aaaedvaldo

Essa boa-nova eu só ia postar na sexta-feira, na minha superagenda com dicas para o findi. Mas não tô me aguentando de vontade de dizer que, neste domingo, às 21h, tem show com o genial guitarrista e compositor Edvaldo Santana. E é de graça, meus amigos! No Bar do Frango, Av. São Lucas, 479, no Parque São Lucas. Você acha longe? Pois saiba que muita coisa boa acontece fora do circuito Paulista-Pinheiros-Vila Madalena. E a distância é sempre a mesma, tanto daqui pra lá, quanto de lá pra cá. Larga de preguiça e vá lá. Você vai adorar ouvir esse grande músico interpretar pérolas como essas aqui:

 

 

Edvaldo Santana tem repertório. Nada fácil escolher apenas algumas canções desse grande artista. Você sabia que ele é parceiro de Tom Zé, Itamar Assumpção e Arnaldo Antunes? E também de grandes poetas como Leminski, Akira Yamasaki e Ademir Assunção (abaixo, matérias sobre Akira e Ademir). Esse coração solidário está sempre presente nos saraus da cidade e nos eventos culturais de São Miguel (o clipe mostrando o cotidiano do bairro é sensacional!). Edvaldo rasga a voz pra cantar sua gente. Da estirpe dos ‘baitas’ (como diz o Akira), é daqueles que jamais se vendem. Recentemente, eu e ele participamos de um debate na TV Câmara e descemos o cacete no jabá e no balcão de negócios da indústria cultural. Bom saber que ainda existe artista assim. Ele sabe que o amor é de graça. Ouça esse lobo solitário e conheça sua obra.

 

 

Paulistano da periferia, Edvaldo Santana é um dos fundadores do Movimento Popular de Arte (MPA), em São Miguel Paulista. Nos anos 80, o MPA realizou atividades de lazer e cultura ocupando ruas, praças, favelas e salões de igrejas. Nessa época, ele participou de disco coletivo e do programa Cidade dos meus amores, da TV Cultura. Seu primeiro trabalho solo foi Lobo Solitário, de 93. Dois anos depois, veio Tá assustado?. O videoclipe da faixa Cachimbo (gravada também pelo Arnaldo Antunes) foi exibido na MTV . Em seu terceiro álbum, Edvaldo começou a parceria com Itamar Assumpção (Blues cabloco) e gravou Dor Elegante, de Itamar e Leminski. Do cd Amor de Periferia, a faixa Batelaje entrou para a trilha sonora do filme Antonia, de Tata Amaral. Depois, lançou Reserva de Alegria, Edvaldo Santana ao vivo e, recentemente, o excelente disco Jataí.

 

 

… … … … … …

SARAU DA CASA AMARELA
E O NIVER DO AKIRA

… … … … … …

 

akirafoto2

Você gosta de ouvir música e poesia de qualidade? É cantor/compositor/poeta/performer à procura de um lugar legal pra mostrar sua arte? Então, você precisa ir, neste domingo, ao Sarau da Casa Amarela, em São Miguel Paulista. Lá, sob o comando do poeta Akira Yamasaki, um clima de magia se instaura e quando menos percebemos, já estamos envolvidos numa vibe amorosa e poética, fazendo amigos e falando da vida com a turma boa que organiza e frequenta o sarau: Sueli, Escobar, Luka, Rosinha, Éder, Lígia, Sacha e demais artistas. Nesta edição, além do palco aberto, vai rolar um pocket-show com o grande músico Tião Baia. Como o Akira aniversariou por esses dias, mando meus parabéns e aproveito pra homenagear essa figura exemplar da resistência cultural da periferia paulistana, postando alguns de seus belos poemas. Aê, cumpadi Akira… que esse seu grande coração receba toda a felicidade do mundo. Ele merece.

fiquei do outro lado
da rua da sua casa
sob a garoa da saudade

ficou no meu coração
enterrado para sempre
o punhal do seu perfume

poesia

é corda bamba

sobre o abismo

 

fio de navalha

pulso cortado

casa fechada

e gás aberto

 

poesia

é diário de bordo

de campo de batalha

akira

crianças e porcos

porcos enormes
porcos em brasília
porcos estaduais
porcos municipais
porcos satisfeitos

