Dois shows diferentões agitam a semana (ao menos, a minha semana! – rsrsrs…). Estarei no domingo, na Casa Gramo, para ouvir a grande cantora Giliane Meireles e as melodias incríveis do Valter Gusmão, agora com o auxílio luxuoso de Ricardo Felix, se apresentando como Banda Suindara. Na terça, canto uma pequena seleção de minhas canções, num pocket a que dei o nome de ‘Hits, Rocks e Estranhezas‘ (com participação de Helen Torres e Betto Ponciano – além dos shows do anfitrião Ca Cau e do cantor e compositor Thiago K). Claro que as ‘estranhezas’ são apenas uma alusão às minhas letras sem pé nem cabeça. E a palavra ‘hits’ não passa de uma brincadeira com o desejo de ser tocado no rádio, ficar famoso, ganhar muito dinheiro, fazer um tremendo sucesso e sair cantando por aí em turnê mundial. Enfim, aquelas coisas boas que só acontecem se você vender sua alma ao mercado, digo, ao diabo. Coisas que abomino e que nunca vou fazer (no… and no… and no…). E nenhum artista é ‘alternativo’ ou ‘independente’ só porque quer. A verdade é que nós somos ‘os excluídos’ de um sistema promíscuo de divulgação da produção cultural que só visa o lucro imediato e que não respeita a diversidade criativa da nação brasileira. Falta representatividade. De tanto divulgar a mesmice, apenas ‘o que vende’, ou ‘o que diverte’, esse sistema foi emburrecendo a todos nós. E não falo apenas da música ou da cultura em geral (não por acaso, nossa Educação e Meio Ambiente agonizam nas mãos de um presidente mundialmente reconhecido por sua ‘falta de cultura’ – pra dizer o mínimo). Concluindo: não sei se o que faço é ‘melhor ou pior’, se é ‘bom ou ruim’. Só sei que, nesses nossos dois shows, você vai ouvir canções originais que não se ouve por aí. Isso, vai… Eu agarantcho!

DOMINGO – 8 de setembro – 19h30 … Suindara Rock Sertão apresenta o show ‘Vendaval de Dentro‘. Com Ricardo Felix (violoncelo e flauta), Giliane Meireles (voz) e Valter Gusmão (violão). Na Casa Gramo, à rua Bento de Abreu, 223

TERÇA – 10 de setembro – 19h30 … Travessia Musical – 31ª Edição … Encontro mensal reúne compositores, artistas e bandas para apresentação de repertório autoral em shows intimistas. Nesta edição com o anfitrião e multiartista Ca Cau e os cantores e compositores Arnaldo Afonso (este blogueiro que vos escreve) e Thiago K. No meu pocket-show, tem participação da cantora Helen Torres e do violeiro Betto Ponciano. No Atelier Travessia, à rua Minas Gerais, 201

 

… … …

MINHAS ANDANÇAS POR AÍ

… … …

Que fique bem claro, seu Januário: não sou cri-crítico musical nem literário. Sou artista que sente pressente pelo insight o valor do objeto emocional criado. Sou fã abduzido seduzido cooptado. Apaixonado pelo belo poético tocado e cantarolado. E ainda estou transtornado (e transformado) lendo e relendo livros, indo e vindo de shows, vendo e ouvindo canções e sentindo reverberar as emoções que vivi. Um pouco do que vi é o que conto aqui:

SEXTA-FEIRA – TEMPOS DIFÍCEIS >>> Há tempos queria ir ao Sarau na Galeria, ou a algum dos muitos shows, festivais de cinema e eventos literários promovidos pela tchurma  formada por Amaury Rodrigues, Raquel Pereira, Escobar Franelas, Zé de Riba, Quinho e outros agitadores culturais da região de Suzano. Na sexta-feira, finalmente, pude ir lá e assisti ao ótimo espetáculo musical ‘Tempos Difíceis‘ (com um cenário lindo!), baseado nos textos de Walmir Pinto e musicados pelo cantor e compositor Zé de Riba (que se apresentou com a cantora Carla Shinabe e banda, sob os arranjos de Ricardo de Deus). Nas canções do show, questões sociais são abordadas de forma direta e emocionante: a desumanização e a crescente violência das grandes cidades, a opressão e a repressão policial que desaba sobre os mais pobres, o desemprego, o drama da prostituição infantil, os preconceitos de gênero e a falta de solidariedade e amor. Um show com esses temas tem que circular pelas principais capitais do País e levar sua mensagem de paz. Num bate-papo após o espetáculo, Zé de Riba me contou que algumas ongs e entidades internacionais se interessaram pelo projeto (o belo videoclipe com a canção tema do show, criado pelo Ateliê de Imagens, produtora de audiovisuais da região, já viaja pelo mundo). Valmir Pinto me falou que o mote ‘que tempos difíceis são esses em que falar de amor é quase um crime‘ saiu de um poema de Brecht (sempre ele, e ainda ele, nos municiando na luta por dias melhores). Este blog se coloca à disposição dos guerreiros culturais de Suzano para divulgar essa ideia e trazer o show e outros eventos de poesia e cinema para SP. Estou ligado, acompanhando os próximos passos: os tempos são difíceis, mas nós vamos caminhando juntos.

