Sarau, luau e o escambau

Sarau, luau e o escambau

Produção artística que vive à margem da indústria cultural

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tem show de Juçara Marçal (no Centro da Terra) e os saraus do Teju, da Casa Amarela e do Santa Sede (mas tem vários espetáculos censurados)

Por Arnaldo Afonso

   

Tem festa, tem show, tem peça. Tem sarau à beça (e muita programação ainda vai entrar no agendão). Tem expo e lançamento de livro. O movimento cultural segue ativo. Mas… este blog não pode deixar de falar: tem crivo de censura e chumbo de ditadura no ar. Atmosfera pesada e democracia pisoteada. Não dá pra fingir que não tá acontecendo nada. Né não, meu camarada?

NÃO TENHA ÓDIO NO VERÃO
(Tom Zé)

Ah ah ra ra!
Ah ah ra ra!

Não tenha ódio no verão:
Você vai acabar
Comendo brasa no tição,
Assando o rabo no fogão,
Isso arrebenta uma nação!

O ódio pega
Como planta que se rega,
Mas no peito que navega
A pessoa fica cega.

Cabeça oca,
Sai de pau no bate-boca,
Rasga a roupa,
Grita e berra como louca.

Ah ah ra ra!
Ah ah ra ra!

SEGUNDAS – dias 7, 14, 21 e 28 de outubro – 20h … Curima, com Juçara Marçal … Desde segunda-feira passada a cantora ocupa o palco do Centro da Terra com uma série de shows batizados por ‘Curima’, palavra do quimbundo que significa canto, dança, festa e afins. No primeiro deles, ‘Outras Curima’, ela convidou Rodrigo Brandão, Clara Bastos, Romulo Alexis e Aysha Nascimento. Acompanhe os próximos:

Dia 14 – Curima 24h >>> Improviso ao lado de Thomas Rhorer e de Marco Scarassatti, mais a dançarina Marina Tenório

Dia 21 – Curima para Brigitte >>> Visita às canções eternizadas pela francesa Brigitte Fontaine, com os músicos Kiko Dinucci e Thiago França (do Metá Metá), além de Lincoln Antonio e do bailarino Ernesto Filho

Dia 28 – Anganga Curima >>> Trabalho criado com Cadu Tenório, que conta com a participação dele e da bailarina Aysha Nascimento

Após assistir Juçara Marçal cantar num show no Sesc Santana, escrevi:
Só havia visto a cantora em shows comemorativos da obra de Itamar. Por várias vezes estive pra assistir algum dos muitos projetos legais de que ela participa (Metá Metá e Sambas do Absurdo, entre eles), mas na hora agá não rolou. No Sesc Santana, finalmente, percebi o quanto eu estava perdendo. Juçara esbanjou técnica, naturalidade e talento ao misturar canto, fala, grito e declamação para nos brindar com a vibe emocional intensa do repertório da francesa Brigitte Fontaine (as músicas eram do final dos anos 60 e tudo parecia eternamente moderno!). Ela e seus músicos se utilizaram de maquininhas eletrônicas para ‘sujar’ os timbres e criar arrepiantes recursos sonoros. Fiquei muito impressionado e saí de lá louco pra escrever e compor. Foi inspirador. Juçara, nos últimos anos, se juntou a uma nova geração de músicos talentosos (Kiko Dinucci, Douglas Germano, Rodrigo Campos e Rômulo Fróes, entre outros) e tem realizado discos e espetáculos que dão sequência ao alto nível musical que ela experimentou com o grande Itamar Assumpção, em seu início de carreira. Não é pouca coisa, não. Era dia de jogo na tevê, mas mais de cem pessoas foram ao teatro pra curtir esse show de música alternativa, visceral, pleno de ideias e sonhos. O nome do que eu vi lá é ‘arte’. Juçara merece muitos aplausos. E mais reconhecimento. Que baita artista ela é.

 

… … …

ONTEM E HOJE, CENSURA E DITADURA 

… … …

Abaixo a ditad… Nos anos 70, ainda criança, lia muito essa frase, incompleta, nos muros de minha querida essepê. Como num revival, num tenebroso ‘não vale a pena ver de novo’, este atual momento da vida política nacional me deixa estupefato. Há uma preocupante passividade das instituições e da imprensa diante da crescente onda fascista. Há alguns anos, as caluniosas fake news dos ativistas de direita atuando na internet vêm deixando seu rastro fétido e bolorento em questões comportamentais e (anti)culturais, conseguindo balançar a convicção moderada do tal ‘cidadão comum’ e desequilibrando a seu favor a luta que travam por menos liberdade, menos democracia, menos direitos trabalhistas e menos amor, tolerância, convivência e capacidade de compreensão. No fundo, é esse o cerne do confronto. Se você é daqueles que ‘não liga pra política’, saiba que é preciso sair de cima do muro e nos ajudar a virar esse jogo. Já estamos assistindo a covarde perseguição a artistas e a volta da censura, como tem pregado o atual des(governo) através daquele pobre homem à frente da Funarte. Sabemos que a história avança e retrocede em ciclos e que, às vezes, se repete como farsa. Mas será possível, hoje, criarem o ‘clima’ para uma nova ditadura? Ou rechear de mais ‘casuísmos legais’ nossa aparente e nada representativa democracia? Eu não contava com os ingleses aprovando sua saída da UE. Muito menos acreditei na vitória do amalucado Trump, nas eleições dos EUA (nem na do idiota Bolsonaro, no Brasil). E tudo isso aconteceu. Me sinto voltando no tempo ao pedir, de novo, por liberdade e democracia. Os valentes pichadores de muros dos anos 70 merecem que lutemos por terminar a frase que ficou incompleta: ‘Abaixo a ditadura!’
É preciso, desde já, contra-atacar essa onda fascista e defender novamente o ideário democrático, humanista e inclusivo, que é, sim, da esquerda. Tem muito jovem mal informado por aí, com saudade de uma ditadura que não viveu, que não pesou sobre os seus ombros e que não matou nem torturou os seus melhores amigos. Nem enterrou seus sonhos na vala comum do arbítrio. Como não permitiremos que nos façam novamente.

