Depois de muito bafafá nas redes sociais, a organização do Rock in Rio esclarece: o megaevento de música eletrônica que Roberto Medina planeja não terá vínculo com a marca do festival original. Em nota divulgada pela revista Rolling Stone, a organização destaca que, apesar de produzidos pelo mesmo time, os festivais serão diferentes.

O projeto do “Rock in Rio eletrônico” foi revelado pelo próprio Medina na semana passada. “Estou super animado. Seria como um filho do Rock in Rio. A ideia é começar no Rio de Janeiro em 2015 e depois exportar para Madri, Lisboa e Argentina”, afirmou. E está nos planos usar as infraestruturas criadas nas cidades do rock.

Rapidamente, o assunto rendeu um avalanche de comentários no Twitter e no Facebook – para o bem e para o mal. A maioria criticava o fato da marca Rock in Rio estar fugindo cada vez mais do rock’n’roll e pedia um retorno às origens.

De qualquer forma, anote na agenda: o próximo Rock in Rio está marcado para setembro de 2014, com edições simultâneas no Rio e em Buenos Aires. O projeto eletrônico ainda tem data definida.