2019: UTOPIA, JÁ! >>> Não dá pra falar de outra coisa, né? Os assuntos desse post são as barbaridades proferidas pelo presidente e seus ministros durante a posse. Entre elas, ataques ao estado laico, à democracia, à Lei Rouanet, à oposição (em geral) e nenhuma palavra sobre, por exemplo, esclarecer o assassinato da vereadora Marielle Franco. Elogios, só ao exército e seus generais ditadores e torturadores, impunes desde 1964 (e a um corrupto notório como Collor – sem falar nas gentilezas trocadas com o ‘blindado’ Temer, enrolado até o pescoço em tramas de corrupção abafadas pelos oportunistas que tomaram o poder pós-impeachment). Por essas e outras, a música que escolhi para abrir o primeiro post do ano é ‘O Samba da Utopia’, do cantor e compositor capixaba Jonathan Silva. Ele tem três discos gravados (“Benedito”, “Necessário” e “Precisa-se de compositor com experiência”) e atua como compositor nos grupos de teatro Bonecos Urbanos, Cia São Jorge de Variedades e Cia do Tijolo, para quem compôs ‘O Samba da Utopia’. A canção integra a peça ‘Ledores do Breu’, de Dinho Lima Flor e também foi lançada em vídeo, às vésperas do segundo turno eleitoral, alcançando grande repercussão. Na gravação, Jonathan canta com Ceumar, acompanhado por três músicos e um coro de nove vozes. O videoclipe é dedicado à Marielle e ao mestre de capoeira Moa do Katendê, também assassinado por defender suas ideias e lutar por liberdade.

“Acho que o Samba da Utopia acabou virando um alento pros nossos corações. Estamos cansados desse discurso de ódio, de preconceito. A poesia é uma ferramenta pra encararmos esses tempos sombrios. Vou me armar de poesia até os dentes”, afirma Jonathan.

Se o mundo ficar pesado
Eu vou pedir emprestado
A palavra POESIA
Se o mundo emburrecer
Eu vou rezar pra chover
Palavra SABEDORIA
Se o mundo andar pra trás
Vou escrever num cartaz
A palavra REBELDIA
Se a gente desanimar
Eu vou colher no pomar
A palavra TEIMOSIA
Se acontecer afinal
De entrar em nosso quintal
A palavra tirania
Pegue o tambor e o ganzá
Vamos pra rua gritar
A palavra UTOPIA

O SAMBA DA UTOPIA >>> Jonathan Silva e Ceumar (voz), Filpo Ribeiro (viola), Lucas Brogiolo (percussão), Marcos Coin (violão), Karen Menatti, Lilian de Lima, Eva Figueiredo, Cris Raséc, Luciana Rizzo, Dinho Lima Flor, William Guedes, Rodrigo Mercadante e Lucas Vedovoto (coro). Gravado no Juá Estúdio pela Bruta Flor Filmes.

Como cantou Cazuza, ‘meus inimigos estão no poder’: Doria e Bolsonaro assumiram no dia primeiro. Eles e seus secretários e ministros falam em ‘desideologizar’. Mas são os primeiros a destilar ódio e blasfemar contra ‘a esquerda’ e baterem no peito se dizendo ‘de direita’ (o ex-prefeito enxergou um fantasma vermelho até em Marcio França!). A primeira medida do secretário de Doria na prefeitura de São Paulo foi congelar quase metade das verbas aprovadas anteriormente e destinadas a projetos vocacionais nas periferias. Não por mera coincidência, antes de assumir, Bolsonaro já bradava contra ‘claros desperdícios’ da lei Rouanet (na contramão dos números oficiais que a mostram eficaz – e ainda citando erroneamente ‘Furnas’, que respondeu de imediato) e seu ministro quer ‘meter a faca no sistema S’ (elogiado por ao menos cumprir um papel sócio-cultural que o Estado não desempenha – veja mais aqui). Ou seja: a cultura (sempre ela) com 0,6% do orçamento nacional está sendo satanizada pelos governantes de direita e por seus militantes (e robôs) que espalham fakenews na net e em grupos de zap: artistas (os que se opõem ao ‘coiso’, claro) são caluniados e acusados de ‘mamar nas tetas da Nação’ (um exemplo: Alexandre Frota foi condenado pela Justiça a indenizar Gilberto Gil por danos morais, após afirmar, sem qualquer prova, que o cantor “não poderia mais roubar livremente recursos oriundos da Lei Rouanet”). Enquanto isso, ninguém se preocupa com os outros 99,4% do orçamento: e rolam soltos o perdão de dívidas, isenção de tributos e subsídios diversos a bancos, montadoras e grandes empresas. Como no poema de Jorge de Lima, “com a verdadeira história do grande circo Knieps, muito pouco se tem ocupado a imprensa”.