 

porcos à esquerda
porcos à direita…
porcos no centro
acima e embaixo
aliados entre si
estrategicamente

 

porcos impunes
sob proteção da lei
porcos insaciáveis
atolados e chafurdados
na lama grossa
na merda surda
com suínas prostitutas
de luxo

 

porcos aos milhares
de rapina à espreita
na calada noturna
contabilizam a féria do dia
com seus dedos grossos

 

amanhece enfim
e infâncias apodrecem
nos semáforos do país
pontas do iceberg submerso
do imenso continente
onde a dor dói mais

 

infâncias negras
infâncias tristes
infâncias ao deus dará

Pra terminar, um poema do Akira musicado pelo Raberuan e interpretado pelo Mauri de Noronha:

 

… … … … … … …

UM POETA, UM POEMA:

ADEMIR ASSUNÇÃO

… … … … … … …

 

Esta seção abre espaço aos muitos ótimos poetas que ouço por aí, pelos bares e saraus do movimento cultural. Ou os que conheço dos vários livros comprados, doados, roubados, recebidos, aparecidos (livro é um bicho vivo…). Hoje, Ademir Assunção, que lançou recentemente (e conjuntamente) os livros (complementares) Pig Brother e ‘Até nenhum lugar‘, pela Patuá. Desse último, extraio alguns grandes poemas curtos:

pés miúdos, neblina
cálida lágrima, as crianças
dobram a esquina

tanto caminhar
tantas luas tantos sóis
até nenhum lugar

nem vem com papo de analista
no escuro
eu mesmo me procuro

tão longe, tão perto
onde fica minha casa?
minha asa ferida
os meus pulsos abertos

tempo sem tempo
na praia deserta
só eu e o vento

limpeza todo dia:
passar na alma
o perfume
da vida
e ir passando

Ademir Assunção, poeta e jornalista, autor de LSD Nô e Cinemitologias, já publicou livros de poesia, ficção e jornalismo, como A Máquina Peluda (1997), Zona Branca (2001), Adorável Criatura Frankenstein (2003), Faróis no Caos (2012) e A Voz do Ventríloquo (2012) – Prêmio Jabuti de poesia. Integrou diversas antologias e tem poemas musicados e gravados por Itamar Assumpção, Edvaldo Santana e Madan. Gravou os cds de poesia e música Rebelião na Zona Fantasma (2005) e Viralatas de Córdoba (2013). Desse último cd, ouça Descida aos Inferninhos e, na sequência, Muito Prazer, uma parceria com o Edvaldo Santana.

 

 

 

… … … … … …

DICA DUPLA SUPERESPECIAL:

BRUNO BATISTA E DANDARA

… … … … … …

 

 

Quinta-feira – 11 de agosto – 20h … Show de Bruno Batista na Sala Itaú Cultural … Se você gosta de mpb, de canções com belas melodias e letras poéticas, você tem que ir nesse show. O grande cantor e compositor maranhense Bruno Batista, de quem já falei AQUI, se apresenta com os músicos que participaram do seu novo cd, Bagaça: Ricardo Prado (teclado e violão), Meno del Picchia (baixo), Rovilson Pascoal (guitarra) e Gustavo Souza (bateria e percussão). No repertório do show (que tem participação do duo maranhense Criolina), destaque para Bagaça, Turmalina, Pra Ver Se Ela Gosta e Nigrinha (composta com Zeca Baleiro). Entrada franca, no Itau Cultural.

 

 

Neste cd, em que incorporou referências maranhenses e caribenhas ao seu som mpb, Bruno conta com algumas presenças pra lá de especiais: Marcelo Jeneci (piano), Swami Jr. (violão 7 cordas) e Felipe Cordeiro (guitarra), além da voz preciosa da cantora Dandara, que também acaba de lançar um ótimo cd (Dois tempos de um lugar, com Paulo Monarco) e faz show domingo, no Ibirapuera (ver abaixo).

