Que Bob Dylan é o melhor letrista da história do rock e um dos maiores artistas de todos os tempos, já sabíamos. O Nobel de Literatura e o reconhecimento acadêmico quase nada acrescentaram ao amor que sentíamos por ele e à identificação que continuamos tendo para com sua obra. Nós, fãs, além de satisfeitos pelo fato de sua notoriedade ter colocado a poesia no topo do noticiário, ficamos felizes pelo ídolo; e ponto. Em meu post sobre os livros e autores que fizeram minha cabeça citei vários letristas de rock e mpb: Vandré, Caetano, Gil, Aldir, PC Pinheiro, Cohen, Lennon, Cole Porter, Cazuza, Renato Russo, Belchior. E, para mim, o maior deles: Chico Buarque, claro. O Chico que acaba de receber o merecido Prêmio Camões pelo conjunto de sua obra. Chico que mereceria, como Dylan, um Nobel de Literatura. O Chico múltiplo, masculino, feminino e plural. O trabalhador da construção. O malandro que faz samba até mais tarde. O Chico do fut, do batuque na madruga, do amor livre, da defesa dos direitos humanos, da luta contra as opressões, a ditadura e a censura. O Chico das mais líricas canções, das peças, dos livros, da luta pela liberdade de expressão. O Chico da consciência política, da arte humanista. Artistas assim, como Chico, nos contagiam com a beleza do que produzem (e que possuem); a beleza humana e solidária que há em nós e que não percebíamos, perdidos na selva competitiva. Esses nobres valores o ultrapassam e transparecem em sua obra. E em sua postura de vida. O grande Chico Buarque não precisa dessas palavras elogiosas. O Brasil, seu pobre país lançado novamente numa aventura autoritária e direitista, é quem precisa ouvir: Chico Buarque, caluniado por nojentos fakenews de fascistas que atuam na net, é um dos maiores artistas brasileiros de todos os tempos. Um homem de esquerda, um poeta do povo, um talento único e universal, um motivo de orgulho para nossa cultura. Este blog faz questão de parabenizar e de agradecer a Chico. E de declarar, alto e bom som: eu te amo, querido Chico. Você me representa!

Talvez tudo não passe apenas de um bom motivo para enfileirar algumas canções maravilhosas de Chico. Mas resolvi também dar meus pitacos num debate que já rola pela rede. E fiz essa mistureba: falo sobre Chico Buarque, internet, Geraldo Vandré, anos 60, música comercial, tevê, jabá e sobre os modos de atuação daquilo que se convencionou chamar de ‘indústria cultural’. Se Chico, pessoalmente, não precisa de nossa defesa, nós (e nossa cultura) é que precisamos defender a obra de Chico. Então, vamo lá: 

Me perdoem a auto-citação, mas esse assunto há tempos me instiga. Num trecho de meu poema ‘Posts & comments afirmo:

‘Umberto Eco comentou
que na ‘Idade da Rosa’
só o clero tinha acesso
ao conhecimento.
E na net, um nobel e um idiota
têm hoje o mesmo peso.
E acha ótimo!
Só lamenta que haja tão mais idiotas
que nobeis’

A democratização das oportunidades de opinião que a rede oferece fez de cada um de nós uma mídia. O que é ótimo, faço eco ao Eco. E cá estamos nós postando ‘sobre isso e aquilo, coisas que nóis não entende nada‘, como diria o Adoniram. Porém, somos protagonistas de um fenômeno muito recente. Convivemos numa casa ainda sem regras, onde alguns agressores covardes se ocultam no anonimato que o veículo proporciona para esculhambar o que quer (e a quem quer) que seja. Parece justo que, se cobramos das mídias tradicionais isenção e responsabilidade ao opinar e noticiar, esse futuro e tão discutido ‘marco regulatório da imprensa’ deva se estender também, em alguma medida, a cada um de nós, internautas. Há alguns anos, João Pedrosa, dito antiquário e jornalista, entrou na página de Silvia Buarque, filha de Chico, e postou, abaixo de uma foto dela com o pai e uma irmã: ‘Família de canalhas!!! Que orgulho de ser ladrão!!!’. Como assim, seu João?

Chico, avesso a polêmicas, dessa vez resolveu processar. Temendo as consequências, o caluniador se retratou. O compositor diz que é a favor de leis de incentivo à cultura, mas que jamais se utilizou delas. Sente necessidade de desmentir publicamente as ‘acusações’ que circulam sobre ele na net. Em outro episódio, ao sair de um restaurante, foi xingado de ‘seu merda’ por um ‘filho de usineiro’ (não foi divulgada a ‘profissão’ do rapaz). Chico sente nas ruas que, em tempos de acirrada briga política nas redes sociais, a mentira muitas vezes repetida, ‘cola’. Não à toa, rola pelos noticiários políticos a ‘convicção’ (só que não) de que o trabalhador não precisa se aposentar e que o País deve investir em armas e não na Educação. Pode isso, Arnaldo?

Aproveito esse lamentáveis casos ocorridos com Chico (e outros grandes artistas, como Gil, que ganhou processo contra Alexandre Frota) para refletir sobre a atuação da indústria cultural, via tevê, que é ainda o maior veículo de comunicação de massas no País. Qualquer produto (de ‘igreja’ a ‘cantor’, de ‘sabonete’ a ‘candidato político’) que tenha divulgação diária na tevê aberta (concessão pública, vale lembrar) cresce em número de vendas, visibilidade e valor de mercado. Logo, os programas que os divulgam se sentem no direito de ‘cobrar’ por isso (mesmo a tevê sendo concessão pública, relembro). Há muitos anos Chico não vai aos programas que veiculam ‘sucessos’. Talvez porque saiba que seu valor artístico, após mais de 50 anos de bons serviços prestados à cultura e à música nacionais, mereça um bom cachê. Ou, no mínimo, respeito. O que anda nas cabeças e anda nas bocas é que os artistas de sucesso e que têm as músicas mais executadas vão aos programas televisivos ‘de graça’. Ou quase isso, pois nada nesse balcão de negócios é exatamente ‘na faixa’. É preciso, como dizem, vender sua alma ao diabo, no caso, à chamada indústria do emburrecimento, digo, do entretenimento. Cultura não é só diversão, como bem cantaram os Titãs. Há muito interesse envolvido antes que a arte/produto chegue ao público/consumidor (ouça esta genial canção de Chico sobre seus embates com a indústria do disco).