SÁBADO – SARAU DA MARIA >>>Foi com alegria que o coletivo Sarau da Maria, de que faço parte, recebeu o convite para participar de evento tão importante como o encontro ‘Estéticas das Periferias’. Uma vez por ano, durante uma semana, diversos grupos, bandas e performers de todas as artes se apresentam pelos centros culturais, bibliotecas e ceus espalhados pela cidade. Nós, realizamos nosso sarau na Biblioteca Álvares Azevedo, na Vila Maria. Chamamos a dupla Cordeirovich & Vladinski para o pocket-show de abertura e a banda Chero da Poesia (Kita, Helen & Giadas) para fechar com chave-de-ouro o evento, que ainda teve o editor da Reformatório, Marcelo Nocelli, como escritor convidado. No palco aberto, rolaram as apresentações dos poetas Joel Oliveira, Ca Berto, Flávia Saiani e Jamir Nogueira (que também ressaltou a importância do ‘Estéticas‘) e dos músicos Pedro Lua, Tião Baia e das duplas Deise & João Emilio e Ligia & Eder Lima, entre outros. Roberto Candido fotografou tudo e eu ainda li, com voz embargada, um texto que fiz para os amigos da Vila Maria, que replico abaixo: 

AOS AMIGOS DA VILA MARIA >>> Eles eram garotos e garotas dos anos 70… eles também queriam fazer a festa… queriam amar e cantar… como os jovens de outros cantos do planeta, que sonhavam em mudar o mundo na base da paz e do amor… mas eles eram jovens brasileiros dos anos 70… havia uma ditadura sobre as suas cabeças… eles também sonhavam com flores… e queriam mudar o mundo… eles moravam numa vila… uma vila como as outras… cheia de marias e de amores… com a sua avenida comprida… chamada Guilherme Cotching… com uma praça grande… chamada Santo Eduardo… e uma igreja azul na subida… a Candelária… e um colégio chamado Paulo Egydio, onde muitos deles estudaram e se conheceram… eles ficaram amigos… fizeram coisas… experimentaram… viajaram legal… seus nomes eram comuns… Maria Aparecida… Luiz Carlos… Paulo Roberto… Oswaldo… Deise… alguns tinham nomes mais complicados… Washington… Aduzinda… Genivaldo… uns logo ganharam apelidos… Lalá… Pedrão… Ticão… Johnny… eles fizeram música juntos… fizeram teatro… fizeram política… fizeram amor… casaram, tiveram filhos… descasaram… casaram de novo… e continuaram amigos… e foram fazendo mais amigos… e mais amigos… muitos estão aqui hoje… Verônica… Cordeiro… Marici… Sueli… outros ficaram no caminho…. Edno… Helder… Marotto.. Gilvan… Felicio… Caritas… garotos dos anos 70… que nunca serão esquecidos… … e é por cantar e louvar os sonhos desses garotos que o Sarau da Maria está fazendo a festa no Estéticas das Periferias… porque um dia, todos esses garotos sonharam o mesmo sonho… cantaram a mesma canção… cada um à sua maneira… com sua voz única… sua desafinação própria… seu jeito de ser… todos de olhos livres e coração aberto… cheios de esperança e de velhos sonhos de paz, amor e liberdade… os sonhos que sonharam aqueles garotos dos anos 70.

DOMINGO – A CRIPTA DE POE >>> Fui ao teatro da Galeria Olido assistir à peça “A Cripta de Poe”, com os atores Afonso Henrique Soares, Carina Casuscelli, Rosa Freitas (que também canta), Rafael Schmitt, Claudia Wer, Guil Silveira e a participação do grande Paulo César Peréio (em vídeo). A excelente montagem da Companhia Nova de Teatro é baseada nos textos fantasmagóricos do famoso autor de ‘O Corvo’. Os atores declamam e se movimentam ao vivo, sob imagens projetadas, mas às vezes surgem repentinamente nas telas, o que aumenta a sensação de desconforto e confusão mental que o próprio texto já provoca. Além do horror, Edgar Allan Poe escreveu sátiras e contos de humor, usando a ironia e a exacerbação do ridículo para provocar e tirar o leitor da zona de conforto. Talvez por isso, eu tenha conseguido me divertir, mesmo envolvido pela densa bruma macabra dos contos. Poe não gostava de didatismo: ‘trabalhos com significados óbvios deixam de ser arte‘. As montagens da Cia Nova de Teatro primam pela contenção gestual dos atores em prol da valorização dos textos. Com ‘A Cripta de Poe‘ não foi diferente: adorei a postura ‘adulta’ do espetáculo, os jogos sonoros e visuais encadeados para ludibriar a compreensão do espectador, para instigá-lo a pensar, chamá-lo à atenção. Essa declamação de textos supostamente ‘complexos’, e de forma literal, esteve impregnada do deleite cultural imensurável que só a melhor literatura pode nos dar. Em certos momentos, me senti curtindo o livro em cena e, após suportar a tensão, posso dizer que morri e renasci no divertido mundo de terror dos deliciosos contos de Poe. Talvez por isso, saí de lá viajandão, deixando que a arte me levasse pela mão. E escrevi:

POE POW POW >>> Seriam da atriz ou da morta-viva Berenice os dentes reluzentes que me mastigam o sexo e o nexo do poema? De onde veio esse azedo pássaro preto que me bica o cérebro? Ou seria a sombra eterna de Ligeia sobre meu olhar atônito? Senti o mundo, o corpo, o olho a girar contemplando a dor de uma mulher numa pintura oval. Sim, era bem e era mal, era eu em meio aos personagens de Poe. Não sei se aquelas luzes eram estrelas ou se era da boca da atriz que a sinuosa melodia da música saía e me atraía ou se tudo não passava de projeção da minha imaginação. Se eram manchas de sangue aqueles borrões vermelhos que escorriam da tela (ou dos meus olhos?) sobre o texto perturbador dos contos de Poe, admirável criptografia. Teria sido um pesadelo ou o cadáver daquela mulher bela realmente me abraçou e tocou seus lábios gélidos nos meus? Era eu aquele homem de olhar incômodo estrangulado no centro de São Paulo? Ou eram minhas as mãos frias do estrangulador? Será mesmo que tropeçei em pedaços de corpos esquartejados ao descer as escadarias do teatro? Eram dos meus amigos aqueles gritos e gemidos ecoando aflitos pela Galeria Olido? Não sei se aconteceu, se foi obra de bons atores ou se era mesmo eu… Ou se era essa nossa era… Se o medo me dominou, turvou minha visão e me enlouqueceu. Uma alma humana acuada nem sabe do que é capaz: ouvi o alarido de muitas vozes se alternando na narração das atrocidades. Era minha a sua voz, o eco da voz de cada um de nós. Sucumbimos e resistimos na mesma insana intensidade. Saltei da ficção e caí no Largo do Paissandu, no Brasil do descaso, entre mendigos e noias, Bolsonaros e Dorias, barbaridades várias. Infelizmente, os monstros não estão apenas nos livros: nas palavras do diretor da peça, Lenerson Polonini, ‘retomar Allan Poe neste momento é exorcizar os fantasmas do autoritarismo e da censura nos palcos’. Sim, precisamos ser capazes desse necessário exercício. Vade retro, satanás!

