EMICIDA (Mandume)
“Eles querem que alguém

Que vem de onde nóiz vem
Seja mais humilde, baixa a cabeça
Nunca revide, finge que esqueceu a coisa toda
Eu quero é que eles se …”

Livros falados, pensados, musicados. Livro é bicho vivo (na semana que vem, posto uma lista de livros recém-lançados pelos autores do circuito alternativo). Li numa entrevista da diretora de tv Amora Mautner, que seu pai, o grande compositor Jorge, usava das mais torpes técnicas e chantagens para obrigá-la a ler quando criança. E que ela resistia teimosamente, inventando resumos a partir da orelha dos livros, evitando lê-los. Ao perceber a manobra, ele, sábio, disparou: “Filha… O mundo se divide em dois grupos incomunicáveis e você vai decidir agora de qual deles você vai fazer parte: dos idiotas que não leem… ou dos idiotas que leem?”
Dizem que em nossa era digital os bebês já nascem sabendo e que a informação está em todo canto, ao dispor de todos. Mas não é bem assim. Há muita má informação e faz-se necessário peneirar, confrontar, escolher. Pra fazer isso bem, é preciso ler. Amora leu, claro.
Quem lê tanta notícia?‘, cantava (antevendo a problemática) o genial Caetano na famosa canção dos anos 1960. Hoje, o dilema se ampliou e novas questões se colocam. Que textos um jovem deve ler? Os clássicos, sim, claro. Em reportagem, li que a jovem poeta de Taboão da Serra, Thayaneddy Alves, por exemplo, só se encontrou com a poesia ao ouvir as rimas das poetas dos saraus da periferia (Débora Garcia, Jenyffer Nascimento ou Elizandra Souza), pois elas comentavam a realidade que lhe interessava: a que ela vivia. É natural que esses jovens se sintam mais representados por Mano Brown do que por Drummond. Literatura + identificação = jovens que estão ensinando aos secretários de educação e coordenadores do ensino fundamental (com seus modelos tacanhos e superados) o significado da palavra bibliodiversidade. Que nós saibamos ler esse presente para poder escrever um futuro melhor.

BEL SANTOS >>> Empreendedora social e coordenadora de programa de direitos humanos, fala da experiência da biblioteca comunitária de Parelheiros, no extremo sul de São Paulo.

MEL DUARTE >>> A poeta, slammer e produtora cultural participou do Sarau da Flip em 2016. ‘Negra Nua Crua‘ é o segundo livro publicado por ela de forma independente.

BIA FERREIRA (Cota não é esmola)
“Experimenta nascer preto, pobre na comunidade
Cê vai ver como são diferentes as oportunidades
E nem venha me dizer que isso é vitimismo
Não bota a culpa em mim pra encobrir o seu racismo”

Os eventos de rap, hip hop e poesia falada garantem um canal de expressão livre (e aprendizado prático) para os jovens debaterem seus problemas e encontrarem soluções. A poesia de periferia tem sangue, suor, revolta e consciência. E vem à tona quente e efervescente como um magma por séculos oprimido sob a terra (ou como as inconveniências varridas pra debaixo do tapete). E é desse jorro criativo, como lava de um inexorável vulcão que julgávamos extinto, que surgem esses novos jovens, sob novos (velhos) tempos, com suas novas verdades em gestação. Daqui do meu metafórico e carcomido balcão de bar, ergo um brinde de apoio à sua rebelião. Não dá mais pra segurar: explode, coração.

CURUMIN (Caixa Preta)
“O que é que tem na caixa preta?

A verdade foi comprada pelo cara da maleta
Rabo preso é que domina
A notícia no planeta
A verdade foi comprada pelo cara da maleta
O que é que tem na caixa preta?
Trompete não é corneta
Moto não é lambreta
Os caras falam tu aceita
Engole sem fazer careta
Pura cara dura dessa elite picareta
Na hora de pagar a conta querem mandar a pindureta
O que é que tem na caixa preta?
Quem que pagou?
Quem se calou?
Quem é que financia?
Quem se beneficia?
CPI da imprensa quem é que vai querer
Essa caixa de pandora se abrir só vai feder

LIVROS (Caetano Veloso)
Tropeçavas nos astros desastrada
Quase não tínhamos livros em casa
E a cidade não tinha livraria
Mas os livros que em nossa vida entraram
São como a radiação de um corpo negro
Apontando pra expansão do Universo
Porque a frase, o conceito, o enredo, o verso
(E, sem dúvida, sobretudo o verso)
É o que pode lançar mundos no mundo

Tropeçavas nos astros desastrada
Sem saber que a ventura e a desventura
Dessa estrada que vai do nada ao nada
São livros e o luar contra a cultura

Os livros são objetos transcendentes
Mas podemos amá-los do amor táctil
Que votamos aos maços de cigarro
Domá-los, cultivá-los em aquários
Em estantes, gaiolas, em fogueiras
Ou lançá-los pra fora das janelas
(Talvez isso nos livre de lançarmo-nos)
Ou – o que é muito pior – por odiarmo-los
Podemos simplesmente escrever um:
Encher de vãs palavras muitas páginas
E de mais confusão as prateleiras

Tropeçavas nos astros desastrada
Mas pra mim foste a estrela entre as estrelas

Os Fantásticos livros voadores do Sr. Morris Lessmore” (The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore), vencedor do Oscar de Melhor Curta-metragem de Animação em 2012. É uma história mágica sobre a paixão pelos livros, que voam, têm vida e contam aos leitores seus dramas e alegrias.

ANTONIO CANDIDO >>> “É uma brutalidade social fazer com que a pessoa cresça sem a capacidade de ler Dostoievski ou Machado de Assis. Um homem entra na literatura e sai dela melhor. O direito à literatura deve ser acessível a todas as classes sociais”.