SOBRE A LEI ROUANET >>> Principal mecanismo de fomento à cultura no Brasil, a Lei Rouanet permite que empresas e pessoas físicas destinem a projetos culturais parte do Imposto de Renda devido (para pessoas físicas, dedução de até 6%; para pessoas jurídicas, 4%). Segundo estudo recente da Fundação Getulio Vargas (FGV) a legislação trouxe um ganho de 59% em cima do valor cedido pelo Estado. Os dados, apresentados pelo coordenador da FGV Luiz Gustavo Barbosa, indicam que, a cada R$ 1 captado pela lei, a geração de recurso foi de R$ 1,59. Até mesmo o ex-ministro Sérgio Sá Leitão, analisando o bom desempenho da captação de recursos em 2017, ressaltou que a produção cultural é um importante indutor do desenvolvimento econômico do país.

Todo artista que se preze tem em si o espírito contestador. Millôr (o cartum acima é dele) afirmou que ‘jornalismo é oposição, o resto é armazém de secos e molhados‘. Ziraldo cunhou a famosa frase ‘não existe humor a favor‘ (nem arte, penso eu). Então, me parece óbvio que a campanha de difamação contra grandes artistas e a urgência em executar medidas contra os trabalhadores da cultura (na imensa maioria, ligados aos movimentos de esquerda) são parte de uma política que visa minar a oposição e inviabilizar sua ação e militância. Enquanto o discurso é de ‘desideologizar’, a prática é ideologizante à direita, como bem demonstram os ministros escolhidos pelo ‘coiso’: o da Funai é anti-indígena, o da Educação defende perseguição e censura a professores, o do Meio Ambiente é indiciado por crime ambiental, a da ‘Mulher, Família e Direitos Humanos’ (pode um nome desses?) acha que a função da mulher é ser dona-de-casa, a da Agricultura é conhecida como ‘musa do veneno’ e o das Relações Exteriores diz que o aquecimento global é uma trama da ONU para impor o marxismo. Antes que me ‘elogiem de comunista’, cito a coluna insuspeita de Miriam Leitão, no Globo: “O governo Bolsonaro pegou caminhos errados que podem levar o Brasil a perigosos retrocessos. A Funai vai ser entregue a uma ministra que acredita que a religião deve comandar as ações do Estado. O ministro do Meio Ambiente acha que o país não deveria gastar dinheiro enviando cientistas para as Conferências do Clima. O ministro das Relações Exteriores montou uma equipe de transição sem as mínimas qualificações para isso. Há posições de direita sobre vários assuntos e isso é tão natural quanto ter posições de esquerda. Mas há o atraso, o obscurantismo, o isolacionismo. O risco é que estejamos tomando essas trilhas.”  Você tem dúvida disso, Miriam? Sabe de nada, inocente!

 

… … …

NA NET, RESPOSTAS AO
PRIMEIRO DISCURSO

… … …

O presidente tomou posse e discursou. Aqui, algumas reações à sua primeira fala como líder da nação. Os depoimentos foram colhidos nas redes sociais e são de artistas e ativistas dos saraus. E já que citei os geniais Ziraldo e Millôr na matéria acima, aproveito pra falar do grande André Dahmer, ilustrador do Globo. Pra mim, o cara é simplesmente o melhor cartunista da atualidade (os desenhos inseridos aqui são todos dele).

>>> Pelo que já ouvi do atual governo e sua equipe, nunca tivemos um governo tão ideológico como agora. Aqueles que ideologizam tudo, até mesmo a orientação sexual e a religião alheias, culpam a ideologia por tudo. Se não gostam dos fatos, os convertem em “ideologia marxista” e chamam todos aqueles que defendem ideias diferentes de “comunistas ou esquerdistas”, como se ambas as palavras significassem uma espécie de pecado capital.

