Claro que tem show pra dedéu e muito sarau legal no movimento dos artistas alternativos. Tem peça, expo e lançamento de livro. Tem aqui um agendão louco e vivo, repleto de eventos criativos e muito motivo pra sorrir e cantar de felicidade. Mas… pô! Não dá pra não falar da maldade, do horror, da execução, da questão que está sumindo da mídia: ‘quem matou Marielle Franco?’. Pelo andar da carruagem, tá na base do ‘vai ficar por isso mesmo’. Impunidade que não surpreende: o Brasil é o quarto pior país do mundo para quem defende os óbvios e tão controversos (pode?) direitos humanos (só ‘perdemos’ para Colômbia, Filipinas e México). Neste velho Brasilzão verde-e-amarelo (onde Datena anti-direitos-humanos é ‘candidato’ e o que importa é a ‘nossa seleção’, como dizem Galvão e os ufanistas globais de plantão) um ativista que luta pelo cumprimento dos direitos humanos é morto a cada cinco dias (56 mortos em 2015, 66 em 2016 – dados da OEA). Sem contar os que são mortos porque são pobres. Ou porque são pretos. Ou porque são gays. Ou porque são de ‘outra’ religião. Ou porque são ateus. Ou porque são mulheres. Ou porque são crianças e estavam apenas indo pra escola. Por todos eles (e por nós) os compositores Marcio Policastro e Henry Durante fizeram essa grande canção (o vídeo é de Teju Franco) retratando a opressão e sua terrível matança cotidiana. Para que não percamos a esperança. Para que não deixemos de lutar pela mudança:

MATANÇA
(Marcio Policastro & Henry Durante)

Do oco seco do soco ecoa o berro
E ao som do ferro Lelê morre no beco
No estampido, no vai e vém do corre-corre
Morre Zazá, se fudeu por ser traveco
Morre Izabel, no meio-fio, ninguém socorre
A Esperança é a última que morre

Morta Idalina sem dó pelo marido
Morre Manoel, abraçado na vingança
Se corta o pulso Bastião, desiludido
E num soluço, Finim morre criança
Também morreu Efrahim, doido de porre
A Esperança é a última que morre

A morte amarga e o seu fel não se remove
Da vil memória esquecer nunca se alcança
E nas lembranças se vela e se discorre
De que morreu Zabelê? Deixou herança?
Se vai João, que a presunto se promove
A Esperança é a última que morre

A morte, ás e sagaz, com sua astúcia
Leva em roldão Conceição na sorte fúcsia:
Morrer na flor da infância de pelúcia
Na comilança, Margot morre vetusta
Morre Verlúcia e Aretuza não se move
A Esperança é a última que morre

A morte ardil na sutil extravagância
Se seu perfume exala o olor fugaz
Se contrafaz, pleno ar, então se lança
E quem a cheira derrete em molotov
Morre Babel, morre Abdul, morre Pavlov
A Esperança é a última que morre

A morte avança em macabra contradança
Posto que a morte perdeu a governança
E da matança a matança se renove
A morte morre e da morte a morte escorre
Morre Jacó, morre Zé e Ivanov
A Esperança é a última que morre”

 

… … …

DANDARA E PAULO MONARCO

… … …

SEXTA-FEIRA – 6 de julho – 20h … Dandara e Paulo Monarco … A cantora e performer Dandara e o cantor e compositor Paulo Monarco interpretam o repertório do cd ‘Dois Tempos de um Lugar‘, que tem uma parceria de Paulo com Zeca Baleiro (Tem Dó) e releituras de ‘Trovoa’ (de Maurício Pereira) e ‘Dois Tempos de um Lugar’ (de Celso Viáfora). O emocionante espetáculo mistura música, performances e audiovisual. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.

Nesta sexta-feira no Itaú Cultural você vai ouvir uma grande cantora entoando lindas canções daquelas que já não se fazem mais. Ou melhor, se fazem, sim. Daquelas lindas canções que já não se ouvem mais. Porque não tocam em lugar nenhum. Não tocam no rádio nem na tevê. Porque o jabá ladrão ocupou o lugar da nossa grande canção. Mas aqui você vai ouvir e se emocionar com melodias sutis, febris, de acelerar o coração. Com letras feitas de poesia, tesão e imaginação. Pra acender o sentimento, alertar o pensamento e acordar a razão. Obras de uns cabrabão como Paulo MonarcoZeca Baleiro, Mauricio Pereira e Celso Viáfora. Pérolas sonoras interpretadas, cantadas e encantadas pela voz supravoz baitavoz belavoz de Dandara. Ela é ‘a cara’.

Após alguns meses da criação deste blog, inventei um tal de ‘Grande Prêmio Arnaldo Afonso’ para escolher o melhor objeto artístico de 2015. Claro que era só um mote bem-humorado pra elencar e elogiar grandes obras de artistas alternativos. O livro ‘A Puta’, de Marcia Barbieri, foi o eleito, por sua fúria, carga poética e linguagem (in)tensa e inovadora. Na segunda edição do tal Prêmio, entre as belas obras que vi, li e ouvi em 2016, escolhi “Dois Tempos de um Lugar“, de Dandara e Paulo Monarco, um cd de temas e questionamentos hipercontemporâneos, mas com qualidade e densidade poética e musical típica dos melhores discos de mpb dos anos 70. Ouça algumas canções do cd e leia o que escrevi sobre o talento de Dandara e Paulo Monarco. E sobre essa pequena obra-prima que eles criaram.

