Eles mentiram. No princípio não era o verbo, não. No princípio era o som. A orquestração. Ainda não havia a canção. A palavra vivia apartada apertada encastelada em seu panteão. Solitária sonhava, já namorava as ondas redondas da modulação. Como num rap-cordel antes mesmo de sua invenção. A palavra acelerava a respiração. O som ansiava a pulsação. Até que um dia, um belo dia, nasceu a canção. Música e letra no mesmo batimento, o casamento perfeito da palavra com a instrumentação. Encaixado, consentido, com sentido e imaginação. A matemática a serviço da paixão. Mas o encanto do encontro não mascara a indesmentível condição: cada um é um, só um, sempre um, eis a questão. Deu tensão no tesão. Depois do soluço, a solução: a loucura da procura nos habita e habilita à criação. A música salta além do não do sim e enfim livre sobrevive só em si. A palavra cala e nos revela seu conteúdo mais bonito. E a música nos fala, num idioma muito íntimo, tudo aquilo que não é possível ser dito.

Minha mãe ouvia rádio: Bandeirantes, Jovem Pan, Tupi, Difusora. Fausto Canova, Morais Sarmento, Hélio Ribeiro, Barros de Alencar. Concertos Para a Juventude, Jovem Também Tem Saudade, Um Homem Uma Mulher Uma Parada. Ainda não havia internet, mas eu já pintava o sete. Tava tudo lá, era só girar o botão. Meu irmão Luís, sensível e muito inteligente desde sempre, comentava as audições. Por causa deles dois, desde criança, eu já gostava das Quatro Estações, de jazz e de chorinho, dos Incríveis tocando O Milionário, de Moonlight Serenade. Lá em casa, a música instrumental sempre soou normal. Hoje percebo a importância imensa e prazerosa da diversidade em nossa formação. E agradeço muito a minha boa educação. E o que eu sei que é bom, desejo para todos, de coração.

 

… … …

ALEXANDRE VIANNA
LANÇA CD ‘ÂNIMO’

… … …

alex1

De 2010 a 2015, o piano de Alexandre Vianna acompanhou grandes vozes brasileiras: de Ângela Maria, Célia e Cláudia, a Zizi Possi, Ângela Ro Ro e Verônica Ferriani. Alexandre fez arranjos e tocou em cds de diversos artistas, inclusive o magnífico Cauby Peixoto. Atualmente, atua como pianista e tecladista nas bandas de Ângela e Célia, e nas de Maria Alcina, Carol Naine e Telefunkin, além de desenvolver seu trabalho autoral no Alexandre Vianna Trio, o que resultou no belo cd ‘Ânimo’, lançado no final de 2016 (veja AQUI alguns vídeos). Ouça as considerações de Alexandre a respeito do trabalho:

Ânimo é o primeiro disco desse jovem pianista gaúcho. São nove composições dele, a maioria escrita especialmente para o formato ‘piano-trio’, estilo no qual o álbum se insere. Além do piano do Alexandre, o trio conta com João Benjamin (contrabaixo) e Rafael Lourenço (bateria). Eu os conheci acompanhando as belas canções da cantora e compositora carioca Carol Naine, numa noite de som muito inspirado, na Sensorial Discos. As quebradas ousadas dos arranjos semijazzísticos me chamaram a atenção e me remeteram de imediato a um delicioso meio termo entre o som de grupos como o Zimbo Trio (com menos jazz e mais canção) e Milton Banana (com menos samba e mais jazz).

Sobressai em seu cd autoral, além do entrosamento do trio, a beleza do repertório. É música instrumental com a qualidade e a pegada desses grandes grupos sessentistas, mas com toques melodiosos da melhor tradição da canção brasileira. As músicas ficam na memória, têm estruturas bonitas e cantaroláveis. Confesso que cheguei até a balbuciar algumas palavras sobre a linda melodia de ‘Caminhos’, minha predileta do cd (ah, esses letristas e seus vícios!). A gismontiana ‘O equilibrista’ e a faixa-título ‘Ânimo‘ vêm logo a seguir na minha preferência.

cdanimo

O álbum tem recebido elogios da crítica especializada (leia AQUI o que o site italiano Argonauta disse dele) e foi eleito um dos 100 melhores discos de 2016, entre 1493 trabalhos dos mais variados gêneros (veja AQUI a pesquisa). Encerro com um vídeo do trio acompanhando Carol Naine numa grande canção de seu novo cd Qualquer pessoa além de nós:

 

… … …

VILA MARIA, 100

… … …

BROESP11: ESTADO-PRIMEIRA-_MODELOS_ [BR]