SEGUNDA-FEIRA – RÁDIO BRASIL ATUAL >>> Convidado e muito bem recebido pelo simpático e competente locutor Emerson Ramos, fui conhecer as instalações da Rádio Brasil Atual, aquela que ‘dá a notícia que as outras não dão e toca as músicas que as outras não tocam’, no 98.9 FM do seu dial. Lá, conversei com o grande Colibri (que apresenta diariamente ao meio-dia o programa ‘A Hora do Rango‘) e fiquei de criar uma versão radiofônica deste Sarau, Luau e o Escambau. Estou todo contentão: se tudo der certo, vou divulgar o programa por aqui também, claro. Aguardem…

Por falar na Rádio Brasil Atual, acesse o link para conhecer e colaborar com sua campanha de financiamento. Neste momento de retrocessos políticos, sindicais e culturais, sabemos bem o quanto é imprescindível ter uma emissora que faça frente ao discurso fascista do governo e das poderosas redes que o apoiam.

TERÇA-FEIRA 1 – GABRIEL >>> Na tarde de terça estive com o cantor e compositor Gabriel de Almeida Prado e tive o privilégio de ouvir as canções de seu novo cd, em fase final de produção. Fiquei encantado com a poesia de algumas letras e a criatividade de vários arranjos. Elogiado recentemente por Zuza Homem de Mello, Gabriel é, sem dúvida, um dos mais talentosos artistas da nova geração. Em breve, comentarei esse belo disco aqui.

TERÇA-FEIRA 2 – DESOLADOR >>> Eu já havia elogiado a atuação do ator Clovys Torres na peça ‘Me dá tua mão‘ (em cartaz às segundas-feiras, no West Plaza). Mas, em ‘DesolaDor‘, monólogo sobre o dramaturgo Antonin Artaud (às terças, no Giostri), seu desempenho é simplesmente irretocável e avassalador. Uma performance digna dos maiores prêmios. Quem não viu, precisa ir lá vivenciar e se espantar com a força criativa (e autodestrutiva) que jorra de sua comovente interpretação. Em cada fala, gesto e movimento transparece o domínio da técnica e a coragem de se atirar no papel, sem rede de segurança. Clovys/Artaud deixa a pele em cena: ele é a pessoa/personagem que se decompõe porque não cabe em si. Artaud foi anárquico e poético. Não aceitou ser um, nem ser apenas mais um. E alçou voo. Em seu delírio, viveu como se fechasse os olhos para contemplar o sonho. Ou como se os sonhos lhe abrissem os olhos para a realidade de trevas em que vivia. Sua loucura foi vislumbrar a beleza e a necessidade de um outro mundo, de uma sociedade solidária talvez agora impossível. Mas o verdadeiro artista deve ir além do que vê. E Artaud foi. Tornou-se o louco inventor de um eu múltiplo que lhe soasse mais verossímil aos desejos, de uma arte que não se enquadrasse nas limitações impostas pela máquina de moer gente de nosso árduo dia a dia. Quase um século depois, sua obra, vida e utopia ainda são discutidas. Já nós estamos resignados às condutas normativas de uma sociedade utilitária e fútil. E caminhamos covardemente a passos lentos, condenados a viver sob o medo de uma escuridão que não cessa. Um céu de chumbo pesa sobre nós, pacatos e conformados humanos de pensamentos tacanhos. Que lamentável doença essa nossa. Viva a busca lúcida e alucinada de Artaud!

ARTE DE ARTAUD >>> Após a peça, houve um bate-papo entre o ator Clovys Torres, a autora Gabriela Mellão (os dois, na foto), a convidada Maria Elisa Pessoa Labaki e o público presente. Foi muito esclarecedor ouvir tão preciosos comentários ainda sob o impacto das emoções vividas. Cada vez mais eu acho mesmo que ‘não existe gente como a gente de teatro‘. Quero esses loucos sempre comigo.

CAMILLE PAGLIA >>> Ainda sobre minhas sensações e reflexões após assistir às peças A Cripta de Poe e DesolaDor: me deparei na net com esse cartaz de frases da ensaísta e crítica cultural Camille Paglia (clique nele para ler melhor). Pincei de uma entrevista a frase completa: “A arte está perdendo sua centralidade cultural. Era nela que as pessoas trabalhavam questões difíceis. E agora não queremos dificuldades, nem nos sentir deprimidos. É um período em que as pessoas não querem ler Dostoiévski, Kafka, porque apresentam reflexões sombrias. Precisamos reaprender a ver para sobreviver nessa era da vertigem. A única maneira de oferecer aos olhos essa estabilidade é pela contemplação da arte. Ao reaprender a apreciar o belo, a chance de se encantar por brilhantes falsos é menor. Proponho colocar o ensino das artes no centro dos currículos escolares desde cedo, com proposta multicultural, obras de todo o mundo”. Quem pode ser contra esse raciocínio humanista? Claro, só esse bando de fascistas idiotas que está no poder. Mas logo sairão… Tô com Camille e não abro.

