Os governantes (pi)caretas de plantão vão ter que nos engolir. No último findi, novamente, os blocos saíram às ruas e ocuparam a cidade com seu festival de diversidades, sua concentração debochada, sua loucura pé-no-chão. Em dias de intolerância e rancor (como esses), que o carnaval nos contamine de alegria e que se inspire na gentileza e no respeito, pra que o aprendizado de quatro dias de folia nos ilumine pelo ano inteiro. Porque o que eu quero mesmo, mamãe, além de mamar, é que o sábado próximo lépido trêbado intrépido chegue logo loko laico like in bloco: nossa Vila, como a de Noel, não quer abafar ninguém. Só quer mostrar que faz marcha frevo valsa rap rock sarau carnaval e samba também.

BLOCO DA MARIA … 2 DE MARÇO – 16H – PRAÇA CARAUARI >>> Chegou a hora. É neste sábado de carnaval, no Carauari Bar e Mercearia, que vai rolar a quarta edição do Bloco da Maria. Eu e meus amigos foliões do Sarau da Maria estaremos lá com Andrea, Toninho e a tchurma que frequenta a Mercearia e alguns outros botecos da Vila Maria, além dos chegados de outros saraus, que sempre aparecem por lá pra pular e cantar. A marchinha deste ano é uma parceria minha com Jamir Nogueira e Márcio Butarello. Posto aqui a gravação e a letra, pra você já ir decorando. Nos vemos na praça, no meio do povo, molhados de chuva:

A FESTA DA MARIA
(Jamir, Arnaldo e Butarello)

Deu a louca na Maria nos dias de carnaval
Ela quer dar pra todo mundo uma festa sem igual
Já convidou o Guilherme, o Jotabê e a Sabrina
É hoje que a gente ilumina de sol e de alegria o dia a dia
Deeeeeeeeu… a louca na Maria nos dias de carnaval
Ela quer dar pra todo mundo uma festa sem igual
Já convidou o Gustavo, o Miguel, a Madalena, o Edu Chaves
É hoje que a gente acha a chave da porta da tal felicidade
Pode chamar o Gumercindo? Pode pode pode pode
Pode chamar a Guilhermina? Pode pode pode pode
Pode chamar todo mundo
Na festa da Maria todo mundo pode
Todo mundo pode, todo mundo pode
Liberdade é folia e todo mundo pode
Todo mundo pode, todo mundo pode
Naaaaaaa… festa doida da Maria todo mundo pode vir
Sobe no busão da alegria e desce na praça Carauari
A Zilda avisou que vai de colombina, o Ede de índio, o Peri de pierrô
a Maria falou que vai sem fantasia vestida de brisa, de brilho e de flor
vestida de brisa, de brilho e de flor
na base da paz, da amizade e do amor
… … …
BLOCOS LEGAIS PRA VOCÊ PULAR >>>
2/3 – BregsNice e Sidney Magal, 12h – Praça da República
2/3 – Agrada Gregos, 13h – Av. Marquês de São Vicente
2/3 – Minhoqueens, 15h – Praça da República
2/3 – Tarado ni você, 10h – Avenida Ipiranga x São João
3/3 – Explode Coração, 13h – Praça da República
4/3 – Ano Passado eu Morri, mas esse Ano eu não Morro, 15h – Praça Rio dos Campos
4/3 – Lua Vai, 15h – Praça da República
4/3 – Love Fest, 12h – Avenida Tiradentes
5/3 – Agrada Gregos, 13h – Avenida Tiradentes

 

… … …

NÃO QUERIA FALAR DISSO,
MAS NÃO DÁ, NÉ?