Nestes tempos inimagináveis em que alguns saíram às ruas pedindo ‘ditadura’, recomendo a leitura do ótimo livro do jornalista Marcelo Godoy, “A Casa da Vovó”. Nele, num notável e corajoso trabalho de pesquisa, Marcelo apura e detalha os sequestros, torturas e assassinatos cometidos pelos agentes do DOI-Codi, com o aval dos seus ‘chefes’, durante a ditadura militar. Este poema, escrito enquanto eu lia o livro (às vezes em prantos, noutras sofrendo crises de pânico pelos ônibus da cidade), é dedicado ao meu querido amigo Genivaldo Matias da Silva, que tinha vinte e dois anos quando foi sequestrado em SP e torturado barbaramente nas dependências do Doi, em setembro de 1975. Sofreu, perdeu amigos e segue na luta, dignamente (desculpe, Vado: o poema não tem a sua grandeza, mas é de coração):

ESCOMBROS
(Arnaldo Afonso)

Nomeio minhas alegrias
tal qual filhos, melodias
Cada uma é joia única
e juntas
todas me compõem
Eu sou a música que voa
O pássaro espalhafatoso
que entoa
sem ensaio

Deixo pegadas no barro da estrada
na dança que molda meu corpo n’água
no arco de um sorriso
que resiste atrás da máscara
(sol que ainda arde)

É bom estar vivo.

As tristezas
acumulo no guarda-volumes
dos entulhos
Na caçamba lotada
de fatos imprecisos
e ausências doídas
Amigos sumidos
Imagens alteradas
História sem memória

Ou pelo avesso.

Nesse porão sem sentido
mortos-vivos rondam os dias
O horrível cão sem rosto
me vigia
E o fantasma que nunca dorme
sabe de cor meu nome
e endereço

Não é por rancor
ou ódio
mas não os esqueço
nem temo:
é do lixo desses escombros
que me amalgamo
e sou refeito
De seu chorume também me alimento
(como antídoto ao veneno)

Sou amplo de viveiros
e o meu cantar
é incompleto de defeitos
Sei que tenho irresistível queda para os erros
Mas não me apego a eles
Mestre na arte dos reveses
desaprendo novamente
e tento
Sempre.
Eu já morri muitas vezes.

DIREITO DE RESISTÊNCIA >>> É o direito que qualquer pessoa tem de resistir ou insurgir contra qualquer fator que ameace sua sobrevivência ou que represente uma violência a valores éticos ou morais humanistas,como o golpe dado por militares e grandes empresários contra a democracia brasileira em 1964, que resultou numa ditadura que se arrastou até 1985, fechando o Congresso, matando, torturando e perseguindo milhares de brasileiros. Tenho vergonha de viver num país em que o atual presidente idolatra um torturador e defende pública e impunemente aquele regime fascista. Me sinto em falta com os que tombaram na luta contra a ditadura. Todos os que viveram aquele período sombrio não podem esquecer, nem permitir que torturadores reescrevam a história por seu viés mentiroso. Todos os jovens que vieram depois precisam saber a verdade e conhecer essa triste passagem da nossa história. Por isso, a ‘Ocupação Arena Conta AI-5‘ é um evento da maior importância.

ATÉ 29 de OUTUBRO … “Ocupação Arena Conta AI-5“ – organizada pelos artistas do Coletivo Ato de Resistência … O Teatro de Arena Eugênio Kusnet (de quartas a domingos) e a Companhia do Feijão (às terças) recebem atividades da ‘Ocupação’ que envolve mais de 50 artistas mobilizados a pensar a ditadura civil-militar no Brasil e suas sequelas. Serão apresentadas leituras dramáticas de clássicos como ‘Um Elefante no Caos’ e ‘Liberdade, Liberdade’, de Millôr Fernandes e Flávio Rangel; ‘Dois perdidos numa noite suja’ (terça, dia 15, às 20h30), de Plínio Marcos; e ‘O novo sistema’, de Hilda Hilst, além de exibição de filmes, debates, oficinas e ônibus-livraria. Todos os espetáculos têm entrada gratuita ou com contribuição livre. Entre os debates estão ‘Periferia e corpos periféricos – Vozes que o AI-5 tentou calar’, com Thalita Duarte, Ruivo Lopes e Ave Terrena (quarta, dia 16); além de apresentações do espetáculo ‘AI-5: Uma reconstituição cênica’ (na foto – aos sábados, às 20h30, e aos domingos, às 19h), dirigido por Paulo Maeda, que também conduzirá a oficina ‘Teatro Documentário’, com Roberto De Mello Junior e Fernando Pernambuco (aos domingos, às 14h). Os dois teatros ficam na rua Teodoro Baima (números 68 e 94). Leia outras informações e acesse toda a programação aqui.

ETÉREA (Criolo)

É necessário quebrar os padrões
É necessário abrir discussões
Alento pra alma, amar sem portões
Amores aceitos sem imposições
Singulares, plural
Se te dói em ouvir
Em mim dói no carnal
Mas se tem um jeito esse meu jeito de amar
Quem lhe dá o direito de vir me calar?

CENSURAS & AFINS 1 >>> Nesta semana, mais exonerações na Funarte (devem estar afastando os funcionários ‘marxistas’, né?). E o atual diretor, Roberto Alvim (o mal educado que xingou Fernanda Montenegro), ‘decidiu’ que o Teatro Glauce Rocha será transformado ‘no primeiro teatro do país dedicado ao público cristão’ (o espaço deve ser entregue a Companhia Jeová Nissi). Em meio às muitas besteiras que proferiu, Alvim afirmou ‘que está formando um exército de grandes artistas espiritualmente comprometidos com o presidente e seus ideais’. Seria pra rir, não fosse trágico. Enquanto isso, peças e projetos continuam sendo excluídos, sem mais nem menos, da programação de centro culturais. Espetáculos que ganharam editais públicos e estavam com toda burocracia resolvida; alguns até sendo divulgados na mídia e com ingressos postos à venda: ‘Caranguejo Overdrive‘ (da Aquela Cia de Teatro), ‘Gritos‘ (da Dos a Deux), a peça infantil ‘Abrazo‘ (do grupo Clowns de Shakespeare, sobre repressão, ditadura e censura), uma mostra sobre a cineasta Dorothy Arzner (que discutiria temas feministas e homossexualidade), o ciclo de palestras ‘Aventuras do Pensamento‘ (com nomes como Ailton Krenak, Conceição Evaristo, Mario Novello, José Miguel Wisnik e Tatiana Roque), o musical ‘Lembro todo dia de você‘ (sobre jovem que se descobre soropositivo), sem falar na crise na Ancine, no corte de verbas para filmes com temáticas LGBTQ e nas ameaças de corte das redes Sesc. Como tudo nesse governo é confuso e cheio de voltas atrás, leio que o ministro Osmar Terra, revogou 19 exonerações. Mas é esse o retrato da era bolsonária: idiotas no poder, retaliações aos montes, bate-bocas em baixo nível, volta da censura e desmonte da cultura.