STEPHEN KING >>> No ano passado li que o maior jornal diário do Maine, nos EUA, ia deixar de publicar resenhas literárias. Os escritores locais ficaram indignados. Um deles, o famoso Stephen King, protestou nas redes sociais e conclamou os leitores a reproduzirem seu tuíte pedindo ao periódico para que não fizesse isso. O jornal, ao saber da repercussão, lançou um desafio: se King angariasse 100 assinaturas digitais entre seus seguidores, as resenhas voltariam a ser publicadas. Em menos de dois dias, com chantagem ou não, Stephen já tinha conseguido o dobro da meta exigida. O caso se transformou numa rara história de Stephen King com final feliz.

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 21h … Douglas Mam apresenta seu primeiro disco solo ‘Fahrenheit‘, com canções autorais de estilos como folk rock, punk e música psicodélica. A produção musical é de Juliano Gauche e a banda Os Famigerados, com Guib SilvaSilva (bateria), Rodrigo Cambará (baixo), Klaus Sena (teclados) e Lucas Gonçalves (guitarra) acompanha  Douglas (voz e violão). E ainda tem os músicos convidados: Thomas Incao (violão), Celso Gattaz (guitarra), Murilo Sá (guitarra) e Bruno Souto (voz). No Sesc Belenzinho, à rua Padre Adelino, 1000.

Douglas Mam – Fahrenheit 451 (Vídeo Oficial) 

O cantor e compositor Douglas Mam apresentou o videoclipe de ‘Fahrenheit 451‘, sua parceria com Thomas Incao. O vídeo não permite visualização direta aqui no post, mas você pode pode clicar no link acima e entrar no Youtube pra ver. O clipe é cheio de referências literárias. A letra mistura Cervantes, Zaratustra, Castañeda, Bukowsky, Macunaíma e Macabéa, culminando no refrão ‘eu queria ser livro’. Antes de iniciar sua carreira solo (2014) ao lado dOs Famigerados, o músico, compositor, arranjador e poeta passou pelas bandas Os Babilaques, Dondoka Junkie e Os Pilotos.

FAHRENHEIT 451 >>> Filme de François Truffaut, de 1966, é uma adaptação do livro de Ray Bradbury sobre uma sociedade do futuro que baniu todos os materiais de leitura. O trabalho dos bombeiros é o de manter as fogueiras a 451 graus, a temperatura que o papel queima. Mas um desses bombeiros começa a repensar sua função ao conhecer uma jovem encantadora que adora livros. Ela o leva à terra dos homens-livro, uma comunidade formada por pessoas que memorizavam os livros para publicá-los quando não fossem mais proibidos (a HBO acaba de lançar uma série baseada na história: veja o trailer)

… … …

DARI LUZIO & JECA’S BLUES

… … …

SÁBADO 27 de julho 19h … Dari Luzio … Cantor e compositor faz show de lançamento do álbum de sua banda, a Jeca’s Blues. Com participação dos artistas convidados: Arnaldo Afonso (valeu, Dari!), Chero da Poesia, José Carlos Guerreiro e Vladinsky & Cordeirovich. No Carauari Bar e Mercearia, à praça Carauari, 8, na Vila Maria. Dari foi um dos primeiros a lançar disco independente no fim dos anos 70 (o cultuado ‘Bastardo’, no link abaixo). Sobre o amigo Valmir Piccinato, que se transformou no artista Dari Luzio, escrevi:

Valmir Piccinato era um garoto da periferia do Jardim Brasil. Mais um que, como eu, amava os Beatles, os Rolling Stones e o Pessoal do Ceará. De família interiorana, também era fã de modas de viola e duplas sertanejas (aquelas, da antiga). Não por acaso, participou do ‘Chero da Poesia’, lendária banda da Vila Maria, que fazia um bem vocalizado rock rural. Quando dosou cada porção de seus múltiplos gostos, transformou-se em Dariluzio, um personagem nascido de seu talento inventivo. Dari era um trovador solitário em meio ao caos das buzinas paulistanas, cuspindo versos na paisagem cinza. Inquieto, fez disco independente, shows, batalhou e depois caiu fora. Após duas décadas morando em Londres, eis que nosso heroi à casa torna. E retorna cheio de dedos, como naquele chorinho, mas com a alma calejada de riffs de blues. E é com sua guitarra áspera lustrando as panelas da cozinha luxuosa do batera Rod Munhoz e do baixista Wagner Montagner, que se forma o Jeca’s Blues. Esse som maneiro que eles fazem hoje é composto de ousadas misturas apreendidas e aprendidas nos palcos da vida. Há um histórico de muitas lutas e viagens nessas levadas que lavam a alma. Deleite-se! Deuísque-se! The blues, man!

… … …

SARAU DA MARIA VEM AÍ

… … …

SARAU DA MARIA, 3 DE AGOSTO >>> O cantor e poeta pernambucano Ortinho, surgido na cena do Mangue Beat, faz pocket-show no Sarau da Maria do dia 3 de agosto, apresentando algumas canções de seu novo cd ‘Nas Esquinas do Coração‘. O cara é parceiro de Arnaldo Antunes, Chico Science e Jeneci, entre outros feras da nossa música, mas tem espírito alternativo e quer se apresentar nas quebradas de SP. Sorte nossa! Fique ligado. O evento tem palco aberto e outros convidados: o grupo de teatro Ansur, o escritor Claudemir Santos, o poeta Vlado Lima, o cantor Pérola Negra, o desenhista e compositor Punky e o cantor e compositor O Zi Stafuzza. Na semana que vem eu posto mais detalhes.