… … …

A GREVE DE PROFESSORES E SERVIDORES – 2 >>> No post passado comentei sobre a luta de amigos professores (alguns deles poetas, participantes e organizadores de saraus) em greve pela revogação do projeto SampaPrev, que aumentou de 11% para 14% a contribuição dos servidores municipais. Fiz um breve registro solidário à luta da categoria e indignado com a falta de vontade de dialogar demonstrada pelo atual prefeito Bruno Covas (que enfim, recebeu uma comissão dos servidores, mas disse que não revoga o Sampaprev e nem abona os dias de paralisação dos trabalhadores, que optaram pela continuação da greve, claro). Não bastasse isso, complementei dizendo que a mídia também ignora solenemente o movimento dos servidores e não noticia suas reivindicações. O que faz com que a população, desinformada dos legítimos motivos dos grevistas, se posicione contra eles. Paralelamente a isso, na segunda-feira, o Estadão noticiou que seis senadores (derrotados nas eleições de 2018) recorreram para receber suas aposentadorias já a partir deste mês (sem esperar a tal ‘Reforma’). Exemplos: Romero Jucá (MDB-RR) receberá R$ 23.151,77 (quatro vezes o teto do INSS, que é de R$ 5.839,45) e Agripino Maia (DEM-RN), receberá R$ 32.894,80. E os professores seguem ignorados pela mídia e pelo prefeito. Foi sob esse cenário desolador que a turma de incompetentes e abilolados que assumiu o Planalto nos brindou, na mesma segunda-feira, com outra ‘piada’ de péssimo gosto. Foi enviado às escolas um comunicado do ministério da Educação ‘pedindo’ que seja lida uma carta aos alunos, professores e funcionários com o slogan de campanha de Jair Bolsonaro, “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”, recomendando que todos estejam “perfilados diante da Bandeira do Brasil” e que seja tocado o Hino Nacional. Ainda ‘pedem’ que as escolas filmem as crianças nesse momento e enviem os vídeos ao governo. A mensagem é assinada pelo ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez (aquele que defende acesso universitário somente à elites e que acusou os brasileiros de ladrões). Dois dias depois, como é hábito do presidente e de seus ministros, voltaram atrás. Pergunto: o que esse (des)governo tem na cabeça? É com isso que eles estão preocupados? Eles estão falando sério? Eles pensam que nós somos idiotas? Imagino os professores, que já têm ignorada a sua luta por melhores condições de vida e de ensino, o que sentem ao saber de um absurdo desses. O que dizer nessa hora? Nem há o que comentar. Só lamentar, lamentar e lamentar, profundamente. Lamentar a ideia tosca de um suposto e fantasmagórico ‘marxismo cultural’ inventado por anticomunistas doentes. Lamentar a proposição de uma estúpida e ofensiva ‘Escola Sem Partido’ e a sugestão policialesca de transformar alunos em alcaguetas de professores ‘esquerdistas’ (coisa da época da ditadura militar, que premiava delatores e promovia ‘capachos’). Lamentar que esses pensamentos retrógrados e idiotas venham de mentes que detêm poder e não têm nenhuma inibição em apresentar seus ‘progetos jeniais’. A que ponto chegamos! Até onde esse (des)governo ridículo e anacrônico vai nos levar? Até quando as instituições e os movimentos organizados vão suportar essas barbaridades?

QUINTA-FEIRA – 28 de fevereiro – das 18h às 23h … Festival “Ninguém Solta a Mão de Ninguém” … ‘Em defesa da cidade e contra o desmonte dos serviços essenciais como Saúde e Educação’, vários artistas se apresentam (clique no cartaz) em solidariedade aos servidores públicos em greve, desde o dia 4 de fevereiro, pela revogação do SampaPrev e contra o corte de ponto imposto pelo prefeito Bruno Covas. No Teatro de Contêiner Mungunzá, à rua dos Gusmões, 43, em Santa Ifigênia

… … …

O PRESIDENTE E O CINEMA >>> Com tantos problemas no País, o ‘coiso’ que o dirige  resolveu dar uma de crítico de cinema e soltou um vídeo onde critica o filme de Wagner Moura (exibido no festival de Berlim) e acusa Marighella de ser um ‘assassino’. Não sei se o filme é bom ou ruim, nem sou especialista na sétima arte. O que sei é que Marighella foi eleito deputado pelo Partido Comunista em 1946 e logo depois teve seu legítimo mandato popular cassado (porque os golpistas de sempre colocaram seu partido na ilegalidade, novamente). Alguns anos depois, os militares brasileiros deram outro golpe na democracia, fecharam o Congresso, perseguiram, torturaram e mataram milhares de brasileiros de todas as profissões. Muitos resistiram a essa barbárie e seguiram batalhando por liberdade e democracia. Equivocadamente ou não, alguns optaram por enfrentar a tirania do exército opressor com as mesmas armas do inimigo. Marighela foi um desses brasileiros (e deu sua vida por isso). Portanto, a verdade é que o atual presidente está defendendo ditadores assassinos e condenando um heroi da resistência popular. Está tentando reescrever a história inocentando militares golpistas e torturadores sanguinários que até hoje permanecem impunes. Marighela, que foi assassinado e é chamado de terrorista, só partiu para a guerrilha e a luta armada depois que a ditadura militar ceifou as liberdades democráticas e impôs o terror ao País. Marighela tentou combater com armas um Estado ilegal e ilegitimo. Foi dentro desse ninho verde-oliva, manchado pelo sangue de herois brasileiros, que Bolsonaro cresceu e fez sua ‘carreira’ militar. Não é surpresa que defenda assassinos e torturadores. Na terça, elogiou o ex-ditador paraguaio, Alfredo Stroessner, golpista que se manteve 35 anos no poder após implantar um permanente estado de sítio (na sua lista de crimes constam 18 mil torturados e 400 mortos e/ou desaparecidos). ‘Gente’ como Stroessner são os ‘pais intelectuais’ do nosso Bozo (em seu discurso, ele ainda ‘inventou’ que o ditador Castello Branco foi ‘eleito’ em 1964: será que ele pensa que somos idiotas? que, por ter sido eleito, ele pode falar a besteira que quiser?). Como a nação brasileira permitiu que esse antidemocrata disputasse uma eleição presidencial? Por que não impugnamos sua candidatura? Até quando as instituições e os movimentos organizados vão suportar as barbaridades que ele diz e que seu governo faz (ou tenta fazer)? A democracia brasileira corre perigo, sim. De novo.