CENSURAS & AFINS 2 >>> Mais uma vergonha internacional do des(governo) Bolsonaro: o presidente ameaça não assinar o diploma que Brasil e Portugal, em conjunto, concedem anualmente a um escritor de língua portuguesa (o Prêmio Camões). Desnecessário escrever novamente (clique aqui) sobre a importância da obra de Chico Buarque para a cultura nacional. Desnecessário detalhar a evidente ignorância bolsonária (da qual o mundo inteiro já caçoa). Não bastasse Chico Buarque ter sido censurado na ditadura, o atual presidente insiste em continuar a perseguição fascista. Portugal, diplomaticamente, deu a entender que a cerimônia de premiação vai acontecer mesmo sem a assinatura do nosso presidente. Chico, nas redes sociais, publicou que ‘a não assinatura de Bolsonaro é mais um prêmio’ em sua carreira. Parabéns, Chico!

CENSURAS & AFINS 3 >>> E por falar no baixo nível e nas fake news dos bolsonários, vale registrar que Caetano Veloso venceu o processo contra o blogueiro que lhe acusou de pedofilia. A 9ª Câmara Cível do Rio determinou que Flavio Morgernstern (pseudônimo de Flavio Azambuja Martins) indenize o cantor e compositor baiano em R$ 120 mil por “convocar seus seguidores na internet a fazerem assédio virtual contra o artista, agindo de forma perversa e causando um dano de extensão inimaginável, ao criar a hashtag #CaetanoPedofilo’. Tome!

CENSURAS & AFINS 4 >>> Em uma palestra na Colômbia, na última sexta-feira (4 de outubro), o ‘responsável por eleições’ do WhatsApp, Ben Supple, afirmou que a empresa tem conhecimento de que sua plataforma de mensagens ‘foi utilizada por grandes grupos para influenciar‘ na campanha eleitoral brasileira em 2018. Ah, tá… E agora, a gente que se vire com esse trambolho que eles ajudaram a eleger…

 

… … …

QUINTA – 10 de outubro – 19h30 … Sarau do Teju … Cantor e compositor Teju Franco, famoso pelo Samba Lula Livre (que viralizou na net), convida e homenageia o poeta Zé Edu (letrista de belas canções do pessoal do Clube Caiubi). Além deles, participam vários craques da composição e da poesia: Max Gonzaga, Sonekka, Marcio Policastro, Silvia Maria, Susie Mathias, Oswhaldo Rosa, Vlado Lima, Marilia Calderón, Tarica, Marcelo Barum, Valério e Sérgio Lima e outros que ainda vão confirmar presença. Eu também estarei lá. Meu nome até aparece duas vezes no cartaz. Juro que eu ia pedir pra arrumarem, mas, sinceramente: acho que eu mereço! (enfim, o reconhecimento… rsrsrsrs). Na Adega e Restaurante Dona Carmen, à rua Dr. Bacelar, 649, perto da estação Santa Cruz do metrô

Teju Franco é também ator, diretor de espetáculos e jornalista (tem coluna no jornal Diário do Centro do Mundo, na net). Participou de vários festivais e é membro do Clube Caiubi de Compositores. Do vídeo participam Teju e mais de uma dezena de cantores (veja a ficha técnica no final do clipe)

… … …

QUINTA – 10 de outubro – 19h30 … Sarau Santa Sede – 18° edição … O tradicional reduto de roqueiros da ZN, administrado por Cleber Lessa, também abre as portas para a poesia. Sarau com a presença de Cesar Magalhaes Borges, Daniel Perroni Ratto, Pedro Tostes e Shirlene Holanda, entre outros (clique no cartaz). Lançamento do livro ‘A Pandemia da Invisibilidade do Ser‘, da poeta e multiartista Paula Valéria Andrade. O Santa Sede Rock Bar fica na avenida Luís Dumont Villares, 2104.

A Editora Algaroba e Paula Valéria criaram alguns interessantes vídeo-books com poemas do livro (disponíveis no Youtube). Confira este: ‘Soul’, tem participação dela e de artistas como Angelita Cardoso, Flavio Marin, Ingrid Morandian, Daniel Perroni Ratto, Jeyne Stakflett e Jarbas Santos

… … …

QUINTA – 10 de outubro – 19h … Calado! … Ricardo Bigio Calado faz recital com lançamento de livro sobre a história de seu avô, ‘líder comunista assassinado por integralistas em 1949, em Fortaleza’. No Teatro Lourdes Maria Sekeff, no Instituto de Artes da Unesp

… … …

SÁBADO – 12 de outubro – 18h … Zulu de Arrebatá nos Parlapatões … Cantor, compositor e ativista (que se apresenta uma vez por mês na casa) Zulu convida um timaço de artistas para seu sarau: Eder Lima & Ligia Regina, Deise Capelozza & João Emilio, Jocélio Amaro, Celso de Alencar, Grupo Auá, Paulo Miranda & Beatriz Carvalho, Alba Atróz, João Caetano, Karol Silva e Gilberto Braz, entre outros. Na praça Roosevelt, 158

… … …

30 ANOS DE BAR DO FRANGO >>> Há 30 anos, Flávio Tavares, o Tatau, abria um bar na zona leste, para vender frango assado. Por sugestão de amigos, colocou algumas mesas e começou a servir bebidas e petiscos a quem aguardava o pedido. Em pouco tempo, violeiros, sanfoneiros e cantores apareceram e o bar se transformou num reduto cultural da região, servindo de ponto de encontro para diversos artistas. Neste mês de outubro, o famoso Bar do Frango comemora três décadas de resistência cultural (etílica e gastrônomica, também!) oferecendo aos frequentadores quatro sábados de shows especiais (dias 5, 12, 19 e 26) e lançando, no domingo, dia 27, um cd com canções de vários artistas que por lá se apresentaram. Os eventos têm entrada franca. Parabéns ao Tatau e a todo o pessoal que frequenta o bar e participa de seu tradicional sarau, que acontece sempre no último domingo do mês (neste, dia 27, com lançamento do cd)