… … …

MINHAS ANDANÇAS POR AÍ

… … …

Que fique bem claro, seu Januário: não sou cri-crítico musical nem literário. Sou artista que sente pressente pelo insight o valor do objeto emocional criado. Sou fã abduzido seduzido cooptado. Apaixonado pelo belo poético tocado e cantarolado. E ainda estou transtornado (e transformado) lendo e relendo livros, indo e vindo de shows, vendo e ouvindo canções e sentindo ainda as reverberações das emoções que vivi. Um pouco do que senti é o que conto por aqui. E vou ter que fazer registros breves porque a semana passada foi bem agitada, cheia de eventos legais pra se curtir. E eu fui lá conferir:

NA QUINTA >>> Fiquei muito feliz de cantar meus pops & rocks no sarau Encontro de Expressões a convite do músico Cale Narman no bar Manjericanto, na ZN. Teve palco aberto para músicos e poetas (com o contador de histórias Eufra Modesto e o músico Nelsinho), números de dança e pocket-show com os violeiros Sergio Penna e Fabíola Mirella

NA SEXTA >>> Fui ao bar República, na ZL, assistir ao show de Zulu de Arrebatá, que fez pré-lançamento de seu ep “Cena de Cinema’. Zulu é um baita cantor com muito suingue na voz. E é pessoa amorosa, artista de generosidade ímpar. Além dos convidados Zé Paulo Guerreiro, Nivaldo D’Avila, Denise e a dupla Cordeirovich & Vladinsky, ele abriu espaço para todos os poetas e músicos que foram lá vê-lo (Jocélio Amaro, Gilberto Bráz, Guiberto Genestra e eu, que cantei três canções). Finalizo com as palavras de Cordeirovich: “Zulu de Arrebatá é um cara no mínimo agregador. Quando tem um espaço pra fazer acontecer sua música, ele de pronto, estende o convite a um, dois, dez; quantos forem os parças, amigos, irmãos, para estar com ele de coração e microfone abertos. Ele faz o que chamamos de Sarau Itinerante do Zulu de Arrebatá. Salve Zulu!”.

NO SÁBADO >>> De novo, lá fui eu curtir a performance vocal inigualável da grande cantora Daniela Neris. A banda Os Cabeça’sss (com Ivan Cabeça ao violão e Luis Dias na guitarra solo) apresentou seu repertório de rocks e mpbs psicodélicos no Santa Sede, na ZN. Saí de lá felizão, com a voz de Dani entoando Janis  e ecoando on my mind mind mind…

NO DOMINGO >>> Fui ao Teatro da Usp, na rua Maria Antonia (de históricos embates estudantis pela defesa da democracia) , e me diverti à beça com a peça/musical “Kavernistas do Terceiro Milênio”, baseada no disco anárquico “Sociedade da Grã-Ordem Kavernista apresenta Sessão das Dez”, um deboche à ditadura militar lançado por Raul Seixas, Sérgio Sampaio, Miriam Batucada e Edy Star, em 1971 (ouça o disco, no vídeo acima). O espetáculo tem texto de André Sant’Anna e conta com o grande ator Luís Mármora à frente de ótimo elenco (as interpretações das músicas são contagiantes). O resgate de um disco antiditadura torna-se relevante e atual neste obscuro momento da vida nacional, em que liberdades e direitos são suprimidos dia após dia. A gente ri (pra não chorar) ao identificar a tragicomédia nacional: todos os preconceitos da era bolsonarista estão devidamente ridicularizados nas falas dos personagens, aquela ‘gente de bem’ intolerante, que saca as armas da opressão porque não sabe conviver com a diversidade de pensamento. Dói de ver. Mas é preciso resistir. Como diz o poeta, esta ditadura também ‘vai passar’.

ÚLTIMA SEMANA – de quinta a domingo – 21h (dom, às 19h) … “Kavernistas do Terceiro Milênio” … Idealização e direção de Luís Mármora, textos de André Sant’Anna. Com Almir Rosa, Cris Rocha, Ernani Sanchez, Luís Mármora, Luiz Gayotto, Rafael Castro, Paula Klein, Carlos Zimbher, Renato Medeiros e Pedro Felício. No TUSP, à rua Rua Maria Antonia, 294

… … …

NA TERÇA – É uma experiência divertida ir descendo as escadas até passar por baixo do Rio Pinheiros e chegar ao Teatro do Centro da Terra, reformado e reaberto recentemente, com ótima programação de shows e eventos alternativos. Mas me encantei mesmo foi com as pérolas interpretadas pelo grande compositor e pianista Zé Manoel (já conhecia seus discos incríveis) e pelo violoncelista Filipe Massumi (que começa a apresentar repertório autoral), no show ‘Hiato’. A beleza das melodias de Zé Manoel é comovente (as teclas de seu piano emitem feixes de luz). O contraponto atonal de Filipe deu jogo. Você precisa ver de perto esses artistas. Por ora, faço questão de repetir um vídeo de cada um. ‘A Peste‘ (no vídeo abaixo), de Filipe, é uma composição incrível. Ele promete. De Zé sou tão fã que nem sei que música escolher (botei no vídeo acima ‘Delírio de um Romance a Céu Aberto‘ porque só o título já é um poema). Sua canções carregam um misto de leveza e densidade que me remetem à grandiosidade de Edu Lobo, Jobim e Caymmi. Mas é Zé Manoel, mesmo. Ele é, sem dúvida, a maior revelação da música brasileira nesse século. Curte aí:

… … …

NA QUARTA – Se você não sabe onde fica, anota aí: rua Capitão Salomão, 26, quarto andar. A Balsa é uma casa de eventos superlegal, com decoração belíssima e um terraço de frente para os prédios da São Paulo antiga, na praça do Correio (foto abaixo). Fique de olho nos eventos deste blog e vai lá conferir, assim que puder. Ontem eu me deleitei com as performances dos poetas do coletivo Trovadores do Miocárdio. Só feras: Fausto Fawcett, Marcelino Freire, Mário Bortolotto, Ian Uviedo, Caio Juliano e Natasha Felix. Eu não perco um espetáculo dos caras: a mistura de ótimos textos, música legal e interpretações comoventes faz bem demais pro miocárdio da gente…

… … …

E ESSE (DES)GOVERNO, HEIN?