 

… … …

MINHAS ANDANÇAS POR AÍ

… … …

SARAU EM ASTORGA >>> No sábado (dia 16) aconteceu em Astorga (PR) mais uma edição anual do Sarau do Quintal, realizado na casa da família Peixoto e apresentado pelo poeta Milton Luna, assíduo frequentador de diversos saraus de SP (Casa Amarela, entre eles). O cantor e compositor Cordeirovich (da dupla com Vladinsky) participou e postou suas impressões na net. Eu roubei o texto dele, dei uma resumida e devolvo aqui pra vocês:

 

“O evento foi especialmente dedicado ao avô “Chiquim”, poeta, artesão, benzedor e outras qualidades, tendo quase enfrentado Lampião no passado, caso o mesmo não tivesse mudado a rota de passagem (com receio do vô Chiquim, corre a lenda). O multiartista Miton Luna, paramentado com seu chapéu alegórico de cangaceiro, capitaneou o sarau. Apoiado por sua irmã Sandra Peixoto e pela família, fez desfilar uma sequência de apresentações musicais entremeadas de poesias, prendendo a atenção da distinta plateia que agradecida, dançou, cantou e aplaudiu (além de petiscar churrasquinho, tomar cervejinha gelada e curtir o bazar de roupas e bijuterias). Entre as atrações: dança do ventre, duplas sertaneja da região e jovens artistas da cidade (cantando e tocando sucessos e músicas autorais), os poetas Zé Vicente (autor das fotos acima), Gilberto Braz, Liz Rabello, Milton Luna e André Tomaz (entre outros), mais o querido Zulu de Arrebatá e também a dupla Vladinsky & Cordeirovich. O evento, que foi “show de bola”, pretende criar uma rádio comunitária e também disseminar pelas escolas a “Geloteca”, uma estante de livros “bons” (doados pelos participantes do Sarau) armazenados numa geladeira personalizada. Vida longa à família e ao Projeto Sarau do Quintal”.
Assino embaixo das suas palavras, Cordeirovich!

EXPOSIÇÃO DO DAHMER >>> Na semana passada eu estava de plantão e não pude comparecer à inauguração da exposição do talentoso cartunista André Dahmer (ver vídeo), que publica diariamente suas tiras na Folha e no Globo. Sou muito fã de suas sacadas inteligentes e de suas mordazes críticas políticas e comportamentais. Dahmer salienta nosso lado podre para tornar óbvia a necessária defesa dos valores humanistas, tão em baixa nesse momento obscuro de nossa história. Neste findi, finalmente, fui lá apreciar seus dezoito trabalhos originais e as cinco gravuras em serigrafia, numeradas e assinadas. A expo vai até 20 de abril na 9ª Arte Galeria (rua Augusta, 1371, na famosa Galeria Ouro Velho). A 9ª, administrada pelo casal Monalisa Martins e Alexandre Vital, é a primeira galeria brasileira dedicada exclusivamente às HQs. Já exibiu trabalhos de Geraldo Borges e prepara para maio a expo de Marcatti. A lojinha, além dos livros do Dahmer, vende camisetas com estampas de seus personagens (e de outros desenhistas de hqs). Para surpresa minha, na mesma galeria ainda funciona a Sensorial Discos (loja de vinis que oferece pocket-shows alternativos, quitutes e cervejas artesanais) e a Ugra Press (editora especializada em quadrinhos & contracultura) com suas paredes belamente grafitadas. Vai lá ver tudo isso, que é bem legal.