SÁBADO – 12 de outubro – 21hMarcia Cherubin, Mauri de Noronha e Chico Pedro … Marcia, cantora e compositora de Santo André, se apresenta com o cantador Mauri, acompanhados pelo flautista Chico (da banda Raíces de América). O Bar do Frango fica na av. São Lucas, 479. Sobre o talento de Mauri, escrevi:

Mauri de Noronha é um cantador nordestino, um quase repentista. Canta como quem declama. A palavra afiada é a flor de que se arma. Sua verve e seu verbo o empurram à luta com amor sincero e peito aberto. Sua voz emociona porque vem da alma. Seu cantar é profundo e se espalha comovido e comovente pela paisagem sertaneja das canções. Em suas letras, a voz que ecoa é a de sua gente: os moradores do agreste, os que nada têm. Mauri denuncia as injustiças com chicotadas de poesia. Os amores e sonhos coletivos vão se desdobrando em versos tão criativos que tudo nos faz crer que é possível, sim, um viver mais bonito e digno. Para todos. Mauri não canta à toa. Acredita na palavra, no amor e na vida. Como naquela letra do paraibano Vandré, ele também ‘não canta pra enganar’. É da linhagem dos nobres artistas de nossa canção popular. Pra ele só vale cantar se for assim: com verdade e com vontade, a serviço da liberdade.

… … …

DOMINGO – 13 de outubro – 15h … Sarau da Casa Amarela … Esse é um dos saraus mais legais da cidade, com quase 6 horas de duração (adoro ir lá e sempre fico até o fim… queria muito que o Sarau da Maria conseguisse esse feito). Apresentado pelo poeta Akira Yamasaki, com seus fiéis escudeiros Luka Magalhães e Escobar Franelas, esta 80º edição conta com Vlado Lima e Sacolinha (lançando livros) e Sinaida Cristiane (fazendo pocket-show), além do palco aberto. Em São Miguel (clique no cartaz)

 

… … …

LAVRA EDITORA 

… … …

Foi inaugurada nesta semana a Lavra Editora, iniciativa dos escritores e ativistas literários João Caetano do Nascimento e Antonio Miotto: mais um espaço de luta e resistência, como afirma o texto de apresentação no site: “Nasce a Lavra Editora com um projeto editorial e político essencial: a defesa da democracia, dos direitos humanos, da justiça social e do direito de acesso da população aos bens literários e culturais… para somar esforços e ampliar os espaços de divulgação de artistas, poetas, escritores. Vamos com a paLAVRA , lavrar a terra e colher frutos. Esperamos que possam germinar em uma sociedade justa, livre e democrática… é nosso sonho, nossa esperança”.

 

… … …

MINHAS ANDANÇAS POR AÍ

… … …

Que fique bem claro, seu Januário: não sou cri-crítico musical nem literário. Sou artista que sente pressente pelo insight o valor do objeto emocional criado. Sou fã abduzido seduzido cooptado. Apaixonado pelo belo poético tocado e cantarolado. E ainda estou transtornado (e transformado) lendo e relendo livros, indo e vindo de shows, vendo e ouvindo canções e sentindo reverberar as emoções que vivi. Um pouco do que vi é o que conto aqui:

SEXTA – Sopa de Letrinhas … Mais uma vez, adorei participar do Sopa. É, sem dúvida, um dos melhores saraus da cidade. Cantei minha canção ‘A Música e Eu’ e li ‘A Gente não Queria Voltar pra Casa’, um texto do jovem e ótimo poeta Vitor Miranda, que lançou seu livro ‘A moça caminha alada sobre as pedras de Paraty’. Ainda teve Ayrton Mugnaini cantando suas músicas satíricas (com Martha Zimbarg), Nando Távora e seus sambas a la Adoniran e mais uma porção de gente talentosa (Shirlene, Natacha, Laísa, Luma, Osvaldo, Geruza, Vanu, Marcinha, Moscardini, Grazie…). Eu fiz vários vídeos e coloquei no Facebook, em tempo real. Este blogueiro agora está assim: vai aos eventos e faz lives. Portanto, fique ligado e acompanhe a hashtag #SarauLuaueoEscambau

SÁBADO – Sarau da Maria … Sem dúvidas, esse foi o mais esquerdista dentre todos os Saraus da Maria. Também, né? Sob um governo fascista desses, a gente tem que se defender… Eu li dois textos ‘porrada-na-cara’ (que repito aqui nesse post), e além das canções politizadas de Teju e Policastro, teve um grupo de amigos que fez coral pra pedir Lula Livre. Teve palco aberto com Tião & Selma (mais Silvio Kono), teve Eder & Ligia, Cordeirovich & Vladinsky, João & Deise, Helen & Kita, o vozeirão de Sergio França e as levadas legais dos convidados Zulu e Helio Braz, além dos poemas de Vitor Miranda e da performance do ator Sergio Santos (que apresentou o “Monólogo de Aston”, de Harold Pinter). Ainda teve outros poetas e músicos legais (foi emocionante a declamação de Silvia Maria Ribeiro), mas é preciso dizer que a sensação da noite foi a canção interpretada por Giliane & Gusmão (ouça aqui, em arquivo de Facebook), cuja letra conta um pouco do que eles viram em suas andanças pelos interiores (não à toa o duo se chama Som da Estrada). Gusmão, após se apresentar, falou: ‘essa canção eu fiz pra gente não esquecer de quem construiu esse país aqui, que foram também os braços negros“. Depois me mandou a seguinte mensagem:

“A canção retrata nossas andanças por Minas Gerais. Mantiqueira, no tupi- guarani significa “montanhas que choram” e Matutu, também do tupi-guarani, significa “cabeceiras sagradas do rio”. No censo de 2010 mais de 600 pessoas se declararam Puris e existe uma resistência Puri, povos originários que viviam as margens do rio Paraíba do Sul antes da invasão portuguesa. Eles sofreram demais com os bandeirismos de preia, processo de apresamento e etnocídios. Além do mais, em cada canto das estradas de terra que percorremos pelas Gerais há resquícios também do período escravista nos casarões, construções e ruínas. E nas relações sociais também percebemos essa dimensão ainda presente. A questão da posse de terra, latifúndios, sempre foi algo que me incomodou deveras. Tentei numa só canção juntar esses dois momentos para não esquecermos da história. E o “mestiço nativo de olhar sem igual” que nos alerta que “em toda serra ecoa um grito ancestral” nós o conhecemos de verdade”.