>>> Sr. Presidente, desça do palanque. A bandeira não é só de seu partido, a bandeira do Brasil é de todos os brasileiros de qualquer partido: vermelha, negra, gay, etc; respeite quem não votou em você. Você é presidente de todos e não só de quem votou em você.

>>> Corrigindo, sr. Presidente: Liberdade acima de tudo, ninguém acima de todos e Deus dentro da fé de cada um.

>>> Eu acho de uma ignorância sem tamanho um cara presidente do Brasil dizer que a nossa bandeira nunca será vermelha. Nunca ninguém pediu isso, seu populista de meia tigela. O que queremos é um país para todxs. E que a bandeira não seja símbolo das ideias de um lado.

>>> “Se libertar do socialismo e do politicamente correto”. Meu Deus, que cara mais ridículo! Parabéns aos envolvidos. Merecem isso.

>>> “Ideologia nefasta”, “a nossa bandeira jamais será vermelha”, ataque aos Direitos Humanos e ao “politicamente correto”, a revelação histórica de que “o Brasil vive um regime socialista”. De quebra, jornalistas escorraçados.

>>> E o “socialismo” que nunca existiu aqui agora vai acabar. Que dia Brasil! Que tristeza…

>>> “Nossa bandeira jamais será vermelha. Só será vermelha se for preciso nosso sangue para mantê-la verde e amarela” – Um dos trechos lamentáveis do discurso do presidente eleito, claramente um recado para oposição. Preparem-se, amigos.

>>> Em seu discurso Bolsonaro disse absurdos tais como “no Brasil não haverá mais socialismo” (como se alguma vez tivesse havido), “vamos afastar ideologias nefastas”, “acabar com a ideologização das crianças ” (onde? Ele acha que está na Coréia do Norte???), “acabar com a ideologia que defende bandidos” (que ideologia é essa?), “acabar com o politicamente correto” e finalmente “vamos restabelecer a ordem” (há alguma desordem por aí?). Todas as frases são autoritárias, ameaçadoras e hostis à democracia. E tentam criar uma assombração que não existe.

>>> No mesmo discurso ele diz que lutará contra a ideologia de gênero e que lutará por uma sociedade sem discriminação. Alguém avisa?

>>> Declarada a guerra contra as pautas lgbt, feministas e negras: “Vamos unir o povo, valorizar a família, respeitar as religiões e nossa tradição judaico-cristã, combater a ideologia de gênero, conservando nossos valores…”

>>> Por decreto, Bolsonaro retirou da Funai a atribuição de demarcar terras indígenas, retirou do Incra a função de identificar e demarcar terras quilombolas e retirou do Ministério do Meio Ambiente o poder de decisão sobre o serviço florestal brasileiro, jogando tudo nas mãos do Ministério da Agricultura, comandado por Teresa Cristina (DEM), deputada da bancada ruralista que liderou a frente parlamentar da agropecuária em 2018. Tudo isso já é um grande começo no caminho das mudanças para um país pior.

>>> Como pode dizer que vai combater a corrupção se ele elogia o  Collor?

>>> Não houve nada de feminismo no discurso da primeira dama. Entretanto, ouvi dizer que algumas pessoas acharam lindo. Esquecerem que “mulher deve ganhar menos porque engravida.”

>>> E teve gente que elogiou porque tinha um intérprete negro no meio de todo show midiático da posse. Já foi o suficiente para fazer algumas pessoas esquecerem que “Quilombolas não servem nem para procriar.” E que “As minorias tem que se curvar às maiorias

>>> Que Deus tenha misericórdia da nossa nação! O presidente eleito justificou a nomeação de ministros envolvidos em denúncias afirmando que a “questão ideológica é mais grave do que a corrupção”. Sobre a nomeação de um réu no Supremo, debochou: “Eu também sou réu no Supremo. E daí?”. A estupidez dos comentários já não choca mais ninguém.

>>> O Minc virou Secretaria. Essa medida, entre outras, nos faz pensar sobre o que foi avisado antes desse #elenão ganhar a eleição… O que sinto hoje é um pesar enorme, mas ao mesmo tempo um alívio por ter me distanciado de determinadas pessoas.

>>> Só a título de informação: a extinção do MinC abre um irremediável parênteses para que todas as Secults sejam brevemente extintas.