 

… … …

LIVROSLIVROSLIVROS

… … …

Livro falado alado pesado prensado musicado. Livre leve levado achado perdido. Livro livre lindo relido. Livro é bicho vivo. Conforme o prometido (no post passado) eis aqui mais uma lista de livros de autores do circuito alternativo. Semanalmente nesta seção, alguns registros. Hoje, cito o livro de Luiza Oliveira, a programação da Balada Literária e alguns outros lançamentos que acontecem por aí. Confira:

DA MENINA QUE MATOU SEUS BICHOS >>> Livro da poeta, atriz e bailarina Luiza Oliveira, que também lançou ‘Afetos Transgressores‘ e participa de diversos saraus literários em SP. No teatro, trabalhou com Antunes Fiho, Naum Alves de Souza, Miriam Muniz e Berta Zemel. No cinema, realizou dois longas com o diretor Elvis DelBagno: ‘O homem da cabeça de laranja‘ e ‘A suíte epifânica de Luiza‘ (inspirado em seus poemas). Abaixo, um deles:

VIRA-LATA
(Luiza Oliveira)

Chega
das caretices e dos puxa saquismos
das divindades caídas
dos reinos unidos fragmentados
dessa porra desse computador

Ai que saudades

das simplicidades sem vistorias
de águas paradas, porém,
livres e libertas
da negra do cachimbo
do sertão agreste
sem veredas
das tabernas
de Máximo Gorki

da merda sem parasitas
do homem
do humano
que escarrou e sujou o tempo
embaçou os vidros
com seu hálito fétido

medidas inexpressivas
fazem
essa espécie híbrida,
incapaz, sonolenta,
sorrir.
com seus dentes amarelados, cheio de cáries…

eu vou pra Tucumã
aliciar meus tormentos
dormir com as cabras

e fuder com os jumentos

BALADA LITERÁRIA 2019 – Tradicional evento de resistência literária chega à 14a edição. Criado e organizado pelo escritor Marcelino Freire, passou por Salvador e Teresina em agosto, e acontece em São Paulo de 4 a 8 de setembro, homenageando o educador Paulo Freire e tendo por tema sua frase “Aprendamos ensinando-nos“. Confira no site oficial a programação completa que inclui shows, saraus, rodas de conversa, aulas e debates, em várias livrarias e casas de cultura da cidade.

QUINTA – 5 de setembro – 19h … Lançamento de ‘Mínimas’, livro de poemas de Gil Jorge e “Somente nos Cinemas”, de Jorge Ialanji Filholini, da Série LêProsa. Na Mercearia São pedro, à rua Rodésia, 34

QUINTA – 5 de setembro – 20h … Lançamento de “A Resistência dos Vaga-lumes”, antologia LGBTQI+ organizada por Alexandre Rabelo e Cristina Judar. Com debate mediado por Lucas Dantas e Noé Filho e show de Valéria Barcellos, acompanhada pela pianista Malka (com participação de Divina Núbia). Na Casa de Francisca, à rua Quintino Bocaiuva, 22

QUINTA – 6 de setembro – 19h … Lançamento de ‘A Lembrança Mais Antiga’, de Antônio Pimentel, pela Desconcertos. Na Patuscada – Livraria, bar & café, à rua Luiz Murat, 40

SÁBADO – 7 de setembro – 18h … Lançamento de ‘A noite e o meio’, de Beth Brait Alvim, na Clepsidra, à rua Fortunato, 117, em Santa Cecília. Um poema do livro:

RAPINA E CUPIM
(Beth Brait Alvim)

três gaviões bicam o couro da minha cabeça
com afinco
e mesmo que eu lute até desfalecer
o veneno deles soterra minhas veias
na escuta subterrânea da noite
histeria irrestrita
nos tímpanos inúteis dos que se dizem de bem

não sou aquela que suporta mais qualquer terror
não tenho mais a ânsia de construir uma cidade

minha garganta se fere à toa
basta um mínimo desconcerto

assim eu caminho trêmula sem vergonha da minha utopia em farrapos
costuro meus buracos com tampões de fogo do maior formigueiro do mundo
sim
o coração fervilha de vida obreira
mas sua artéria está entupida de cupins

na minha insônia inacreditável
essa tontura volta e volta
meus amanheceres continuam
febris

QUARTA – 11 de setembro – 18h30 … Lançamento de ‘Páginas Viradas de um Abril Qualquer’, da poeta Flora Figueiredo. Na Livraria da Vila, à alameda Lorena, 1731

 

… … …

O HORROR, O VAZIO E O TEMPO

… … …

Void Fraction (Fração de Vazio) é um projeto autoral focado na estética do abandono e do silêncio existencial – caracteriza-se por ser um discurso fotográfico que retrata o esquecimento humano, mas não da natureza. Além disso, é uma vertente crítica em relação ao descaso com a preservação do memorial arquitetônico de lugares históricos. As fotos e o texto abaixo são de Thiago Schiavetti Jardim (veja todo o projeto aqui):

Peço que a justiça seja feita com a ajuda de Deus. Saí viva do forno crematório; sou a testemunha sagrada da igreja. Sou uma mãe que perdeu tudo”. Esta frase de Marguerite Rouffanche, única mulher que sobreviveu ao massacre de Oradour-sur-Glane, em junho de 1944, não é sobre nenhum campo de concentração. A crueldade alienada do Sturmbannführer Adolf Diekmann, comandante de uma das tropas de combate da elite da SS, fustigou o sagrado comum e calcificou na história da França o profano ato da aniquilação: a igreja do pequeno vilarejo serviu como forno crematório para mais de 450 mulheres e crianças. Num descabido furor devido à prisão de um soldado alemão pela resistência francesa, a 2ª Divisão Panzer SS do Reich abreviou a história de quase 700 pessoas através de fuzilamentos para os homens e queima de corpos para mulheres e crianças. O vilarejo atualmente é um museu silencioso a céu aberto e carrega, isoladamente, cicatrizes nefastas de um conflito desumano. Que essas fotos sejam um elo testemunhal da dor não esquecida de um lugar que aprendeu a gritar sem suas vozes”. (Thiago Schiavetti Jardim)

 

AO VER AS FOTOS, ESCREVI >>> “que ensaio maravilhoso… conceito, forma e conteúdo… o abandono, as marcas de (des)humanidade e a passagem do tempo… as sobras e as sombras do que fomos e somos… tragédias e descasos que se repetem ao longo da história em lugares e sob culturas tão diferentes… instantes eternizados, arte-aprendizado, memória dos nossos descaminhos … para ver, se comover e compreender… parabéns, Thiago Schiavetti Jardim“.