E eu lhe respondi: “eu fico comovido porque sei dessas viagens que vocês realizam periodicamente. Esse botar o pé na estrada para cantar, ouvir a voz do povo, conhecer sua história, aprender com ela, entender quem somos. E cantar tudo isso, de volta, em retribuição (e de forma tão bela!). Porque esses todos somos nós, né? Esses índios, esses negros, esses milhões de desprezados e excluídos. Somos todos nós“. E assim rolou mais um Sarau da Maria…

DOMINGO – AI-5: Uma reconstituição cênica’ … Eu ia comentar algumas cenas chocantes da peça (e que, de fato, aconteceram!) e falar do asco que senti pela figura do presidente (um carrasco terrível e temível) e seus ministros (as interpretações realçam detalhes cômicos que só ampliam o imenso ridículo do papel desempenhado por cada um daqueles fantoches). Mas, levado pela situação do país e com o eco daqueles discursos odiosos da montagem (e que foram, de fato, pronunciados!) ainda reverberando na minha mente, acabei espalhando pelo post vários textos contra a censura, a ditadura e a onda fascista que precisamos combater com urgência. É possível discernir, em meio ao texto original (que são os discursos que culminaram na promulgação do AI-5), a inclusão de colocações fascistas atuais, pronunciadas pelo presidente em exercício e por seus ministros, o que evidencia a perpetuação do conservadorismo. Depois do espetáculo (dirigido por Paulo Maeda) houve um debate com os convidados Adriano Diogo e Rosalina Santa Cruz (foto menor), ambos presos e torturados pelos militares golpistas durante a ditadura. Não dá pra ouvir um mínimo relato do que eles sofreram sem marejar os olhos. Aos dois, minha solidariedade, meu respeito e agradecimento pela luta. Ao grupo de teatro, meus parabéns por levantarem discussão tão necessária, nesse outro momento histórico de estreitamento de nossas liberdades. A peça segue em cartaz nos sábados e domingos de outubro, dentro da Ocupação AI-5, que inclui leituras e debates diários (toda a programação aqui).

DOMINGO – No bar Camaleon … Depois da peça ainda fui ao bar Camaleon curtir o som e a voz de Marcelo Barum (Grupo Tarumã) que se apresentou acompanhado por Sandro Premmero. E ainda rolaram canjas de vários músicos amigos, como Teju Franco. Foi bão! (tem lives no #SarauLuaueoEscambau)

TERÇA – Toca do Autor … É sempre um prazer ir ao Cambridge e participar do Toca, sarau de compositores onde as performances são gravadas e disponibilizadas na internet. Pensando nisso, tento não repetir repertório. Cantei duas canções recentes: ‘Coração Jazz‘ e ‘Da Alma, Das Canções‘. Fiz lives de Cássio Figueiredo (que homenageou João Bá), Ayrton Mugnaíni, O Zi, Cris Pini e Zanatta, entre outros músicos. No mês que vem, o sarau organizado e apresentado por Alexandre Tarica comemora 3 anos com festa no Bar Brahma. E tem umas outras novidades da Tarica Produções que vou noticiar por aqui. Aguarde.

 

… … …

DANÇA E TEATRO
DO BRASIL NO EXTERIOR

… … …

SÁBADO E DOMINGO – 12 e 13 de outubro … Focus Cia de Dança – Na Colômbia, no Canadá e nos EUA … Após dançar em Montreal, Halifax e Vancouver (no Canadá) e Manizales e Medellin (na Colômbia), a companhia carioca dirigida por Alex Neoral (e mantida pela Petrobras) apresenta sua premiada coreografia Still Reich em Washington (nos EUA), finalizando um mês de turnê no exterior. No elenco, estão os bailarinos Carolina de Sá, Marcio Jahú, Cosme Gregory, Roberta Bussoni, Monise Marques, José Villaça e Marina Teixeira (os dois últimos foram indicados ao Prêmio CesgranRio de melhores bailarinos de 2019, pela coreografia ‘Focus Dança Bach’, também indicada)

QUINTA A DOMINGO – 10 a 13 de outubro – 21h … Teatro de um Homem (L)ido – em Portugal … Projeto une brasileiros e portugueses em peça com performance e poesia, sobre a obra de E. M. de Melo e Castro, poeta e ensaísta luso (que vive em SP). O espetáculo é um ato de ‘resistência à intolerância, ao delírio tecnológico, à poluição e à destruição dos ecossistemas’. Com Ana Palma, João Cachola e Rita Monteiro (do Teatro da Garagem, de Portugal) e Anette Naiman, Carcarah e Maurício Bittencourt (do Teatro Garagem, do Brasil). Na rua Costa do Castelo, 75, em Lisboa. Há que se dizer: o governo português financiou o projeto, através dos fundos de fomento à cultura, claro. Diferentemente do Brasil, que vive a era da idiotização bolsonárica, lá em Portugal eles não estão sob um regime fascista.

