A palavra que você mais encontra, hoje na internet, é “recalque”. E a moda do momento é que todo mundo é “recalcado”. Se uma pessoa fala que não gosta de brigadeiro, o que ela escuta? “recalcada”. Se critica a roupa de alguém é “recalque”. Questiona os R$ 2 milhões que a Preta Gil gastou no casamento? “recalcada! queria ter casado como ela”.  Se não curte um livro ou um espetáculo é tudo uma questão de ser uma pessoa recalcada. Não sei de onde veio esse conceito de que ter crítica, discordância de atitude, credo ou convicções virou… inveja. Ora, apredemos – ou deveríamos aprender – desde cedo a desenvolver o espírito crítico. Diversas situações são colocadas para que a gente questione, aprenda a se posicionar,etc. E, quando a pessoa vai lá e diz o que pensa a resposta vem fácil,  sem nenhum tipo de embasamento: “recalcada”.

Amigos, vamos por partes: recalque, em essência, não é inveja. Mas consideremos esse paralelo, já que é dessa forma que o termo foi popularizado. É impressionante como as pessoas –  aos olhos dos outros – são invejosas. Como se inveja fosse um sentimento muito simples e fácil de expressar. Convenhamos que, normalmente, a inveja mais profunda não é tão explícita a ponto de as pessoas ostentarem em um comentário de rede social. Assim sendo, uma pessoa que critica a Kim Kardashian, não necessariamente tem inveja e gostaria de ser ela. Muitas vezes, sim. Mas pode ser o contrário. Pode ser simplesmente uma pessoa que questiona o culto da imagem, que não acha legal o frisson em torno de alguém que vive de selfies ou que não acha saudável o fato dela ter 902486357265 plásticas e vender “ser uma mulher natural”. Isso não poderia ser um debate interessante? Mas qualquer discussão morre quando a resposta para opiniões diferentes da unanimidade vira “recalque”.

É claro que é uma perda de tempo ficar insistindo em comentários maldosos, se ocupando de algo que você não gosta. Também é absurda essa coisa de “haters”, gente que fica seguindo pessoas para falar mal. Isso é doença. No entanto, durante uma conversa, uma pessoa pode criticar o BBB, a atuação de alguém na novela, a ostentação dos famosos. Isso não significa que ela tenha inveja,  mas simplesmente que não concorda ou não gosta. Isso é saudável pessoal. Diferença de opiniões. Cada um tem um gosto, um pensamento, idiossincrasias. Ainda podemos dizer o que pensamos sem sermos mandados para uma cela de “recalcados”. Tem gente que aprecia delicadeza, outros a agressividade. Algumas pessoas admiram a discrição e outras acham que o legal ser escancarado. Tem gosto para tudo. Para samba, música clássica, pagode e bossa nova. Para Instagram aberto ou fechado. Criticar uma coisa ou outra não faz de ninguém recalcado. É simplesmente uma forma de dizer “ cada um faz o que quer da vida, mas não me identifico com isso”.  Isso é espaço para o debate.

Me acompanhe no Facebook: https://www.facebook.com/blogsemretoques

Me acompanhe no Twitter@maneustein

Leia mais textos do Sem Retoqueshttp://blogs.estadao.com.br/sem-retoques/