Uma vez que os artistas ‘cedam à tentação’, o círculo vicioso e pernicioso vai dando voltas, apertando seu nó e distribuindo as cartas do jogo. E segue ditando as ‘tendências’ do mercado, formando (ou deformando?) gostos e mentes, pois me parece que o tal ‘pagamento’ é simplesmente ‘aparecer lá no programa’ e manter girando a roda da fortuna. A esse troca-troca de interesses, em maior ou menor grau, chamamos popularmente, jabá.

Pesquisa das músicas mais executadas  no país em 2018 mostra o estilo conhecido por ‘sertanejo romântico’ como campeão absoluto com 73% da preferência. Então, prepare o seu coração pras coisas que eu vou contar: a palavra ‘preferência’ pressupõe uma escolha. Escolha pressupõe opções, diversidade. Se não há diversidade, qual a representatividade dessa escolha? Mas 73% é uma goleada e tanto, uma dianteira disparada. ‘Disparada‘ foi um clássico ‘sertanejo’ da era dos festivais, nos já distantes (porém intermináveis) anos 60. Mas os sertanejos preferidos pelo grande público de hoje não ‘aprenderam a dizer não‘, como o boiadeiro da letra de Geraldo Vandré. Ao contrário, dizem ‘sim’ aos esquemas viciados de execução de suas músicas, desde que promovam sua imagem e vendam seus shows, como qualquer ‘artista de sucesso’. Não se pretende aqui, obviamente, culpar ninguém por trabalhar e querer ganhar dinheiro (vários deles são talentosos e o merecem), mas não há como deixar de citar sua cumplicidade nesse alienante processo de monopolização. O fato é que, após anos dessa prática danosa, chega-se ao ponto de nem lembrar se ‘vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais’. Por isso, antes de demonizar esse ou qualquer outro estilo, não cabe fazer críticas aos artistas e sim à indústria, coibindo seu modo de aliciar e operar. E em defesa de alguma (mínima que seja) diversidade, faz-se necessário reinvindicar uma mais justa repartição dos espaços culturais (o mote semanal deste blog há quatro anos).

Só para que você reflita também: Chico, (para quem o mesmo Vandré, num outro festival, já pedia respeito) é atualmente mais escritor que músico. Lançou só três cds nesse século. Deles, eu ouço as minhas duas ou três canções preferidas, frequentemente, no Youtube. Sem entrar no mérito se são obras-primas ou não, lhe pergunto: você conhece alguma música desses discos? Nem nas tais ‘rádios mpb’ eles tocam. Por que será que será que será que não tocam? Será que o nosso ‘Prêmio Camões’ faz musiquinhas tão ruins que não valem uma execuçãozinha, vez ou outra? O que será que será que andam sussurrando nos becos da indústria cultural? Será que esse grande artista, tema de um filme maravilhoso sobre sua vida e obra (ver vídeo, abaixo), não merece uma audição?

Se não tocam nem a música do Chico, como querer que toquem a minha ou a sua, leitor/compositor desconhecido? Só nos restam os saraus e a criação de movimentos que independam dessa indústria maléfica.

E eis que a música popular brasileira chega a essa encruzilhada, mizifio: esta coluna, criada para servir aos saraus e artistas alternativos, se vê forçada a abrir uma exceção e divulgar as músicas daquele que é, sem dúvidas, o maior compositor brasileiro vivo. Precisa disso? Infelizmente, precisa. Chico anda sendo injuriado e é preciso cuidar bem do nosso patrimônio cultural. Docemente constrangido, espalhei pelo texto algumas canções do grande Chico Buarque. Como dizem os mineiros, após se deliciarem com um doce supergostoso: até que não é muito ruim, não.

… … …

FOCUS É PREMIADA
NO CESGRANRIO

… … … …

E POR FALAR EM CHICO… >>> Na mesma noite em que Chico ganhou o Camões, aconteceu no Rio uma outra premiação importante, na área da dança: Alex Neoral, diretor da Focus Cia de Dança (patrocinada pela Petrobras), venceu o Prêmio Cesgranrio com a coreografia “Keta” (peça de seu espetáculo ‘Still Reich‘). A Cia é formada pelos bailarinos Carolina de Sá e Marcio Jahú (que concorreram nas categorias de melhor bailarina e bailarino), Cosme Gregory, José Villaça, Marina Teixeira, Monise Marques, Rafael Luz e Roberta Bussoni, com produção executiva de Tati Garcias. Parabéns a todos os envolvidos. E por falar em Chico Buarque, a Focus inicia hoje temporada de duas semanas do espetáculo ‘Saudade de Mim‘, baseado em músicas e personagens do compositor (e do pintor Candido Portinari). Confira:

QUINTA A DOMINGO – 23 a 26 de maio … Saudade de Mim … A Focus Cia de Dança faz oito apresentações do espetáculo que une Candido Portinari e Chico Buarque. Saudade de Mim começa com os acordes da música “Construção” levando para o palco a vida de Pedro, Maria, Bárbara, Juca, Nina e outros personagens saídos de músicas distintas de Chico, e que lá, se relacionam. Todos também habitam telas e ambientes criados por Portinari. Entre o onírico e o real, a história traz dores, amores, triângulos amorosos, indo e voltando através de referências a Chico e Portinari (trecho de montagem anterior). Criação, direção e coreografia de Alex Neoral. O grupo conta com o imprescindível patrocínio da Petrobras. Quinta, sexta e sábado, às 21h. Domingo, às 20h (também na semana que vem, até 2 de junho). No Teatro XP Investimentos, à av. Bartolomeu Mitre, 1110 (Jockey Club Brasileiro), no Leblon, Rio de Janeiro

