Sarau, luau e o escambau

Sarau, luau e o escambau

Produção artística que vive à margem da indústria cultural

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tem Vanguart cantando Dylan (em SP) e festa de livros na Flib, na Flip e na Flipei (em Bonito e Paraty)

Por Arnaldo Afonso

   

Este blogueiro às vezes se perde em meio ao vendaval de tanto material virtual. Aquele ‘mundo vasto mundo’ alternativo que já não cabia no espaço físico do jornal impresso, também não cabe mais nas rodagens digitais do celular. Me dizem que tem ficado pesado. Ouço sugestões pra diminuir os posts ou transformar o blog num diário (a se pensar, meu caro Juvenar). É punk encarar a quantidade de vídeos, fotos, textos, informações e o escambau geral a dar com pau pra se noticiar (sem falar nos muitos eventos do findi que ainda vão entrar). Tem shows, saraus, feiras, lançamentos e etecéteras & tais por demais. Não tá fácil escolher um lugar só pra ir (e isto não é uma reclamação, é bão!): curte aí curte aqui vai no pique multiplique-se curte-circuite-se:

… … …

SEXTA-FEIRA A DOMINGO – 5 a 7 de julho – 21h (dom, 18h) … Vanguart canta Bob Dylan – Sesc Santana … Com mais de 10 anos de história, quatro álbuns e dois dvds, a banda formada por Helio Flanders (voz, violão, gaita, trompete e vocais), David Dafré (guitarra, clarinete vocais), Fernanda Kostchak (violino) e Reginaldo Lincoln (voz, baixo, bandolim e vocais) embarca na obra do artista que mais a influenciou, passando por suas principais fases. Um show e um disco que celebram a existência do gênero folk e da literatura cantada (abaixo, um link do cd do Vanguart). Na av. Dummont Villares, 579. Quando o grande poeta Dylan ganhou o Nobel de Literatura, escrevi:

Pergunto a você, que agora me lê: quantos caminhos um homem deve andar até que seja aceito como homem? E quantos mares uma gaivota irá singrar até poder descansar na areia? E quanto tempo as balas dos canhões explodirão até serem banidas para sempre? Sim, e quantas vezes um homem deve olhar para cima até que possa ver o céu? E quantos ouvidos um homem deve ter para ouvir os lamentos do povo? E quantas mortes ainda serão necessárias para que se saiba que já se matou demais? E quanto tempo pode uma montanha existir antes que o mar a desfaça? E quantos anos pode um povo viver sem conhecer a liberdade? E quantas vezes um homem pode virar a cabeça fingindo não ver o que está vendo?  The answer, my friend, is blowing in the wind. The answer is blowing in the wind“.

dylan6

São apenas três ou  quatro acordes, nove versos e muitas perguntas. Reza a lenda que a música “Blowin’ in the Wind” foi composta em apenas 10 minutos, no dia 9 de abril de 1962, no The Commons, em Greenwich Village, após uma discussão sobre política. Seu autor, um jovem e desconhecido compositor de 21 anos chamado Bob Dylan, argumentava que ‘testemunhar uma injustiça e não fazer nada para impedi-la é a mesma coisa que cometê-la. Você é traído por seu silêncio. E todos nós, que não nos manifestávamos, estávamos sendo traídos por ele”. Mais do que dar respostas fáceis, o cantor queria propor discussões incômodas. “Alguns dos maiores criminosos são aqueles que viram as costas quando veem algo errado”, escreveu no encarte de seu álbum. Este blog ama Bob Dylan e todos os artistas que se importam e se colocam no lugar do outro. E que não viram as costas fingindo que não veem.

Que Bob Dylan é o melhor letrista da história do rock e um dos maiores artistas de todos os tempos, já sabemos. O Nobel de literatura e o reconhecimento acadêmico quase nada acrescentaram ao amor que sentimos por ele e à identificação que temos para com sua obra. Nós, fãs, além de satisfeitos pelo fato de sua notoriedade ter colocado a poesia no topo do noticiário, ficamos felizes pelo ídolo; e ponto. Em meu post sobre os livros e autores que fizeram minha cabeça, citei vários letristas de rock e mpb: Chico, Vandré, Caetano, Gil, Aldir, PC Pinheiro, Lennon, Cole Porter, Cazuza, Renato Russo, Belchior. E Bob Dylan, claro. Aos 14 anos, quando comecei a trabalhar, comprava a Revista do Rock (editada pela turma do Tárik de Souza, Ana Maria Bahiana e Ezequiel Neves) e ‘viajava legal’ com as versões para o português de seus clássicos dos anos 1960. O bardo poetizava sobre o amor livre, a defesa dos direitos civis e da liberdade de expressão, fazendo críticas às injustiças sociais, à guerra e a toda e qualquer opressão. É óbvio que o Arnaldinho pré-adolescente assimilou muita coisa ali. Por falar em juventude, no ano passado, um jovem repórter do Estadão voltou maravilhado do nordeste após uma entrevista com o grande Alceu Valença. Sabem por que? Porque Alceu, como Dylan e Tom Zé (de quem já falei aqui), são artistas que têm consciência política e defendem valores humanistas. Eles nos contagiam com a beleza do que produzem e que possuem; a beleza humana e solidária que há em nós e que não percebíamos, perdidos na selva competitiva. ‘Tudo o que você podia ser‘, como cantou Milton. Esses nobres valores os ultrapassam e transparecem em suas obras. E em sua postura de vida.