 

… … …

PARA AS CRIANÇAS

… … …

A BABEL DOS BICHOS >>> O cantor e compositor Mário Martinez lançou nas plataformas digitais o disco infantil “A Babel dos Bichos”, que reúne as doze canções que compõem o espetáculo homônimo criado em parceria com a atriz Adriana Petroni. As músicas se utilizam da vida animal para abordar problemas humanos através de trocadilhos e trava-línguas. O disco tem participação de Zeca Baleiro na faixa ‘O sapo sábio’. Enquanto o cd físico não sai, você ouve todo o álbum aqui

… … …

SÁBADO – 12 de outubro – 13h … Trupe DuNavô apresenta Irmãos Carreto no Sesc Itaquera com entrada gratuita. O espetáculo mostra o duelo entre dois palhaços que são irmãos e se vêem diante de um grande dilema no momento da partilha da herança da família

DOMINGO – 13 de outubro – 16h … Trupe DuNavô apresenta ‘Refugo Urbano’ no Sesc Santo André, à rua Tamarutaca, 302

… … …

SÁBADO – 12 de outubro – 16h às 20h … Dia das Crianças com o Palhaço Truta (espetáculo em defesa do meio ambiente). No Eclipse: Espaço Cultural, Bar e Café, à rua Astorga, 621

 

… … …

MARIELLE PRESENTE!

… … …

No dia 14 de março de 2018 a vereadora, de 37 anos, foi assassinada no bairro da Lapa, no Rio. Ela era relatora da Comissão dos Direitos Humanos que acompanhava a intervenção militar no RJ. Havia feito denúncia contra abusos policiais e voltava de um evento com jovens negras quando foi baleada. Anderson Gomes, motorista do carro em que ela estava, também foi executado. Desde então, protestos contra o bárbaro crime se repetem em várias cidades brasileiras. Marielle lutava por justiça, inclusão e igualdade de direitos. Defendia as causas que todos nós, artistas e coletivos dos saraus, também defendemos. Este blog continua aguardando o esclarecimento do caso e a punição dos assassinos e mandantes. As balas que a mataram atingem a todos nós. Não podemos nos calar. Até quando vou ficar semanalmente repetindo esse texto aqui? Será que vai ficar assim? Por que a resposta não vem? Quem matou (e quem mandou matar) Marielle?

Já faz um ano e meio que eu repito esse texto. E vou continuar repetindo enquanto este blog existir. É meu compromisso em defesa da democracia e da liberdade, ambas ameaçadas pela impunidade de assassinos ou pela omissão das autoridades. Durante todo esse tempo, repito esse texto que eu já sabia que ia repetir. Se temos dois suspeitos presos (a quem ninguém entrevistou, confrontou, nem perguntou os motivos) ainda falta saber quem mandou matar Marielle. Um ano e meio depois, Marielle continua sendo baleada, morrendo todas as noites e renascendo a cada manhã. Porque pessoas íntegras como ela não morrem jamais. Se eternizam e viram exemplo de luta. Nós, brasileiros democratas, estamos aqui, de braços dados com Marielle, esperando que a justiça seja feita. Os assassinos talvez tenham a proteção momentânea de organizações ou de eventuais autoridades fascistas. E podem ameaçar Freixo, Marcia Tiburi e Jean Wyllis, ou mirar e atirar em nossas altivas cabeças. E até nos matar, um a um(‘matar uns 30 mil’, como disse o atual presidente durante sua campanha, sem ser punido nem ter sua candidatura impugnada). Só não poderão evitar que Marielle renasça mais forte, todos os dias, no corpo e na mente de cada menina guerreira da cidade do Rio de Janeiro. Marielle presente.

 

… … …

ANOTA AÍ

… … …

DOMINGO – 20 de outubro – 18h … Edvaldo Santana é o convidado do Show da Maria de outubro, que vai acontecer no Casarão da Vila Guilherme (praça Oscar Silva, 110). Edvaldo vai cantar as canções de seu mais novo trabalho (disponível em cd e dvd), o álbum ‘Só Vou Chegar Mais Tarde‘, além dos sucessos de outros discos. Na abertura, os artistas do Sarau da Maria fazem uma música cada um: Arnaldo Afonso, Deise Capelozza & João Emilio, Chero da Poesia (Helen, Kita & Giadas) e Cordeirovich & Vladinsky. A entrada é franca. Vai ser uma delícia esse ‘Domingão no Casarão’… Veeeenhaaaa!

 

… … …

AGENDÃO

… … …

Aqui as sugestões de programação para esta semana. Acompanhe também as opções contidas na página da Agenda da Periferia. Informe-se, inconforme-se, atue e divirta-se!

… … …

RÁDIO BRASIL ATUAL >>> A rádio que dá a notícia que as outras não dão e toca as músicas que as outras não tocam está em campanha de financiamento. Para saber mais e colaborar, acesse o link. Neste momento de retrocessos políticos, sindicais e culturais, sabemos bem o quanto é imprescindível ter uma emissora que faça frente ao discurso fascista do governo e das poderosas redes que o apoiam

… … …

I PRÊMIO “SUBURBANO CONVICTO” >>> Suburbano Convicto é sarau, livraria e editora administrados pelo produtor cultural e poeta Alessandro Buzo. Este guerreiro das artes periféricas criou agora (com apoio do coletivoPoetas do Tietê) um prêmio para valorizar os artistas e coletivos que fazem a vida cultural das quebradas da cidade. Desde 1 de setembro estão abertas as votações para o ‘I Prêmio Suburbano Convicto‘, com 15 indicados em cada uma de suas dez categorias. A votação é dividida em três fases e vai até novembro. A entrega do Prêmio será no dia 11 de dezembro, no Centro Cultural Olido. Para conhecer os indicados e votar, clique aqui.

… … …

QUINTAS – ATÉ 31 DE OUTUBRO – 20h30 … Dama da Noite … Indicada a prêmios como melhor espetáculo LGBTQ, peça é adaptação do conto homônimo de Caio Fernando Abreu. Com o ator Luiz Fernando Almeida. Direção de André Leahun. No Teatro West Plaza, à av. Francisco Matarazzo

… … …

QUINTA – 10 de outubro – 22h … Quintal do Mau … Músico Mau Sant’anna toca repertório mpb toda quinta-feira no Bar do Julinho, à rua Mourato Coelho, 585

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 18h … 8 no Pitéu … 8 é uma banda de formato mutante composta por mulheres musicistas: as sereias urbanas. O Pitéu é um armazém-café-bar que fica na rua Aurélia, 1846

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 18h … Final do Slam Função 2019. Na Marista Escola Social Ir. Justino (clique no cartaz)

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 18h30 … Slam Pavio Curto – Grande Final … Slam de poesias de até 15 segundos. Poeta convidado Emerson Alcalde. Finalistas: Santos Drummond, Dariel Costa, Beká, Márcio Ricardo, Anne Luz e Gui Amorim. No Sesc Osasco

