela:

Pular refeições: “muita gente deixa de tomar o café da manhã ou escapa do jantar na tentativa de perder peso e esse é um erro gravíssimo”, alerta a nutróloga. “Nosso corpo trabalha com a programação metabólica e, ao deixar de se alimentar, na próxima refeição ele vai entender que precisa armazenar energia para não ser pego de surpresa novamente. Daí qualquer alimento que for ingerido será transformado em gordurinhas”, conta.

Comer na frente da TV e/ou do computador: não importa a pressa que você tenha. O momento da refeição deve ser feito com tranquilidade e plena consciência. “Ao comer na frente da tv ou do computador você acaba não prestando atenção na quantidade que está comendo e acaba exagerando no prato. Além disso, no trabalho come-se com pressa. Assim você não mastiga direito, prejudicando a digestão, e não sente o sabor do alimento. O cérebro não entende que já está saciado e é preciso comer mais”, diz a médica.

Carboidrato em todas as refeições: a dupla arroz com feijão é extremamente nutritiva, mas deve ser restringida a apenas uma refeição por dia. “Além disso, a combinação de arroz e batata, por exemplo, é bastante calórica”, diz Ana Luísa.

Trocar o refrigerante pelo suco industrializado: muita gente acha que a troca da bebida gaseificada pelo suco de caixinha é mais saudável. Mas observe o rótulo. A nutróloga lembra que a as bebidas industrializadas, mesmo sendo feitas à base de frutas, têm muito sódio e açúcar. Por isso, dê preferência ao suco natural e sem adoçar.

Não beber água: o nosso organismo precisa se manter hidratado para funcionar corretamente. Além disso, o cérebro confunde sede e fome e pode enviar uma mensagem falsa de que é preciso comer algo quando, na verdade, o que você precisa é de um copo d’água para se hidratar. “E água, além de dar saciedade, ajuda a limpar as toxinas e não tem calorias.”

Se deixar levar pela fome emocional: sabe aquela velha desculpa do “eu mereço”? Ela entra aqui. “É preciso saber distinguir a fome emocional da fome de verdade. Ao entender que a vontade de comer não é realmente uma necessidade física e conseguir resistir às tentações, você dá um grande passo na direção do emagrecimento saudável”, fala a nutróloga.

Trocar refeições por shakes: eles são práticos e rápidos de serem feitos, mas devem ser consumidos com parcimônia ou podem deixar os rins sobrecarregados.

Não comer fibras: frutas, legumes, verduras e grãos devem estar presente em praticamente todas as refeições. Ricos em fibras, eles ajudam a dar saciedade e evitam a fome fora de hora.

Comer doce na sobremesa todos os dias: “você pode comer um docinho… de vez em quando! Se quer realmente emagrecer, tem que fazer o sacrifício e aprender a provar porções menores e esporádicas, preferencialmente feitas com frutas e gelatina e sem muita gordura, como massas folhadas, creme chantilly, creme de avelã etc.”, orienta a médica.

Beliscar: quem belisca toda hora acaba engordando. De bala em bala, um biscoito aqui outro ali, quem sofre é a balança e o guarda-roupa. “Mas a Dra. mandou comer a cada três horas”, você pode dizer. “É preciso atenção com a quantidade e a qualidade do que vai beliscar. Mesmo alimentos com cara de saudável, como as barras de cereal, podem ser prejudiciais para o processo de emagrecimento”, orienta Ana Luísa.

 

Até semana que vem!