… … …

OUTROS DESTAQUES

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h30 … Flavio Tris … Cantor e compositor encerra turnês de “Sol Velho Lua Nova“, seu segundo álbum (de 2017), e dá início à divulgação de seu próximo disco, a ser lançado no segundo semestre. No show, canções do primeiro cd (Flavio Tris, 2013) e algumas ‘releituras afetivas’. Com Gui Augusto (percussão) e Tomás Oliveira (baixo e teclado). No Bona, à rua rua Álvaro Anes, 43. Após assistir a uma apresentação de Flavio, no antigo Teatro da Rotina (atual Bruta Flor), escrevi, tentando captar o silêncio e a respiração reflexiva que habitam suas melodias:

Prepare-se. desligue-se do celular. desarme-se. desplugue-se do orgulho do bagulho do barulho bruto da cidade. suspenda por instantes os rompantes alucinantes… antes, as doídas repetidas batidas rápidas do coração. Acalme-se. intua. diminua a pul sa ção… Mer gu lhe… Cure-se… imerso. imenso de paz… Olhe-se… O céu também é chão… nuvem é rio… Ascenda… voe… revoe-se de si… Desontem desoje-se despoje-se… Sinta o horizonte na palma da mão… … o sentido perdido… o silêncio… Ouça… a grandeza do ínfimo… e canta…. tua alma infinita… tua canção bonita… cada acorde desperta a beleza… cada gesto a leveza… Vento e pluma…. a interação… a poética reiteração… talvez o tempo da delicadeza… Ouça… …. … Ahhh… A res pi ra ção…. …. quase um fio… de voz…. um triz… de som… E nós na viagem… na vertigem… o silêncio que ensina a canção interior… e ecoa… orquestra sanguínea… só sentida… maior… e mínima… Enquanto a aurora sonora nos descortina… sutileza… adequação homem-natureza… amor que se herda e se deixa… sensação de ser parte de uma cena contínua… foi assim… Flavio Tris no Teatro da Rotina.

… … …

DOMINGO – 26 de maio – das 15h às 22h … 31ª Edição “A Idade da Terra em Transe” … Festa roqueira organizada por Gilberto Petruche, Edu Osmedio e o pessoal do Jardim Psicodélico, que acontece sempre no último domingo do mês. Tem feira de vinis, discotecagens variadas e exposição de quadros e de objetos incríveis bolados pelo artista Marcello Dalla Dea. Nesta edição com show das bandas Adolfo Lopes, Dharma Samu, Macaco Fantasma, Falsos Conejos e Anhangabahy. No videoclube Charada, tradicional espaço de resistência da música alternativa na ZL, à rua José Antonio Fontes, 62 (altura do número 8000 da av. Sapopemba)

… … …

SEXTA – 24 de maio -20h … Sarau Encontro de Utopias … Apresentado por Regina Tieko, sarau tem palco aberto e convidados: pocket-show do compositor e violonista Fagner Karu e lançamento de ‘Lábio Aberto’, livro de poemas de Laisa Kaos. Na Patuscada, à rua Luís Murat, 40

… … …

QUINTA – 23 de maio -20h … Zulu de Arrebatá … Cantor e compositor nascido em São Miguel faz show de pré-lançamento do cd ‘Cena de Cinema‘. Participação da dupla Cordeirovich & Vladinsky e do poeta Gilberto Braz. No Eclipse, à rua Astorga, 621 (próximo à estação Guilhermina Esperança do metrô). Zulu participou do lendário grupo Matéria Prima ao lado de Osnofa, Fernando Teles e Edvaldo Santana. No começo dos anos 2000 lançou o cd “Amor Urbano”. Confira seu estilo suingado de cantar:

… … …

SEXTA A DOMINGO – 24 a 26 de maio – das 10h às 19h … II Encontro Internacional com Escritores Africanos ... Com palestras, bate-papos, exposições, lançamento de livros e sessões de autógrafos com escritores africanos. Contação de histórias africanas, exibição de peças teatrais, shows e saraus com artistas africanos. No Centro Cultural Olido, à avenida São João, 473

… … …

MINHAS ANDANÇAS POR AÍ

… … …

Show da Maria … E no sábado rolou mais um Show da Maria, evento bimestral promovido pelo Sarau da Maria, que recebe sempre dois artistas para apresentações de aproximadamente uma hora cada. A dupla Duas Casas, formada por Bezão (do trio Folk na Kombi) e Nô Stopa (do grupo Teatro Mágico) apresentou as canções de seu cd homônimo. Foi emocionante acompanhar a sutileza e a sintonia das vozes, dos violões e dos olhares e sorrisos dos dois artistas. A música acolhedora e docemente sussurrada parece ser uma extensão da relação afetiva de Nô & Bezão. Ou o amor entre eles talvez seja uma eterna canção em que novos acordes vão sendo descobertos e acrescentados na convivência do dia a dia. E quando a arte e o amor se misturam assim, meus amigos, o pensamento já nem se importa mais em querer saber de onde vem exatamente aquela sensação que nos faz tão bem. Apenas sorrimos, curtimos, gozamos. Nos deixamos levar pelas ondulações melódicas e agradecemos por estarmos vivos e felizes. Foi assim o show da dupla Duas Casas. Senti os pelos do braço arrepiarem, senti os olhos marejarem. Senti meu coração bater feliz ao compasso de cada canção. O carisma da dupla é daqueles que faz com que a gente, após o show acabar, não vá embora sem dar um baita abraço neles. Foi lindo, mesmo.