Dia 4 de fevereiro vai rolar um Sarau da Maria muito especial. Além do palco aberto e dos convidados superlegais (clique no cartaz), vai ter bolo e parabéns pelo quarto aniversário da ‘Maria’. E vão rolar algumas homenagens (poéticas e musicais) ao nosso bairro, a querida Vila Maria, que completou 100 anos no dia 17 de janeiro. Um dos mais célebres ‘filhos da Vila’, o poeta Vlado Lima (organizador do Sopa de Letrinhas e um dos fundadores do Sarau da Maria), prepara seu terceiro livro e nos adianta uma das pérolas que estarão lá. Um texto falando da Vila:

vila1

A VILA SOBRAVA NAS SOLAS DOS MEUS SAPATOS
(Para a minha querida Vila Maria)

a Vila sobrava na sola dos meus sapatos
e subir a pé do pé da Candelária
pela Mere Amédea
ao cume da Cosmorama
era como escalar o Everest

a Vila sobrava na sola dos meus sapatos
e cruzar o Trote pra comprar caderno barato na Jolitem
era vencer o Okavango sem galochas

Berlim Dublin Tanger Manhattan
o mundo todo cabia na Vila
a Vila era o mundo todo
e terminava ali
no 346 da Av. Guilherme Cotching
ali onde nascia o Mar dos Monstros
e Dom Sebastião cavalgava cavalos marinhos fosforescentes

não sei se foi a Vila que encolheu
ou foram minhas pernas de trotamundos com fome de estrada
que explodiram pralém da bainha do Tietê
só sei que os bolivianos não viram
quando a elefanta Bruma matou o Agenor
nem quando o Circo do Chico Biruta ardeu em chamas na Biquinha
também não estavam comigo quando atravessei a ponte
e virei um cidadão do planeta

ainda hoje
quando passo pela Rua do Imperador
escuto o taramelar de uma arara vermelha

vlado

Vlado Lima já publicou dois livros de poemas: Pop Para-choque (Patuá, 2012) e Como suportar jabs no baço e encarar nocautes (Patuá, 2015). Além de organizar e apresentar o Sopa de Letrinhas, é um dos fundadores do Clube Caiubi de Compositores e autor das famosas canções Maconheiro, Boleiros e a polêmica euodeiocaetanoveloso.com.br. Leia outros poemas dele AQUI.

 

… … …

SP, 463

… … …

 

O niver de São Paulo foi ontem, mas na net nunca é tarde para homenagens e cumprimentos dos mais desligados e atrasadinhos, como eu. Claro que tem aquelas do Adoniran, as do Vanzolini, as do Tom Zé, a do Caetano, a do Premê, a da Vânia e a do Criolo. Mas separei quatro canções menos manjadas que falam da nossa SP Éssepê Sampa Paulicéia Piratininga Piraceia pirada e desvairada. Tem até uma semprelinda canção do grande Tom Jobim declarando seu amor por nossa (mais que nunca) acinzentada cidade. OK, é um ‘eu te amo’ sob encomenda, feito para um shopping (nada mais fakemente paulistano!). Mas é Tom, gente… Então, ouçamos com atenção. E parabéns, SP, meu amor. Ou, como canta o genial Itamar, talvez nem seja amor, mas é ‘identificação absoluta’ com essa sua minha nossa querida vila cidade de gente valente sofrida contente e multicor.

 

 

… … …

ESTE BLOG
NA TV PAX

… … …

 

tatofischer

Hoje, dia 26 de janeiro, estarei no programa Um Canto de Luz, que o cantor, compositor, instrumentista (ex-Secos & Molhados) e mágico Tato Fischer apresenta todas às quintas-feiras às 11h11, pela rádio e tv Pax. Vou falar de meus projetos (uma peça, um programa de rádio, um livro de poemas, outro de textos e fotos), da minha participação no Sarau da Maria e neste blog, além de cantar algumas de minhas canções (quem for ver, entre AQUI). Na semana que vem eu conto como foi. Assistam ao programa de quinta-feira passada, com o Tato entrevistando os músicos Rosangela Alves e Brau Mendonça, do grupo Roda Viva:

 

… … …

TAVITO NO SESC

… … …

 

Domingo passado estive no sesc Santana e assisti ao belo show do Zé Renato, um dos cantores do grande quarteto vocal Boca Livre, que tanto sucesso fez no começo dos anos 1980. Além do repertório dos discos do grupo (Toada, Quem Tem a Viola), ele apresentou inéditas suas (que linda a parceria com Zeca Baleiro!) e de amigos (que beleza a canção de Breno Ruiz e PC Pinheiro!), além de cantar alguns clássicos de que gosta muito, como Travessia (Milton/Brant) e Samba e Amor (Chico). O show ainda ficou melhor quando ele anunciou seu convidado especial: Tavito. O carismático mineiro entrou e ganhou o público com sua simpatia e talento.