>>> Ministra: seja terrivelmente cristã e adote os preceitos cristãos na SUA vida. Não no Governo.

>>> Enquanto ela é “terrivelmente” cristã eu sou cristão com muito amor. E defendo que o Estado deve permanecer laico!

 

… … …

NOVE MESES REPETINDO:
QUEM MATOU MARIELLE?

… … …

QUE VERGONHA, BRASIL! >>> Já estamos em 2019 e esse crime continua impune. Uma representante do povo foi assassinada, os assassinos estão soltos e não ouço panelas: vários ‘suspeitos’ presos, muito blablablá e… nada! Vocês acreditam que a polícia (num Rio de Janeiro que estava sob intervenção militar) ainda não ‘descobriu’ quem são os assassinos de Marielle Franco? E ainda temos que ouvir o presidente eleito e suas balelas de ‘militarização’. Já são mais de nove meses de impunidade. No dia 14 de março a vereadora, de 37 anos, foi assassinada no bairro da Lapa, no Rio. Ela era relatora da Comissão dos Direitos Humanos que acompanhava a intervenção militar no RJ. Havia feito denúncia contra abusos policiais e voltava de um evento com jovens negras quando foi baleada. Anderson Gomes, motorista do carro em que ela estava, também foi executado. Protestos e manifestações contra o bárbaro crime se repetem diariamente em várias cidades brasileiras. Marielle lutava por justiça, inclusão e igualdade de direitos. Defendia as causas que todos nós, artistas e coletivos dos saraus, também defendemos. Este blog continua aguardando o esclarecimento do caso e a punição dos assassinos. As balas que a mataram também atingem a todos nós. Não podemos nos calar. Até quando vou ficar semanalmente repetindo esse texto aqui? Será que vai ficar por isso mesmo? Por que a resposta não vem? Quem matou (e quem mandou matar) Marielle?

VERGONHA 2 >>> Se o presidente eleito e empossado fosse mesmo ‘bom de segurança’, uma vereadora não teria sido assassinada (ao que tudo indica, por milicianos – leia matéria do jornalista Marcelo Godoy com o secretário da Segurança Pública do Rio e a entrevista de Fernanda Chaves, assessora de Marielle, à Mônica Bergamo) e no Estado onde ele fez toda sua carreira política (e que se encontrava sob intervenção militar). Será que seus eleitores refletiram sobre isso? Apoiadores do ‘coiso’ posaram para fotografias sorrindo ao quebrar ao meio uma ‘placa de rua’ com o nome de Marielle (junto deles, o governador eleito e empossado do Rio. Pode?). Será que os eleitores do ‘coiso’ concordaram com essa ‘brincadeira’? Não posso crer nisso. Como também não consigo compreender o porquê do ‘coiso’, ou do governador eleito do Rio, jamais terem exigido publicamente o esclarecimento do caso Marielle. Por que será?

VERGONHA 3 >>> O delegado responsável pela investigação do assassinato de Marielle, Giniton Lages, vai ser mantido (pelo novo chefe de polícia, delegado Marcus Vinicius Braga) no cargo até o final do inquérito. Braga foi nomeado secretário pelo governador Wilson Witzel. A justificativa da nova cúpula é não interromper o trabalho da equipe atual, que vai ser ampliada para que a investigação seja finalizada ainda no início do ano. Também serão mantidos os responsáveis pelas unidades da Baixada Fluminense e de Niterói e São Gonçalo, Daniel Rosa e Bárbara Lomba. Parabéns aos envolvidos, só que não: dia 14 já serão 10 meses de impunidade.

 

… … …

AGENDÃO

… … …

Aqui algumas sugestões de programação para esta semana. Acompanhe também as opções contidas na página da Agenda da Periferia. Informe-se, inconforme-se, atue e divirta-se!