 

 

Domingo – 14 de agosto – 19h … Dois Tempos de Um Lugar – Lançamento do cdDandara e Paulo Monarco fazem show de lançamento do disco produzido por Tó Brandileone e Swami Jr. No repertório, composições em parceria com Zeca Baleiro, Celso Viáfora e Suely Mesquita, entre outros artistas, e releituras de Mauricio Pereira e Tulio Borges.Com Dandara (voz) e Paulo Monarco (voz e guitarra). Ingressos: R$20 e R$10, no Auditório Ibirapuera.

 

… … … … … …

MEMÓRIA MUSICAL
DO IMIGRANTE NA
FUNDAÇÃO EMA KLABIN

… … … … … …

 

A Fundação Ema Klabin promove mensalmente a série ‘Aula de Mestres‘ que traz palestras sobre diferentes temas musicais. Nesse segundo semestre, a cantora e pesquisadora Anna Maria Kieffer, uma das maiores conhecedoras da história da música no Brasil, ministra quatro encontros sobre a tradição musical preservada pelos imigrantes. Os eventos acontecem na Fundação Ema Klabin, sempre às 19h30, com entrada franca. Reservas para 30 pessoas. Veja a programação:

18/08 … Populações anteriores à chegada dos imigrantes – As populações encontradas aqui pelos colonizadores e suas manifestações musicais; música dos imigrantes portugueses, italianos, sírios e libaneses.
15/09 … Judeus, japoneses, húngaros – Cantigas sefaradís, música klezmer e música tradicional religiosa, música monástica japonesa e danças de roda húngaras.
20/10 … Alemães, armênios, poloneses – Contadores de histórias e orquestra de bandolins alemães; canções litúrgicas armênias e cantigas tradicionais polonesas.
24/11 … Russos, espanhóis e nordestinos – Música da liturgia ortodoxa russa, música flamenca e orquestra de gaitas-de-fole espanhóis, poesias de Cego Aderaldo e aboios.

klabin

A Fundação Ema Klabin tem programação variada e gratuita que inclui shows, palestras, oficinas, exposições, grafite, feira de trocas, cursos e exposições. A casa-museu, que possui em seu acervo obras de Marc Chagall, Frans Post, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Portinari e Lasar Segal, pode ser visitada de terça a sábado.

 

… … … … … …

AGENDINHA

… … … … … …

 

Passei a publicar o ‘Agendão dos Saraus para o Fim de Semana’ num post separado, todas as sextas-feiras. Abaixo, seguem algumas sugestões para esta quarta, quinta e sexta-feiras. Acompanhe também as muitas opções contidas nesse link da Agenda da Periferia. Informe-se, atue e divirta-se!

 

yago

Quarta-feira – 10 de agosto – 23h30 … Yago Luna no Baratotal … Som ambiente pra virar a noite. Repertório variado, com foco na MPB. Entrada R$10. No Baratotal, em Mogi das Cruzes.

 

ravi

Quarta-feira – 10 de agosto – 20h30 … Ravi Landim no Brazileria … Músico apresenta as canções de seu primeiro álbum Das andanças e seus retalhos, além de composições que estarão em seu próximo cd. Com Ravi Landim (violão e voz), Paula Duarte (flauta e voz), Marília Duarte (voz) e Rodrigo Santos (percussão). Entrada R$10. No Brazileria, na Lapa.

 

conceicao

Quinta-feira – 11 de agosto – 19h … Lançamento do livro Histórias de leves enganos e parecenças, de Conceição E …  A escritora Conceição Evaristo lança livro de contos, publicado pela Editora Malê (RJ). Na programação: Sarau das Pretas, com o recital de Mulheres Negras, Renato Gama & Mariana Per, apresentando músicas e poemas da autora, além de um bate-papo sobre o livro, com Vagner Amaro (editor da Malê) e a própria Conceição Evaristo. Encerramento com coquetel e sessão de autógrafos, no auditório da Ação Educativa.

 

indy

Quinta-feira – 11 de agosto – 20h … Indy Naíse e Camila Trindade + Sarau MANAS E MONAS … As duas ótimas cantoras (veja as páginas de Indy Camila) se juntam para um show na Vila Madalena. Logo após, microfone aberto para o sarau das Manas e Monas. Entrada R$15 (lista) e R$20 (porta), no Espaço Urucum.

