madonna

Madonna domina o universo pop há três décadas. Não à toa. Trinta anos após Like a Virgin (1984), a cantora viu seu muito aguardado novo álbum vazar na internet. Não foi um vazamento em doses homeopáticas. Do dia para noite, nada menos que 13 faixas estavam sendo compartilhadas inúmeras vezes nas redes sociais e sites de buscas. O que fazer?

À princípio, Madonna seguiu o script: xingou, convocou seus leais fãs para não escutarem, apontou culpados e xingou de novo. Depois, mostrou por que domina a cena há tanto tempo. Também sem aviso, lançou metade da versão final daquelas faixas no iTunes. Com direito a uma belíssima canção ainda inédita, Ghosttown. Resultado: com Rebel Heart, o iTunes chegou a ficar fora do ar durante aquela madrugada. Hoje, a rainha do pop está no topo das paradas digitais de nada menos que 40 países – incluindo Estados Unidos, maior mercado fonográfico do mundo. Dos limões, ela fez uma limonada. Um extraordinário case sobre como lidar com vazamentos (atenção, Sony Pictures. Pode servir).

“Nós temos que pensar fora da caixa”, disse Madonna à revista Billboard. “Eu não queria lançar meu disco dessa maneira. Gostaria de planejar tudo. Lançar um single, gravar um vídeo, falar sobre o álbum. Prepará-lo até que estivesse pronto. Acho que é melhor forma de fazê-lo. Mas não tivemos escolha.”

O lançamento do álbum completo está marcado para 10 de março. Até lá, Madonna está tomando algumas precauções extras. Ela explicou à Billboard que todas as canções estão sendo armazenadas em computadores que não possuem acesso à internet. Ninguém entra nos estúdios de gravação com celulares ou tablets. A regra também vale para sessões de fotos. “É chato, porque eu gostaria de fotografar e pôr minha música para tocar bem alto, dançar, celebrar… Mas não posso.”

Em tempo: a canção Living For Love, primeiro single de Rebel Heart, deve ser apresentada na cerimônia do Grammy de 2015 – divulgação à moda antiga para uma artista que não parou no tempo.