DOIS TEMPOS DE UM LUGAR >>> O humano na fronteira entre os mais ousados sonhos e amassado sob o peso de suas tacanhas limitações. O mistério de nunca saber e sempre querer descobrir, relacionar, ligar, religar, imaginar coisas, mundos, possibilidades. Nossas crenças frágeis, nossa religiosidade insustentável, o animal racional lutando contra o acaso, avançando contra seu próprio atraso e não admitindo admitir sua falta de sentido. Sua contradição de ser pensante e vivo, fadado à morte e ao limbo. Um dia tudo será só pó estelar, de onde vim, vieste, viemos e para quê? Para passar sem saber o porquê. Para viver, sentir, contemplar. Inventar e partir. Sem jamais aceitar que não deixaremos vestígio algum, além de rudimentares objetos, desenhos, vídeos e cds girando em naves vazias pelo cosmos. Um dos cds precisa ser este, de Dandara e Paulo Monarco, um arco amplo de nossas motivações iludidas. E lindas. As vozes, violões e canções que eu não ouvia desde os grandes discos dos anos 70. É música brasileira inteligente, adulta e triste. É música musical, autoral, melodiosa, raivosa e amorosa. Antes de tudo, talentosa. O ser humano é um conflitante e sensível animal. Tolo e apaixonante. Grandioso e admirável em sua pequenez e imperfeições. Tantos grandes livros já li sobre isso. Mas arrepia mais reaprender através de canções. Monarco e Dandara esculpiram na pedra bruta da dor de amar uma (des)encantada joia rara. ‘Dois tempos de um lugar’ é um temporal devastador. Atemporal, veio para sempre tocar. E nos tocar, retocar, ensinar. Tocar sem ter final. É o som da batida do coração (demasiado humano) ecoando no espaço sideral. All. All. All…

QUINTA-FEIRA, EM JUNDIAÍ >>> Em 5 de julho, quinta-feira, às 20h, o duo também se apresenta no Sesc Jundiaí, à avenida Antonio Frederico Ozanan, 6600, no Jardim Botânico. Ingressos a R$20 e R$10 (acima, a capa do cd. Ouça!).

 

… … …

MINHAS ANDANÇAS
PELOS SARAUS

… … …

TRUPE CHÁ DE BOLDO >>> No sábado, fui ao Itaú Cultural assistir ao delicioso show da Trupe Chá de Boldo, banda paulistana com mais de uma década de estrada. São 14 músicos num trabalho de criação coletiva e de permanente experimentação. Para essa Trupe, a mistura é o ponto de partida para a invenção: ritmos variados, performances teatrais, naipe de metais com solos jazzísticos, percussão caribenha, som dançante, guitarras de levadas soul, vocais que remetem a Arrigo, Itamar e Grupo Rumo, além de letras antenadas, provocativas e poéticas. De repertório essencialmente autoral, neste quarto cd, “verso”, a banda optou por interpretar músicas de outros compositores. A Trupe Chá de Boldo é formada por Ciça Góes, Felipe Botelho, Filipe Nader, Gustavo Cabelo, Gustavo Galo, Guto Nogueira, Julia Valiengo, Leila Pereira, Marcos Ferraz, Pedro Gongom, Rafael Werblowsky, Cuca Ferreira, Remi Chatain e Tomás Bastos. Em recente entrevista, eles declararam: “Não abrimos mão de ser independentes. Não como um rótulo, mas no sentido de que sempre vamos fazer a música que a gente acredita. Não pra fazer sucesso ou qualquer coisa assim”. Vou ficar ligado na agenda deles pra noticiar o próximo show. Você tem que ir.

KRAKATOA NA CARAUARI >>> Na noite de sábado ainda corri para a Vila Maria a tempo de encontrar muitos amigos e curtir a festa junina na Mercearia Carauari (da Andrea e do Toninho), bar que sempre abre espaço para os artistas alternativos, organizando shows, saraus e diversos eventos culturais. O ‘arraiá’ deste ano, além das brincadeiras e comilanças, contou com a animação dos xotes, xaxados e baiões tocados pelo Krakatoa Trio, formado por Rodrigo Marrom (voz e violão), João Junior (voz e triângulo) e Fabio Pixote (voz, zabumba e percussão). Zé Paulo Guerreiro e Francisco Américo (Quinho) colaboraram na percussão. Roberto Candido, o fotógrafo oficial dos saraus, esteve lá e registrou tudo (veja aqui).

OCUPAÇÃO ANTONIO CANDIDO >>> Que privilégio (e que emoção) senti ao adentrar mínima e humildemente no fantástico universo literário deste grande brasileiro chamado Antonio Candido. Crítico literário e sociólogo, Candido é uma das maiores referências no estudo da literatura no Brasil, considerado um dos “intérpretes do país”. Realizada no ano que marca o seu centenário de nascimento, a Ocupação Antonio Candido traz originais de textos manuscritos e datilografados, cadernos, fotos, livros, documentos, entrevistas em vídeo e conta com um site. Lá você vai se comover com frases como: “O direito à literatura deságua na justiça social” ou “Estou convencido que a literatura melhora muito o ser humano” ou “A literatura é uma necessidade universal” e ainda “É uma brutalidade social fazer com que uma pessoa cresça e viva sem ter capacidade de ler Machado de Assis ou Dostoievski“. A Ocupação Antonio Candido vai até 12 de agosto, de terça a sexta-feira, das 9h às 20h. Aos sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149. Entrada franca.

Na Ocupação, não deixe de ler a carta do MST a ele, pedindo autorização para dar seu nome a uma biblioteca, bem como sua nobre resposta. Finalizo com um trecho do pronunciamento de Antonio Candido na inauguração da Biblioteca Confraria dos Parceiros de Guararema (SP), do MST, em 5 de agosto de 2006:
“Acho que uma das coisas mais sinistras da história ocidental é o famoso dito atribuído a Benjamin Franklin: ‘tempo é dinheiro’. Isso é uma monstruosidade. Tempo não é dinheiro. Tempo é o tecido da nossa vida. É esse minuto que está passando. Daqui a 10 minutos eu estou mais velho, daqui a 20 minutos eu estou mais próximo da morte. Portanto, eu tenho direito a esse tempo. Esse tempo pertence a meus afetos. É para amar a mulher que escolhi, para ser amado por ela. Para conviver com meus amigos, para ler Machado de Assis. Isso é o tempo. E justamente a luta pela instrução do trabalhador é a luta pela conquista do tempo como universo de realização própria. A luta pela justiça social começa por uma reivindicação do tempo: ‘eu quero aproveitar o meu tempo de forma que eu me humanize‘. As bibliotecas, os livros, são uma grande necessidade de nossa vida humanizada”.