 

… … …

NA NET, O CD ‘AS MARÉS’,
DE PAULO BARROSO

… … …

E eu continuo falando do álbum duplo As Marés, do cantor e compositor Paulo Barroso, agora disponível nas plataformas digitais. Então, clica aí: você pode ouvi-lo no Spotify, Deezer, Google Play, ITunes e Youtube (acesse também seu primeiro disco, Vozes da Cidade, inteiro). Hoje, posto a bela canção A Musa Maior. Ouça:

 

… … …

MARIELLE PRESENTE!

… … …

No dia 14 de março de 2018 a vereadora, de 37 anos, foi assassinada no bairro da Lapa, no Rio. Ela era relatora da Comissão dos Direitos Humanos que acompanhava a intervenção militar no RJ. Havia feito denúncia contra abusos policiais e voltava de um evento com jovens negras quando foi baleada. Anderson Gomes, motorista do carro em que ela estava, também foi executado. Desde então, protestos contra o bárbaro crime se repetem diariamente em várias cidades brasileiras. Marielle lutava por justiça, inclusão e igualdade de direitos. Defendia as causas que todos nós, artistas e coletivos dos saraus, também defendemos. Este blog continua aguardando o esclarecimento do caso e a punição dos assassinos e mandantes. As balas que a mataram atingem a todos nós. Não podemos nos calar. Até quando vou ficar semanalmente repetindo esse texto aqui? Será que vai ficar assim? Por que a resposta não vem? Quem matou (e quem mandou matar) Marielle?

Faz quase um ano e seis meses que eu repito esse texto. E vou continuar repetindo enquanto este blog existir. É meu compromisso em defesa da democracia e da liberdade, ambas ameaçadas pela impunidade de assassinos ou pela omissão das autoridades. Durante todo esse tempo, repito esse texto que eu já sabia que ia repetir. Se temos dois suspeitos presos (a quem ninguém entrevistou, confrontou, nem perguntou os motivos) ainda falta saber quem mandou matar Marielle. Um ano e meio depois, Marielle continua sendo baleada, morrendo todas as noites e renascendo a cada manhã. Porque pessoas íntegras como Marielle não morrem jamais. Se eternizam e viram exemplo de luta. Nós, brasileiros democratas, estamos aqui, de braços dados com ela, esperando que a justiça seja feita. Os assassinos talvez tenham a proteção momentânea de organizações ou de eventuais autoridades fascistas. Que podem ameaçar Marcia Tiburi e Jean Wyllis, ou mirar e atirar em nossas altivas cabeças. E até nos matar, um a um (‘matar uns 30 mil’, como disse o atual presidente, sem ser punido nem ter sua candidatura impugnada). Só não poderão evitar que Marielle renasça mais forte, todos os dias, no corpo e na mente de cada menina guerreira da cidade do Rio de Janeiro. Marielle presente.

 

… … …

AGENDÃO

… … …

Aqui as sugestões de programação para esta semana. Acompanhe também as opções contidas na página da Agenda da Periferia. Informe-se, inconforme-se, atue e divirta-se!

… … …

I PRÊMIO “SUBURBANO CONVICTO” >>> Suburbano Convicto é sarau, livraria e editora administrados pelo produtor cultural e poeta Alessandro Buzo. Este guerreiro das artes periféricas criou agora (com apoio do coletivo Poetas do Tietê) um prêmio para valorizar os artistas e coletivos que fazem a vida cultural das quebradas da cidade. Desde 1 de setembro estão abertas as votações para o ‘I Prêmio Suburbano Convicto‘, com 15 indicados em cada uma de suas dez categorias. A votação é dividida em três fases e vai até novembro. A entrega do Prêmio será no dia 11 de dezembro, no Centro Cultural Olido. Para conhecer os indicados e votar, clique aqui.

… … …

QUINTA – 5 de setembro … Utopia na Era da Incerteza – Imersão Artística Múltipla: Instalação cenográfica com atividades sensoriais e espetáculo teatral. Projeto da Cia Lúdica ocupa o Tendal da Lapa, na rua Guaicurus, 1100. Último dia

… … …

QUINTA A SÁBADO – 5 a 7 de setembro … 3 anos de Armazém do Campo… Aniversário da loja de produtos orgânicos e agroecológicos produzidos em assentamentos de pequenos produtores. Na programação, debates, saraus, oficinas e shows. Clique aqui e saiba maisNa alameda Eduardo Prado, 499

… … …

QUINTA – 5 de setembro – 17h … Exposição ‘Vende-se’, de Allan Sieber, na 9 arte galeria, à rua Augusta, à rua Augusta, 1371, loja 113

… … …

QUINTA – 5 de setembro – 19h … Festa Represença. Comemoração dos 10 anos do grupo Senzala Hi-Tech e de seu primeiro disco. Com o dj RM. Na Casa Do Baixo Augusta, na esquina da Consolação com a Rego Freitas

… … …

QUINTA – 5 de setembro – 19h … Curta Suzano na Tela … O documentário ‘Close’, da cineasta cearense Rosane Gurgel e o curta ‘O Morro dos Mortos”, do cineasta suzanense Janderson Rodrigues. No Cine Teatro Wilma Bentivegna, à rua Paraná, 70, em Suzano. Próximas edições nos dias 3/10, 7/11 e 5/12

… … …

QUINTA – 5 de setembro – 19h … Samba Jazz … Com Gabriel Deodato (violão de 7 cordas), André Kurchal (bateria) e Anthony Taieb (sax). Na Quinta dos Infernos, à rua Coronel José Eusebio, 109

… … …

QUINTA – 5 de setembro – 19h … Fogo no Baile – Pré Lançamento + Bate-papo com Indy Naíse & D’Ogum …. Cantora e rapper lançam audiovisual (direção de Luiz Becherini e Vítor Manon) que retrata a afetividade entre negros, desmistificando estereótipos raciais. No cinema do Matilha Cultural, à rua Rêgo Freitas, 542