 

camilabrasil

Sexta-feira – 12 de agosto – 19h … Show de Camila Brasil – CEU Tiquatira … A excelente cantora e compositora paulistana Camila Brasil (guitarra), acompanhada por Westerly (contrabaixo) e Mailcon Manara (bateria), faz show com canções do seu ep. Além de inéditas, como Dia útil e o single Retrato, Camila distorce sua guitarra para ilustrar amores, crenças e fúrias. Participação especial de Jota.pê. Entrada Franca, no Ceu Tiquatira.

 

clamarte

Sexta-feira – 12 de agosto – 20h … Sarau Clamarte – 3 anos de atividades … Sarau aniversaria e comemora com muitas atrações. Na música, Fino do Rap, Banda Ouro e Chá, Cocão, Galldino, Cauê Procópio, Tati Botelho, Banda Ao Redor e Zemarcio Kaipira urbano. Lançando livros, Sergio Vaz (Flores de alvenaria), Maria Vilani e Marcelino Freire. E três exposições: peças da série Metal-Morfose do poeta Casulo, fotos da série Cão Cansado por OAgusto e telas de Shidom. E palco aberto. Rua Professor Otávio Guimarães, 393, Veleiros, SP.

 

Sexta-feira – 12 de agosto – 20h … Anacã Cia de Dança em Americana … Após passar por Santo André e Jacareí, chega a Americana o novo espetáculo EleEla. Com Carolina de Sá, Rafael Luz e elenco. Coreografia de Edy Wilson. No Teatro Municipal de Americana,  entrada franca  (retirar ingresso uma hora antes). Pela manhã, às 11h, Workshop de Dança Jazz com Edy Wilson. Grátis, no Ballet Art Sandra Godoy, no centro de Americana.

 

… … … … … …

VANDER LEE

… … … … … …

 

Eu conversava e tomava o café da manhã, quando a beleza dos versos e da melodia se fez notar em meio às vozes dos familiares e eu parei pra prestar atenção:

 

‘Seu sangue correndo em minha veia

Seu cheiro morando em meus pulmões

Cada dia que passo sem sua presença

Sou um presidiário cumprindo sentença

Sou um velho diário perdido na areia

Esperando que você me leia

Sou pista vazia esperando aviões’

 

Que bonito! Era a primeira vez que ouvia no rádio ‘Esperando aviões’, música do Vander Lee. Depois, fiquei sabendo que ele também era o compositor de ‘Românticos’, que eu ouvia na voz da Rita Ribeiro. Me emociono especialmente com o verso que diz ‘e mesmo certos vão pedir perdão’. É coisa de quem enxerga (e encara) as complexidades e relevâncias da vida com simplicidade de menino sonhador. E com desapego:

 

‘Românticos são lindos

Românticos são limpos e pirados

Que choram com baladas

Que amam sem vergonha e sem juízo

São tipos populares

Que vivem pelos bares

E mesmo certos vão pedir perdão

Que passam a noite em claro

Conhecem o gosto raro

De amar sem medo de outra desilusão

Romântico é uma espécie em extinção’

 

 

Passei a conhecer melhor seu trabalho e a admirar o mineirinho de fala mansa e canções delicadas. Recentemente, gostei de vê-lo no programa do Rolando Boldrin, demonstrando ecletismo, cantando sambas e marchas que fugiam ao estilo mpbista que o tornou conhecido. Há uns dois ou três meses, fui ao Sesc Santana ver seu show. Tímido, porém simpático, respondia com interjeições divertidas ao assédio carinhoso das meninas do seu fã-clube, no intervalo entre as canções. Era um cara do tipo que agradava com naturalidade, sem esforço. Esta coluna é dedicada a ele, como singelo e sincero agradecimento aos belos versos e canções que nos deu. Valeu, Vander Lee. Você iluminou de beleza e poesia alguns momentos da minha vida. Obrigado!

 

 

… … … … … … …

ATÉ SEXTA, PESSOAL,
COM O AGENDÃO PARA O FINDI.

… … … … … … …