DANILO MORAES >>> No domingo, voltei ao Itau Cultural para o show de lançamento do cd Obra Filha, o sétimo trabalho autoral do cantor e compositor Danilo Moraes (filho de Wandi, do Premê). Além de belas letras e melodias, Danilo apresentou a ótima cantora moçambicana Lenna Bahule, que cantou com ele “Virando amor ou já é” (de Danilo e Chico César). O cd, traz parcerias com Zeca Baleiro, Céu e Rodrigo Campos, mas tem, em sua maioria, letras do excelente poeta Paulo César de Carvalho. Dentre elas, destaco essa preciosidade (ouça no vídeo acima):

NÁUFRAGO DO AMOR
(Danilo Moraes / Paulo César de Carvalho)

por que fui
embarcar no seu papo
entrar na sua onda
querida

pra você me dar o bote
depois levar o barco
me deixar e nem deixar
um bote salva-vida?

pode mandar
mensagem na garrafa
ninguém acha
ninguém salva
não vai ser lida

pode rezar em alto mar
não tem altar
esquece
nenhuma prece é ouvida

pode olhar pro céu
não tem estrela
nem lua
é noite escura
nada brilha

sou náufrago pirado
pirata apaixonado
cercado de lágrima
pra todo lado
numa ilha perdida

que viagem
amar é mesmo
navegar a esmo
num mar sem margem
nem saída

 

… … …

LUDOBICI:
BIKE NA ZN

… … …

Neste mês de julho tem BicicloTour das Ideias pelas ruas da Vila Sabrina. Projeto encabeçado pelos arte-educadores Fabi Menassi e Carlos Rogerio Amorim visa demonstrar a versatilidade da bicicleta. Começou no dia 3 de julho com o Circula Bike e segue neste domingo com o ArtExpeCicla, das 14h às 18h, na praça Lourenço de Bellis (clique no cartaz e veja a programação). Na terça e na quarta tem o OcupEscola e o BiCineRua, além de outras atividades, sempre gratuitas.
A ideia do projeto é mostrar diferentes possibilidades de utilização de uma bicicleta no contexto urbano, provocando um diálogo com as realidades e necessidades cotidianas: ela se transformará em cinema, rádio, biblioteca, fanzineteca, estúdio de artes visuais, espaço de economias solidárias e criativas,  jardim, horta e muitas outras ‘tecnologias sociais’. Saiba mais sobre bikes e mobilidade urbana acessando as páginas do AroMeiaZero e do Ciclocidade.

 

… … …

MÚSICA AUTORAL
NO MANGABA

… … …

SEXTA– 6 de julho – 23h … Os Amanticidas + Zé PereiraEspaço Mangaba inaugura noites de música brasileira autoral e independente com duas bandas expoentes da nova cena paulistana, Os Amanticidas e Zé Pereira. Nos intervalos, discotecagem de Brenda Ramos. Ingressos a R$10 e R$15. Na rua Augusta, 2203, no Jardim Paulista.

OS AMANTICIDAS >>> Banda formada por Alex Huszar (baixo e voz), João Rodrigues (bateria e voz), João Sampaio (guitarra e voz) e Luca Frazão (violão de 7 e voz) apresenta o show de seu primeiro disco, além de versões para canções de outros compositores, como Itamar, Tom Zé e Arrigo (os dois últimos gravaram participações no disco).

ZÉ PEREIRA >>> Trio de canção autoral formado pelos músicos Felipe de Paula (guitarra e voz), Felippe Rodrigues (bateria) e Lucas Pierri (baixo) apresenta os arranjos vocais e o som dançante de seu primeiro cd, lançado no final do ano.

 

… … …

A PROGRAMAÇÃO LEGAL
DO ITAÚ CULTURAL

… … …

Além dos shows (Trupe Chá de Boldo e Danilo Moraes) e da expo (Ocupação Antonio Candido) que eu presenciei e já comentei aí em cima, vale conferir a programação de julho do Itaú Cultural (avenida Paulista, 149). Tudo com entrada franca (até o final do mês, eu vou dando uns toques por aqui). Nessa semana, além do showzaço de Dandara e Paulo Monarco (ver matéria acima) ainda tem:

QUINTA-FEIRA – 5 de julho – 20h … Luisa Maita … Cantora e compositora paulista apresenta as canções de seus dois cds: Lero Lero e Fio da Memória. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.


SEXTA-FEIRA – 6 de julho – 20h … Dandara e Paulo Monarco … A cantora e performer Dandara e o cantor e compositor Paulo Monarco interpretam o repertório do cd ‘Dois Tempos de um Lugar‘. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.

SÁBADO – 7 de julho – 20h … Cia Barca dos Corações Partidos … Comemorando cinco anos de existência, a companhia teatral apresenta o show ‘Desancora‘, mesclando poemas, performances e dança. As músicas (autorais) são extraídas dos espetáculos do grupo (Auê e Suassuna), além de novas composições ainda inéditas. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.

DOMINGO – 8 de julho – 19h … Clube do Choro – 100 anos de Jacob do Bandolim … Um grupo regional (Edmilson Capelupi, Getulio Ribeiro, Lula Gama e Rafael Toledo) e um time de solistas (Izaías do Bandolim, Henrique Araújo, Maik Oliveira, Milton Mori e Rafael Esteves) vão apresentar a obra de Jacob. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.