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 19h … Balbúrdia Poética … Lançamento do poema/manifesto escrito por uma centena de mãos poéticas. No La Taberna de Laura, à rua Xavier da Silveira, 34, em Copacabana, Rio de Janeiro

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 19h … Abertura da 12ª Mostra de Cultura do Butantã. Com shows, debates, peças, saraus, grupos de dança, exposições de artes plásticas e fotografia, artesanato e eventos literários e gastronômicos. Até 27 de outubro, em diversos locais da região. Veja a programação completa aqui

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 19h … 1 ano de Cama de Gato com King Salami & The Cumberland 3 … Bar comemora niver ao som de banda de rhythm’n’blues garage punk de Londres. Na rua Amaral Gurgel, 453

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 19h … Happy Hour com Léo Gorgatti tocando rocks e pops. No Carauaribar e Mercearia, à praça Carauari, 8, na Vila Maria

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 19h30 … Duo Sagawa Galvão – no Pavão Cultural, à rua Maria Tereza Dias da Silva, 708, em Campinas

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 20h … Aurora Ao Vivo apresenta Dramón (projeto de música experimental de Renan Vasconcelos) e Meneio (grupo apresenta o som instrumental de seu cd ‘Movediço’). Na rua João Moura, 503

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 20h … A Grande Encruzilhada: Brasil + EUA … Após residência artística no sul dos Estados Unidos, grupo apresenta palestra-performance com reflexões artísticas e sociopolíticas através de cantos, imagens, relatos e reflexões. No Espaço Clariô, à rua Santa Luzia, 96, em Taboão da Serra

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 20h … Sarau Clamarte … Com o poeta Tubarão Dulixo lançando ‘Sobre viver dos restos de seus desejos’, pocket-show de Duda Moleque (fundador da banda Moleque de Rua) e microfone aberto para quem chegar. Na rua Professor Otávio Guimarães, 393

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 20h … Antti Lähdesmäki Brazilian Quartet … Grupo se inspira em Hermeto Pascoal e Itiberê Zwarg. No Hostel Casa Azul, à avenida Senador Casemiro da Rocha, 731

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 20h … 1000 watts – Clássicos do rock ... Com o som de bandas como Purple, Sabbath, Mettalica, Megadeth, Iron Maiden, ACDC e Whitesnake. No Santa Sede, à av. Luiz Dummont Villares, 2104

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 20h … Experimento – Degustação de vinhos com roteiro multissensorial guiado pelo artista Ca Cau e pela sommelière Renata Guidoti. No Atelier Travessia, à rua Minas Gerais, 201

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 20h … Pré-lançamento do cd ‘Maryákoré‘, com show de Consuelo de Paula (voz, violão e percussão) acompanhada por Carlinhos Ferreira (percussão), dentro do projeto ‘Primavera da Canção’, que acontece entre os dias 4 e 25 de outubro, sempre às sextas-feiras no Centro Cultural Casarão, à rua Maria Ribeiro Sampaio Reginato, em Campinas

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 21h … Jardim das Delícias … Discotecagem de vinil à beira da piscina na Casa Híbrida, à avenida Doutor Arnaldo, 1620. Com os djs Fred Lima, Carlu (Carla Cristina Carvalho) e Theo Werneck

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 21h … Capital Inicial (cover acústico) – com Level 11. No Eclipse: Espaço Cultural, Bar e Café, à rua Astorga, 621 (ao lado da estação Guilhermina do metrô)

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 22h … Campeonato de Assobio – Com prêmios em consumção para os três primeiros colocados. Apresentação de Juka Tavares. No Picles, à rua Cardeal Arcoverde, 1838

… … …

SEXTA – 11 de outubro – 23h … Bolo de Rolo – Banda Baile Bloco … Durante o espetáculo, o público vai sendo vestido com saias de filó, de chita e máscaras. A coreografia é feita com os corpos interagindo naquele momento. No Espaço170

… … …

SÁBADO – 12 de outubro – 12h às 22h … The Smell of Dust, Porto, Naissius e Grantormenta na Passagem Literária da Consolação

… … …

SÁBADO A SEGUNDA – 12 a 14 de outubro – das 14h às 23h … Gira 4 / Ocupação de Performance em São Paulo (em vários pontos da cidade – clique aqui para ver a programação

… … …

SÁBADO – 12 de outubro – 15h … Oficina de Fotografia com Uly Nogueira “Olho do Furacão”. No Videoclube Charada, à rua José Antonio Fontes, 62, em Sapopemba

… … …

SÁBADO – 12 de outubro – 17h … 54º Sarau dos Conversadores … Organizado por Cacá Mendes e Edson Tobinaga, o sarau acontece agora no segundo sábado do mês, no Centro Cultural Santo Amaro (bem perto da Estação Adolfo Pinheiro do metrô, linha 5, lilás).

… … …

SÁBADO – 12 de outubro – 21h … Banda da Portaria e Vitor Miranda … Show de música e poesia. Além do poeta, a banda é formada por João Mantovani (voz e violão), Telo Ferreira (percussão e bateria), Daniel Nakamura (guitarra) e Dani Doc (baixo). No Gansaral, à rua Demóstenes, 885

… … …

SÁBADO – 12 de outubro – 21h … Voltando Belchior no Ecla, à rua Abolição, 244. Com o trio Pessoas Cinzas Normais

… … …

SÁBADO – 12 de outubro – 22h … Blues Jam … Com os músicos Alexandre Zequi, Diego Basa, Fabio Pagotto e Alex Ac Oliveira. Leve seu instrumento e participe. No Clandestino Estúdio, à rua Augusta, 2366

… … …

SÁBADO – 12 de outubro – 22h … Festa dos Virgens. Com as bandas Bruxos Modernos e Destilado do Mar. No Digi Club, em Mogi das Cruzes

… … …

DOMINGO – 13 de outubro – 16h … Três dedos de Prosa – O Teatro nos espaços não convencionais … Sequência do projeto “Balaio de Errâncias: Possíveis Formas de girar pela Experiência”, promovido pela Cia Teatral Enchendo Laje & Soltando Pipa, trocando ideias com a Trupe Sinhá Zózima e o Coletivo Estopô Balaio. Na rua Viela Onze, 3, Jardim Shangrilá

