Nike Cortez do Stranger Things

A tão aguardada quarta e nova temporada da série ‘Stranger Things’ do Netflix estreou e já é considerada por muitos a mais assustadora até agora. Justamente por trazer o medo para as nossas retinas, um sentimento tão primitivo e essencial, obras de terror são sempre um convite para lançamentos das marcas de tênis. A própria ‘Stranger Things’ já teve alguns modelos com seu nome em 2020, todos da Nike. Tailwind 79 e Blazer Mid ganharam colorways verde e laranja, as cores do Tigre mascote do colégio de Hawkins, cidade fictícia da série. Mas o destaque mesmo foi um Cortez bege claro que ia descascando e virando um sneaker jeans, como se fosse o mundo invertido do programa.

No início deste ano a Vans também lançou no Brasil uma coleção que foi mostrada no Halloween dos EUA. Inspirada em grandes clássicos, a Vans Horror tinha silhuetas variadas e até chinelos dos filmes ‘O Exorcista’, ‘IT: A Coisa’, ‘O Iluminado’, ‘Sexta-feira 13’, ‘A Hora do Pesadelo’ e ‘Os Garotos Perdidos’. A mais interessante, sem dúvida, e primeira a esgotar, foi baseada nas roupas de Freddy Krueger.

Aliás, quando se fala em tênis baseados em filmes de terror, ninguém supera o “Pesadelo da Rua Elm” e suas garras. Em 2007 a Nike decidiu lançar um trio de tênis com tema de horror para o Halloween. O que era para ser apenas uma insinuação de homenagem aos filmes ‘Madrugada dos Mortos’ com um Air Trainer 1, ‘Sexta-feira 13’ com um Dunk High e ‘A Hora do Pesadelo’ com um Dunk Low, virou uma obra explícita neste último. E aí, para usar um vocabulário bem claro, deu ruim.

O SB Dunk Low ‘Freddy Krueger’ tinha cabedal com as mesmas listras vermelhas e verdes do suéter do monstro, cercado por painéis de couro que imitavam pele de uma pessoa branca com gotas de sangue. O swoosh da Nike era prateado, assim como as lâminas das garras de Freddy. Na palmilha vinha um gráfico de carne queimada para combinar com o rosto do vilão. Uma obra de arte.

Mas teve alguém que não concordou isso: a New Line Cinema, dona dos direitos do filme. Quando os tênis ainda estavam em desenvolvimento, a produtora entrou em contato com a Nike com uma ameça de processo e o sneaker acabou não sendo lançado. Porém, cerca de 30 já tinham sido feitos, e eles foram aos poucos sumindo da fábrica e indo parar no mercado paralelo. Não se sabe exatamente quantos pares ainda existem do modelo no mundo, mas é possível achar alguns deles em lojas de tênis raros por cerca de US$ 30 mil (R$ 145 mil). Basta ver o Dunk High de Jason Voorhees para perceber a diferença de entusiamo criativo com os tênis.

Todo esse hype também levou o designer artesanal de sneakers Alexander Iesu a criar sua visão do tênis de Freddy no início deste ano. Ele é claramente baseado no Dunk de 2007, mas tem materiais ainda mais premiuns e cano longo, e apenas uma unidade produzida.

Também de 2007 (que houve em 2007 hein gente?) vem o Reebok Ventilator ‘Chucky’. Apesar de se basear em um dos filmes de terror mais surreais de todos os tempos, o modelo tinha uma carinha, de certa forma, básica. Era vestido de jeans e listras vermelhas, assim como o Brinquedo Assassino, e vinha com o globo ocular do boneco nas palmilhas.

Vem com box

Por falar em ‘Stranger Things’, a Rider acaba de lançar uma papete SLX com o tema da série. Ela está disponível nas cores preta e branca, dos números 33 a 45. Custam R$ 299. Há inclusive um espaço super legal da campanha de lançamento na Artwalk da Oscar Freire que vale a pena visitar. A ativação é toda temática da série e a imersão ficou bem bacana.

Só no lace

A Adidas confirmou o lançamento no Brasil do Yeezy 350 V2 CMPCT ‘Slate Carbon’ para o dia 4 de junho. O preço é R$ 1.300.

Já está à venda no Brasil a coleção da Looney Tunes em parceria com a Reebok. Os modelos são o Classic Leather Legacy AZ do Pernalonga, Instapump Fury 95 do Papa-léguas, Instapump Fury Zone do Marvin, o Marciano (o mais legal de todos), Hurrikaze II Low do Coyote e um Resonator Mid da turma toda. Os preços começam em R$ 399.