… … …

QUINTA-FEIRA – 3 de janeiro – 18h … Som d’ Madá … Grupo de samba formado por Luciano Zoio, Paulinho, Biriba do Cavaco, Celo do Banjo e Emerson. No Quintal Fidalga, à rua Fidalga, 23

… … …

QUINTA-FEIRA – 3 de janeiro – 21h … Tributo a Edu Lobo e Dori Caymmi … Clássicos como Choro Bandido, Vento Bravo, Ninho de Vespa e Rio Amazonas tocados por Salomão Soares (piano), Thiago Alves (baixo), Paulinho Vicente (bateria) e Daniel D’Alcântara (trompete). No JazzB, à rua General Jardim, 43

… … …

QUINTA-FEIRA – 3 de janeiro – 22h … Forró de Quinta do CCB … No repertório, Gonzagão, Dominguinhos, Elba, Fagner, Alceu e Geraldinho, entre outros. No Centro Cultural Butantã, à av. Corifeu de Azevedo Marques, 1882

… … …

SEXTA-FEIRA – 4 de janeiro – 18h … Clássicos da mpb com Grazi Medori e os Brazucálias. No Que Tal, à rua Vergueiro, 3393 (perto do metrô Vila Mariana)

… … …

SEXTA-FEIRA e SÁBADO – 4 e 5 de janeiro – 21h … Borrasca … Dois amigos se reencontram depois do enterro de um terceiro e trazem à tona as mágoas que os impedem de expressar a dor da perda. Peça de Mário Bortolotto, que escreveu, dirige e atua com Eldo Mendes. No Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. Até 12 de janeiro

… … …

SEXTA-FEIRA A DOMINGO – 4 a 6 de janeiro – 21h (domingo às 18h) … BNegão canta Dorival Caymmi … Rapper interpreta na íntegra as músicas do álbum de estreia de Dorival Caymmi, “Canções Praieiras”, acompanhado do violonista Bernardo Bosisio. No Sesc Ipiranga, à rua Bom Pastor, 822. Ingressos a R$30 e R$15

… … …

SEXTA-FEIRA – 4 de janeiro – 21h … Vai Pra Cuba … O grupo Mayombe Afro Latino apresenta afro-latinidades, com destaque para os clássicos da música cubana e colombiana. No Centro Cultural Butantã, à av. Corifeu de Azevedo Marques, 1882

… … …

SEXTA-FEIRA – 4 de janeiro – 22h … Roda de Choro atravessa a madrugada e comemora o niver dos chorões Fagundes e Caitano. Nos intervalos, o dj Carlos Alberto Moreno discoteca brasilidades. Na Gruta, à rua Major Quedinho, 112A

… … …

SEXTA-FEIRA – 4 de janeiro – 23h … Tu Vens – no Grito de Carnaval … Festa com o Quarteto São Jorge e o dj Andi Vannelli & Convidados. No Jai Club, à rua Vergueiro, 2676, na Vila Mariana. Ingressos a R$15 e R$30

… … …

SÁBADO – 5 de janeiro – 13h … Poesia Na Faixa e Piquenique na Água Branca … Sarau mensal ambulante do coletivo Poetas do Tietê, declamando e distribuindo poesia nas faixas de pedestres e pelas ruas da cidade. Das 13h às 15h, declamação. Das 15 às 17h, confraternização (leve uma guloseima). Na faixa de pedestres em frente à entrada principal do Parque da Água Branca, na Av. Francisco Matarazzo

… … …

SÁBADO – 5 de janeiro – 16h … Santo Veneno – na praça … O projeto “Alto Astral de Música e Arte” apresenta a banda ‘Santo Veneno’ em show de rock autoral. Na abertura, o som acústico de ‘Kiabo Flecha & convidados’, além de outras atrações e microfone aberto. Na praça do Grimaldi, à avenida Sapopemba, 9118

… … …

SÁBADO – 5 de janeiro – das 18h a 0h … Enquanto os Donos Saem Os Ratos Fazem a Festa de Rock … Festa ao som de rocks e blues. Com Vander Bourbon, os Ratos da banda Fuckinng Brothers e seus convidados Eduardo Osmedio, Feijão, Jeferson e Sidnei Ferreira. Entrada franca. No Rock and Blues Bar, à av. Marari, 466

… … …

SÁBADO – 5 de janeiro – 19h30 … Rock Insane apresenta clássicos do grunge, new wave, hard rock, heavy metal e rock nacional. No Old Garage, à avenida Engenheiro Caetano Alvares, 5390

… … …

SÁBADO – 5 de janeiro – 21h … Incorpóreo … Poeta Deolinda Nunes convida para o sarau de lançamento de “Incorpóreo”, seu livro de fotos e versos. Com participação de Aline Lopes, Elis Pessoti e Vanessa Magalhães. No Bar do Frango, à av. São Lucas, 479