Sobre essa tal ‘postura’, deixo alguns pitacos sobre a atual valorização do ‘ter’ (dinheiro, carros, fama) em detrimento do ‘ser’ (ideias, valores, atitudes). Recentemente li a respeito de uma ampla ‘reforma’ do ensino, com a extinção de matérias supostamente ‘difíceis’ para que as aulas fosse mais ‘atraentes’ ao aprendiz. Como se já não bastasse a quantidade enorme de ‘divertidas’ banalidades e superficialidades que a tevê e o mundo das celebridades descarregam diariamente sobre nossos jovens. O que me parece, é que o Estado foge da sua responsabilidade de ensinar e abre mão do dever de formar cidadãos. De certa forma, é mais uma vitória da cultura do entretenimento vazio. E, consequentemente, uma derrota dos projetos com conteúdo, que apostam na diversidade cultural e na representatividade social. É uma diminuição de espaço para os criadores originais, os semeadores de benéficas dúvidas, os questionadores e provocadores. Os alternativos, sonhadores, poetas. Os nossos ‘novos’ Dylans. Aqui, neste blog, você sempre vai sentir um pouco da vibe subterrânea e indignada que cresce dia a dia, e vem à tona nos Ceus, nas bibliotecas, clubes, casas de cultura e saraus das periferias. Ouço dizer que ‘a revolução não será televisionada’. Parafraseando, ouso dizer que a cultura não passa mais por essas retrógradas instituições, de ensino desfibrado e ‘sem partido’. A população vai se organizando em associações e movimentos, reagindo à indiferença do poder público, que cada vez menos a representa. A resposta, amigo, está no ar, soprando com o vento. Eu sabia que Dylan nem iria à cerimônia do Nobel. Seu prêmio maior já viaja pelos quatro cantos do mundo e pulsa em cada um dos nossos corações: somos ecos de sua voz e de suas canções. De seus poemas libertários e de resistência. Tamo junto, my brother Bob.

… … …

MINHAS ANDANÇAS POR AÍ

… … …

 

ROCK AND BLUES BAR >>> No sábado passado (dia 29 de junho) o cantor e compositor Arnaldo Afonso apresentou seus rocks & pops na abertura do “Sarau Poesia de Porão“. Sim, esse Arnaldo sou eu mesmo! O show aconteceu no Rock and Blues Bar/Adega, em Cidade Ademar, e teve aplaudidíssima participação dos meus convidados Helen Torres & Sidney Kitagawa (da banda Chero da Poesia). A poeta Silvia Maria Ribeiro e o cartunista e frasista Vasqs também participaram. Em meio às comidinhas e bebidinhas do ‘arraiá’, o sarau seguiu em frente com leituras poéticas de Roberto Bezerra Dos Santos, Marcos Leite e Vander Bourbon (a quem agradeço pelo convite), entre outros artistas da casa. Agradeço também à Maria Moreno Justiniano pela recepção. Adorei cantar lá e já disse que vou voltar outro dia, pra bebericar e curtir. Me aguardem!

CARAUARIBAR >>> Eu, Helen e Kita saímos de lá e chegamos na Vila Maria a tempo de participar do Arraiá do Carauaribar, festa junina organizada pela Andrea e pelo Toninho (na foto), com caldinhos, espetinhos, quentão e vinho quente, além do forró arretado do Trio Angelim. Foi bão dimai da conta, sô!

… … …

ALGUNS EVENTOS LEGAIS

… … …

QUARTA A SÁBADO – 3 a 6 de julho … Feira Literária de Bonito … Sob o tema ‘Literatura: Substantiva Feminina’, evento recebe escritoras de todo o País, como Paula Valéria Andrade, Leila de Souza Teixeira, Dora Ribeiro, Denise Silva, Moema Vilela, Cidinha da Silva, Cintia Moscovich e Djamila Ribeiro, entre outras. Com mostra de cinema, teatro, contação de histórias e roda de conversa, entre as muitas atividades. Na praça da Liberdade, em Bonito, MS

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 21h … Banda da Portaria no Teatro Bruta Flor … Poemas de Vitor Miranda musicados por João Mantovani (violão) com Telo Ferreira (percussão) e Daniel Nakamura (guitarra). Participação de Carolina Ojo e Henrique Stella. Na rua Augusta, 912. Ao vê-los no palco, escrevi:

“A Banda da Portaria nasceu quando o compositor João Mantovani musicou poemas de Vitor Miranda. No show, enquanto o poeta declama, os músicos entoam levadas legais de pop e rock. Vitor é a alma da banda. Um jovem com visual de Jesus Cristo e versos antenados nas atuais questões artísticas, políticas e comportamentais. Se Jesus salva, não sei, mas como a poesia tem me salvado desde sempre, fiquei superfeliz ao ver um monte de jovens reunidos mastigando o doce chiclete da música pop com um inquietante recheio poético. A banda tem alguns vídeos no Youtube e Vitor já lançou os livros ‘Poemas de Amor Deixados na Portaria‘ (que deu origem ao projeto musical) e ‘A Gente Não Quer Voltar Pra Casa‘.