Depois, o talentoso Rica Soares (conhecido por ganhar o festival da Globo no ano 2000) mostrou suas levadas rock-blueseiras recheadas de poéticas e afiadas letras com alusões às mazelas atuais desta nossa pátria a(r)mada. De cara, ele cantou uma nova canção (de paz!) abordando os 80 tiros que o Exército brasileiro disparou contra o músico Evaldo, no Rio. Ouça:

80 Tiros (De uma só vez)
Rica Soares

Matem-me logo, a tarde, às três
80 tiros todos de uma vez
Antes que eu seja feliz apesar de vocês
Matem-me nessa sua guerra civil
80 tiros de fuzil
Ou eu acabo criando um novo Brasil
Daqueles de esperança, daqueles de porvir
De paz e confiança, De juntar e construir
Daqueles de se amar, daqueles de sorrir
Que nem oitenta nem oitenta mil balas poderão destruir
Mate-me logo, faça-se o favor
80 balas de rancor
Antes que eu ainda faça vingar o amor

Feitas de poucos acordes, muitas ideias e expondo as veias do seu coração, nenhuma das canções de Rica é ‘qualquer nota’. O cara é antenado, crítico, mordaz. Inserido no contexto político, atento às mudanças de comportamento, plugado no cotidiano, Rica vai escrevendo a cada balada a crônica desesperançada desses tristes trópicos brasileiros. Noutra canção (me lembrei de Manoel Bandeira), pediu liberdade a um certo ‘sapo cururu’. No final, gargalhou (porque era impossível sofrer mais) depois do inacreditável sétimo gol alemão na divertida ‘Blues do 7 x 1’. Claro que Rica cantou a sua clássica ‘Guarde Uma Prece’ e o público entoou com ele os versos ‘todas as minhas lágrimas correm pro mar… por isso que o mar é salgado, meu amor… de tanto eu chorar’.  Senti falta de algumas pérolas, como ‘Cisco no Olho’ e da citação à Vila Maria em ‘Um Cara em Busca de si Mesmo’. Mas o artista é um criador profícuo e, após ‘O Pleonasmo Redundante’, já prepara o lançamento do novo cd de inéditas, ‘Último Herói do Rock n’ Roll’. Falta dizer que Rica foi acompanhado pelo violonista João Emilio e contou com a participação muito especial do grande Pedro Lua (merecidamente ovacionado), que cantou a sua ‘Touro Valente’ e fez vocal em ‘Fictício’ (dele e Guerreiro). Quem viu, viu. Cerca de 40 pessoas estiveram lá (achamos pouco). Mereciam mais, esses artistas que não aparecem no Faustão, não tocam no rádio, mas tocam lá no fundo os nossos corações. Quem não foi perdeu. Perdeu em informação. Perdeu em sensibilidade. Perdeu em poesia. Perdeu em amor. A cada edição, por mais que o trabalho de organização prove ser inviável continuar, eu tenho certeza de que o Show da Maria não pode acabar. Vamo que vamo. Aqui todas as fotos do Moacir Barbosa (valeu, Moa!).

… … …

VIRADA CULTURAL >>> Aconteceu neste fim de semana a 15ª edição da Virada Cultural. Claro que é sempre legal ver a população ocupando a cidade e saber que muitos artistas do circuito independente receberam uma grana pra se apresentar. Justo, merecido e necessário, palmas para a Virada. Mas a questão que rola pelos saraus é sobre o dinheiro gasto com os medalhões, convidados, supostamente, para serem chamariz e atrair público para todas as outras atrações. Muito ainda vai se debater nas reuniões entre organizadores, artistas e coletivos de teatro, música e poesia. Louvo que a administração atual da Cultura ao menos mostra-se capaz de dialogar com os movimentos organizados (ao contrário da autoritária gestão anterior, de Doria e Sturm).

… … …

DDG4 >>> No domingo fui ao Itaú Cultural e assisti ao show do Dani & Debora Gurgel Quarteto. O som é de samba jazz, música brasileira tipo Zimbo Trio, misturada a levadas contemporâneas. O grupo lançou o álbum ‘Rodopio’, que, depois de gravado, teve os arranjos transcritos nota por nota e transformados em sete livros para diferentes instrumentos, coleção que estava à venda após o espetáculo. O DDG4 é formado por Dani (voz) e Debora Gurgel (piano), Thiago Rabello (bateria) e Sidiel Vieira (baixo). Quando puder, vá ver que é bom demais.

… … …

E ESSE (DES)GOVERNO, HEIN?

… … …

Eu não queria que o título acima virasse uma seção semanal, mas já virou. O presidente, seus ministros e sua base aliada não param de me dar munição (mas eu sou pelo desarmamento, presidente!). Assunto não falta. Após declarar o País ‘ingovernável’, o Governo recuou, se declarou ‘democrático’ e disse que não fez alusão nenhuma ao fechamento do Congresso. Sei… Vai que cola. Num outro dia, deu vergonha alheia ver Bolsonaro ‘brincar com as crianças’ dizendo que, no futuro, elas iriam trabalhar pra pagar a aposentadoria do Guedes. E os aspones riram… Foi macabro. A semana ainda nos trouxe mais um recuo do governo com a liberação de parte do ‘contingenciamento’ após as manifestações de professores e alunos contra os cortes no orçamento da Educação. Até quando esse vai-não-vai persistirá? Chamada de ‘idiota’ pelo presidente, a população protestou e espera algum projeto que melhore a situação do ensino. Basta de bravatas ideológicas de direitistas doentes e suas alucinações com ‘balbúrdias’. O País está de olho. 

… … …

MARIELLE PRESENTE!

… … …

No dia 14 de março de 2018 a vereadora, de 37 anos, foi assassinada no bairro da Lapa, no Rio. Ela era relatora da Comissão dos Direitos Humanos que acompanhava a intervenção militar no RJ. Havia feito denúncia contra abusos policiais e voltava de um evento com jovens negras quando foi baleada. Anderson Gomes, motorista do carro em que ela estava, também foi executado. Desde então, protestos contra o bárbaro crime se repetem diariamente em várias cidades brasileiras. Marielle lutava por justiça, inclusão e igualdade de direitos. Defendia as causas que todos nós, artistas e coletivos dos saraus, também defendemos. Este blog continua aguardando o esclarecimento do caso e a punição dos assassinos e mandantes. As balas que a mataram atingem a todos nós. Não podemos nos calar. Até quando vou ficar semanalmente repetindo esse texto aqui? Será que vai ficar assim? Por que a resposta não vem? Quem matou (e quem mandou matar) Marielle?

