Considerada aliada de quem se preocupa com a saúde e a boa forma, a linhaça virou ingrediente obrigatório nas dietas alimentares. A semente é rica em fibras prebióticas, proteínas vegetais de elevado valor biológico, tem alto teor de ômega 3 e ajuda na hora de perder as gorduras indesejadas.

A semente tem também o poder de diminuir o apetite por carboidrato e doces e estimula o intestino preguiçoso. Daí, a recomendação dos nutricionistas, que consideram a linhaça uma forte aliada na luta contra a balança. A linhaça também é rica em ômega 6 e gorduras monoinsaturadas que ajudam a combater, segundo especialistas, o mau colesterol.

De acordo com a química Conceição Trucom, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), autora do livro “A importância da linhaça na saúde”,  o uso equilibrado da semente melhora o desempenho físico diário e dá a sensação de saciedade. Ela ainda estabiliza os níveis de glicose no sangue, já que a linhaça inibe a secreção de insulina.

Outro vantagem da linhaça é que ela ajuda a amenizar os sintomas da TPM e da menopausa. E, de quebra, dá força às unhas e aos cabelos.

O uso da semente, no entanto, segundo os nutricionistas, deve ser feito de forma equilibrada e contínua. Uma ou duas colheres de sopa ao dia são suficientes. A linhaça pode ser usada em saladas, iogurtes, bolos de carne e até em lasanhas e patés vegetarianos.

A semente triturada, de acordo Conceição Trucom, tem uma absorção pelo organismo mais eficiente. A semente com casca, relata a química em seu livro, pode impedir que seus princípios ativos sejam absorvidos.

Bom, como vimos, os benefícios da linhaça são muitos. Mas, como tudo na vida, seu uso depende de bom senso. Em outras palavras, equilíbrio sempre! Até semana que vem!