LANÇAMENTO >>> No dia 18 de julho, quinta-feira, acontece o lançamento oficial de ‘A Moça Caminha Alada Sobre as Pedras de Paraty‘, de Vitor Miranda, na Patuscada. Mas, desde o dia 10, o autor estará divulgando o novo livro em Paraty (claro!).

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 21h … Sopa de Letrinhas Sarau & Encontro de Compositores do Caiubi. Já são mais de 17 anos do sarau criado e apresentado pelo poeta Vlado Lima. Ultimamente, o evento vem misturado com o sarau dos compositores do Clube Caiubi. Um dois em um de alta qualidade: na parte musical, tem pocket-show de Rey Salles e canções do próprio Vlado e de Raquel Martins. Na parte literária, o poeta José Luis Queiroz lança ‘Tetos’ e vários convidados escritores participam: Paulino Alexandre, Laisa Kaos, Katy Regina, Marcelo Brettas, Elcio Fonseca, Rubens Jardim, Pedro Tostes, Daniel Perroni Ratto, Eduardo Lacerda, Carlos Galdino, Kiko César, Cesar Veneziani e Rafael F. Carvalho. No Bar do Julinho, à rua Mourato Coelho, 585

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 21h … Show de Jonathan Silva … O compositor capixaba apresenta as canções de seu terceiro cd ‘Precisa-se de compositor com experiência’, acompanhado pelos músicos Filpo Ribeiro, Lucas Brogiolo e Marcos Coin. No clipe, uma linda canção dele, com participação de Ceumar. Na Casa Teatro De Utopias, à rua Duílio, 46

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 21h … Show Alma da Pele, com Marcos Munrimbau (voz, violão e composições) e Rafa Nascimento (violão) celebra o encontro de pessoas, almas, ideias e dramas através das canções. No Cambridge, à rua João Adolfo, 108 (próximo ao metrô Anhangabaú)

… … …

DOMINGO – 7 de julho – 15h … Sarau da Paulista … Organizado pelos poetas Rubens Jardim, Claudio Laureatti e César Augusto de Carvalho, sarau de rua reúne poetas para conversas e declamações. Na esquina com a Peixoto Gomide

… … …

DOMINGO – 7 de julho – 18h … Doces Tardes de Domingo Komb Bar … 25º edição da festa tem discotecagem, show das bandas Os Videntes Profanos, Krias de Kafka e Conspiração Urbana, e feira de vinis da Charada Discos. Evento acontece sempre no segundo domingo do mês e promove churrasco comunitário. Na rua Praça Miguel Ramos, 171, na ZL

… … …

DOMINGO – 7 DE JULHO – 20h … Medusa de Rayban … Remontagem da peça (elogiada em 1997 por inovadoras referências às hqs e ao rock) narra os conflitos de quatro assassinos de aluguel, abordando a violência sem descartar o humor. Texto e direção de Mário Bortolotto (clique no cartaz). No Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. Ingressos a R$40 e R$20

… … …

QUARTA-FEIRA – 10 de julho – 21h … Susie Mathias & Sérgio Turcão no show ‘A MPB era assim’ … Na rua 13 de Maio, 739. Para a voz e a interpretação visceral de Susie escrevi esse texto emocionado:

A Susie não canta carimbó porque tá na moda. Ela foi ao Pará para participar das festas de rua e viu sentido naquele cantar. Viu beleza nas cores, vestidos, no movimento que molda o jeito do povo andar, falar, e se acabar de dançar. A Susie não canta folclore pra resgatar nada. Ela esteve com grupos remanescentes de culturas quase esquecidas. Bateu tambores, tocou suas peles, dançou com eles. Sorriu o mesmo riso, sentiu sua alegria. A música como extensão da vida vivida, do dia após dia. A Susie não canta os cantos das lavadeiras só porque acha bonito ou importante. Ela mergulhou no rio com elas, lavou suas mágoas nas mesmas águas, chorou suas dores e chacoalhou seu corpo ao ritmo dos louvores. E quando ela canta samba, é porque os pés mandam. E ela dança e desanda na folia: já puxou blocos e enredos, desfilou e ecoou sua voz na avenida. A Susie já cantou no Mawaca, grupo que entoava cânticos de diversas etnias. Ela sabe quando a voz é pra acalanto, protesto, festa, cantoria. Sabe os acordes da paixão. Quando a voz sai da garganta, quando o sopro vem do peito e quando a luz salta de dentro do coração. Se cantar é uma espécie de iluminação, Susie Mathias é um sol que nos encanta. É devota do que canta. E seu mantra é a canção.