… … …

QUINTA – 5 de setembro – 19h30 … Giuliano Del Sole apresenta canções autorais e algumas releituras acompanhado por Rogério Antonio (bateria) e Bruno Rocha (contrabaixo). No Estúdio Toca do Disco, à rua Grecco, 629

… … …

QUINTA – 5 de setembro – 20h … Show ‘Obrigado, Radamés’, com o duo formado por Gabriel Rimoldi (flauta) e Guilherme Lamas (7 cordas de aço) convida Alessandro Penezzi (violão) e Roberto Amaral (pandeiro). No Teatro Castro Mendes, à rua Conselheiro Gomide, 62, em Campinas

… … …

QUINTA – 5 de setembro – 20h … Alex Dupas (gaita e vocal), Livio Segnini (guitarra) e Ricardo Lemos (baixo) fazem show de blues no Croma Beer, à rua Harmonia, 472

… … …

QUINTA e SEXTA – 5 e 6 de setembro – 20h … Dama da Noite … Com atuação de Luiz Fernando Almeida e direção de André Leahun, espetáculo é uma adaptação do conto homônimo de Caio Fernando Abreu. No Teatro Décio de Almeida Prado, à rua Lopes Neto, 206, no Itaim Bibi. Também nos dias 12 e 13 de setembro

… … …

QUINTA A SÁBADO – 5 a 7 de setembro – a partir das 23h … Agenda da Casa Matahari … Na quinta, Jazz na Faixa (entrada franca), com o guitarrista Renato Alves e dois convidados. Na sexta, Karaoke com Banda: rocks, baladas e cafonices para todo mundo cantar. No sábado tem os Almativos, com o melhor da música brasileira, maracatu, batucadas, samba rock e que tais (entrada R$10). Na rua Silva Bueno, 729, no Ipiranga

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 19h … Shows de Lara Aufranc (20h30) e Blubell mais Yris Franco (22h). No Estúdio Fiaca, à rua João Anes, 117

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 19h … Os Beneditos interpretam sucessos de Jorge Ben Jor. Na Toca do Disco, à rua Grecco, 629

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 19h … Raquel Martins apresenta canções de seu ep “Música Para (R)Existir” e inéditas, além de alguns clássicos da mpb. No Espaço Parlapatões, na praça Roosevelt, 158

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 19h30 … A Mulher na Canção … Cantora e pesquisadora Denise Mello apresenta músicas de Dolores Duran, Maysa, Carmem Miranda e Dora Lopes, entre outras. Com projeção das letras das composições e fotos das cantoras. No Espaço Musical Ricardo Breim, à rua Paulistânia, 162

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 20h … Picanha de Chernobill – Trio de rock formado por Matheus Mendes (voz e baixo), Chico Rigo (segunda voz e guitarra) e Leonardo Ratão (bateria e percussão), lança o disco ‘Sobrevive’, com videoclipe da música ‘Não Sou de Esperar’. Festa com convidados (no cartaz), discotecagem e sorteio de cds. No Estúdio Lâmina, à av. Avenida São João, 108

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 20h … Os Cabeça’sss tocam clássicos do rock e da psicodelia no Zé Baiano Rock Bar, à av. Morumbi, 7739

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 20h … Festival Imprô apresenta artistas que exploram novas linguagens sonoras, com uso de elementos eletrônicos e da voz fora do formato canção. No Estúdio Bixiga, à rua Treze de Maio, 825. Até 15 de setembro (clique aqui e veja toda a programação)

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 20h … Happy Hour com Guina Kalô cantando mpb e samba-rock no Carauaribar, à praça Carauari, 8, na Vila Maria

… … …

SEXTAS, SÁBADOS (20h) E DOMINGOS (19h) – ATÉ 22 DE SETEMBRO … Terror e Miséria no Terceiro Milênio, peça inspirada em texto de Brecht. No Teatro de Contêiner, à rua dos Gusmões, 43

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 20h30 … Banda Reembolso traz o melhor do pop e do rock nacional. No Manjericanto, à rua Voluntários da Pátria, 3558

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 20h30 … Show do trio ‘Uma’, formado por Nani Barbosa, Janaina Fellini e Thayana Barbosa. N’A Casa Tombada, à rua Ministro Godoi, 109

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 21h … Show ‘Voltando Belchior’ … Grupo ‘Pessoas Cinzas Normais’ reinterpreta canções do bardo cearense. Na Fauhaus, à rua Faustolo, 983

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 21h … Dois shows de música folk: Arthur Matos e Horses & Joy. No Alvenaria Espaço Cultural Colaborativo, à rua Turiassu, 799

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 21h … Héloa … Cantora faz show de lançamento do disco “Opará”. No Auditório Ibirapuera

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 21h … Sopa de Letrinhas Sarau & Clube Caiubi de Compositores … Sob o comando do poeta e apresentador Vlado Lima, com palco aberto e vários convidados (clique no cartaz). Ulisses Tavares lança livro e Paulo Caruso faz pocket-show de abertura. No Bar do Julinho, à rua Mourato Coelho, 585

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 21h30 … Jonnata Doll e os Garotos Solventes lançam seu terceiro trabalho autoral ‘Alienígena’, produzido por Fernando Catatau. O show terá a participação de Marcelle Disconexa, Guizado e Clemente. No Sesc Pompeia, à rua Clélia, 93

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 22h … Banda Fábrica de Animais, formada por Fernanda D´Umbra (voz), Sérgio Arara (guitarra), Flávio Vajman (harmônica e acordeão), Paulo Akio (baixo) e Renato Borgonovi (bateria), apresenta músicas de seus dois álbuns. No Clandestino Estúdio, à rua Augusta, 2366, casa 1

… … …

SEXTA – 6 de setembro – 23h … Samba da Gruta #28. Roda de samba começa à 1h e vai até às 4h30 na Gruta Bar e Bilhares, à rua Major Quedinho, 112A