SEGUNDA-FEIRA – 9 de julho – 19h … Laila Garin … A atriz e cantora baiana lança o registro audiovisual com a banda “A Roda”, do seu primeiro álbum Laila Garin e A Roda. A banda é formada por Laila Garin (voz), Ricco Viana (guitarra e violão), Marcelo Müller (baixo) e Rick De La Torre (bateria). No repertório, um medley em homenagem a Elis Regina e canções de Caetano, Chico, Roberto e Erasmo, além de nomes da nova geração. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.

 

… … …

UM POETA, UM POEMA:

… … …

Esta seção abre espaço aos muitos ótimos poetas que ouço por aí, pelos bares e saraus do movimento cultural. Ou os que conheço da net ou dos vários livros comprados, doados, roubados, recebidos, aparecidos (livro é um bicho vivo!). Hoje, um poema de Clayton de Souza e outro de Witalo Lopes, que lançaram em conjunto o livro ‘Versos de Imprecação Contra o Mundo‘.

ACEITA, DESSE MUNDO, A SOLIDÃO
(Clayton de Souza)

Aceita, deste Mundo, a solidão
A que todo ser está destinado;
Que importa a alguém o que há em teu coração?
Teus anseios, quem os terá escutado?

Estarás sempre só na multidão
Carregando em ti teu eu ignorado
(Só Deus entende tua imensidão,
Mas é imenso o ermo em que estás exilado);

Fecha teus olhos (podes fazê-lo ainda)
E então, explorador, mergulha fundo
No obscuro mar onde a busca se finda…

Súb’to verás, no pélago profundo,
De Cristais mil uma Atlântida infinda:
Teu único refúgio ao mal do Mundo.

(A)
VERSÃO
(IN)
(Witalo Lopes)

Começo pelo fim – não de outro jeito –
Tentando então buscar algum sentido
De cabeça pra baixo e com defeito

Porque já vejo torto e invertido
Do todo: o mundo; da parte: o sujeito
Todo mundo num mundo corrompido

Não há sequer remendo (reconheço)
Longe está disso, não chega nem perto
Que dirá esse soneto o qual inverto
Não se faz passo firme de um tropeço

Pois tendo em vista tudo o que conheço
Não crendo nisto (insisto) fato certo
Como que se esperasse algum concerto
Termino assim, enfim, pelo começo

Clayton de Souza é autor do livro Contos Juvenistas (Patuá, 2013) e colaborador do Jornal Rascunho. Além de poeta, Witalo Lopes é licenciado em Pedagogia e participou de projetos teatrais. Sobre ‘Versos de Imprecação Contra o Mundo‘ o editor e escritor Andre Caramuru Aubert afirmou: “não é cômodo, não é confortável. Ele é forte e denso. É, em suma, tudo a que um livro de poemas deveria aspirar ser”. O crítico literário Antonio Carlos Secchin concluiu: “Para além do notório domínio técnico demonstrado pelos autores, destacam-se as felizes releituras/desleituras que ambos operam de textos canônicos de nossa poesia, ora com viés cúmplice, ora ferozes, mas sempre criativos”.

 

… … …

QUEM MATOU MARIELLE?

… … …

MAIS UMA SEMANA SE PASSOU >>> E a polícia ainda não descobriu quem são os assassinos de Marielle Franco. Já são mais de 100 dias de impunidade. No dia 14 de março a vereadora, de 37 anos, foi assassinada no bairro da Lapa, no Rio. Ela era relatora da Comissão dos Direitos Humanos que acompanhava a intervenção militar no RJ. Havia feito denúncia contra abusos policiais e voltava de um evento com jovens negras quando foi baleada. Anderson Gomes, motorista do carro em que ela estava, também foi executado. Protestos e manifestações contra o bárbaro crime se repetem diariamente em várias cidades brasileiras. Marielle lutava por justiça, inclusão e igualdade de direitos. Defendia as causas que todos nós, artistas e coletivos dos saraus, também defendemos. Este blog continua aguardando o esclarecimento do caso e a punição dos assassinos. As balas que a mataram também atingem a todos nós. Não podemos nos calar. Até quando vou ficar semanalmente repetindo esse texto aqui? Será que vai ficar por isso mesmo? Queremos a resposta: quem matou Marielle?

DE PRETAS PARA MARIELLE >>> Circula pela net e chegou até mim um vídeo produzido pela Mídia Ninja dando voz à indignação de um grupo de mulheres atuantes no movimento negro que lembra a importância do trabalho de Marielle e cobra a falta de respostas a perguntas óbvias: quem a matou? quem mandou matar? quando puniremos os culpados? O texto que acompanha o vídeo é o seguinte: “Imortal, capaz de inspirar pessoas por todo mundo, mas também nossa amiga, parceira e militante. Tainá de Paula, Faby Oliveira, Rafaela Albegaria, Sabrina Fidalgo, Dríade Aguiar, Ana Paula Paulino, Dona Dida, Thula Pires, Bianca Rodrigues, Ellen Paes e Alessandra Santos se juntaram no estúdio Ninja pra contar quem era Marielle Franco. Esse é o nosso depoimento pra você, Marielle”.

 

… … …

AGENDÃO

… … …

Eis aqui a superagenda dos saraus para o seu findi, com fotos e vídeos (clique nas palavras azuladas para acessar links e nos cartazes para ampliar a imagem e ler detalhes). Acompanhe também as muitas opções contidas na página da Agenda da Periferia. Informe-se, inconforme-se, atue e divirta-se!

… … …

QUINTA-FEIRA – 5 de julho – 10h … Exposição: O mundo das maravilhas de Monteiro Lobato … Nos 70 anos da morte do escritor exposição homenageia sua contribuição para a literatura e cultura nacional. Na Biblioteca Monteiro Lobato, à rua General Jardim, 485. De segunda a sexta, das 8h às 18h. Sábados das 10h às 17h e domingo das 10h às 14h. Entrada franca. Até 1 de dezembro.