Faz mais de um ano que eu repito esse texto. E vou continuar repetindo enquanto este blog existir. É meu compromisso em defesa da democracia e da liberdade, ambas ameaçadas pela impunidade de assassinos ou pela omissão das autoridades. Há um ano repito o texto que eu já sabia que ia repetir. Se temos dois suspeitos presos (a quem ninguém entrevistou, confrontou, nem perguntou os motivos) ainda falta saber quem mandou matar Marielle. Um ano depois, Marielle continua sendo baleada, morrendo todas as noites e renascendo a cada manhã. Porque pessoas íntegras como Marielle não morrem jamais. Se eternizam e viram exemplo de luta. Nós, brasileiros democratas, estamos aqui, de braços dados com ela, esperando que a justiça seja feita. Os assassinos talvez tenham a proteção momentânea de organizações ou de eventuais autoridades fascistas. Que podem ameaçar Marcia Tiburi e Jean Wyllis. E podem mirar nas nossas cabeças. E até nos matar, um a um (‘matar uns 30 mil’, como disse o atual presidente, sem ser punido nem ter sua candidatura impugnada). Só não poderão evitar que Marielle renasça mais forte, todos os dias, no corpo e na mente de cada menina guerreira da cidade do Rio de Janeiro. Marielle presente.

… … …

AGENDÃO

… … …

Aqui as sugestões de programação para esta semana. Acompanhe também as opções contidas na página da Agenda da Periferia. Informe-se, inconforme-se, atue e divirta-se!   

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 10h … Carlos Galdino no Programa Toque, de Clovis Ribeiro, na Rádio Cidadã FM. Às 11h, Bruno Black e o Viajante Lírico

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 17h … Quintas com Marcos Alma & Ronaldinho da Cuíca no 38 Social Clube

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 19h … André Parisi e banda – Show Rosa dourada no Espaço Eywa

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 19h … Pátria A(r)mada – Lançamento. Na Patuscada, à rua Luis Murat, 40

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 19h30 … Cosmologia da Cultura na Casa Rosa Manjericão

… … …

QUINTA-FEIRA A DOMINGO – 23 a 26 de de maio – 18h … Festival Líricas Paulistanas 2 … Festival relembra a Vanguarda Paulista (de Itamar, Arrigo, Rumo & Cia) e comemora os 40 anos do Teatro Lira Paulistana. Com curadoria dos poetas Caco Pontes e Daniel Minchoni, festival promove bate-papos, recitais poéticos, apresentações musicais e exibição de filmes que abordam o movimento. Em diversos endereços e horários (veja aqui a programação completa)

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h … Badi Assad, Lucina e Regina Machado – no Música de Mulher … Idealizado por Regina Machado, projeto retrata protagonismo feminino na canção brasileira. Numa série de 4 encontros, artistas recebem o público para conversar sobre seus processos de criação e cantar. Na próxima quinta, dia 30, Maria Beraldo. No Canto do Brasil, à rua Cerro Corá, 1689

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h … Niver e Sarau da Val. No Manjericanto

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h … Show “Tânia Maria 70 anos” no Blue Note SP

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h … Zinho Trindade e Sarau Samba Original. No Sesc Pompeia

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h … Quinta Jazz no Espaço Bento Rosa

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h … Show de lançamento de “Alma de Gato”, com Tatá Aeroplano. No auditório do Sesc Vila Mariana

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h … Roda de samba e capoeira no lançamento do livro do antropólogo Carlos Alberto Corrêa Moro. Na Casa Barbosa

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h30 … AI-5 – A peça … Reconstituição cênica da ata da reunião do Conselho de Segurança Nacional em 1968, em meio a ditadura militar no Brasil. No Redimunho, à rua Álvaro de Carvalho, 75

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h30 … Show: Jordana ” Sabor da Vida” – Bar do Alemão

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 20h30 … ‘Ikore’ no Madre Superiora (rua 7 de Abril, 356). Show experimental do compositor Luiz Viola, acompanhado por Xantilee Jesus (baixo), Mauricio Verderame (bateria e percussão) e Guilherme Pinkalsky (projeções)

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 21h … Músicas de Superfície, com Vladimir Safatle e Fabiana Lian. No JazzB

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 21h … Sesc Pompeia apresenta “Cabaré Transpoético” … Espetáculo dirigido por Aderbal Freire-Filho a partir dos poemas do livro ‘Abracadabra’, de Beatriz Azevedo. No elenco, a atriz Lucélia Santos

… … …

QUINTA-FEIRA – 23 de maio – 21h30 … O cantor e compositor  Ortinho lança, em cd e vinil, seu quarto álbum, “Nas Esquinas do Coração”, com produção de Jorge Du Peixe. O show de estreia da turnê acontece no palco do Manouche, à rua Jardim Botânico, 983, no Rio de Janeiro (ouça também no deezer e spotify). Na banda estão Estevan Sinkovitz (violão aço e guitarra), Zeca Loureiro (guitarra), Tiago Brandão (baixo), Rogério Rochlitz (piano, moog e escaleta) e Gustavo Souza (bateria). Além das novas composições, Ortinho interpreta canções de discos anteriores como “Alto Zé do Nada”, “Herói Trancado”, “Saudades do Mundo” e “Pense Duas Vezes Antes de Esquecer”.