… … …

SÁBADO – 5 de janeiro – 22h … Tributo a Raul Seixas com a banda Cachorro Urubu. E ainda tem músicas de Capital Inicial e Legião Urbana. Na Fofinho Rock Bar, à av. Celso Garcia, 2728. Entrada a R$10 e R$15

… … …

SÁBADO – 5 de janeiro – 23h59 … Primeiro sábado – Sampa Midnight Blues – Carlos de Lucca Trio (com Andrei Ivanovic e Fábio Pin) … No repertório, improvisos dançantes e clássicos de Itamar Assumpção. No Atelier do Ju Corte Real, à av. Adolfo Pinheiro, 2420

… … …

DOMINGO – 6 de janeiro – 15h … Fera Neném … Show de rock para crianças com o quarteto formado por Gustavo Cabelo, Lia Biserra, Pedro Gogom e Peri Pane. Nos domingos 6, 13, 20 e 27 de janeiro, no Auditório do Sesc Vila Mariana, à rua Pelotas, 141

… … …

DOMINGO – 6 de janeiro – 17h … Mostra Premiada Chico 2018 – Na Videoclube Charada … A Tom-K Produções traz os sete curta-metragens vencedores da Mostra Nacional, da Mostra Infância e da Mostra Tocantins do Festival. Entrada franca. Na Videoclube Charada, à rua José Antonio Fontes, 62, em Sapopemba

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 7 de janeiro – 18h … Slam Resistência … Batalha de spoken word acontece toda primeira segunda-feira do mês. Com o convidado Lews Barbosa. No escadão da praça Roosevelt com a rua Augusta

… … …

SEGUNDA-FEIRA a DOMINGO- 7 a 13 de janeiro – 19h e 21h … Sessão 35mm – Wong Kar-wai … Seis filmes do diretor chinês em película: Amores Expressos, Dias Selvagens, Anjos Caídos, Felizes Juntos, 2046 e Amor à Flor da Pele (no domingo, serão reexibidos os dois filmes favoritos do público). Ingressos de R$3,50 a R$12. No CineSesc, à rua Augusta, 2075

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 7 de janeiro – 19h … 33º Encontro Ordinário do Fórum do Reggae-SP … No Instituto Portal Afro, no largo do Paissandú, 72, 11o andar, sala 1105. Fórum composto por diversos coletivos luta para conquistar espaço, visibilidade e políticas públicas que favoreçam a cultura reggae

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 7 de janeiro – 22h … Festa Barato Total … Na pista, brasilidades. Entrada free até 1h (após, R$10). Na Nossacasa Confraria das Ideias, à rua Mourato Coelho, 1032

… … …

TERÇA-FEIRA – 8 de janeiro – 19h … Cinema – ‘Roma, Cidade Aberta’ … Em 1943, comunistas e católicos deixam suas diferenças de lado para combater as tropas nazi-fascistas. Obra-prima de Roberto Rossellini, com Anna Magnani. Na Tapera Taperá, à av. São Luis, 187, 2º andar, loja 29 – Galeria Metrópole

… … …

TERÇA-FEIRA – 8 de janeiro – 19h (até 8 de fevereiro)… Centro de Música Sesc Vila Mariana – Especial de Férias … Entre as muitas atividades, vai ter aula-espetáculo com Pepeu Gomes, bate-papo com Derrick Green, do Sepultura, curso com os músicos do Angra, oficina de bateria para garotas, Ricardo Herz, Toninho Ferragutti e Guinga discutindo as conexões entre a música popular e erudita. Na rua Pelotas, 141. Confira a programação completa

… … …

TERÇA-FEIRA – 8 de janeiro – 20h … E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante – no Sesc 24 de Maio … Quarteto de música instrumental formado por Lucas Theodoro (guitarra), Lucas Villela (baixo), Rafael Jonke (bateria) e Luden Viana (guitarra) apresenta as músicas do cd Fundação. Na rua 24 de Maio, 109

… … …

TERÇA-FEIRA – 8 de janeiro – 21h … Ensaio Aberto – Bloco Eu Acho É Coco – e Bnegão … Grupo pratica ritmos da cultura nordestina com foco no Coco de Roda. Após o ensaio, na programação da Terça Open: Bnegão Bota o Som. No Mundo Pensante, à rua Treze de Maio, 830