… … …

Enquanto o atual Governo tira direitos dos trabalhadores e rechaça a cultura, a imprensa, a ciência e os institutos de pesquisa, as panelas de Perdizes e Pinheiros não batem. Elas não batem em protesto por Bolsonaro indicar descaradamente o nome do filho para embaixador. Elas não se indignam com o sumiço do Queiroz, nem com os milhões gastos no toma-lá-da-cá para aprovar a tal ‘reforma’ da Previdência. Elas não querem saber a mando de quem estavam os milicianos que mataram Marielle. Essas panelas da direita nunca bateram contra a corrupção. Bateram contra o PT e sua (suposta e propalada) ideologia de esquerda. E enquanto grande parte de setores ditos democráticos permanece em silêncio diante dos descalabros perpretados pelo atual Governo, descobrimos a cada dia que a situação sempre pode piorar um pouco mais. Ditados antigos ecoam verdades surradas em nossa mente: quem cala, consente. E legitima governos autoritários. Lamentavelmente.

Timothy Snyder, historiador americano, escreveu em seu livro ‘20 lições para evitar que o governo Trump se transforme num regime autoritário‘: “Mudanças para regimes autoritários sempre dependeram do consenso da população civil. Não necessariamente do voto, mas de certos modos de cooperação. Indivíduos que escolhem não fazer nada também ajudam a instaurar um regime autoritário. Há profissionais que escolhem adaptar-se por sobrevivência e são igualmente cúmplices, como os médicos que fizeram parte do aparato do Holocausto. O que os indivíduos fazem no cotidiano pode parecer pequeno diante da História, mas não o é. Escolher agir segundo a ética de uma profissão pode impedir que um regime autoritário se imponha. As pessoas têm mais poder do que pensam.”

Por falar nisso, tive o desprazer de rodar os canais de tevê e assistir à vergonhosa performance do apresentador (e dono) da RedeTV Marcelo de Carvalho defendendo a Reforma da Previdência e chamando de ‘fakenews’ todo e qualquer argumento contrário a ela. Ele levantou a bola para o gol do seu convidado no programa Mega Senha, ninguém menos que o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente. Ao final, o apresentador ‘isentão’ perguntou, já respondendo: “quer dizer que essa reforma é boa mesmo, né?”. Deve ser muito boa, sim, para o dono da RedeTV. Para os trabalhadores, não.

Os frequentes comentários tacanhos e anacrônicos do presidente e de seus toscos ministros contra a cultura e a ciência, contra os institutos de pesquisa, contra a liberdade de imprensa e contra os movimentos por igualdade de direitos das minorias políticas (mulheres, gays, negros e outros) têm como objetivo a perpetuação no Brasil de um sistema opressor que o ‘estado de bem estar-social’ europeu havia desativado minimamente. Mas, aqui no Brasilzão verde-amarelo, sem chance: eles não querem que os pobres estudem, pensem, se formem, discordem, tirem férias ou se aposentem. Querem que nós, assalariados, continuemos gerando os 90% de subempregados e incultos que vão trabalhar a vida inteira ganhando péssimos salários e produzindo a riqueza dos 10% de espertalhões. A inaceitável concentração de renda entre esses poucos privilegiados e o desumano descaso com a massa de trabalhadores crescem na mesma medida. As reformas Trabalhista e da Previdência foram chamadas pelo Governo de ‘modernizantes’. Como, ‘modernas’, se elas nos remetem a espoliações superadas, a negociações salariais indignas e nos usurpam os direitos conquistados ao longo de mais de cem anos de lutas trabalhistas e sindicais (que custaram o sangue de trabalhadores como eu e você). Eles dizem que o país vai quebrar se a gente se aposentar. A verdade é que não há déficit. Há riquezas mal administradas por pura e simples inversão de prioridades: não é para nós que eles governam.

Nós, simplesmente, não somos os destinatários da riqueza que geramos. Nossa saúde, educação e cultura não é prioridade nos programas de investimentos desses governos. Até quando eu e você vamos aceitar calados e trabalhar como escravos para essa corja de desocupados? Até quando vamos nos digladiar por migalhas enquanto sustentamos o luxo desses canalhas engravatados? Até quando?

… … …

NA NET, O CD ‘AS MARÉS’,
DE PAULO BARROSO

… … …

E eu continuo mostrando as canções do belo álbum duplo As Marés, do cantor e compositor Paulo Barroso, agora disponível nas plataformas digitais. Então, clica aí: você pode ouvi-lo no Spotify, Deezer, Google Play, ITunes e Youtube (acesse também o primeiro disco de Barroso, Vozes da Cidade, inteiro). Hoje destaco a canção ‘Três por Quatro‘, dele e de Miguel dos Santos, na interpretação de Deise Capelozza.

… … …

MARIELLE PRESENTE!

… … …

No dia 14 de março de 2018 a vereadora, de 37 anos, foi assassinada no bairro da Lapa, no Rio. Ela era relatora da Comissão dos Direitos Humanos que acompanhava a intervenção militar no RJ. Havia feito denúncia contra abusos policiais e voltava de um evento com jovens negras quando foi baleada. Anderson Gomes, motorista do carro em que ela estava, também foi executado. Desde então, protestos contra o bárbaro crime se repetem diariamente em várias cidades brasileiras. Marielle lutava por justiça, inclusão e igualdade de direitos. Defendia as causas que todos nós, artistas e coletivos dos saraus, também defendemos. Este blog continua aguardando o esclarecimento do caso e a punição dos assassinos e mandantes. As balas que a mataram atingem a todos nós. Não podemos nos calar. Até quando vou ficar semanalmente repetindo esse texto aqui? Será que vai ficar assim? Por que a resposta não vem? Quem matou (e quem mandou matar) Marielle?