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 10h … IIº Encontro Internacional com Escritores Africanos. No Centro Cultural Olido

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 14h … Apresentação interativa do Guia Prático de Heitor Villa-Lobos. No Ceu Jaguaré

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 15h … Batalha Do Konquix. À rua Monte Mandira, 40, no Jardim 9 de Julho

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 18h … Happy hour com Giba Ribeiro no Carauaribar e Mercearia

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 19h … Estreia Maisum – Projeto de poesia e música de Daniel Minchoni. No Estrella Galicia Estação Rio Verde

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 19h … V Mostra Guarulhense de Cinema – Cineclube Incinerante. Na rua Paulo Lenk, centro de Guarulhos

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 19h … Literatura – Sarau MAP: Slam Função e Slam CT. No Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 19h … Lançamento do livro infantil ‘Corcel de Nuvem‘, poemas de Vanda Felix com ilustrações de Carla Sousa. Na Patuscada

… … …
 
SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 20h … Violonista Paulo Miranda e a cantora Beatriz Carvalho apresentam clássicos da mpb. No The Brothers, à av. Boturussu, 1250

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 20h … Esquenta Junino com Trio Cajurina e Trio Fórriso. No Tibagy Club

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 20h … Os Beneditos interpretam o disco Tábua de Esmeralda, de Jorge Ben. Na rua Grecco, 629, Vila Diva

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 20h … Roda Viva … Histórica peça de Chico Buarque remontada por Zé Celso & Cia. No Teatro Oficina Uzona Uzyna

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 20h … Camila Trindade & Banda. No Sesc Pompeia

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 20h … Jardim das Delícias … Projeto oferece som dançante com petiscos e bebidas à beira da piscina. Com os djs Fred Lima, Ju Salty e Luciano Malásia. Na Casa Híbrida, à av. Dr. Arnaldo, 1620 (ao lado do metrô Sumaré)

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 21h … Cabaré das Desajustadas. No Centro Cultural Tendal da Lapa, à rua Guaicurus, 110

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 21h … Moyseis Marques e o Baile de Quintal no Centro Cultural Carioca (no Rio)

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 22h … Musical – Luis Felipe Gama e Ana Luiza com Arrigo Barnabé. No Instituto Brincante

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 22h … Serge Gainsbourg por Edouard et L’Amour Fou. No Clandestino

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 22h … Afronight. No Parças Sport Bar

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 23h … Festa XXXbórnia no Mundo Pensante, no Bixiga

… … …

SEXTA-FEIRA – 24 de maio – 23h … Bloco Filhos de Gil, no Espaço Mangaba

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 12h … Cecília, Clarice, Fernando e Federico: Canções Que Guardam Poemas … A cantora e compositora Vanessa Bumagny musicou poemas de Cecília Meirelles, Fernando Pesssoa (ouça aqui), Federico Garcia Lorca e trechos em prosa de Clarice Lispector e criou com essas canções um show infantil para dançar, pular, brincar e aprender. A banda tem Zeca Loureiro (guitarra e vocais), Camila Lordy (piano, teclados e vocais), Henrique Alves (baixo) e Rogério Bastos (bateria). No Sesc Pompeia, à rua Clélia, 93

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 15h … Lançamento do livro infantojuvenil ‘Albertinho e suas incríveis máquinas voadoras’, de Luciana Garbin com ilustrações de Marcos Muller. Inspirado nos inventos de Santos-Dumont. Na Biblioteca Pública Municipal Alceu Amoroso Lima

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 15h … Marimbondo Sound System na Casa do Norte do Seu Gabin

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 16h … Show do Anhangabahy no Espaço Cultural Alma da Rua

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 16h … Segundo Show Xô Coiso. Com as bandas Yessongs e Patife Band. Intervenção poética de Shirlene Holanda. Na rua Visconde de Pelotas, 286, na Vila Leopoldina

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 16h … Leia Mulheres SP – Discussão sobre o livro ‘Úrsula’, de Maria Firmina dos Reis. No Centro Cultural São Paulo

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 17h30 … Lançamento da antologia de poesia, contos e crônicas ‘Flores no Deserto’, organizada por Bhetty Cruz e Talita Facco. Na Patuscada

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 18h … Show “Anambé, uma voz Cortando a Estrada”, com a cantora Grazi Nervegna. Na rua Bernardino de Campos, 202. No domingo, às 20h, Grazi também participa do show do grupo Entrelatinos

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 19h … Show – Jonathan Silva convida vocal Ilu Obá de Mim. Na Casa Teatro de Utopias, à rua Duílio, 46

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 19h … Escotilha#28 – Shows de Caio Bars, Jota.pê e T. Greguol. Reservas inbox

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 19h … Paláfrica ... Poemas, músicas e composições autorais de Melvin Santhana, Débora Garcia, Cleyton Mendes e Jô Freitas, abordando negritude e ancestralidade. Na rua Lituânia, 669

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 19h … Sarau Poesia de Porão. No Rock and Blues Bar, à av. Marari, 400/466

… … …

SÁBADO À TERÇA-FEIRA – 25 a 28 de maio – 20h … O mundo está cheio de nós… Cia. do Latão faz oito apresentações da peça inspirada no filme “Noites de Cabíria” e em poemas de Bertolt Brecht. Com nove atores e três músicos, que fazem a trilha sonora ao vivo. Direção e dramaturgia por Sérgio de Carvalho. Na Biblioteca Mário de Andrade, à rua da Consolação, 94 (sab e dom, às 17h, e seg e ter, às 20h)

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 19h30 … Sarau do Grajaú … Com palco aberto e convidados: Janaina Moitinho, Michele Santos e Dan Silva & Banda. Na rua Antônio Comenale, 166

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 19h30 … Poesia Para Desconcertos … Com os poetas Artur Gomes e Pedro Tostes. No Bar Do Frango, à av. São Lucas, 479

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 20h … Bilora e Danielle Bonfim. No Restaurante Moinho de Minas

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 20h30 … Sarau Arte Canal 78 Dylans – Filosofia, regionalismo e protestos. Na Aldeia Satélite – Espaço Cultural

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 20h30 … Lançamento do disco “Abra os Caminhos”, de Luiz Waack, no Bona

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 20h30 … Ed Meris no Espaço MPB Blues

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 21h … Maria Cláudia Mesquita no Teatro Bruta Flor

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 21h … ‘A Drama’ lança seu ep ‘Equilátero’ e ‘Oito Mãos‘ apresenta seus disco mais recente, ‘Maré de Vento’, além de outras composições. No Picles, à rua Cardeal Arcoverde, 1838

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 21h … Ricardo Guimarães na Jail House

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 21h … Banda Júpiter 3 no Lê Rock Bar, na Vila Maria (de quebra, niver do Elvis – parabéns, batera!)