… … …

TERÇA-FEIRA – 8 de janeiro – 21h30 às 5h… Free.ta Jazz (com show de Bocato) … Na programação, show de Bocato (22h30), show de Vinicius Chagas Quarteto (1h30) e djs tocando jazz, grooves e afrobeats (3h40). Entrada franca até 0h. Na NossaCasa Confraria das Ideias, à rua Mourato Coelho, 1032

… … …

QUARTA-FEIRA – 9 de janeiro … Cinema – 3 filmes … Às 15h, o clássico de François Truffaut, ‘Fahrenheit 451‘, no Sesc Avenida Paulista. Às 19h, ‘Santo Forte‘, de Eduardo Coutinho, na Tapera Taperá, à av. São Luis, 187, 2º andar, loja 29 – Galeria Metropole. Às 19h30, ‘Os sonâmbulos‘, de Tiago Mata Machado (seguido de debate com o diretor, o roteirista Francis Vogner dos Reis e Kleber Mendonça Filho), no IMS Paulista

… … …

QUARTA-FEIRA – 9 de janeiro – 18h30 … Elio Camalle – no Mirante … Cantor e compositor se apresenta com a Banda do Zé da Bronca nas quartas-feiras de janeiro (dias 9, 16, 23 e 30) no Mirante 9 de Julho, atrás do Masp.

… … …

QUARTA-FEIRA – 9 de janeiro – 20h … Perdidos – no Steel Bar … O power trio do baterista Alex Ac Oliveira, do guitarrista e vocalista Alexandre Zequi e do baixista Fabio Pagotto interpreta clássicos do rock e do blues. Na Alameda dos Jurupis, 1796

… … …

QUARTA-FEIRA – 9 de janeiro – 20h … Samba no Bar do Alemão … Renato Passarinho com André Iglesias e Tiago André, convidam a cantora Hilda Maria para um samba. Na av. Antarctica, 554

… … …

QUARTA-FEIRA – 9 de janeiro – 21h … Amazônia – na Capivara … Bandas “Clarimbó” e “Eletricdum” apresentam ritmos amazônicos, do carimbó a moderna música eletrônica da região. Na Toca da Capivara, à rua Major Diogo, 865/863

… … …

QUARTA-FEIRA – 9 de janeiro – 21h … Gringa Music … Projeto apresenta a música dos imigrantes residentes na cidade. Nesta edição, com o cantor congolês Yannick Delass. No Al Janiah, à rua Rui Barbosa, 269. Entrada R$10

… … …

ATÉ 9 DE JANEIRO … ‘Jornal de Borda’ – Campanha de assinatura … Publicação de arte, idealizada e editada por Fernanda Grigolin e Lila Botter, com colaboração de artistas, editores, curadores e pesquisadores. Cada edição tem um tema diferente. De ‘circulação da arte’ a ‘feminismos, teoria queer e afrocentralidade’, passando por ‘arquivo, memória e poder’. O Jornal circulará até a décima edição com tiragem de 5 mil exemplares. Assine e contribua para que ele continue. Saiba mais sobre os atividades da campanha aqui

… … …

ATÉ 3 DE FEVEREIRO … Férias no MIS – Na programação: cinema, música, exposições, quadrinhos, fotografia e cursos. De terça a sábado, das 10h às 20h; domingos e feriados, das 9h às 18h. Até 3 de fevereiro. Saiba mais aqui. Na Avenida Europa, 158

… … …

ATÉ 10 DE FEVEREIRO DE 2019 … Roda Viva … Zé Celso e seu grupo remontam, 50 anos depois, a histórica peça de Chico Buarque. No Teatro Oficina, à rua Jaceguai, 520. Sextas e sábados, às 20h, e domingos, às 19h.

… … …

ATÉ 24 DE FEVEREIRO … Grande Sertão: Veredas no Sesc Pompeia … Peça de teatro e instalação na adaptação que Bia Lessa faz da obra-prima de Guimarães Rosa. Com Caio Blat, Luiza Lemmertz, Leo Miggiorin e grande elenco. Ingressos de R$12 a R$40. Na rua Clélia, 93. Aos sábados (20h30) e domingos (18h30)

… … …

AGENDÃO >>> Fique ligado, pois o agendão é diariamente atualizado (alguns eventos ainda vão entrar). E toda quinta-feira tem um post novo.

… … …