Faz um ano e quatro meses que eu repito esse texto. E vou continuar repetindo enquanto este blog existir. É meu compromisso em defesa da democracia e da liberdade, ambas ameaçadas pela impunidade de assassinos ou pela omissão das autoridades. Há um ano repito o texto que eu já sabia que ia repetir. Se temos dois suspeitos presos (a quem ninguém entrevistou, confrontou, nem perguntou os motivos) ainda falta saber quem mandou matar Marielle. Um ano depois, Marielle continua sendo baleada, morrendo todas as noites e renascendo a cada manhã. Porque pessoas íntegras como Marielle não morrem jamais. Se eternizam e viram exemplo de luta. Nós, brasileiros democratas, estamos aqui, de braços dados com ela, esperando que a justiça seja feita. Os assassinos talvez tenham a proteção momentânea de organizações ou de eventuais autoridades fascistas. Que podem ameaçar Marcia Tiburi e Jean Wyllis. E podem mirar nas nossas cabeças. E até nos matar, um a um (‘matar uns 30 mil’, como disse o atual presidente, sem ser punido nem ter sua candidatura impugnada). Só não poderão evitar que Marielle renasça mais forte, todos os dias, no corpo e na mente de cada menina guerreira da cidade do Rio de Janeiro. Marielle presente.

… … …

AGENDÃO

… … …

Aqui as sugestões de programação para esta semana. Acompanhe também as opções contidas na página da Agenda da Periferia. Informe-se, inconforme-se, atue e divirta-se!   

… …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – das 10h às 12h  Programa Toque Clovis Ribeiro. Todas as quintas na Rádio Cidadã FM 87,5 (www.cidadafm.com.br). Música, informação e arte. Nesta edição, entrevista com Elói Soul e mc Batoré

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 17h30 … Marcha das Mulheres Negras de SP. Concentração na praça da República

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 18h … Encruzilhada Poética no Al Janiah. Encontro poético convida Natália Nolli Sasso. Com Netto Duarte, Ni Brisant e Dom Orione (ao violão)

… … …

ATÉ DOMINGO – 25 de julho, às 19h (26 a 28 de julho, 20h)… Sonhos em Travessia: do fluxo ao abandono – Ocupação Clariô … Espetáculo segue o caminho de Carolina Maria de Jesus, a partir de seu livro, Quarto de Despejo, para conhecer a cidade que ela ocupou. Com a Via Coletiva de Teatro. No Espaço Clariô, à rua Santa Luzia, 96, em Taboão da Serra. Oficina nos dias 23 e 24, das 19h às 21h. No dia 26, debate após a apresentação

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 19h … Lançamento de ‘Uma história do Paraíso’, poemas de Ruy Espinheira Filho. Na Patuscada

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 19h … Gabriel Thomaz (Autoramas) e a dj Cintia Sixtie. No Mandíbula, à praça Dom José Gaspar, 106, piso 2

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 19h … Homenagem a João Gilberto. No Estúdio Toca do Disco, à rua Grecco, 629

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 19h … Corpo Arte AfeCtos. Palestra do poeta e ensaísta português Luis de Serguilha. No Centro de Pesquisa e Formação – Sesc, à rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 19h … “The Velvet Voice”… Bruno Santanna se apresenta no Quinta dos Infernos, à rua Coronel José Eusebio, 109

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 19h … Seletiva Festival Mais – 2019. Com a apresentação de 13 bandas e artistas (clique no cartaz). No Teatro Guarany, à praça dos Andradas, em Santos

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 20h … Trio Obinrin se apresenta na Casa do Mancha. Participação de Gabi Hebling. Na rua Felipe de Alcaçova

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 20h … 103º QuintasOito … Santo de Casa, peça com o Coletivo Mascarate. No Espaço Clariô, à rua Santa Luzia, 96, em Taboão da Serra

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 20h … Picanha de Chernobill … Roqueiros fazem show no Sesc Santo André

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 21h … Sarau das Imbuias #19 … Pocket-show da Banda Banza e lançamento do livro ‘Flor(e)cimento’, de Daniel Fagundes. Presença do coletivo Quinta em Movimento. No Balburdya Rock Bar, à rua José Solana, 341

… … …

QUINTA-FEIRA – 25 de julho – 21h30 … Electric Hendrix Ensemble e Lucy B. No Sesc Pompéia

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 19h … Sarau dos Pretos e das Pretas … Música, poesia e bate-papo, com comes e bebes no Café e Bar Santa Paciência Casa Criativa, à rua Barão de Miracema, 81, em Campos dos Goytacazes, no RJ

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 19h … Noite Cubana no Armazém do Campo ... Música cubana e bebidas típicas. Na alameda Eduardo Prado, 499

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 20h … Slam da Guilhermina … Com microfone aberto, slam de poesia e lançamento do livro ‘Disperso’, de Thiago Peixoto. Na rua Astorga, 74

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 20h … Sarau das Águas … Palco aberto e lançamento do livro “Flor(e)cimento”, de Daniel Fagundes. Na rua Cambuci do Vale, 109, na Cidade Dutra

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 20h … Sarau Samsara & Amigos. Com Betto Ponciano, Stúdio de Danças Garagem e o espetáculo ‘InCorpóreo’, de Deolinda Nunes (poesia), Elis Pessotti (dança) e Aline Lopes (música). No Eclipse: Espaço Cultural, Bar e Café, à rua Astorga, 621

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 20h … Baile Junino Paraense com a Banda Bonjour Pará. No CCB Butantã, com comidas típicas

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 20h … Happy Hour com Rock Bites Acústico no Carauaribar Bar e Mercearia, à praça Carauari, 8, na Vila Maria

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 20h … Programa ‘Na Prateleira’, do Selo Eskambo, com Macaco Fantasma. Banda de punk, poesia e performance. No Centro Cultural Vila Formosa, à av. Renata, 163

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 20h30 … Los Coringas tocam rock, pop rock e mpb no Manjericanto, à rua Voluntários da Pátria, 3558

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 20h30 … Lucas Scandura e Víctor Cagnotto … Canções autorais, versões, poesias e outras surpresas, com identidade própria. No Quinto Pecado Café Bistrô, à rua Coronel Artur de Godoi, 12

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 21h … Sexta Classic Rock no Santa Sede com a banda Rabo de Galo. À avenida Luís Dumont Villares, 2104

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 21h … Boleros e outras delícias- Cida Moreira canta Sérgio Sampaio no Sesc Pompeia. Com Ivan Gomes (baixo), Lê Coelho (guitarra e violão), Claudia Rivera (piano, flauta e voz), Larissa Oliveira (trompete), Flora Poppovic (percussão e voz) e Celso França (percussão)