… … …

QUINTA-FEIRA – 5 de julho – 20h … Sobrenome Liberdade #84 – Sinta-se … Sem fins lucrativos, o sarau é feito por escritores, poetas, músicos, educadores e artistas em geral e acontece toda primeira quinta-feira do mês. Nesta edição, com Jefferson Santana e palco aberto. No Relicário Rock Bar, à rua Manoel de Lima, 178, no Bairro Jordanópolis.

… … …

QUINTA-FEIRA – 5 de julho – 20h … Encontro de Expressões … Sarau organizado pelo artista Cale Narman abre espaço para músicos, poetas,a tores e bailarinos. No Grão Espresso, à rua Voluntários da Pátria, 3558, em Santana.

… … …

QUINTA-FEIRA – 5 de julho – 20h … Luisa Maita … Cantora e compositora paulista apresenta as canções de seus dois cds: Lero Lero e Fio da Memória. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.

… … …

QUINTA-FEIRA – 5 de julho – 20h30 … Quinta dos Infernos #4 … Show com vários comediantes (clique no cartaz). Entradas a R$15 (nome na lista). Na rua Coronel José Eusébio, 109.

… … …

QUINTA – 5 de julho – 21h … Quinta em Cena – Teatro … 48a. edição do projeto que, ao invés das terças, passa a ser feito às quintas. Lucas Mayor, diretor das montagens afirma: “acho fundamental que existam projetos de leitura, mas este não é um deles. Os textos são montados”. Nesta edição, ‘Alpes’, ‘Um Lapso de Razão’ e ‘A Escrava Branca’ (clique no cartaz e saiba mais). Agora, sempre às quintas-feiras no Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. Ingressos a R$20 (meia). Bar no local.

… … …

QUINTA-FEIRA – 5 de julho – 21h30 … Os Beneditos – Na Quinta Dançante do Komb Bar ZL … Noite com muito samba-rock, brasilidades e sons agitados. Os Beneditos são Rafael Círilo, Benedito Cardoso Rapé e Pithy Cajoneiro. Na praça Miguel Ramos de Souza, 175, no Jardim IV Centenário.

… … …

QUINTA-FEIRA – 5 de julho – 22h … Tributo a Luiz Melodia – com Renato PiauMarco Palmah, músico paulistano radicado no DF, interpreta os grandes sucessos de Luiz Melodia acompanhado pelo grande instrumentista Renato Piau e pela banda com Lucas Formiga (guitarra, violão e vocal), Vavá Afiouni (baixo) e George Lacerda (percussão). Participação de Alberto Salgado e Carol Senna. Ingressos a R$30. No Feitiço Mineiro, Scln 306 Bloco B, S/N, loja 45/51, em Brasília.

… … …

SEXTA-FEIRA – 6 de julho – 13h … Brasil x Bélgica … Veja o jogo, com churras e bebidinhas. Depois, apresentação de Giba Ribeiro. No Carauari Bar e Mercearia, à praça Carauari, 8, na Vila Maria.

… … …

SEXTA-FEIRA – 6 de julho – 13h30 … Futebol, churrasco & vinil … Veja o jogo Brasil x Bélgica com direito a churrasco comunitário. Depois, discotecagem de vinil com Eduardo Osmédio e Venus Ju. Entrada franca. No Menino Muquito Bar, à av. Vila Ema, 5090, Na ZL.

… … …

SEXTA-FEIRA – 6 de julho – 20h … Dandara e Paulo Monarco … A cantora e performer Dandara e o cantor e compositor Paulo Monarco interpretam o repertório do cd ‘Dois Tempos de um Lugar‘. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.

… … …

SEXTA-FEIRA – 6 de julho – 20h … Projeto Som das Almas: Banda Blues em Revista … Grupo apresenta repertório de blues com Pedro Blues Boy (bateria e panelaço), Limão (baixo), Halcsik (gaita e assobios) e Mr. Burin (guitarra). Na rua Coronel José Eusébio, 109, na Consolação.

… … …

SEXTA-FEIRA – 6 de julho – 20h … Chama Poética Recital Multicultural … Apresentações de Fily Konauté (Senegal), Marc Elie Pierre (Haiti), Marcio Policastro, Quarteto Saxofonando, Gabriel de Almeida Prado e Carlos Galdino, entre outros. No Iamspe, à av. Ibirapuera, 1215, 3º andar.

… … …

SEXTA-FEIRA – 6 de julho – 21h … Raquel Martins – no Presidenta … Cantora e compositora se apresenta com Diana Bueno (bateria). No repertório, canções autorais (de seu cd ‘Percepções Sonoro Poéticas‘) e clássicos brasucas (Benjor, Tim Maia, Chico, Novos Baianos e outros). Entrada R$10. Na rua Augusta, 335.

… … …

SEXTA-FEIRA – 6 de julho – 21h … CIL no Contêiner … Cil é o Circuito de Improvisação Livre que atua em apresentações públicas, práticas de criação e reflexões sobre música improvisada desde 2012. Nesta edição, duas sessões sonoro-musicais. No Teatro de Contêiner, à rua dos Gusmões, 43. Ingressos a R$10.

… … …

SEXTA– 6 de julho – 23h … Os Amanticidas + Zé Pereira … Bandas inauguram as noites de música brasileira autoral e independente no Mangaba. Nos intervalos, discotecagem de Brenda Ramos. Ingressos a R$10 e R$15. Na rua Augusta, 2203, no Jardim Paulista.

… … …

SÁBADO– 7 de julho … Exposição Coaraci – Esculturas em Madeira ... O grande artista Euflavio Gois, também conhecido por Madeirart (que lançou recentemente o livro de poemas e contos ‘Cobra no Bico‘) expõe seus trabalhos em madeira na passagem literária da Consolação (na travessia subterrânea da esquina com avenida Paulista). Até 7 de agosto.