… … …

QUARTA A DOMINGO – 10 a 14 de julho … 17º Feira Literária de Paraty … Evento, que homenageia Euclides da Cunha, tem 21 mesas literárias e conta com 33 autores de áreas diversas como jornalismo, música, arquitetura e ciência. Nesta edição, a programação paralela das 23 casas parceiras será informada no site da Flip de forma inédita. Mais informações aqui

… … …

QUARTA A DOMINGO – 10 a 14 de julho … Flipei – Festa Literária Pirata das Editoras Independentes … Evento literário paralelo a Flip, mas de esquerda, realizado num barco ancorado em Paraty. Com debates, lançamentos, shows, saraus e slams noite adentro. Com a presença de Glenn Greenwald, Marcelo Freixo, Anielle Franco, Zé Celso, e Gregório Duvivier, entre outros

… … …

NA NET, O CD ‘AS MARÉS’,
DE PAULO BARROSO

… … …

E eu continuo mostrando as canções do belo álbum duplo As Marés, do cantor e compositor Paulo Barroso, que agora está disponível nas plataformas digitais. Então, clica aí: você pode ouvi-lo no Spotify, Deezer, Google Play, ITunes e Youtube. O disco duplo tem 28 composições (algumas pérolas), de ritmo e temática variados, com arranjos sofisticados e revelando ótimos cantores. Entre eles, destaque para a bela e cristalina voz de Deise Capelozza (ela tem se apresentado pelos saraus e prepara seu primeiro cd). Deise interpreta cinco canções: duas cantando solo (Três por Quatro e Pegadaspontos altos do disco), uma em dueto com José Carlos Cordeiro (Flor do Amanhã) e outras duas em grupo (Alguns Aspectos de Nossas Vidas e A Nova Maré). Acesse também o primeiro disco de Barroso, Vozes da Cidade, inteiro. Ouça esta bela canção ‘miltoneana’ e acompanhe a letra do grande Miguel dos Santos:

Largo do Destino
(Paulo Barroso e Miguel dos Santos)

Desde menino amava aqueles trilhos
E assim sonhava em conduzir o trem
E despontar seu brilho nas planícies
Como se fosse o brilho de viver

Voz do vagão, ferrovia, vapor
Ele cantava na nova estação
Voz do vagão, ferrovia, vapor
Ele cantava na nova estação

Admirava as plantações de milho
E tinha muito jeito pra colher
Que parecia o filho prometido
Que traz o fruto assim que prometer

Milho, palhoça, colheita, trator
Lá vem a chuva que a nuvem chamou
Milho, palhoça, colheita, trator
Lá vem a chuva que a nuvem chamou

Tinha feito, então, muitos amigos, sim
Nos caminhos onde sempre percorreu
E hoje ali no largo do destino, enfim
Ele olha a chuva e se vê
Relembra e crê no que viu, ouviu e disse
E sonhou pelas planícies
E escreveu
E escreveu
E escreveu só

A sós vivia, pois, ultimamente
Mas tinha o mesmo jeito de pensar
E carregar ardente a sua chama
Como se fosse o trem a deslizar

Voz do vagão, ferrovia, vapor
Ele cantava na nova estação
Voz do vagão, ferrovia, vapor
Ele cantava na nova estação

Continuava a ser muito menino
Vivendo sonhos de quando crescer
Ainda olhava e amava aqueles trilhos
E admirava as plantações do mês

Milho, palhoça, colheita, trator
Lá vem a chuva que a nuvem chamou
Milho, palhoça, colheita, trator
Lá vem a chuva que a nuvem chamou

Tinha feito, então, muitos amigos, sim
Nos caminhos onde sempre percorreu
E hoje ali no largo do destino, enfim
Ele olha a chuva e se vê
Relembra e crê no que viu, ouviu e disse
E sonhou pelas planícies
E escreveu
E escreveu
E escreveu só

… … …

MARIELLE PRESENTE!

… … …

No dia 14 de março de 2018 a vereadora, de 37 anos, foi assassinada no bairro da Lapa, no Rio. Ela era relatora da Comissão dos Direitos Humanos que acompanhava a intervenção militar no RJ. Havia feito denúncia contra abusos policiais e voltava de um evento com jovens negras quando foi baleada. Anderson Gomes, motorista do carro em que ela estava, também foi executado. Desde então, protestos contra o bárbaro crime se repetem diariamente em várias cidades brasileiras. Marielle lutava por justiça, inclusão e igualdade de direitos. Defendia as causas que todos nós, artistas e coletivos dos saraus, também defendemos. Este blog continua aguardando o esclarecimento do caso e a punição dos assassinos e mandantes. As balas que a mataram atingem a todos nós. Não podemos nos calar. Até quando vou ficar semanalmente repetindo esse texto aqui? Será que vai ficar assim? Por que a resposta não vem? Quem matou (e quem mandou matar) Marielle?