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 22h … Sexta Jam Blues/Rock no Clandestino … Com Diego Basa (voz e guitarra), Fabio Brum (guitarra), Fabio Pagotto (baixo), Collins (teclados), Pedro Leo (bateria) e convidados. Na rua Augusta, 2366, casa 1

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 22h … Festival Abdução no Simplão … Meditação, trilha, oficina, natureza, baile e shows com Cabaré Dolores (21h), Filipe Fritos e os Monstros Siderais (23h) e Imperial Pilots de Marte (1h). Na Estrada do Quilombo, 8 km de Paranapiacaba

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 22h … Baile dos Fios … O quarteto Fios de Choro, o trombone de Conrado Bruno, a percussão de Gustavo Surian e a voz de Paula Sanches se juntam ao grupo paraibano Os Gonzagas. No Al Janiah, à rua Rui Barbosa, 269

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 23h30 … Banda Relê apresenta novas interpretações e arranjos para clássicos brasileiros. Na Casa Matahari Mariposa, à rua Silva Bueno, 729

. … …

SEXTA-FEIRA E SÁBADO – 26 e 27 de julho – 19h … Encontros da Nova MPB no Centro Cultural dos Correios, na rua Visconde do Itaboraí, 20, no centro do Rio de Janeiro (clique no cartaz)

… … …

SEXTA-FEIRA – 26 de julho – 20h … Letícia Praxedes e Jéssica Segatti fazem som acústico no Rock and Blues Bar e Adega, na avenida Marari, 400, na ZS

… … …

SEXTA E SÁBADO – 27 e 28 de julho – 21h … Fuck You, Baby … Peça tem texto e direção de Mário Bortolotto, que também atua (veja o elenco, clicando no cartaz). No Teatro Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 9h … Mini-Festival Musical Circular – Workshops. Na rua Southey, 106, no Ipiranga

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 10h … Nor-Destinos: 1º percurso “O homem que virou suco”. A diáspora nordestina em SP num debate ilustrado por uma cena do filme de João Batista de Andrade, logo depois será realizado um percurso em torno do Sesc, seguida de roteiro a pé aos marcos simbólicos da produção artística do nordeste. No Sesc 24 de Maio

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 10h … Lançamento do livro “Sinais”, de Emília Guerra, na Livraria do Luiz

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 11h … Rock Fog Fest 2.0 (clique no cartaz e veja as bandas participantes). Na Travessa dos Canudos, 428, em Santo André

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 12h … Espetáculo “O Que Ali Se Viu” no Sesc Pompeia. Nesta produção do Coletivo Teatro Dodecafônico, o público assume o lugar da Alice de Lewis Carroll. As rainhas e lagartas estarão em diálogo com a arquitetura da Lina Bo Bardi. Com Ana Flávia Chrispiniano, Beatriz Cruz, Cláudia Tordatto, Gabriela Cordaro, Katia Lazarini, Lígia Borges, Paulina Caon, Pedro Felício, Priscila Carbone e Samir Signeu. Entrada franca, para todas as idades. Também no dia 3 de agosto

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 13h … Regional do Seu Fagundes toca clássicos do choro e composições autorais. No Candeeiro, à rua Melo Alves, 205

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 14h … Lançamento dos livros Baobá e Os famintos, de Natália Xavier. Na Banca Curva, à rua Dr. Cesário Mota Junior, 340

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 15h … Choque-Rosa … Na peça, quatro palhaças são obrigadas a se aventurar no tão temido ‘Fora’, um lugar que não foi feito para elas. Será mesmo? No Sesc Vila Mariana

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 15h … Uma celebração para Claudio Willer – Na programação, a banda Estranhos no Ninho e sarau com representantes de diferentes gerações e correntes literárias. Haverá sessão de autógrafos e distribuição de um fac-símile de um poema manuscrito pelo poeta. Na Funarte

… … …

SÁBADO – 27 de julho – a partir das 15h … Samba Maria Cursi – 15 anos … Com a participação de artistas e coletivos de várias comunidades. Na quadra da Flor de Vila Dalila, à av. Dalila 700 (na Av. Aricanduva, 3501). Entrada, 1 kg de alimento

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 15h30 … Lançamento de Medo Medo Medo, de Maria Clara Escobar. Na Biblioteca Pública Municipal Alceu Amoroso Lima

… … …

SÁBADO – 27 de julho – das 16h às 23h … N’Kinpa convida para “O Que Espanta a Miséria É a Festa”. Na programação, discotecagem, cantos, filmes e rodas de samba e maracatu. Na rua dos Aflitos, 70

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 17h … Sons Mexicanos ao vivo com Elba Perez e Guilherme Beraldo. No Lola Bar

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 17h … Bia Doxum & Banda no 19º Festival de Inverno de Paranapiacaba

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 17h30 … De Modo Geral: revista do comportamento brasileiro. No B_arco Centro Cultural

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 17h30 … CAPSArtes: Roda das Psicologias … O Centro de Arte e Promoção Social promove mais uma roda de discussão (clique no cartaz). Na rua Jequirituba, 325, a poucos metros da Estação Primavera Interlagos da CPTM

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 18h … Slam do Bronks, 7° edição

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 18h30 … A peleja dos estilos … Em evento apresentado por Daniel Minchoni e Anna Zêpa, presença de Eveline Sin, dos repentistas Edmilson Ferreira e Antonio Lisboa, dos emboladores Curió de Bella Rosa e Barra Mansa, da glosadora e poeta perfomática Luna Vitrolira, do rapper RAPadura Xique-Chico, da slammer Bell Puã, do poeta cantador e brincante Catarina e da poeta surda Lara Gomes. Sesc 24 de maio

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 18h30 … Show Labirinto Místico – Cláudia Amorim e Renato Piau. No Atelier Travessia, à rua Minas Gerais, 201

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 19h … Reflexões Mano(u)elísticas – Lançamento. Na Patuscada

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 19h … Sarau Comungar. Palco aberto. O convidado Emerson Alcalde, lança ‘Diário Bolivariano’. Na Favela Galeria, à rua Archangelo Archina, 587

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 19h30 … Sarau do Grajaú. Palco aberto. Participação da Banda Ressonância. Na rua Antônio Comenale, 166

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 20h … Tempos Difíceis – Show é parceria do ator e diretor Walmir Pinto com o cantor e compositor Zé de Riba, inspirados em poema de Brecht. Em Mogi Das Cruzes, na Escola de Samba Águia de Prata, à rua professora Dora Peretti, 18

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 20h30 … Festival de Inverno na Aldeia Satélite Espaço Cultural. Lançamento do livro ‘Premiado’, de Escobar Franelas. Clique no cartaz e veja a programação que inclui peças de teatro, shows e saraus de poesia e música. Na rua Tenente Luis Fernando Lobo, 118, em São Miguel.