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 21h … Toca Raul – 30 anos de Saudades. Na Padoka do Rock, na ZL

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 21h … Banda Mr. Rhide – no The Wall Café – Classic Rock

… … …

SÁBADO – 25 de maio – 22h … Baile dos Fios convida Cosme Vieira – no Al Janiah

… … …

DOMINGO – 26 de maio – 8h … Abraço Guarapiranga 2019 … Artistas e ativistas ambientais promovem o abraço em cinco pontos ao redor da represa. Saiba mais aqui

… … …

DOMINGO – 26 de maio – 20h … Amores … Peça em homenagem a Domingos de Oliveira. No Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384 (também em 2 de junho – ver cartaz)

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 27 de maio – 19h … Teatro na Mário: Deus Deve Estar Distraído … Na Biblioteca Mário de Andrade. A partir de contos de Caio Fernando Abreu, a peça trata da temática da solidão, da sexualidade, da incomunicabilidade e da falta de fé no humano. Direção de Nelson Baskerville, com Maíra De Grandi

… … …

TERÇA-FEIRA – 28 de maio – 11h … Os Palhaços da Alegria – Pepin & Florcita – Tendal da Lapa

… … …

TERÇA-FEIRA – 28 de maio – 19h … Show do percussionista Loop B na Feira Orgânica AAO – Parque da Água Branca

… … …

TERÇA-FEIRA – 28 de maio – 19h30 … Sarau Gente de Palavra Maio, organizado pelos poetas Rubens Jardim e Cesar Augusto de Carvalho homenageia Teresa Vignoli. Na Patuscada

… … …

TERÇA-FEIRA – 28 de maio – 20h … Festa 1 ano do sarau As Mina Tudo, idealizado e produzido pelas artistas Rhaissa Bittar e Andressa Brandão. Com discotecagem, exposições, varal de poesia e pocket-shows. No Jazz nos Fundos

… … …

TERÇA E QUARTA-FEIRA – 28 e 29 de maio – 21h … Tudo que Dói … Peça aborda o passado misterioso de um escritor. Texto de Mario Bortolotto. No Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384

… … …

TERÇA-FEIRA – 28 de maio – 21h … Tchella … Cantora faz show com banda no CCSP. Entrada franca

… … …

TERÇA-FEIRA – 28 de maio – 21h … Fernando Anitelli, do Teatro Mágico, faz show intimista (voz e violão) com convidados. No Teatro Morumbi Shopping, à av. Roque Petroni Junior, 1089

… … …

TERÇA-FEIRA – 28 de maio – 23h … Terça Open: François Muleka. No Mundo Pensante

… … …

QUARTA-FEIRA – 29 de maio – 16h30 … Lançamento do livro “Sarau Asas Abertas – Mulheres Poetas – Penitenciária Feminina da Capital” com a participação de 48 poetas que são reeducandas do espaço, no Carandiru. Com sarau e apresentação das mulheres que cumprem pena (fechado a convidados). O Coletivo Poetas do Tietê encabeça a ação há três anos e realiza, semanalmente, oficinas de leitura e escrita criativa com as presas

… … …

QUARTA-FEIRA – 29 de maio – 18h … Macrofonia! convida: Sarau do Burro. Na Casa da Luz

… … …

QUARTA-FEIRA – 29 de maio – 18h30 … Cine Direitos Humanos, sempre na última quarta-feira do mês. Nesta edição, com o filme ‘Branco Sai, Preto Fica’. No Sesc 24 de Maio

… … …

QUARTA-FEIRA – 29 de maio – 18h30 … Slam Oz 17ª Edição – Poetas convidados: Kjé Lauí e Cláudio CJR. Na Estação Osasco – Linha 9 Esmeralda da CPTM

… … …

QUARTA-FEIRA – 29 de maio – 19h … Estréia – Carroça21 – Exibição do documentário é acompanhado de debate com a protagonista Elismaura Pereira, Pimp My Carroça e os idealizadores: Gustavo Pera, Joao Pedro David e Thais Lopes Monteiro. No Cine Matilha, à rua Rêgo Freitas, 542

… … …

QUARTA-FEIRA – 29 de maio – 19h … Cabaré Feminista no V Salão do Livro Político. Arte canta a esperança contra a barbárie, o estado de exceção e a opressão de gênero. Composições de Elaine Guimarães apresentadas por ela, Evelin Fomin, Kakau Gusmão, Neide Nell, Vanessa Biffon, Ruth Melchior. Na rua Monte Alegre, 1024

… … …

QUARTA-FEIRA – 29 de maio – 20h … Sinapses Poéticas: Florbela Espanca por Alice Ruiz. No Centro da Terra

… … …

QUARTA-FEIRA – 29 de maio – 21h … Talento MPB – Léo Vieira apresenta rock rural e folk. Participação de Yassir Chediak. No Bar Brahma, à avenida São João, 677

… … …

QUARTA-FEIRA – 29 de maio – 21h … Fios de Choro apresenta Frevos de Rua, no Teatro Cacilda Becker, à rua Tito, 295

… … …

QUARTA-FEIRA – 29 de maio – 21h … Gringa Music apresenta o cantor congolês Yannick Delass. No Al Janiah, no Bixiga

… … …

ATÉ 31 DE MAIO … SP_Urban x Maio Amarelo … Obras digitais iluminam SP durante todo esse mês. No Centro Cultural Fiesp, à av. Paulista 1313