Faz mais de um ano que eu repito esse texto. E vou continuar repetindo enquanto este blog existir. É meu compromisso em defesa da democracia e da liberdade, ambas ameaçadas pela impunidade de assassinos ou pela omissão das autoridades. Há um ano repito o texto que eu já sabia que ia repetir. Se temos dois suspeitos presos (a quem ninguém entrevistou, confrontou, nem perguntou os motivos) ainda falta saber quem mandou matar Marielle. Um ano depois, Marielle continua sendo baleada, morrendo todas as noites e renascendo a cada manhã. Porque pessoas íntegras como Marielle não morrem jamais. Se eternizam e viram exemplo de luta. Nós, brasileiros democratas, estamos aqui, de braços dados com ela, esperando que a justiça seja feita. Os assassinos talvez tenham a proteção momentânea de organizações ou de eventuais autoridades fascistas. Que podem ameaçar Marcia Tiburi e Jean Wyllis. E podem mirar nas nossas cabeças. E até nos matar, um a um (‘matar uns 30 mil’, como disse o atual presidente, sem ser punido nem ter sua candidatura impugnada). Só não poderão evitar que Marielle renasça mais forte, todos os dias, no corpo e na mente de cada menina guerreira da cidade do Rio de Janeiro. Marielle presente.

… … …

AGENDÃO

… … …

Aqui as sugestões de programação para esta semana. Acompanhe também as opções contidas na página da Agenda da Periferia. Informe-se, inconforme-se, atue e divirta-se!   

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – das 10h às 12h … Programa Toque Clovis Ribeiro.Todas as quintas na Rádio Cidadã FM 87,5 (www.cidadafm.com.br). Música, informação e arte

… … …

QUINTA E SEXTA-FEIRA – 4 e 5 de julho – das 14h às 19h … Exposição de xilogravuristas e cordelistas no arraiá do Colabirinto, à rua Francisca Miquelina, 118

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 19h … Renato Zaccaro & Los Gruvi na Quinta dos Infernos, à rua Coronel José Eusébio, 109

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 20h … Tributo a Tom, João e Vinícius. Show no Estoril, em Portugal, com Fred Martins apresentando os clássicos da bossanova

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 20h … Festa Paláfrica na Aparelha Luzia, à rua Apa, 78

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 20h … Caminhada Noturna … O jornalista e escritor Moacir Assunção fala sobre a Revolta de 1924, objeto do mestrado que fez na Universidade de São Paulo e tema do livro ‘São Paulo deve ser destruída’, que estará à venda por R$ 40. Na saída do Teatro Municipal

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 20h … Show Mila & Allan em BH … Cantora Mila Amorim (da banda Sagrado Coração da Terra) aniversaria e faz show com Allan Piter no Do Beer, em Minas

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 20h … QuintalExperimental SP – Cantor e compositor Vertin se apresenta com convidados. No Secretinho, à rua Inácio Pereira da Rocha, 25

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 21h … Duo Luiza Borges e André Siqueira – participação de Maurício Detoni. No Vizinha 123, em Botafogo, no Rio de Janeiro

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 21h … Livro dos Dias (Tributo Legião Urbana). Na rua Astorga, 621

… … …

ATÉ 28 DE JULHO – QUINTA A DOMINGO – 21h (dom, às 19h) … “Kavernistas do Terceiro Milênio” … Musical inspirado no disco anárquico “Sociedade da Grã-Ordem Kavernista apresenta Sessão das Dez”, de Raul Seixas, Sérgio Sampaio, Miriam Batucada e Edy Star, lançado em 1971. Idealização e direção de Luís Mármora, textos de André Sant’Anna. Com Almir Rosa, Cris Rocha, Ernani Sanchez, Luís Mármora, Luiz Gayotto, Rafael Castro, Paula Klein, Carlos Zimbher, Renato Medeiros e Pedro Felício. No TUSP, à rua Rua Maria Antonia, 294

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 22h … Amazônia Elétrica … Projeto EletricDum de Antonio Novaes e Myrko Yamanouth junta beats amazônicos com o timbre do violão para criar músicas dançantes. No Jai Club, à rua Vergueiro, 2676

… … …

QUINTA-FEIRA – 4 de julho – 22h30 … Jazz na Faixa. Na Casa Matahari Mariposa, à rua Silva Bueno, 729, no Ipiranga

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – das 16h às 23h … Jazz com Dharma Samu, quarteto de música instrumental experimental paulista, que já gravou sete cds. Com Dharma Samu (sax tenor, alto e soprano), Fabio Batista (bateria), Bruno Rocha (baixo) e Pedro Rocha (sax tenor). No Estúdio Toca do Disco, à rua Grecco, 629, na ZL

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 17h … Garage até o Caroço. Festa com os djs Gregor, Tellini, Lipa e Alan nas pickups. Na Fatiado Discos, à av. Professor Alfonso Bovero, 382

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 19h … Lançamento do Livro “Abstinência”, de Mariana Felix, que encerra a trilogia poética, após “Vício” e “Mania”. Na Tapera Taperá, à Av. São Luis, 187, 2º andar, na Galeria Metrópole

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 19h … Orgulho da Nação … Filme retrata moradores de periferia em várias faixas etárias. Além da exibição (às 21h), festa com música (djs Fritos e Andréa), exposição de artes (Natália Pires) e bar. No Espaço Arranca, à rua Santa Catarina, 520