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 21h … Sábado Black Sabbath Tributo no Santa Sede, na av. Dummont Villares

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 21h … Banda da Portaria convida o poeta Daniel Perroni Ratto. No Espaço Cia da Revista

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 21h … Tributo a Cazuza com Banda Ideologia. No Eclipse: Espaço Cultural, Bar e Café, à rua Astorga, 621

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 22h … Voltando Belchior – com a banda Pessoas Cinzas Normais … No Secretinho, à rua Inácio Pereira da Rocha, 25

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 22h … Festival Lets Groove. Na rua Augusta, 339

… … …

SÁBADO – 27 de julho – 23h55 … Caran e a Forrorama no Porão. Na Casa Matahari Mariposa, à rua Silva Bueno, 729

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 10h … Santo Veneno … Banda se apresenta na av. Paulista

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 10h … Arraial Beneficente 2019. Toda a arrecadação da festa será doada aos abrigos participantes. Na rua Fagundes, 152, na Liberdade

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 10h … Oficina de Quadrinhos na Ocupação Cultural Mateus Santos, à av. Paranaguá, 1633

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 11h … Música no MCB – 20ª temporada … ‘A Voz do Brasil – Carlinhos Vergueiro um cronista brasileiro’, com a cantora Hilda Maria. No Museu da Casa Brasileira, à av. Brig. Faria Lima, 2705

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 14h … Sarau Ambiental do Cursinho Comunitário Pimentas. À rua do Poente, 148, em Guarulhos

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 14h … Sarau Poesia de Esquina. Na Oca, Ibirapuera. Com Gui Amorim, Max Griot, Aloysio Letra e palco aberto

… … …

DOMINGO – 28 de julho – das 15h às 22h … 33ª Edição ” A Idade da Terra em Transe” Idade de Cristo … Com exposição, discotecagem e shows das bandas Aletrix, Grupo Noir, Alcoóliques, Eletric Junx e Piano Black. No videoclube Charada, à rua José Antonio Fontes, 62, em Sapopemba

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 15h … Sarau da Paulista lança antologia … Poetas de várias gerações que toparam levar a poesia para a rua estarão presentes fazendo leitura de poemas e autografando essa primeira antologia do sarau. Haverá também projeção de fotos e vídeos do movimento que ocupa o espaço público há 3 anos. Parabéns ao organizadores do projeto (Rubens Jardim, Cláudio Laureatti e César Augusto de Carvalho, entre outros) e aos participantes (clique no cartaz). Na Casa das Rosas

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 16h … Sarau Marginal … No Espaço Volume 10, à rua Eduardo Sanchez, 1148. Programação, no cartaz

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 16h … Felipe Câmara – Sons do Brasil … Cantor e compositor mostra as cancões de ‘Patu’, seu primeiro álbum solo. Na Casa Teatro de Utopias, à rua Duilio, 46

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 16h … Clube de Leitura Antirracista no Centro Cultural São Paulo – CCSP. Mediação de Lubi Prates e Vine Aleixo. Terceiro encontro tem temática indígena. Com Ana Beatriz Domingues

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 17h … O Café Poético #48. Com expositores, músicos, dançarinos, fotógrafos, oficineiros, bibliotecários, poetas e palestrantes. Na Praça Santa Isabel Católica – Praia de Belas

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 19h … Sarau do Bar do Frango – Sempre no último domingo do mês. Na avenida São Lucas, 479

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 19h … Curumin + Tulipa Ruiz, Anelis Assumpção, Russo Passapusso. No Sesc Palladium, em MG

… … …

DOMINGO – 28 de julho – 20h … Medusa de Rayban … Remontagem da peça (elogiada em 1997 por inovadoras referências às hqs e ao rock) narra os conflitos de quatro assassinos de aluguel, abordando a violência sem descartar o humor. Texto e direção de Mário Bortolotto (clique no cartaz). No Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. Ingressos a R$40 e R$20

… … …

TERÇA-FEIRA – 30 de julho – 19h … “Vitrine”, performance do Coletivo Cartográfico. Grupo enfoca situações-limite onde a fronteira entre corpo e objeto se confunde. No Paço das Artes, à av. Europa, 158

… … …

TERÇA-FEIRA – 30 de julho – das 19h às 21h … Visões do surrealismo – curso com Claudio Willer … Último dia. Com projeção de imagens por datashow e distribuição das sinopses. Investimento R$30,00. No Corvo – Burger & Beer, à rua Fortunato, 119

… … …

TERÇA-FEIRA – 30 de julho – 19h30 … Sarau Gente de Palavra Paulistano. Poetas de várias gerações fazem leitura de poemas de José Inácio Vieira de Melo, autor homenageado. Na Patuscada, à rua Luiz Murat, 40

… … …

TERÇA-FEIRA – 30 de julho – 20h … Sarau As Mina Tudo – 15a Edição. Sarau para artistas mulheres organizado por Rhaissa Bittar e Andressa Brandão. No JazzB, à rua General Jardim, 43

