Eles estão por toda a parte. Distribuídos no solo, no lençol freático, em cosméticos, nos agrotóxicos, e portanto, na água e nos alimentos que comemos. A exposição aos metais tóxicos é cada vez mais frequente, segundo a médica homeopata Gina Goulart, de Brasília.

Especialista em medicina integrativa da clínica Haya, ela afirma que os metais tóxicos mais encontrados são o alumínio, arsênico, cádmio, chumbo, mercúrio e níquel.

Segundo ela, o alumínio pode estar presente na farinha de trigo refinada, desodorantes, pesticidas e herbicidas. O arsênico tem origem principalmente nos agrotóxicos, detritos da  metalurgia e combustíveis. Já o cádmio vem do cigarro, indústria do aço e soldas.

As baterias de carros, combustíveis, tintas de cabelo e poluição do ar contém chumbo. Já o mercúrio, explica a especialista, está presente nas amálgamas dentárias, derivados de petróleo, lençol freático atingido por garimpos (que, consequentemente, atinge os peixes). Por fim, o níquel, que é encontrado em baterias, soldas e cosméticos.

O acúmulo de metais tóxicos no nosso corpo prejudica as reações enzimáticas, comprometendo as vias metabólicas e, consequentemente, deixando o funcionamento do organismo mais lento.

“É como se as engrenagens do metabolismo ficassem sem lubrificação. E é o metabolismo que promove a troca de energia do nosso corpo, as catabólicas, para quebrar e/ou eliminar substâncias, além de promover o emagrecimento, e as anabólicas, para construir e aumentar o nível de músculos, por exemplo”, explica Gina

De acordo com ela, se o metabolismo funciona com mais dificuldade, o sistema perde energia e, neste processo, um dos tecidos mais atingidos é são os sistemas neurológico e o hepático.

“Existe um tecido ao redor de nossas células que permite a conexão entre elas. Ele é formado basicamente de colágeno e é a matriz extracelular, fundamental para a troca de nutrientes entre as células. E é justamente aí que os metais tóxicos podem se acumular, dificultando o processo da nutrição celular, que nada mais é que a energia, o metabolismo do nosso corpo”, afirma Gina.

Ela diz que a melhor opção para evitar o acúmulo de metais no corpo é eliminar da dieta (ou ao menos diminuir) o consumo de alimentos que contenham agrotóxicos, dando preferência àqueles de origem orgânica.

Até semana que vem!

Instagram: @anapscinocca

Sugestões envie email para: anapscinocca@gmail.com