… … …

SÁBADO – 7 de julho – 12h30 … Feijuca na Carauari + Tributo a Raul Seixas … Feijuca borbulhante ao som dos sucessos de Raul com a Banda Luizito e os Malucos Beleza (às 15h). No Carauari Bar e Mercearia, à praça Carauari, 8.

… … …

SÁBADO – 7 de julho – 12h30 … Lançamento de ‘O Ideólogo’ – de Alba Atroz …  Neste novo livro, o escritor expõe “seus conflitos existenciais, sociais e psicológicos, num esvaziamento de uma mente cheia, serena e de criticismo elevado”. Com ilustrações de Punky, capa e contracapa de Denzel Coutinho, introdução de Marcos Vieiras e orelha de Luiz Carlos Loureiro.  Pocket-show com o trio ‘Licença Poética’.  Na Biblioteca Cora Coralina, à rua Otelo Augusto Ribeiro, 113, em Guaianases.

… … …

SÁBADO – 7 de julho – 14h … Brechó e Poesia no Espaço Tia Estela … Encontrão cultural com o ‘Coletivo Poesia é da Hora‘, os ‘Poetas do Tietê‘ e voluntários. Vai rolar brechó, poesia e som na caixa no Espaço Tia Estela, debaixo do viaduto Alcântara Machado (número 888), perto do metrô Brás. Quem puder colaborar, leve bolachas, café, chá, pão ou manteiga pra fazer a festa do pessoal.

… … …

SÁBADO – 7 de julho – 16h … Lançamento do livro da peça ‘O Menino que não sabia chorar’, de autoria de Paula Autran, com ilustrações de Luiza Pannunzio. Com oficina de desenho e leitura de cenas da peça. Livraria da Travessa (Barra Shopping), na av. das Américas, 4.666. No Rio de Janeiro.

… … …

SÁBADO – 7 de julho – 18h30 … Rogério Brito Correia lança seu segundo livro de poemas, ‘Telúrico Lunático‘. Rogerio é coordenador do Sarau do Castelo Hanssen e da Casa dos Cordeis. Na abertura, pocket-show de Carlos Mahlungo, que lança seu cd. Na Livraria Nobel, à avenida SalgadoFilho, 1453, em Guarulhos.

… … …

SÁBADO – 7 de julho – 19h … Marcelle Equivocada e Quarteto Parcialmente Nublado – no Palco Ideário … A cantora (às 20h) apresenta as canções de seu segundo álbum, Equivocada. O grupo (às 21h) mistura músicas do primeiro ep com inéditas do futuro cd. Entrada R$10. No Ideário S.A, à rua Professor Rubião Meira, 59, em Pinheiros.

… … …

SÁBADO– 7 de julho – 19h30 … Show – O Inevitável Amor – de Marcos Fonseca … Espetáculo poético-musical em apresentação intimista, voz e violão, onde educador/artista interpreta sucessos do pop rock nacional (Legião Urbana, Paralamas, Cazuza) e internacional (Beatles). Couvert R$10. No Republica Bar e Gastronomia, à rua Visconde de Itaboraí, 233.

… … …

SÁBADO– 7 de julho – 19h30 … Amor e Liberdade … Cantora e compositora Olivia Gênesi canta as canções de seu cd (que dá nome ao show) e também faz releituras de clássicos. No local, feirinha de alimentos naturais produzidos sem agrotóxicos e um bar com cachaças especiais. Na Casa Copaíba, à rua Duílio, 77, na Vila Romana. Couvert R$20.

… … …

SÁBADO E DOMINGO – 7 e 8 de julho – 20h … Pré-estreia – “Agosto na Cidade Murada” … Uma tragicomédia em forma de teatro-show numa sociedade pós-racial dividida por um longo muro visível. Últimos suspiros da cultura pop e da música engajada, uma metáfora tosca da encruzilhada estética e política contemporânea brasileira. Texto e música de Salloma Salomão. Com Diego Champs, Mateus Batera, Estela Paixão, Salloma Salomão, Martinha Soares, Eloiza Paixão, Denys Felipe, Guilherme Prado, Talita Araújo, Anna Raquel e Felipe Stucchi. No Espaço Clariô, à rua Santa Luzia, 96, em Taboão da Serra.

… … …

SÁBADO – 7 de julho – 20hFernandes (voz e violão) interpreta sucessos de Gil, Zeca Baleiro e Luiz Melodia, além de canções de seus 3 cds. Marcelo Moreira (piano e voz) faz releituras de sucessos nacionais e internacionais. No Grão Espresso, à rua Voluntários da Pátria, 3558, em Santana.

… … …

SÁBADO – 7 de julho – 20h … Show K2 … Celebrando 20 anos de carreira, a banda se apresenta na programação oficial do Julho Fest, na Praça Pedro Sanches. No repertório, músicas de seus quatro álbuns. Show relembra a trajetória do grupo com fotos e vídeos. Com Diego Ávila (baixo), Douglas Maiochi (bateria) e Pedro Cezar (guitarra e vocal). Entrada franca, em Poços de Caldas.

… … …

SÁBADO – 7 de julho – 20h … Cia Barca dos Corações Partidos … Comemorando cinco anos de existência, a companhia teatral apresenta o show ‘Desancora‘, mesclando poemas, performances e dança. As músicas (autorais) são extraídas dos espetáculos do grupo (Auê e Suassuna), além de novas composições ainda inéditas. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.

… … …

SÁBADO– 7 de julho – 21h … Edvaldo Santana … Cantor, compositor e guitarrista apresenta as canções do novo álbum ‘Só Vou Chegar Mais Tarde‘, além de outros sucessos. Na abertura, Zulu de Arrebatá e Dinho Oliveira. Couvert R$10. No Espaço Cultural Siri Cascudo, à rua Tenente Laudelino Ferreira do Amaral, 487, na Vila Jacuí.