OCUPAÇÃO MANOEL DE BARROS >>> Fui ao Itaú Cultural e curti emocionado a exposição de manuscritos e diversos materiais selecionados do acervo pessoal do grande poeta matogrossense Manoel de Barros (1916-2014). Além da exposição, o projeto deu origem a uma série de vídeos e outros conteúdos on-line. Clique aqui e saiba mais sobre a trajetória do autor de poemas incríveis como esses (não consegui escolher um só):

Retrato do artista quando coisa
(Manoel de Barros)

A maior riqueza
do homem
é sua incompletude.
Nesse ponto
sou abastado.
Palavras que me aceitam
como sou
— eu não aceito.
Não aguento ser apenas
um sujeito que abre
portas, que puxa
válvulas, que olha o
relógio, que compra pão
às 6 da tarde, que vai
lá fora, que aponta lápis,
que vê a uva etc. etc.
Perdoai. Mas eu
preciso ser Outros.
Eu penso
renovar o homem
usando borboletas.

Tratado geral das grandezas do ínfimo
(Manoel de Barros)

A poesia está guardada nas palavras — é tudo que eu sei.
Meu fado é o de não saber quase tudo.
Sobre o nada eu tenho profundidades.
Não tenho conexões com a realidade.
Poderoso para mim não é aquele que descobre ouro.
Para mim poderoso é aquele que descobre as insignificâncias (do mundo e as nossas).
Por essa pequena sentença me elogiaram de imbecil.
Fiquei emocionado.
Sou fraco para elogios.

TERÇA EM CENA >>> Pela primeira vez assisti a uma edição do projeto em que atores dos grupos Cia La Plongée e Cemitério de Automóveis apresentam quatro peças curtas e/ou montagens de textos garimpados nas oficinas de dramaturgia promovidas pelo diretor Lucas Mayor na sede do teatro (à rua Frei Caneca, 384). Foram quatro textos interessantes (de Bruna Pigher, Rodrigo Nogueira, Ajuanda Bonanata e Carla Kinzo), com temáticas variadas e pitadas de drama, humor, non sense e suspense (sempre tem uma segunda apresentação – eu noticio no agendão). No divertido “Terra do Nunca”, duas atrizes de teatro infantil (as ótimas Antoniela Canto e Cynthia Falabella) conversam sobre as mazelas cotidianas enquanto se preparam para entrar em cena. Depois, em “Sem”, um homem (talvez) do passado e uma mulher moderna mantêm um diálogo desencontrado momentos antes de uma peça começar (com Daniel Volpi e Frann Ferraretto). Em “Polly”, o sequestrador de uma jovem aguarda impacientemente que os pais dela entrem em contato para negociar o resgate (com Paula Arruda e Pedro Guilherme). Por fim, em “O Mais Simples”, o funcionário de uma repartição pública relata suas opções de conduta ao atender um cliente (monólogo com Marcos Gomes). O teatro é pequeno mas estava lotado e aplaudiu de pé as boas atuações. Depois, o pessoal ainda ficou pelo bar tomando umas, debatendo as peças e conversando sobre outros projetos (‘não existe gente como a gente de teatro’). Por essas e por outras é que eu acho uma delícia frequentar o Cemitério.

UM OSCAR PARA SPIKE LEE >>> Não, leitor, não pisei o tapete vermelho. Mas estava de plantão no Estadão e acompanhei toda a cerimônia de premiação. Acho oportuno postar um trecho do discurso do cineasta Spike Lee, finalmente contemplado com um Oscar pelo Melhor Roteiro Adaptado (por “Infiltrado na Klan”). Claro que é um óbvio recado anti-Trump: “Há 400 anos nós fomos roubados da África e trazidos para a Virginia, escravizados. A minha avó, que viveu até 100 anos de idade, apesar de sua mãe ter sido escrava, conseguiu se formar. Ela viveu anos com seu seguro social, e conseguiu me levar para a universidade NYU. Diante do mundo, eu gostaria de reverenciar os ancestrais que construíram esse país, e também os que sofreram genocídios. Os ancestrais que vão ajudar a voltarmos a ganhar nossa humanidade. As eleições de 2020 estão chegando, vamos pensar nisso. Vamos nos mobilizar, estar do lado certo da história. É uma escolha moral. Do amor sobre ódio. Vamos fazer a coisa certa.”