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 19h … Lançamento do livro “Diário Bolivariano”, um romance do slammer e escritor Emerson Alcalde (Slam da Guilhermina), com participação de “Apenas um Sarau Latino-Americano”, com o poeta e compositor Rafa Carvalho (Campinas -SP) interagindo com artistas convidados e público. No Sesc Avenida Paulista

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 19h … Happy Hour com The Bud’s tocando rock. No Carauaribar, à praça Carauari, 8, na Vila Maria

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 19h30 … Resistência feminina … Diálogo sobre a literatura feminina negra tendo como ponto de partida a obra de Carolina de Jesus. Com a poeta Esmeralda Ribeiro; a professora Sirlene Barbosa e a historiadora Solange Barbosa. No Sesc Pinheiros

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 20h … Zulu de Arrebatá lança ep ‘Cena de Cinema’, em show com convidados (clique no cartaz). No Teatro Adamastor, em Guarulhos

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 20h … Baile Junino Paraense no CC do Butantã

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 20h … Rock nacional e mpb no Dona Guigui Café, à rua Leoneta, 17

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 20h … Mutzka no Dragster Rock Bar … Cantor e compositor apresenta rock gringo, nacional e mpb. Na rua Curuçá, 439, na Vila Maria

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 20h … Trio José apresenta as canções do disco “Puisia”(2014), dos trabalhos solos e dos autores que influenciam o trabalho do grupo, como Edu Lobo, Milton Nascimento e Sergio Sampaio. Com Victor Mendes (viola caipira, violão e voz) e Danilo Moura (violão e voz). No Quinto Pecado, à rua Coronel Artur de Godoi, 12

… … …

SEXTA A DOMINGO – 5 a 7 de julho – 21h (domingo às 19h) … AI-5, Uma Reconstituição Cênica. Peça aborda a reunião que deu início à fase mais sangrenta do regime ditatorial civil-militar brasileiro. No Teatro Arthur Azevedo, à avenida Paes de Barros, 955, na Moóca

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 21h … Ricardo Guimarães apresenta clássicos do rock no Eclipse Espaço Cultural, à rua Astorga, 621

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 21h … Show de Camilla Farias e Augusto Teixeira costura repertório autoral dos artistas. No Gansaral, à rua Demóstenes, 885

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 22h … ‘Lomo Plateado a Puro Rock’ apresenta sons autorais e releituras do cancioneiro argentino. Com Willy Verdaguer (baixo, contrabaixo, guitarra e voz), Gabriel Martini (bateria), Mateus Schanoski (teclados), André Perine (baixo, contrabaixo, guitarra e violão) e Fabian Famin (voz e violão). No Clandestino Estúdio à rua Augusta, 2366

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 23h … Samba da Gruta #26 … Roda de samba acontece toda primeira sexta-feira do mês na Gruta Bar e Bilhares, à rua Major Quedinho, 112

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 23h30 … Festa da Tainha da Ilha do Cardoso – Passeio inclui natureza, competições de corrida de canoa, forró com Os 3 do Norte, grupos de fandango caiçara e mestres rabequeiros. Informações pelo gangstoor@gmail.com

… … …

SEXTA-FEIRA – 5 de julho – 23h30 … Reginaldo 16 Toneladas Quarteto toca black music com participação de Lews Barbosa. Na Casa Matahari Mariposa, à rua Silva Bueno, 729

.. … …

SÁBADO – 6 de julho – 11h … 6a. Edição – Feira Cultural de Oz. Sob o lema ‘compre de quem faz’, feira promove atividades culturais e exposição e venda de artes e artesanatos variados. No Km 18, rua Alexandre Baptistone, em Osasco

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 13h e 20h… No almoço, feijoada com show de Carlos Pé de Pano, no Carauaribar. A partir das 20h, show com Léo Gorgatti. Na praça Carauari, 8, na Vila Maria

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 14h … Tradicional roda de samba de Felipe Bemol no bar do Nelito. Na rua Mário, 75, na Vila Romana

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 16h … Feira das 4 + mais lançamentos da nosotros, editorial. Leituras (às 18h30) de Ana Rüsche, Júlia de Carvalho Hansen, Carla Kinzo, Helena Zelic & Mariana Lazzari, Lubi Prates e Priscilla Campos. Na Editora Quelônio, à rua Venâncio Aires, 1072

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 16h … CAPSArtes: Pingado Filosófico com Notas Musicais discute ‘O Fim da Canção’. Com Caio Pamplona e Fábio Lucas. No Centro de Arte e Promoção Social, à rua Jeriquituba, 325

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 17h … Casa Amarela Convida traz o espetáculo “Da poesia ninguém é dono”, com Socorro Nunes e Pedro Américo, com histórias de vida, declamações e interações com a plateia. Na abertura, pocket-show de Jhony Uriel. Na rua Julião Pereira Machado, 7, em São Miguel

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 18h … Encontro – Núcleo de Arte Contextual … Grupo autônomo de estudos e práticas artísticas multidisciplinares visa investigar, dialogar e criar a partir de contextos harmônicos. No Espaço Rasa, à rua Heitor Penteado, 220 – 236, estúdio 16