… … …

SÁBADO – 7 de julho – 21h30 … Sebah de Assis – Projeto cultural O Som do Bando … Músico faz pocket-show de abertura, com Ricardo Martins na percussão. No repertório, músicas do Som do Bando e releituras de Paulinho Pedra Azul, Vital Farias, Geraldo Azevedo, Almir Sater, Rolando Boldrin, Zé Geraldo e Raul Seixas, entre outros. Entrada franca. No Bar do Casa Grande, à rua Felipe de Lucas, 19.

… … …

SÁBADO– 7 de julho – 22h … Santo de Casa … Três bandas ligadas ao projeto Santo de Casa (de divulgação dos artistas alternativos de Santos) se apresentam: Paulo Cézhar Luz, José Ciaglia Jr. e Grupo Noir. No Buraco’s Espaço de Resistência Cultural, à rua Marquês de Herval, 11, em Santos. Entrada franca.

… … …

SÁBADO– 7 de julho – 22h … Umanto – Show na Casa Gramo … Cantor e compositor (que lançou recentemente o cd ‘Organicidade’) Umanto canta e conta sobre suas músicas, inspirações e faz releituras de artistas que o infuenciaram. Entrada R$12. Na rua Bento de Abreu, 223.

… … …

DOMINGO – 8 de julho – 14h … Sarau Urutu … Sarau de resistência realizado em rua homônima à margem da linha safira da CPTM, surge no momento em que os moradores – migrantes nordestinos que ocuparam aquelas terras e ergueram suas casas às próprias custas – recebem a notícia de desapropriação para a construção de uma nova estação de trem. Nesta edição: intervenção com as crianças, ‘Memória Marginal’ (por Joyci Morgado), microfone aberto, rifa e dança (espetáculo “Encruzilhada”, do Fragmento Urbano). Abaixo, o comovente poema de Edson Lima, um dos organizadores.

DESAPROPRIAÇÃO

Por que vieram tomar nossas terras de direito
Por que vieram falar palavras que não nos diz respeito
Tragam a estação
Ocupem com seus ferros e metais
Camuflem nossas arvores com suas vigas definidas
Desapropriem a ação
Ação de todos nós por direito
Exigimos respeito
Exigimos atenção
Pagamos nossa água
Pagamos nossa luz
Pisamos no barro
Para levantar nossos barracos
Morremos na linha do trem
Por medo
Convivemos com o crime rondando nossas crianças
Vocês não sabem nada de desapropriação
Ação, ação, ação
Reação,  facção
C.p.t.m
Como podem tirar moradias

… … …

DOMINGO – 8 de julho – das 14h às 18h … BicicloTour das Ideias passa pelas ruas da Vila Sabrina para demonstrar a versatilidade da bicicleta. Na praça Lourenço de Bellis. Na terça e na quarta tem o OcupEscola e o BiCineRua, além de outras atividades, sempre gratuitas.

… … …

DOMINGO – 8 de julho – 15h … 68º Sarau da Casa Amarela … Organizado e apresentado pelo poeta Akira Yamasaki, com a colaboração de Luka Magalhães e Escobar Franelas, o tradicional sarau da ZL é um dos mais legais da cidade. Com palco aberto e convidados (clique no cartaz). Na rua Julião Pereira Machado, 7, em São Miguel Paulista.

 

… … …

DOMINGO – 8 de julho – 19h … Clube do Choro – 100 anos de Jacob do Bandolim … Um grupo regional (Edmilson Capelupi, Getulio Ribeiro, Lula Gama e Rafael Toledo) e um time de solistas (Izaías do Bandolim, Henrique Araújo, Maik Oliveira, Milton Mori e Rafael Esteves) vão apresentar a obra de Jacob. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 9 de julho – 14h … Vários artistas (entre eles a cantora Deise Capelozza e o violonista João Emilio) se apresentam em sarau que pede liberdade para Lula. Com palco aberto. Na rua São Felipe, em frente à igreja São José Operário, no Parque Novo Mundo.

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 9 de julho – 17h … SARAU VOSZ … Primeira edição do sarau organizado pelo produtor Tom Kbélo e pela poeta Esther Alcântara tem palco aberto e pocket-show de abertura com Mari Ananias. No Menino Muquito Bar, à av. Vila Ema, 5090.

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 9 de julho – 19h … Laila Garin … A atriz e cantora baiana lança o registro audiovisual com a banda “A Roda”, do seu primeiro álbum Laila Garin e A Roda. A banda é formada por Laila Garin (voz), Ricco Viana (guitarra e violão), Marcelo Müller (baixo) e Rick De La Torre (bateria). No repertório, um medley em homenagem a Elis Regina e canções de Caetano, Chico, Roberto e Erasmo, além de nomes da nova geração. Entrada franca. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149.

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 9 de julho – 21h … Tabuleiro do Ary … Grupo apresenta repertório variado de choros, sambas instrumentais, maxixes, baiões e sambas-canção, num espetáculo dançante e essencialmente brasileiro. Entrada R$30. No Ó do Borogodó, à rua Horácio Lane, 21, em Pinheiros.

… … …

TERÇA-FEIRA – 10 de julho – 16h … Agenda Cultural das Perifeiras – com Ruivo Lopes … Todas as terças-feiras você fica por dentro de muitos eventos legais da programação alternativa da cidade. O promotor cultural e dj Ruivo Lopes apresenta o programa Agenda Cultural das Periferias, uma parceria da Ação Educativa com a Rádio Comunitária Heliópolis FM. Tem dica cultural gratuita, sarau, lançamento de livros e discos, bate-papo e cursos, apresentações de teatro, dança e música. Na net, pelo www.radioheliopolisfm.com.br ou no rádio pelo 87,5 FM.

