Ano novo. Dificuldade velha. Manter a dieta nas viagens de férias é quase sempre um exercício difícil de ser praticado. Se o clima é de inverno, comemos além da conta por conta do frio. Se as temperaturas estão altas, costumamos exagerar no consumo das bebidas alcóolicas e nos sorvetes. O fato é que não dá para se privar de tudo e nem para jacar o tempo todo. É preciso fazer escolhas e tentar manter o equilíbrio.
Pedimos a Júlio Aquino, um dos mais respeitados nutricionistas do País, uma lista com sete dicas para tentar manter a dieta durante as viagens. Veja a seguir:
1. Mantenha o foco
Essa é a primeira e mais importante dica, pois quando você viaja focado, consegue contornar melhor as tentações e desafios que aparecerão durante a viagem. Foque no resultado que você quer pra sua vida, não em números na balança ou um peso para um evento específico. Isso vai garantir que suas decisões tenham um peso maior no seu objetivo. Uma pessoa focada quando embarca no avião, por exemplo, vai dispensar com mais facilidade o refrigerante ou o suco de caixinha que a aeromoça vai passar servindo, porque ela sabe que aquilo não vai contribuir para a meta dela.
2. Mercado
Chegando no destino, o primeiro dia já tem que incluir uma visita ao mercado da cidade. Faça uma lista com os alimentos que você geralmente consome na dieta – ou pelo menos os equivalentes ou parecidos com ele, já que estamos falando de férias. Dá até para se basear no total de calorias de cada, mantendo o consumo diário indicado na dieta. Castanhas, barrinhas, biscoitos integrais, frutas, muita água… Ter isso com você ou disponíveis pra quando você precisar ajuda muito a manter o foco, economizar e não ganhar peso. Em viagem. manter o peso é o principal. Perder peso é lucro. A meta é pelo menos manter o que você já conquistou. Uma lancheirinha também pode ajudar muito durante os passeios.
3. Ajuste de horário
Claro que, em viagem, o que mais queremos é relaxar e não se preocupar com horário. Mas o corpo precisa ser alimentado de 3 em 3 horas. Por isso, a melhor técnica é programar o celular para despertar de tempos em tempos com lembretes, de acordo com a nova rotina que você adotará nas férias. O alarme pode vir com mensagens do tipo “hora de comer uma fruta” ou “castanha agora”, para que o metabolismo seja mantido. Alimentar-se em curtos intervalos é melhor do que comer muito em períodos distantes. É como se nosso corpo fosse uma churrasqueira. Se você colocar muito carvão três vezes ao dia, de manhã, tarde e noite, ela provavelmente estará mais fria do que se você colocar pouquinho carvão, mas seis vezes ao dia. E esse “carvão” é o que ativa nosso metabolismo, por isso o ajuste de horário é tão importante.
4. Limite o consumo de álcool
Esse é, para muitos, a parte mais difícil. Mas é preciso entender que, além de atrapalhar a dieta do ponto de vista das calorias vazias, o álcool também retarda em até cinco dias o processo de perda de gordura corporal. Então se você beber, seu fígado poderá demorar de 2 a 5 dias para controlar as taxas de álcool do seu corpo. É ele que trabalha para metabolizar o álcool (já que o organismo não pode armazená-lo) e depois eliminá-lo, uma espécie de filtro do nosso sistema. Por isso, quanto mais álcool ingerirmos, mais tempo o fígado vai demorar a processá-lo. E, nesse processo, o órgão para de fazer as suas outras funções, como a de transformar galactose e a frutose em glicose e a gordura da alimentação e a gordura acumulada em fonte de energia, por exemplo, contribuindo no processo de emagrecimento. Ou seja: se você bebeu, você vai sobrecarregar seu fígado e pausar o processo de queima de gordura.
5. Não consuma carboidrato à noite
Essa dica também é importante – e até mais fácil de ser seguida do que a do álcool, porque há mais opções de petiscos e pratos no jantar. Opte por proteínas, saladas e demais alimentos que não os carboidratos porque, se depois de consumi-los você for dormir, seu corpo começará a relaxar e vai entrar em um metabolismo bem mais lento. Prefira comer carboidratos ao longo do dia, quando eles poderão ser usados como fonte de energia.
6. Faça atividade física diária
Essa é a dica mais fácil e também a mais difícil. Todo mundo coloca na mala a roupa de malhar, tênis, vai sempre otimista em relação a caminhar na praia, correr na orla, essas coisas de viagens. Mas poucos colocam em prática lá na hora. Tem que haver um esforço, nem que seja 10 minutos de caminhada na areia. Tente se programar para acordar cedo, dar uma corridinha, se exercitar. Faz bem e é uma forma de contemplar o lugar que você está visitando. A atividade física ajuda a manter o peso durante a viagem e a relaxar a mente e o corpo.
7. O que importa são as pessoas
A última dica parece óbvia, mas muita gente se esquece dela. Pensa em viajar e já fica com a lista de restaurantes e lugares pra conhecer na cabeça, faz um roteiro cheio de paradas, horários e compromissos, sendo que o que vai fazer da viagem inesquecível são as histórias e as pessoas. Viajar com quem você gosta faz toda a diferença. Foque nisso, não nas outras coisas. Aproveitando as pessoas, você vai ver que as paisagens, a tentadora gastronomia local e as atividades são só um complemento e não precisam ser encaradas como a prioridade.
Até semana que vem!