… … …

SÁBADO E DOMINGO – 7 e 8 de setembro … Um Pedaço da História do Circo no Brasil … Nos dois dias, em três horários: às 10h, 14h e 16h. Seis apresentações do Circo Marambio com palhaços, malabaristas, acrobatas e equilibristas no picadeiro montado no Parque do Trote, na Vila Guilherme

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – das 14h às 18h… 80 Canções Contra o Neofascismo. 80 tiros por racismo … ‘Sob a constante ameaça de um estado genocida’, Asfixia Social, Subalternos, Marzela e Carol Dodds se reúnem para protestar. Na escadaria do Bixiga, à rua 13 de maio, altura do número 750

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 14h20 … II Bud Day … São 15 horas de festa com bandas, djs, artesanato, tatuagem e autocultivo. Entre as atrações musicais, show da cantora Lu Vitti. Na Estação Mangueira, em Ribeirão Preto

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 15h … Bailão do Santo na Casa do Barão (Instituto Histórico e Geográfico) à rua Frei Gaspar, 280, no centro de São Vicente

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 15h … Projeto ‘Ninguém Lê’ põe na roda de conversa o livro ‘ConstRuir’, de Paulo D’Auria. Na Casa de Cultura Vila Guilherme – Casarão

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 16h … Garage Roots 2 Anos. Lançamento do Zine ‘Ação’ + Exposição ‘Caretices’ da graffiteira independente Jae Alves. Poesia e arte com o Sarau Casa de Mãe, mc Dunstin e o som do Discotekombi, com o dj Bibo Quesada. Na rua Capachós, 58

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 16h … Show ‘Multicor’ com a cantora Marcy Santtos. No Espaço Novo Mundo, à avenida SalgadoFilho, 1453

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 17h … Love’Art Resistance … Projeto cultural de artes integradas criado e apresentado por Marciah Liedkomover arte e cultura. No Guinard, à rua Ibiraçu, 225

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 18h … Rachada do Coco: Banda promove lançamento de músicas autorais. No Porto Produções Musicais, à rua Cardeal Arcoverde, 854

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 18h … Santo Veneno e dj Daniel no Ciam Pub Arte e Cultura, à rua Xiririca, 237, na Vila Carrão

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 18h … Área de Arte Contínua … Banda Poema Novo se apresenta no Espaço Redimunho. Com palco aberto (inscreva-se previamente) e intervenções artísticas variadas. Na Rua Álvaro de Carvalho, 75

… … …

SÁBADO E DOMINGO- 7 e 8 de setembro – 18h … Grupo Rumo canta músicas do cd ‘Universo’, além de clássicos de toda a carreira (ouçam que pérola essa canção aí no vídeo). No Sesc Santana, na av. Dumont Villares

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 18h … 9ª Festa Ervilha da Fantasia … Evento que homenageia Paulo Leminski tem show da banda Sentimento Carpete. No Rock And Blues Bar, à av. Marari, 466

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 19h … Clássicos da mpb com Giba Ribeiro no Carauari Bar e Mercearia, à praça Carauari, 8

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 19h … Show da banda Bandallera na Livraria Nobel Espaço Novo Mundo, em Guarulhos

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 19h … Lançamento do livro ‘Pilares raízes espalhadas’ e bate-papo com Jessica Marcele e Jaqueline Alves. Performance do coletivo Alcova em parceria com o Coletivo ParDonizadas e roda de conversa sobre o Setembro Amarelo. Na Aparelha Luzia, à rua Apa, 78

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 20h … Encontro de Expressões … Sarau apresentado pelo músico Cale Narman abre espaço para todas as atividades artísticas. No Manjericanto, à rua Voluntários da Pátria, 3558

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 20h … Baile dos Fios no Boteco da Dona Tati, à rua Brigadeiro Galvão, 639. Show festivo com sambas, maxixes, frevos, forrós e clássicos do carnaval de rua

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 21h … Chico Suman & A Banda interpretam clássicos do rock e do blues. No Santa Sede, à avenida Luís Dumont Villares, 2104

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 21h … Pink Floyd Tribute com a banda Pink And the Brain. No The Wall Café, à rua Treze de Maio, 152, no Bixiga

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 21h … 4ª Noite ‘Clássico do Rock’ com Black Box. No Boteco do Barba, à av. Sapopemba, 8831, na Loja Frent

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 21h … Wellington Silva se apresenta no Gansaral. No repertório, composições e arranjos autorais para violão de 7 cordas solista. À rua Demóstenes, 885

… … …
SÁBADO – 7 de setembro – 22h … Abraço ao Al Janiah – Kabuloso Baile com Bolero Freak! … Após o ataque de alguns fascistas covardes na calada da noite, o Al Janiah segue recebendo solidariedade de todos os democratas. Banda Bolero Freak! promove o baile e participa do ato cultural e político “Corrente de resistência pelo Al Janiah”. Na rua Rui Barbosa, 269

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 23h … Samuel Samuca comanda o Baile da Samucagem. Banda toca de Tim Maia a Banda Beijo. No Estúdio Bixiga, à rua Treze de Maio, 825

… … …

SÁBADO – 7 de setembro – 23h30 … Los Coringas, formado por Carlos Pé de Pano (bateria e vocais), Ale Jura Oliveira (baixo e vocais) e Deh Oliveira (violão e vocais), toca pop, rock, mpb e reggae no Bar Vitrine, à rua Augusta, 1221

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 11h … Geek Fair São Paulo 2019 … Com bottons, canecas, camisetas, quadros, action figures, suprimentos para RPG, shows, apresentações de K-Pop, palestras, bate-papo com cosplayers convidados, desfile e concurso. Na rua Domingos de Morais, 1581, Vila Mariana

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 11h30 … Banda ‘O Vento Solar’ toca canções autorais e releituras. Em frente ao shopping Cidade São Paulo, na Paulista

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 12h30 … Lançamento de “O educador – Um perfil de Paulo Freire”, de Sérgio Haddad … O autor e Madalena Freire, filha do educador, conversam com mediação de Claudiney Ferreira e Jéssica Balbino. Na Livraria da Vila, na Fradique