… … …

DOMINGO – 13 de outubro – 17h … Forró Fiado com Borogodó do Zé e Banda Sarrabulho. No Bar do Baixo, à rua Girassol, 67

… … …

DOMINGO – 13 de outubro – 19h … EHT blues … Tributo a Hendrix com Eder Martins (guitar e voz), Lua Bernardo (baixo elétrico) e Caio Mendes (bateria). No Pulo do Gato Bar, à rua Iquiririm, 452, no Butantã

… … …

SEGUNDA – 14 de outubro – 18h … Festa com os Indígenas – Eu Apoio os Katukinas. Na Casa Huni Meka, à rua Doutor Eduardo Vaz, 76, no Jardim Previdência. Com pinturas corporais feitas pelos indígenas, oficina de dança e expressão (por Sabrina Carvalho), shows de Luana Faddlei, Coletivo SPandeiro, João Nepomuceno e roda musical com os indígenas

… … …

SEGUNDA – 14 de outubro – 19h … Grande Final do Slam do Prego. Na praça Getúlio Vargas, centro de Guarulhos

… … …

TERÇA – 15 de outubro – 12h … Kleber Albuquerque é o entrevistado do Colibri no programa ‘A Hora do Rango’, na Rádio Brasil Atual, 98,9 FM. Transmissão também pelo Youtube

… … …

TERÇA – 15 de outubro – 18h … Otis Trio, composto por Flávio Lazzarin (bateria), João Ciríaco (contrabaixo) e Luiz Galvão (guitarra) se apresenta no Jazz de Terça (também nos dias 22 e 29) na Casamarela, à rua Olegário Herculano, 186, em São Bernardo

… … …

TERÇA – 15 de outubro – 18h30 … Jornada de Luta dos Atingidos por Barragens … Ato político e cultural com depoimentos de vítimas de Mariana e Brumadinho e presença de grupos de artistas: Mistura Popular, EntreLatinos, Pânico Brutal, Anabel Andrés e Grazi Nervegna, com apresentação do ator Tadeu Di Pietro. Na praça da República, 282

… … …

TERÇAS E QUARTAS – ATÉ 23 DE OUTUBRO – 20h … Hamlet-ex-Máquina… Montagem adaptada e dirigida por Érika Bodstein à partir da obra de Heiner Müller, com trechos do original de Shakespeare. No Centro Cultural São Paulo, à rua Vergueiro, 1000

… … …

TERÇA – 15 de outubro – 20h30 … Gardênia. Peça inspirada no romance ‘O amor nos tempos do cólera’, de Gabriel García Márquez. Com Cybele Jácome e Luís Mármora. No Teatro West Plaza – Sala Laura Cardoso. Também nos dias 22 e 29

… … …

QUARTA – 16 de outubro – 19h … Lançamento de “Diante dos meus olhos”, terceiro livro de Eduardo A. A. Almeida. Na Biblioteca Mário de Andrade, à rua da Consolação, 94. No evento, roda de conversa e sessão de autógrafos

… … …

QUARTA – 16 de outubro – 19h … Relançamento: ‘A Odisseia – Memórias e devaneios de Júpiter Apple’, livro escrito por seu amigo (e também músico) Juli Manzi. Uma visão íntima da vida e da obra de um artista que foi do experimentalismo psicodélico ao indie e ao pop rock, influenciando as bandas dos anos 90. Na Casa Plana, com a presença do autor e de Murilo Sá, Daniel Medina, Douglas Mam, Zé Pi e Daniel Perroni Ratto, entre outros poetas e músicos

… … …

QUARTA – 16 de outubro – 19h30 … 19º Quarta Autoral da Casa Amarela & Zé Rock Bar. Com pocket-show de Luiz Casé palco aberto. Na rua Igarapés, 1219

… … …

QUARTA – 16 de outubro – 19h30 … Lançamento do cd ‘Aragem’ … Após campanha no Catarse, a dupla Pê Éfe (Pedro & Filó) apresenta as 12 canções do cd no Teatro Cacilda Becker, à rua Tito, 295

… … …

QUARTA – 16 de outubro – 20h … Quartas Autorais com Paulo Cézhar Luz. Participação do guitarrista Luciano Albano. Na Tekoá Cervejaria, na av. Almirante Cochrane, 88, em Santos

… … …

QUARTA – 16 de outubro – 20h … Regional do Seu Fagundes toca chorinho e sambas na Toca da Capivara, à rua Major Diogo, 865

… … …

QUARTAS – dias 16 e 23 de outubro – 20h … Sotaques YB … Gravadora comemora 20 anos de atividade com shows de seus artistas, às quartas feiras, no teatro do Centro da Terra, à rua Piracuama, 19. Nesta quarta com Iara Rennó e Siba

.. … …

QUARTA – 16 de outubro – 21h … Kleber Albuquerque … No show ‘Registro Geral’, cantor e compositor de Santo André interpreta canções de várias fases de sua carreira. Na Casa Teatro de Utopias, à rua Duílio, 46. Participação de Gabriel de Almeida Prado, seu parceiro na canção ‘Sujeito Objeto’ (acima)

… … …

QUARTA – 16 de outubro – 22h30 … Un enchantment mutuel Brasil e França … Canções, histórias e poemas traçam paralelos culturais entre os dois países. Com a cantora e pesquisadora musical Dani Mattos. No Cabaré da Cecília

… … …

ATÉ 12 DE OUTUBRO … Festival Artistas de Rua – Shows gratuitos em vários espaços públicos da cidade durante 15 dias (veja a programação completa)

… … …

ATÉ 12 DE OUTUBRO … Exposição ‘Vende-se’, de Allan Sieber, na 9 arte galeria, à rua Augusta, à rua Augusta, 1371, loja 113

… … …

ATÉ 9 DE NOVEMBRO … As Várias Faces de Darcy Ribeiro. Exposição homenageia o antropólogo, sociólogo, educador, escritor e político brasileiro que se destacou por suas ideias humanistas e pela defesa da causa indígena. No Memorial da América Latina

… … …

AGENDÃO >>> Fique ligado, pois o agendão é diariamente atualizado. E toda quinta-feira tem post novo. Até lá!

… … …