 

… … …

O GRANDE TAVITO,
EM NOSSOS CORAÇÕES

… … …

Tavito se foi. Um arrepio angustiado percorreu meu corpo ao ler a notícia. Só desejei estar com meus amigos do Clube Caiubi e abraçá-los, consolá-los um pouco. Ouvi-los desabafar. Deixar que eles me contassem mais uma vez as histórias vividas com o mestre, amigo e incentivador. Cantarolar com eles as parcerias que nasceram dessa convivência. Foi por sugestão do poeta Vlado Lima que fundamos nosso sarau. E foi por intermédio de Vlado que conhecemos Tavito e o convidamos a tocar na Vila Maria (nessa foto de Roberto Candido, estou com eles dois no palco). O grande artista topou vir até nossa humilde quebrada, na perifa da ZN. Nosso bar feio, de paredes sujas e teto quase caindo. Ele veio, acompanhou o sarau e humildemente esperou sua vez. Eu lembro de lhe falar: ‘na hora que você quiser, hein, Tavito’. E ele me respondeu: ‘Na hora que for, me chame. Fique à vontade‘. Casa lotada, quando ele entrou, foi ovacionado. Sentiu a eletricidade no ar, na respiração ansiosa dos fãs. Tavito, tranquilo e experiente, conversou com o público, contou alguns causos, descontraiu o ambiente e depois cantou e encantou. Foi uma noite inesquecível.

Em 2013, alguns dias após essa apresentação, escrevi: “Emoção à flor da pele no Sarau da Maria IV. Foi de arrepiar: eram quase 22h do sábado, 31 de agosto, quando um coro de quase 100 pessoas entoou emocionado: ‘Sem querer fui me lembrar… de uma rua e seus ramalhetes… do amor anotado em bilhetes… daquelas tardes!‘. O consagrado cantor e compositor Tavito, membro do ‘Clube da Esquina’ e do mitológico grupo mineiro ‘Som Imaginário’, se apresentava no Bar do Giba, na Vila Maria (no vídeo acima)“.

Tavito voltaria dois anos depois para cantar no nosso novo endereço, o Clube Vila Maria. Para promover o evento, Selma Bizon e Veronica Lopes, duas organizadoras do sarau, foram entrevistá-lo (a foto acima é desse dia). Não pude ir, mas mandei umas perguntas por celular (qualquer dia a Selma disponibiliza essa gravação na net). Desde então, acompanhei algumas de suas participações no Sopa de Letrinhas e nos eventos do pessoal do Clube Caiubi, lá no Julinho Clube. A última vez que o vi no palco, foi como convidado num show do Zé Renato (do Boca Livre). Sesc Santana lotado, Zé chama Tavito ao palco. O carismático mineiro entra e ganha o público com sua simpatia e belas canções.

Tavito cantou duas de suas pérolas preciosas: Casa no Campo (parceria com Zé Rodrix) e Rua Ramalhete (com Ney Azambuja). A plateia cantou junto, claro. Minha canção preferida dele talvez seja Começo, Meio e Fim, mas seu talento de músico e compositor extrapola predileções. No final dos anos 1960, o cara já estava lá, com o Som Imaginário, acompanhando Milton Nascimento. Depois de fazer canções inesquecíveis nos anos 1970 e 1980, partiu pra publicidade, onde criou alguns jingles incríveis (entre eles, o sensacional ‘Eu sei que vou’, com letra de Aldir Blanc, que toca na chamada dos jogos da seleção). Nos anos 2000, junto com seu querido amigo Zé Rodrix, apadrinhou a turma boa de compositores do Clube Caiubi, incentivando uma nova geração de talentosos artistas (Sonekka, Cueva, Rica Soares, Léo Nogueira e Vlado Lima, entre outros…) com quem compôs e participou de shows. Além de cantar eventualmente em alguns saraus da cidade, ele também criou o Sarau do Tavito, onde apresentava suas novas canções e abria espaço para a música autoral de qualidade, banida das rádios e tevês brasileiras. Deixo aqui minha lágrima emocionada e um abraço aos amigos e familiares dele. Me despeço, com admiração e saudade: grande figura, esse Tavito.

 

… … …

QUASE UM ANO REPETINDO:
QUEM MATOU MARIELLE?

