Sir Michael Philip Jagger não tinha intenção de ser uma estrela do rock. E nem de permanecer tanto tempo cantando Satisfaction. O jovem tímido e desengonçado que largou o curso de Economia na prestigiada London School of Economics para cantar blues com os amigos disse uma vez que não gostaria de chegar aos 40 no palco com os Rolling Stones. Mais tarde, viu seu grupo se transformar na mais rentável e duradoura instituição do rock. E isso, é claro, mudou tudo.

Sobreviveu a cinco décadas de rock’n’roll: tentou cinema, voos solos moderninhos, mas acabou voltando para sua banda de sempre. Hoje, aos 70 anos, ocupa o primeiro lugar da parada de música digital dos EUA, depois de terminar mais uma turnê arrebatadora – com direito a Satisfaction na maioria dos shows.

Foi contra todas as previsões, até suas próprias. Ainda canta clássicos do blues, só que em palcos cada vez maiores. E aqueles movimentos fora de ritmo se transformaram na marca registrada do maior frontman do rock. Quem diria?

Parabéns, Mick.