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 18h … 6ª Festa Joystick – Arraiá na Goma … Festa com discotecagem de brasilidades, show de Odara do Acordeon e Pirata, brincadeiras juninas, feira de vinil da Charada Discos e venda de bebidas e quitutes típicos. Entrada franca. No Videoclube Charada, à rua José Antônio Fontes, 62, a 650 metros do Monotrilho Vila Tostoi

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 20h … Música e Meditação no Escuro com Ana Cristina Koda e os Trovadores Urbanos. Na rua Aimberê, 651, nas Perdizes

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 20h … ‘Cultura no choro’ convida Salomão Sidharta e Wellington Silva. Projeto abre espaço para a música instrumental. No Centro Britânico Brasileiro, à rua Ferreira de Araújo, 625

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 20h … Vitrola Mystica e Karma Base no Silsi Rock Tattoo Bar, à rua Tamaquaré , 25B

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 20h … Suman Brothes Band … Irmãos Chico Suman (guitarra) e Vitor Suman (baixo) são acompanhados por Rodrigo Ramos (bateria). No Santa Sede, à avenida Luís Dumont Villares, 2104

… … …

SÁBADO E DOMINGO – 6 e 7 de julho – 21h (sab) e 18h (dom) … O Natimorto ... Peça da Cia do Piolho, com texto de Lourenço Mutarelli e direção de Ricardo Nash. Na Casa Teatro de Utopias, à rua Duílio 46, na Lapa

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 21h … Jane Mara e Aluizio Pontes no Restaurante Esmeralda. Show da cantora acompanhada pelo pianista com participação Leda Pontes e Douvalor. Na rua Esmeralda, 29

… … …

SÁBADO – 6 de julho – 22h … Festa dos Tambores – Pernambucalizando #7 – Festa com Batucada Tamarindo, DJ Tudo e sua gente de todo lugar, Acabocaria e Coco de São Pedro. Tem comidinhas, bebidinhas e quintal. No Espaço170, à rua Inácio Pereira da Rocha, 170

… … …

DOMINGO – 7 de julho – 17h … 1 ano de Sambas Escritos: Massembas de Ialodês abre a roda conduzida por Luana Bayo com a presença de Marina Costa, Beth Mandisa, Raquel Tobias, Samba Negras em Marcha, Amigas do Samba, Roberta Oliveira, Pri Zeferino, Aninha Batucada, Maira da Rosa, Verônica Borges e Samba das Pretas. No Bar Samba, à rua Fradique Coutinho, 1007

… … …

DOMINGO – 7 de julho – 19h … Ceumar e Lívia Mattos … Cantoras e compositoras apresentam canções de seus álbuns e composições inéditas acompanhadas por Paulim Sartori (baixo, piano, violões), Johanna Amaya (percussão) e Joana Queiroz (clarinete, clarone e sax tenor). No Auditório Ibirapuera, à av. Pedro Alvares Cabral, s/n

… … …

DOMINGO – 7 de julho – 19h30 … Ozu, no Blue Note SP … Som da banda se baseia no trip-hop inglês e japonês. Na av. Paulista, 2073

… … …

DOMINGO – 7 DE JULHO – 20h … Focus Cia de Dança – em Ipatinga … Companhia apresenta o premiado espetáculo ‘Still Reich‘, de Alex Neoral, que reúne, em programa único, quatro peças compostas a partir de músicas do compositor contemporâneo americano Steve Reich: “Pathways”, “Trilhas”, “Keta” (vencedora do Prêmio Cesgranrio de Dança como melhor coreografia e ainda indicado como Melhor Bailarino/Marcio Jahú e Melhor Bailarina/Carolina de Sá) e “Wood Steps”. A Focus Cia de Dança tem o patrocínio da Petrobras, direção de produção de Tati Garcias e atua com os bailarinos Carolina de Sá, Cosme Gregory, José Villaça, Marcio Jahú, Marina Teixeira, Monise Marques, Rafael Luz e Roberta Bussoni. No Centro Cultural Usiminas, em Ipatinga, MG

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 8 de julho – 13h … Véspera De Feriado No Bodegaia – ‘Música Da Gema‘ convida o percussionista Carlos Nakai, o ‘Japa’. Na rua República Argentina, 80, em Santos

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 8 de julho – 22h … Covers de Pearl Jam, Alter Bridge e Foofighters. No Manifesto Bar, à rua Iguatemi, 36

… … …

TERÇA-FEIRA – 9 de julho – das 9h às 17h … 85º feira de vinis, cds e dvds. Compra, venda e troca. Na av. Paulista, 1499 (estação Trianon-Masp)

… … …

ÀS TERÇAS-FEIRAS – das 19h às 21h … Visões do surrealismo – curso com Claudio Willer … A cada sessão projeção de imagens por datashow e distribuição das sinopses. Durante as terças-feiras de julho (menos no dia feriado do dia 9). Investimento R$30,00 por data ou R$120 pelo pacote. No Corvo – Burger & Beer, à rua Fortunato, 119