… … …

QUE VERGONHA, BRASIL! >>> Quase um ano depois e os criminosos continuam impunes. A nação (pacificada? bestificada?) segue seu dia a dia, indiferente. Uma representante do povo foi assassinada, os assassinos estão soltos e não ouço panelas: vários ‘suspeitos’ presos, muito blablablá e… nada! Não é prioridade dos atuais governantes (aparentemente tão preocupados com a criminalidade) resolver esse caso. Vocês acreditam que a polícia (num Rio de Janeiro que estava sob intervenção militar) ainda não ‘descobriu’ quem são os assassinos de Marielle Franco? E ainda temos que ouvir o presidente eleito (& filhos) e suas balelas sobre armamentos e ‘militarização’. Já são mais de onze meses de impunidade. No dia 14 de março de 2018 a vereadora, de 37 anos, foi assassinada no bairro da Lapa, no Rio. Ela era relatora da Comissão dos Direitos Humanos que acompanhava a intervenção militar no RJ. Havia feito denúncia contra abusos policiais e voltava de um evento com jovens negras quando foi baleada. Anderson Gomes, motorista do carro em que ela estava, também foi executado. Protestos e manifestações contra o bárbaro crime se repetem diariamente em várias cidades brasileiras. Marielle lutava por justiça, inclusão e igualdade de direitos. Defendia as causas que todos nós, artistas e coletivos dos saraus, também defendemos. Este blog continua aguardando o esclarecimento do caso e a punição dos assassinos. As balas que a mataram também atingem a todos nós. Não podemos nos calar. Até quando vou ficar semanalmente repetindo esse texto aqui? Será que vai ficar por isso mesmo? Por que a resposta não vem? Quem matou (e quem mandou matar) Marielle?

VERGONHA 2 >>> Se o atual presidente fosse mesmo ‘bom de segurança’, uma vereadora não teria sido assassinada (ao que tudo indica, por milicianos – leia matéria do jornalista Marcelo Godoy com o secretário da Segurança Pública do Rio entrevista de Fernanda Chaves, assessora de Marielle, à Mônica Bergamo) no Estado onde ele fez toda sua carreira política (e que se encontrava sob ‘intervenção militar’). Será que seus eleitores refletiram sobre isso? Apoiadores do ‘coiso’ posaram para fotografias sorrindo ao quebrar ao meio uma ‘placa de rua’ com o nome de Marielle (junto a eles, o atual governador do Rio. Pode?). Será que os eleitores do ‘coiso’ concordaram com essa ‘brincadeira’? Não posso crer nisso. Como também não consigo compreender o porquê do ‘coiso’, ou do governador fluminense, jamais terem exigido publicamente o esclarecimento do ‘caso Marielle’. Por que será?

VERGONHA 3 >>> O delegado responsável pela investigação do assassinato de Marielle, Giniton Lages, foi mantido (pelo novo chefe de polícia, delegado Marcus Vinicius Braga) no cargo até o final do inquérito. Braga foi nomeado secretário pelo governador Wilson Witzel. A justificativa da nova cúpula é não interromper o trabalho da equipe atual, que vai ser ampliada para que a investigação ‘seja finalizada ainda no início do ano’ (e já estamos em meados de fevereiro). Também foram mantidos os responsáveis pelas unidades da Baixada Fluminense e de Niterói e São Gonçalo, Daniel Rosa e Bárbara Lomba. Parabéns aos envolvidos, só que não: afinal, já são mais de 11 meses de impunidade. É uma vergonha! 

VERGONHA 4 >>> Após quase um ano de impunidade dos assassinos de Marielle, a Polícia Federal realizou operação, na manhã da quinta-feira (dia 21), para cumprir oito mandados de busca e apreensão com o objetivo de apurar ‘suposta tentativa de obstruir a investigação do crime’. Será? (pergunta irônica)

 

… … …

AGENDÃO

… … …

Aqui as sugestões de programação para esta semana. Acompanhe também as opções contidas na página da Agenda da Periferia. Informe-se, inconforme-se, atue e divirta-se!

… … …

ATÉ 20 DE ABRIL (menos aos domingos) … Exposição André Dahmer … O grande cartunista, que publica diariamente na Folha e no Globo, apresenta dezoito trabalhos originais e cinco gravuras em serigrafias numeradas e assinadas. De segunda a sábado, na 9° Arte Galeria, à rua Augusta, 1371 (térreo da galeria Ouro Velho)

… … …

QUINTA E SEXTA-FEIRA – 28 de fevereiro e 1 de março – 10h às 22h … Open Oficinas … Curso ensina técnicas de xilogravura, colagem e pintura com os artistas Moara Brasil, Djulia Gangary e Vito Campilongo, residentes do Colabirinto. Mais informações na rua Francisca Miquelina, 118

