“Ser bonita é um estado de espírito”. Esse é o mote da nova campanha que foi ar na semana passada. A Dove – que já tinha apostado nesse tema em  Retratos da Real Beleza em 2013 – continuou na mesma toada com um vídeo sobre um “adesivo de beleza”. O enredo é simples: sete mulheres usaram o  emplastro por 12 dias, registrando um diário virtual de como estavam se sentindo nesse período. O resultado é impressionante. Sem saber que se trata de um placebo, as moças que passaram pela experiência se dizem seguras, bonitas, iluminadas.

O vídeo:

A marca afirma que a ideia é dar uma “bombada” na autoestima da mulher. Quase impossível não se identificar com o vídeo. O placebo é um clássico. Quem nunca se sentiu mais magra só de ir um diazinho na ginástica? Ou mais saudável e leve depois de tomar um banho de mar e uma água de coco? Quem também não teve uma queimação estomacal “psicológica” depois de comer uma friturinha? Pois então. Está na cabeça, minhas caras.

É fato que muitas mulheres têm visões absolutamente irreais sobre si mesmas. E é claro que é muito dificil enxergar isso e pensar “sou bonita e estou bem” quando você está tendo uma crise. Entretanto, é mais fácil ver no outro. Quem nunca assistiu a uma amiga/ prima/ irmã falando algo totalmente sem sentido? Exagerando por conta de uma espinhazinha na testa, com vergonha de colocar um biquíni na frente de outros por estar, supostamente, acima do peso, desconfortável com o cabelo, que está seco demais. Deixar de prestar atenção aos nossos defeitos é um grande desafio, mas também é muito libertador poder pensar em outras coisas. É um grande alívio não sofrer antes de se vestir para ir a um casamento ou para uma reunião importante do trabalho. E melhor ainda quando isso passa a ser algo prazeroso, não uma angústia.

Parar de encrencar com as próprias imperfeições é um dos caminhos para descobrir habilidades, pequenos prazeres. E quando a ideia for se emperiquitar, fazer disso uma coisa gostosa, não ficar se comparando com as amigas gatas e a Scarlett Johansson. Que fique claro: cada um faz o que quiser. Entretanto, dá para dar uma aliviada, né? Enquanto estivermos vendo celebridades como modelo, o caminho, minhas caras, é a dor. Profissionais da beleza são profissionais da beleza. Pessoas nas quais o corpo é trabalho é uma coisa. Ora, ver a Claudia Leitte pulando em um trio elétrico, magérrima um mês depois de dar à luz, não é exemplo para ninguém. Assim como atrizes que saem da drenagem para ginástica, para o choque elétrico contra a celulite, para a hidrataçao tailandesa do cabelo, para o médico ortomolecular… No entanto, o mundão, este do qual fazemos parte, não é isso aí. Tem dias em que nos sentiremos lindas, seguras, divertidas. E outros em que vamos estar de ressaca, com olheiras, cansadas, imperfeitas. O jeito é mudar um pouco o foco. Nossas relações dependem menos da beleza e muito mais de inteligência emocional e capacidade de amar do que nós imaginamos.

Me acompanhe no Twittter: @maneustein

Leia mais textos do Sem Retoques : http://blogs.estadao.com.br/sem-retoques/

Posts relacionados: fifi de mulhermulheres solteiras; perfume de mulher ; Por que as mulheres se acham feias?; Será que eu vou dar conta; Que filho darei para o mundo?