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 13h às 22h … III Mulheres na Travessa … Na Travessa Roque Adóglio, sarau, lançamento de livros, shows, debates, performances e roda de tambores. Veja aqui a programação completa

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 14h … StickerUp … Troca de adesivos, customização de bonés e live painting. Na A7MA, à rua Harmonia, 95b

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 14h … Tarde de Autógrafos … O escritor Felipe Turner recebe para tarde de autógrafos de seu mais novo livro ‘Caduceu’. No Duckbill Vila Leopoldina, à rua Carlos Weber, 1121

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 15h … 79º Sarau da Casa Amarela … Mais um encontro emocionante comandado pelo poeta Akira Yamasaki em São Miguel, com palco aberto e os convidados Izaltino Ribeiro, Rodrigo Marrom, Marcelo Moro, Tina Curtis e David Parise. A Casa Amarela fica na rua Julião Pereira Machado, 7

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 18h … Forró no Bar do Baixo … Com Baião Lascado (18h), som de dj (20h30) e banda Sarrabulho (22h). Na rua Girassol, 67

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 18h … Quarteto Iapó toca choro, samba, forró, frevo e canção. Com Carol Panesi (violino e direção musical), Wanessa Dourado (violino), Elisa Graciela (viola) e Thiago Faria (cello). No Cevimu, Alto da Lapa

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 18h … Doces Tardes de Domingo … No Komb Bar, com entrada franca. Apresentação das bandas Imperial Pilots, de Guarulhos, A Possível Banda, de Atibaia e Os Videntes Profanos, da ZL de São Paulo. Na praça Miguel Ramos, 171

… … …

DOMINGO – 8 de setembro – 18h30 … Poesia Visual na Bienal do Livro … O poeta Cesar Augusto de Carvalho é um dos convidados da roda de conversa sobre o tema. Com Eric Collette, Joaquim Branco, Marco Alexandre de Oliveira e Tchello d’Barros. No Rio de Janeiro

… … …

SEGUNDA – 9 de setembro … Todos de Preto … Em diversas capitais e cidades do País, organizações e coletivos de estudantes, artistas e trabalhadores saem às ruas e convocam para o dia nacional de luto e de luta pela educação, democracia e soberania nacional

 … … …

SEGUNDA – 9 de setembro – 19h … Ato em defesa do Jornalismo e da Democracia, com Glenn Greenwald. Na Faculdade de Direito do Largo São Francisco

… … …

SEGUNDAS – 20h … Trupe Chá de Boldo: Subterrânea … Banda se apresenta no teatro do Centro da Terra (rua Piracuama, 19). Também nos dias 16 e 23 de setembro. A cada noite, um show diferente (neste, canções que falam da cidade e homenagem à Lina Bo Bardi)

… … …

SEGUNDA E TERÇA – 20h30 >>> Dois espetáculos com o grande ator Clovys Torres têm suas últimas apresentações nesta semana: ‘Me dá tua mão‘, onde ele canta, dança, toca acordeon e comove ao abordar temas como amor, solidão e cumplicidade (segunda-feira, às 20h30, no Shopping West Plaza, na Barra Funda) e ‘DesolaDor‘, um imperdível monólogo sobre a vida e o legado cultural do escritor Antonin Artaud (terça-feira, às 20h30, na rua Rui Barbosa, 201). Já vi e escrevi sobre as duas peças. Recomendo fortemente.

… … …

TERÇA – 10 de setembro – 17h … Choro da Quitanda + DJ Clariastra no Fatiado Discos, à av. Professor Alfonso Bovero, 382

… … …

TERÇA – 10 de setembro – 19h30 … Toca do Autor … Sarau de música autoral organizado por Alexandre Tarica no bar do Hotel Cambridge, à rua João Adolfo, 108. Capriche, pois as performances serão gravadas e, posteriormente, postadas no Youtube

… … …

TERÇA – 10 de setembro – 20h … Clarianas Cantam no CCSP … Na abertura do Festival Entretodos, show do grupo de cantadeiras urbanas que investiga a voz da mulher ‘ancestral’ na música popular do Brasil. Na rua Vergueiro, 1000

… … …

QUARTA – 11 de setembro – 19h30 … Lá na Laje – com as escritoras cubanas Mirta Portillo e Dona Jacira … Projeto discute a resistência na literatura e propõe um intercâmbio entre escritoras negras. No Sesc Pompeia, à rua Clélia, 93

… … …

QUARTA – 11 de setembro – 19h30 … 4º Sarau Gente de Palavra homenageia o poeta Milton Trindade. Com palco aberto aos presentes e canja musical de Everton Pires. Na CirKula Editora, Livraria & Café, à av. Osvaldo Aranha, 522, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul

… … …

QUARTAS E QUINTAS – 20h >>> ‘Zibaldone’, de Aimar Labaki, com Clovys Torres e Adriana Londoño. Na Oficina Cultural Oswald de Andrade, à rua Três Rios, 363. Dias 5, 11 e 12 de setembro, as últimas apresentações

… … …

QUARTAS – 11, 18 e 25 de setembro – 20h30 … Vivaz! – Daniel Medina e Convidados – Temporada Teatro de Arena (à rua Teodoro Baima, 94). Compositor e ator cearense apresenta canções de seu disco “Evoé!”, além de inéditas

… … …

QUARTA – 11 de setembro – 21h30 … Show Princesa de Aiocá – Cantora Mariana Furquim lança seu primeiro disco solo. Participação de Luisa Toller. Na Fauhaus, à rua Faustolo, 983

… … …

ATÉ 12 DE SETEMBRO … Carriero, quinem bicho! … Exposição de trabalhos de Fabiano Carriero, artista plástico, gravurista, muralista e caricaturista. Na Goma Arte e Cultura, à avenida Santa Isabel, 518, em Campinas

… … …

AGENDÃO >>> Fique ligado, pois o agendão é diariamente atualizado. E toda quinta-feira tem post novo. Até lá!

… … …