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de fevereiro – 18h30 … Cantor e compositor Luiz Cláudio de Santos apresenta canções de carnaval na Casa Fórum, em Santos

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de fevereiro – 20h … QuintaSoito – Carnaval 2019, no Espaço Clariô. Com os blocos Kazunji e Siga bem, Caminhoneira

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de fevereiro – 20h30 … 3ª AMostra Canção Presente. Com Augusto Teixeira, Iara Ferreira, Anna Paes e Marcelo Menezes. No Bar do Alemão

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de fevereiro – 20h30 … Mel Azul no Quinta Independente do Centro Cultural da Juventude. Festa gratuita com cinco mcs: Dedo Sujo, MC D La Veiga, MC Moleque, Prodígio e Doctor Herman

… … …

QUARTA-FEIRA E QUINTA – 27 e 28 de fevereiro – 21h … Tudo Que Dói …Contemplada na 8ª edição do Prêmio Zé Renato, a peça conta a história de um consagrado escritor  que passa os dias no bar de uma cidadezinha, rodeado de outros bêbados, na tentativa de esquecer o passado. A chegada de uma jornalista interessada em entrevistá-lo coincide com a visita de sua filha, que atingiu a maioridade e deseja conhecer o pai. Texto e direção de Mário Bortolotto (clique no cartaz). No Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. Ingressos a R$20 e R$10. Até 14 de março

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de fevereiro – 21h … Show pré-carnavalesco – Sambas e marchinhas com o grupo da cantora Dani Mattos, no Drosophyla Bar

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de fevereiro – 21h30Cantora Anaïs Sylla e o músico Yaniel Matos se apresentam no JazzB. Ingressos a R$35

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro … Carnaval tropical no Simplão de Tudo … Quatro dias de arte, diversão e camping: com shows, oficinas, trilhas, cinema ao ar livre, luau, fogueira e show da banda Camarão Blues tocando Secos & Molhados. Na Estrada do Quilombo, s/n, em Paranapiacaba. Ingressos de R$20 a R$250

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro – 18h … Festa Vitamina de Carnaval – no Alberta. Com os djs Brito Andrade, Irineu Bishop e Andi Profano, além do Sarau Erótico Yopará. Na av. São Luís, 272

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro – 18h … Mulheres de ArTitude – 1a Exposição (até 15 de março). Com shows e djs (ver cartaz). Na Casa de Cultura São Miguel

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro – 19h … Samba da Gruta # 22. Na Gruta Bar, na rua Major Quedinho

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro – 19h … Outlaw Rock Nigth … Com as bandas Lo-Fi Punkrock e Fil and the Guitar Gun. Entrada R$15. No FFront, à rua Purpurina, 199

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro – 19h … Happy hour com cantor e compositor Edvaldo Santana. No Carauaribar, na Vila Maria (praça Carauari, 8)

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro – 20h … Cortejo do Bloco Afro Ilú Obá De Min, na Praça da República

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro – 20h … Grupo Fios de Choro no Sesc São Caetano. No repertório, músicas do disco Trama

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro – 20h … OUM – Música Curativa … Arthur Vital apresenta música mantrica e modal acompanhado por Raifah Monteiro na percussão e Joyce Nogueira nos vocais. No Centro de Cultura Dança e Terapia, em Ribeirão Pires

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro – 21h … Diversité … Projeto musical multicultural no Coletivo Digital, à rua Luís Murat, 298. Entrada R$15

… … …

SEXTA-FEIRA e SÁBADO – 1 e 2 de fevereiro – 20h e 18h … Ricardo III não Terá Lugar (Cenas da Vida de Meierhold) … Grupo de teatro Pandora comemora 15 anos com mostra de seu repertório. Nesta peça, a força do teatro resistindo à censura política. No Ceu Perus, à rua Bernardo José Lorena, s/n

… … …

SEXTA-FEIRA E SÁBADO – 1 e 2 de fevereiro – 21h … Medusa de Rayban … Remontagem da peça (elogiada em 1997 por inovadoras referências às hqs e ao rock) narra os conflitos de quatro assassinos de aluguel, abordando a violência sem descartar o humor. Texto e direção de Mário Bortolotto (clique no cartaz). No Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. Ingressos a R$40 e R$20

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de fevereiro – 21h30 … Cantor e compositor Sapiranga se apresenta acompanhado da percussionista Paula Padovani e do baixista e saxofonista Jaime Saraiva. No repertório, ritmos dançantes brasileiros. No Bar Exquisito, à rua Bela Cintra, 532. Couvert R$12