… … …

ATÉ 29 DE JUNHO … Exposição de Marcatti – Primeiras Páginas … “Marcatti escreve, desenha, imprime, encaderna e vende suas pérolas escatológicas quadrinísticas. Seu estilo inconfundível já estampou transgressões em revistas como Chiclete com Banana e Mad.  De terça a sexta, das 12h às 17h e das 19h às 21h. No sábado, das 11h às 20h. Na 9a Arte Galeria, à rua Augusta, 1371 – loja 113

… … …

ATÉ 5 DE SETEMBRO … A Utopia na Era da Incerteza – Imersão Artística Múltipla: Instalação cenográfica com atividades sensoriais e espetáculo teatral. Projeto da Cia Lúdica ocupa o Tendal da Lapa, na rua Guaicurus, 1100

… … …

ATÉ 18 DE AGOSTO … PretAtitude, no Sesc Vila Mariana. Exposição é um recorte da produção afro-brasileira contemporânea com trabalhos de Aline Motta, André Ricardo, Eneida Sanches, Janaina Barros, Laércio, Lídia Lisboa, Luiz 83, Marcelo D’Salete, Marcio Marianno, Peter de Brito, Sidney Amaral, Rosana Paulino, Wagner Celestino e Washington Silveira. Nos dias 18 e 26/6, bate-papo com artistas convidados. De terça a sexta, das 10h às 21h30; sábado, das 10h às 20h30; domingo, das 10h às 18h30

… … …

AGENDÃO >>> Fique ligado, pois o agendão é diariamente atualizado. E toda quinta-feira tem post novo. Pra terminar, alguns cursos, concursos e campanhas de financiamento. Confira:

… … …

ATÉ 31 DE MAIO  – CAMPANHA – LIVRO ‘UNIVERSO DE LIA’ >>> Após sofrer um AVC aos 29 anos e ser diagnosticada com câncer aos 31, a autora Daniele Cavalcante supera as limitações físicas e emocionais e escreve livro a partir dessa experiência (em parceria com a designer Erika de Carvalho). Clique aqui para saber mais e colaborar.

… … …

MARÍLIA CALDERÓN – EM CAMPANHA >>> A atriz e cantora que já se apresentou pelas ruas e vagões do metrô de SP, está em campanha de financiamento para a produção do álbum ‘A Saudade é um Vagão Vazio“, com canções que possam fazer refletir e inspirar caminhos democráticos na luta contra o fascismo. Para colaborar ou se informar sobre as recompensas, acesse aqui

ATÉ 17 DE MAIO: Prêmio Guarulhos de Literatura >>> Estão abertas as inscrições. O ganhador terá seu livro publicado pela Editora Patuá. Acesse e saiba mais sobre as regras

CAMPANHA PRO LUIS MENDES – ATÉ 20 DE JUNHO >>> Luis escreve contos e crônicas urbanas que mesclam ficção e realidade. Seus personagens são moradores das periferias de SP, mulheres, andarilhos, jovens e figuras mitológicas das culturas africana e europeia. Amigos e admiradores criaram uma vaquinha virtual para financiar seu primeiro livro ‘Conversa de Encruzilhada e Outros Contos’. Acesse, saiba mais e colabore porque o cara merece.

LIVRO DO CLEYTON MENDES >>> Um intercâmbio cultural em Moçambique resultou na criação de um diário de bordo relatando de forma poética as experiências vividas por lá. Para lançar o livro ‘África é Logo Aqui’ foi criada uma campanha na net. Acesse, informe-se e colabore.

ATÉ 20 DE MAIO … HÉLOA – Campanha de financiamento para Opará, segundo álbum da cantora HéloaAcesse aqui para contribuir e saber mais sobre as recompensas

ATÉ 9 DE JUNHO – LUCIANO COSSINA >>> Campanha visa custear o processo de gravação, mixagem e masterização de seu primeiro disco autoral. Cantor e compositor, Luciano tem parcerias com Celso Sim, Zé Leônidas e Grupo João de Barro. Acesse, colabore e saiba mais aqui

ÁLBUM DO ADOLAR MARIN >>> Saiu o cd do cantor e compositor Adolar Marinem parceria com o poeta e produtor musical Flávvio Alves. O ábum ‘Outros Caminhos‘ já está disponível nas plataformas digitais (DeezerSpotify e Tratore)

TEJU FRANCO – ‘LULA LIVRE’ >>> O cantor e compositor Teju Franco, ligado ao Clube Caiubi de Compositores, compôs um samba pedindo liberdade para o ex-presidente e cantando a esperança de um País melhor (ouça aqui)

BANDA DA PORTARIA –  “Preciso de Mais Tempo Para Amar” – Veja aqui o videoclipe da Banda da Portaria, formada por Vitor Miranda (poemas), João Mantovani (violão), Telo Ferreira (percussão), Daniel Nakamura (guitarra) e Daniel Doc (baixo). Da gravação participaram as cantoras Dani Vieira e Thainá Borges

SOCORRO LIRA – CANTOS à BEIRA-MAR … A cantora e compositora Socorro Lira lançou cd com onze composições sobre poemas da maranhense Maria Firmina dos Reis (já disponível nas principais plataformas digitais – veja aqui). Com arranjos e direção musical de Jorge Ribbas 

THOMÁS MEIRA – “INFLAMADO DE INFLAÇÃO” >>> Em videoclipe dirigido por Carlos Franco, o cantor e compositor Thomás Meira fala sobre o caos político e a incerteza do futuro do Brasil. A música tem produção de Felipe Câmara e conta com Bianca Godói (bateria), Thaizinho Costa (baixo), Thaiana Halfed (pandeiro) e Gabriel Bortolatto (guitarra). Clique aqui

GRUPO RUMO – Universo … Selo Sesc lança disco de inéditas com Ná Ozzetti, Paulo e Luiz Tatit, Hélio Ziskind e os compositores e cantores da incrível banda que integrou a chamada Vanguarda Paulista dos anos 80 (com Itamar, Arrigo & Cia). Ouça aqui o disco inteiro.

ATÉ QUINTA QUE VEM!