… … …

QUARTA – 10 de julho – 17h … Ato contra a Reforma da Previdência. Váriois coletivos de artistas participam da manifestação organizada pelas Centrais Sindicais, Frente Povo Sem Medo e Frente Brasil Popular. Na avenida Paulista

… … …

QUARTA – 10 de julho – 18h … RPG e Literatura – Com o poeta Victor Rodrigues. Também nos dias 17, 24 e 31 de julho. No Sesc Guarulhos

… … …

QUARTA – 10 de julho – 19h30 … Gente de Palavra homenageia Eliane Marques. Sarau com muitos poetas da cidade e canja musical de Ligia Lasevicius. No CirKula Editora, Livraria & Café

… … …

QUARTA – 10 de julho – 20h30 … Mostra de Cinemas Africanos traz a São Paulo 24 filmes de 14 países do continente. Até 17 de julho. No Cinesesc

… … …

QUARTA – 10 de julho – 20h30 … Irene Atienza e Douglas Lora … Cantora espanhola e violonista brasileiro se encontram no Bona, à rua Álvaro Anes, 43

… … …

QUARTA – 10 de julho – 21h … Fuá do Guegué – 100 Anos de Jackson do Pandeiro. Projeto idealizado pelo percussionista e produtor Guegué Medeiros contempla sucessos como Sebastiana, Canto da Ema, Chiclete com Banana, Cantiga do Sapo, Tililingo e Bodocongó, entre outros, com participação de Vanessa Moreno, Zé Pitoco e Chico César. No Sesc 24 de Maio

… … …

QUARTAS-FEIRAS – ATÉ 31 DE JULHO – 20h … O Bote da Loba … Remontagem da peça de Plinio Marcos. Direção e iluminação de Marcos Loureiro. Com Anette Naimann e Dani Moreno. Na ocupação do Teatro de Arena Eugenio Kusnet, à rua Teodoro Baiman, 94

… … …

ATÉ 8 DE JULHO – MARÍLIA CALDERÓN >>> A atriz e cantora que já se apresentou pelas ruas e vagões do metrô de SP, está em campanha de financiamento para a produção do álbum ‘A Saudade é um Vagão Vazio“, com canções que possam fazer refletir e inspirar caminhos democráticos na luta contra o fascismo. Para colaborar ou se informar sobre as recompensas, acesse aqui

… … …

ATÉ 27 DE JULHO … ‘Quem te viu, quem te vê’ – Exposição de 54 caricaturas de Chico Buarque selecionadas em concurso nacional. Com curadoria do cartunista Zé Roberto Graúna, a mostra apresenta trabalhos dos mais variados estilos. Às terças-feiras, das 10h às 16h; de quartas às sextas, das 10h às 18h; aos sábados e domingos, das 15h às 18h, na Sala Carlos Couto (Teatro Municipal de Niterói) com entrada franca.

… … …

ATÉ 18 DE AGOSTO … Exposições: “Entre o azul e o que não me deixo/deixam esquecer”, de Juliana dos Santos e “acerca do fracasso das formas”, do Coletivo Cartográfico (Carolina Nóbrega, Fabiane Carneiro e Monica Galvão) em parceira com Jorge Soledad. No Paço das Artes, à av. Europa, 158.

… … …

ATÉ 18 DE AGOSTO … PretAtitude, no Sesc Vila Mariana. Exposição é um recorte da produção afro-brasileira contemporânea com trabalhos de Aline Motta, André Ricardo, Eneida Sanches, Janaina Barros, Laércio, Lídia Lisboa, Luiz 83, Marcelo D’Salete, Marcio Marianno, Peter de Brito, Sidney Amaral, Rosana Paulino, Wagner Celestino e Washington Silveira. Nos dias 18 e 26/6, bate-papo com artistas convidados. De terça a sexta, das 10h às 21h30; sábado, das 10h às 20h30; domingo, das 10h às 18h30

… … …

ATÉ 18 DE AGOSTO … ‘Björk Digital Brasil’ – no MIS SP … Exposição de realidade virtual imersiva da artista islandesa Björk, que une arte e tecnologia para ilustrar as imagens poéticas de suas músicas. A mostra-instalação traz seis trabalhos de Björk extraídos de seu álbum, Vulnicura (as obras podem ser vistas com óculos de realidade virtual). Além dos vídeos, a expo traz o projeto educativo Biophilia e uma sala de cinema onde o público confere diversos clipes da carreira da artista feitos por mestres do videoclipe, como Michel Gondry e Spike Jonze. Clique aqui para mais informações.

… … …

ATÉ 5 DE SETEMBRO … A Utopia na Era da Incerteza – Imersão Artística Múltipla: Instalação cenográfica com atividades sensoriais e espetáculo teatral. Projeto da Cia Lúdica ocupa o Tendal da Lapa, na rua Guaicurus, 1100

… … …

AGENDÃO >>> Fique ligado, pois o agendão é diariamente atualizado. E toda quinta-feira tem post novo. Até lá!

… … …