… … …

TERÇA-FEIRA – 30 de julho – 20h … Still Reich … A Focus Cia de Dança apresenta o premiado espetáculo de Alex Neoral, que reúne, em programa único, quatro peças compostas a partir de músicas do compositor contemporâneo americano Steve Reich: “Pathways”, “Trilhas”, “Keta” (vencedora do Prêmio Cesgranrio de Dança como melhor coreografia e ainda indicado como Melhor Bailarino/Marcio Jahú e Melhor Bailarina/Carolina de Sá) e “Wood Steps”. A Focus tem o patrocínio da Petrobras, direção de produção de Tati Garcias e atua com os bailarinos Carolina de Sá, Cosme Gregory, José Villaça, Marcio Jahú, Marina Teixeira, Monise Marques, Rafael Luz e Roberta Bussoni. No Sesc da Esquina, em Curitiba 

… … …

TERÇA-FEIRA – 30 de julho – 21h … Jazz Poetry … Escritores leem textos aos som de jazz. Com Marcelo Montenegro, Lucas Mayor, Carca Rah, Mário Bortolotto, Aline Bei e os convidados Carla Kinzo e Marcelo Mirisola (lendo trechos do seu romance ainda inédito). No Teatro Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. Ingresso R$10

… … …

QUARTA-FEIRA – 31 de julho – 20h … SlamOz 19ª Edição – Batalha poética organizada por Lucão, Alessandra Mansano, Kauê Tavano, Wesley Moraes e Jhonny Melo recebe o poeta, slammer e mc Beká. Na Estação Osasco – Linha 9 Esmeralda da CPTM

… … …

QUARTA-FEIRA – 31 de julho – 18h … Chorinho e samba com o setecordista Guilherme Lamas. No Dona Holanda Padoca, à rua Dona Josefina Sarmento, 95, em Campinas

… … …

QUARTA-FEIRA – 31 de julho – 18h … RPG e Literatura – Com o poeta Victor Rodrigues. No Sesc Guarulhos

… … …

QUARTA-FEIRA – 31 de julho – 19h … Macrofonia! convida: SPIO Orquestra … Evento mensal que une palavra, som e imagem, recebe a improvisação da SPIO Orquestra (clique no cartaz). Na Casa da Luz, à rua Mauá, 512

… … …

QUARTA-FEIRA – 31 de julho – 19h30 … ‘Lá na Laje’ discute a resistência na literatura e propõe intercâmbio entre escritoras negras. Com Raquel de Oliveira, no Sesc Pompeia

… … …

QUARTA-FEIRA – 31 de julho – 21h … … Efeito Urtigão – texto e direção de Mario Bortolotto … Na peça, jornalista talentoso, cansado da mediocridade a que é submetido nas redações, resolve se isolar morando num sítio. Um amigo jornalista o procura para tentar entrevistá-lo. Com Mario Bortolotto e Walter Figueiredo. No Teatro Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384

… … …

ATÉ 27 de julho … Exposição Tempo e Espaço – Trabalhos de Sam Hart. Na 9° Arte Galeria, à rua Augusta, 1371

… … …

ATÉ 27 DE JULHO … ‘Quem te viu, quem te vê’ – Exposição de 54 caricaturas de Chico Buarque selecionadas em concurso nacional. Com curadoria do cartunista Zé Roberto Graúna, a mostra apresenta trabalhos dos mais variados estilos. Às terças-feiras, das 10h às 16h; de quartas às sextas, das 10h às 18h; aos sábados e domingos, das 15h às 18h, na Sala Carlos Couto (Teatro Municipal de Niterói) com entrada franca.

… … …

ATÉ 30 DE JULHO … Teatro de um Homem L(ido) … Ensaios abertos e encenações de atores de Portugal a convite da atriz Anette Naiman. No Teatro da Garagem, à rua Silveira Rodrigues, 331 (clique no cartaz)

… … …

ATÉ 30 DE JULHO … Exposição Batman – 80 anos, no Centro Cultural de Mogi das Cruzes, com 12 ilustradores apresentando sua versão do personagem

… … …

ATÉ 18 DE AGOSTO … Exposições: “Entre o azul e o que não me deixo/deixam esquecer”, de Juliana dos Santos e “acerca do fracasso das formas”, do Coletivo Cartográfico (Carolina Nóbrega, Fabiane Carneiro e Monica Galvão) em parceira com Jorge Soledad. No Paço das Artes, à av. Europa, 158.

… … …

ATÉ 18 DE AGOSTO … PretAtitude, no Sesc Vila Mariana. Exposição é um recorte da produção afro-brasileira contemporânea com trabalhos de Aline Motta, André Ricardo, Eneida Sanches, Janaina Barros, Laércio, Lídia Lisboa, Luiz 83, Marcelo D’Salete, Marcio Marianno, Peter de Brito, Sidney Amaral, Rosana Paulino, Wagner Celestino e Washington Silveira. Nos dias 18 e 26/6, bate-papo com artistas convidados. De terça a sexta, das 10h às 21h30; sábado, das 10h às 20h30; domingo, das 10h às 18h30

… … …

ATÉ 18 DE AGOSTO … ‘Björk Digital Brasil’ – no MIS SP … Exposição de realidade virtual imersiva da artista islandesa Björk, que une arte e tecnologia para ilustrar as imagens poéticas de suas músicas. A mostra-instalação traz seis trabalhos de Björk extraídos de seu álbum, Vulnicura (as obras podem ser vistas com óculos de realidade virtual). Além dos vídeos, a expo traz o projeto educativo Biophilia e uma sala de cinema onde o público confere diversos clipes da carreira da artista feitos por mestres do videoclipe, como Michel Gondry e Spike Jonze. Clique aqui para mais informações.

… … …

ATÉ 5 DE SETEMBRO … A Utopia na Era da Incerteza – Imersão Artística Múltipla: Instalação cenográfica com atividades sensoriais e espetáculo teatral. Projeto da Cia Lúdica ocupa o Tendal da Lapa, na rua Guaicurus, 1100

… … …

AGENDÃO >>> Fique ligado, pois o agendão é diariamente atualizado. E toda quinta-feira tem post novo. Até lá!

… … …