… … …

TERÇA-FEIRA e QUARTA-FEIRA – 10 e 11 de julho – 21h … A criança – Lado A e Lado B … Peça de Lucas Mayor se divide em Lado A (às terças) e Lado B (às quartas). Clique no cartaz para saber mais. No Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. 

… … …

QUARTA-FEIRA – 11 de julho – 19h … Desconcertos de Julho – 18 … Sarau organizado e apresentado pelo poeta Claudinei Vieira tem palco aberto e recebe convidados. Nesta edição, Maria C. Florêncio, Yara Camillo, Ni Brisant, Felipe Lários e Radar 80 Acústico. Na Patuscada, à rua Luis Murat, 40, na Vila Madalena. Abaixo, um texto de Maria C. Florêncio (foto):

fora feita nas coxas obtusas da ‘mãe’. Nascera: Caiçara-ariana e desaforada.
Pinta e borda a cara… Com o próprio sangue, mas é quase sempre sem querer.
Quase?
Morrera e renascera inúmeras vezes. Em diversas facas. Vez ou outra…curada, Culpada ou descartada por si. Que seja! Hoje, se vê colcha de retalhos miúdos… ‘Os ratos roeram seus sonhos pelas costas, quando a subjugaram feito tripé.’ Por sorte, ama de(s)graça. E paga caro por isso. Maria de fé…(?) meio bípede, bolada, bipolar… cafeinada e rude.
Desconfia da sombra e não erra.
Empunha os dias dentro dos pulsos afim de conter a ansiedade. E saí por aí… A pé”.

… … …

QUARTA-FEIRA – 11 de julho – 19h … 3º Sarau Itinerante – Sarau da Vergueiro Toca Raul … No mês em que é comemorado o Dia Mundial do Rock, sarau homenageia Raul com palco aberto e participação de Adolfo Moura, Anna Bueno, Cabeça’sss, Dos Pulsos, Dudu, Gustavo Neves, Nico Antônio, Rhayfer Ferreira, Uma Banda e Tal, Ricardo Peçanha e Vieira Pato. Na Galeria Olido, à avenida São João, 473. Entrada franca.

… … …

QUARTA-FEIRA – 11 de julho – 21h … São Yantó & Chicão: Discografia … O duo formado pelo pianista Rafael Montorfano (Chicão) e pelo cantor São Yantó (ex-Lineker) faz show intimista. Ingressos a R$25. No JazzB, à rua General Jardim, 43.

… … …

ATÉ 21 DE JULHO … Arte em Movimento … Seis artistas de diferentes vertentes das artes visuais propõem um encontro de obras, com tema e formato livres, onde o principal intuito é a reunião, o compartilhamento e a troca de experiências (clique no cartaz). Na Boutique Vintage, à rua Padre Adelino , 949, no Belenzinho. Entrada R$10.

… … …

ATÉ 31 DE JULHO … Exposição ‘Vá Tomar Banho’, do artista plástico Fabiano Carriero na Alma Coliving, à rua Capitao Francisco de Paula, 264, em Campinas. Nessa expo, o artista traz obras em acrílico, óleo e papel em tela, relacionadas à temática do título, no sentido de cuidar-se, banhar-se.

… … …

ATÉ 1 DE AGOSTO … Teatro – Barragem de Santa Luzia… Com direção de Rudifran e co-direção de Tiche Vianna, peça narra o drama da jovem Maria Flor, obrigada a sair de sua terra em função do rompimento de uma barragem para a construção de uma usina hidrelétrica na região. “A motivação do texto é a fábula da resistência. Resistência em todos os sentidos, da terra, da mulher. O espetáculo fala sobre essa mulher que, para não perder o pouco que tem, precisa resistir ao possível desaparecimento de sua história”. Com os atores Nataly Cavalcantti, Clayton Nascimento e a voz em off de Sérgio Mamberti. Música de Pedro Felício. Às segundas, terças e quartas, sempre às 20h, na Oficina Cultural Oswald de Andrade, à rua Três Rios, 363, no Bom Retiro. Entrada franca.

… … …

ATÉ 12 DE AGOSTO … Ocupação Antonio Candido … No ano do centenário de nascimento, o crítico literário e professor Antonio Candido é tema de exposição que traz originais de textos manuscritos e datilografados, cadernos, fotos, livros, documentos, entrevistas em vídeo e conta com um site. De terça a sexta-feira, das 9h às 20h. Aos sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h. No Itaú Cultural, à avenida Paulista, 149. Entrada franca.

… … …

LANÇAMENTO DO CD PULSAÇÃO >>> A cantora Beth Avelar lançou o disco que já está disponível tanto no formato físico (pela Tratore, nas principais lojas e direto com a artista pelo e-mail bavelar@uol.com.br) quanto no digital (nas plataformas Spotify, Deezer, Apple e Itunes). Veja também o videoclipe da música Simplesmente (do grande Paulinho Nogueira) no Youtube e Facebook.

… … …

EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS – Plano, seco e pontiagudo >>> Fotografias, cujo tamanho varia de 2 a 7 metros, expostas em cinco fachadas dos edifícios das ocupações da Frente de Luta por Moradia (FLM). As fotos fazem parte do fotolivro chamado Plano, seco e pontiagudo” (co-edição/Editora Ipsis e Editora Madalena, 80 páginas), de Monica Zarattini. Nos seguintes endereços do centro de SP:
rua Álvaro de Carvalho, 427
rua José Bonifácio, números 137 e 237
rua Quintino Bocaiúva, 242
av. Rio Branco, números 47 e 53

… … …

AGENDÃO >>> Fique ligado, pois o agendão é diariamente atualizado (alguns eventos ainda vão entrar). E toda quinta-feira tem um post novo. 

… … …