… … …

ATÉ 13 DE ABRIL – AOS SÁBADOS – das 14h às 17h … Curso de Teatro gratuito – na Aldeia Satélite … (no carnaval, a confirmar) … Curso de preparação artística para atores e interessados, abordando técnicas de Stanislavsky e da linguagem clown. Sob a coordenação de Claudemir Santos, é composto por atividades práticas, leituras, criação de espetáculo e apresentação do resultado obtido. Na rua Tenente Luiz Fernando Lobo, 118

… … …

SÁBADO A QUARTA-FEIRA – 2 a 6 de março … Exposição Quadrinhos no Carnaval … Megaexposição de revistas, artes originais e itens raros dos diversos gêneros das HQs em ambientes temáticos e imersivos, mostrando sua influência na cultura pop, cinema e TV. No MIS, à avenida Europa, 158 (horários variados)

… … …

SÁBADO – 2 de março – 15h … Zumbiido Afropercussivo … Cortejo preto’ sai do Largo do Paissandu. Esquenta tem som de djs

… … …

SÁBADO – 2 de março – 18h … Música Brasileira com Grazi Medori e os Brazucálias. No Que Tal, à rua Vergueiro, 3393

… … …

SÁBADO – 2 de março – 20h … SLAM Poesia Racional #16 – Mês da Mulher … Com palco aberto, batalha poética e as convidadas Janaína Moitinho (Slam do grito) e Cristina Adelina de Assunção (Slam da Guilhermina). Pocket de poesia com Coletivo Alcova. Na esquina da av. Paulista com a rua Augusta

… … …

SÁBADO – 2 de março – 21h … Marcelo Barum … Cantor da banda Tarumã se apresenta no Bar do Frango com o show ‘O Clube e outras esquinas de Minas’. Na av. São Lucas, 479. Entrada franca

… … …

SÁBADO – 2 de março – 21h … Carnaval com Poema Novo … Banda faz show poético, musical e dançante. Participação de Douglas Froemming (guitarra), Danilo Moura (percussão) e Gabriel de Almeida Prado (violão e vocal). Entrada franca (contribua no chapéu). Nos Parlapatões, à praça Rossevelt, 158

… … …

DOMINGO – 3 de março – 13h … Marcha pra Exu + Bloco Samba do Seu Zé … A proposta é fortalecer as religiões de matriz africana e dar um “basta” no desrespeito religioso. Doe um kg de alimento não perecível. Na praça Dom José Gaspar

… … …

DOMINGO – 3 de março – 15h … Cortejo Bloco do Fuá … Com alegria, irreverência, crítica social e política, bloco ‘grita contra essses governos não nos representam’. Na rua Conselheiro Ramalho

… … …

DOMINGO – 3 de março – das 18h às 4h … Carna Blues … Evento reúne as bandas Entidade Blues, Amargo Malte, Full el Cuervo, Javali e Santo Veneno. No Aurora Club, à rua 13 de Maio, 112, no Bixiga

… … …

DOMINGO – 3 de março – 18h … Carnavandalismo … Shows das bandas Anhangabahy e Dharma Samu. Nos Parlapatões, à praça Roosevelt, 158

… … …

ATÉ 20 DE MARÇO (menos aos domingos) … Exposição “Derivações de uma Mártir”, de Bruna Alcântara … Artista expõe série de obras relacionadas à gênero, maternidade e feminismo. Entrada franca. De segunda a sexta, das 10h às 21h30. Sábados, das 10h às 18h. Na Oficina Cultural Alfredo Volpi, à rua Américo Salvador Novelli, 416,

… … …
SEGUNDA-FEIRA – 4 de março – 21h … Blues acústico com Leone da Gaita. No Bar do Frango, av, São Lucas, 479
… … …

TERÇA – 5 de fevereiro – 13h – Mana Bloca no Teatro De Bolso Do Iv Mundo

TERÇA – 5 de fevereiro – 14h – Bloquinho Infantil Ziriguidum na Praça Mendel Hirschfeld

TERÇA – 5 de fevereiro – 19h às 5h – Carnavelhas no Aurora Club (BMBC às 20h, King Rock Shorts às 22h e Velhas Virgens depois da meia-noite)

TERÇA – 5 de fevereiro – 19h às 3h – CarnaRock no Don Ramon Rock Bar

… … …

AGENDÃO >>> Fique ligado, pois o agendão é diariamente atualizado. E toda quinta-feira tem um post novo.

… … …