Tavito cantou duas de suas pérolas preciosas: Casa no Campo (parceria com Zé Rodrix) e Rua Ramalhete (com Ney Azambuja). E a plateia cantou junto, claro. Minha canção preferida dele talvez seja Começo, Meio e Fim, mas seu talento de músico e compositor extrapola predileções. No final dos anos 1960, o cara já estava lá, com o Som Imaginário, acompanhando Milton Nascimento. Depois de fazer canções inesquecíveis nos anos 1970 e 1980, partiu pra publicidade, onde criou alguns jingles incríveis. Nos anos 2000, Tavito (junto com seu querido amigo Zé Rodrix, precocemente falecido) apadrinhou a turma boa de compositores do Clube Caiubi, incentivando uma nova geração de novos e talentosos artistas (Sonekka, Cueva, Rica Soares…). Além de cantar eventualmente em alguns saraus da cidade, ele também criou o seu (Sarau do Tavito), onde mostra novas canções e abre espaço para a música autoral de qualidade, que foi banida das rádios e tevês brasileiras.

tavito2

É esse grande artista que se apresenta nesta sexta-feira no Sesc Belenzinho, às 21h, lançando seu novo cd ‘A Casa no Começo da Rua‘. Tavito canta acompanhado por Nando Lee (guitarra), Abrão Lincoln (teclado), Paulinho Faria (baixo) e Fabio Schmidt (bateria), com participação especial do músico Tuia. O sesc fica na rua Padre Adelino, 1000, perto da estação Belém do metrô.

 

… … …

AGENDÃO

… … …

 

Eis aqui a ‘superagenda dos saraus’ para o seu findi, com fotos, cartazes, links e vídeos. Devido a grande quantidade de eventos, às vezes eu posto apenas o cartaz, sempre acompanhado de um link para mais informações. Acompanhe também as muitas opções contidas na página da Agenda da Periferia. Informe-se, inconforme-se, atue e divirta-se!

… … …

01abacaxepa

Quinta-feira – 26 de janeiro – 20h … Casa do Teatro convida Banda Abacaxepa … A eclética banda surgiu como uma brincadeira na Escola Superior de Artes – Celia Helena. Em apenas um ano de existência, já realizou muitos shows em SP, Recife e outras cidades, e planeja o primeiro ep com músicas autorais. O Abacaxepa é formado por Rodrigo Mancusi (voz), Carol Cavesso (voz e violão), Bruna Alimonda (voz), Juliano Veríssimo (percussão), Vinicius Furquim (violão, teclado e voz) e Fernando Racy (baixo). Entrada franca. Na avenida São Gabriel, 462, no Itaim Bibi.
… … …

02dobro2

Quinta-feira – 26 de janeiro – 21h30 … Esquenta de Carnaval – Suzana Salles e Paulo Padilha e Mauricio Pereira … Uma grande viagem ao universo das marchinhas. Às 21h30, Carnaval de Bolso, com Suzana Salles e Paulo Padilha. Às 23h, Carnaval Turbilhão, com Mauricio Pereira e Turbilhão de Ritmos. Ingresso único: R$25. No Jazz nos Fundos, à rua Cardeal Arcoverde, 742.
… … …

Sexta-feira – 27 de janeiro – 17h … Música no foyer – Chorando em Ré menor … Formado por Beatriz Pacheco (saxofone), Leandro Carvalhal (cavaquinho), Leonardo De Oliveira Gomes (violão), Liw Ferreira (bandolim), Si Sa Medeiros (percussão) e Wellington Silva (violão sete cordas), o sexteto traz músicas de Zequinha de Abreu, Esmeraldino Salles e Bonfiglio de Oliveira, bem como temas de músicos atuantes na cena do choro de São Paulo, como Nailor Proveta, Edson Alves, Edmilson Capelupi e Wellington Silva. Na mesma tarde, o Quarteto Saxofonando apresentará um repertório dedicado à obra do compositor Astor Piazzolla. Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer, à av. Pedro Alvares Cabral, s/n – Portão 2 – Parque Ibirapuera.
… … …

Sexta-feira – 27 de janeiro – 19h … Primeiras Impressões: Tudo que você ama lhe será arrebatado … Evento de debates apresenta a primeira exibição do curta-metragem “Tudo que você ama lhe será arrebatado”, baseado no conto de Stephen King. Haverá exibição de outros curtas e bate-papo com os diretores. No Auditório MIS, à avenida Europa, 158, com entrada franca.

… … …

03slamdonorte

Sexta-feira – 27 de janeiro – 19h … Slam da Norte – 1ª Edição … Sarau surgiu para trazer à ZN esse movimento slammer que já existe em outras regiões. Nessa primeira edição, pocket-show de Quixote, exposição dos zines Siririca em Prosa e Verso, da Viic Oliveira e Vapordechuva, da V. No Largo da Matriz Velha, na Freguesia do Ó.
… … …

04cacimba

Sexta-feira – 27 de janeiro – 19h … 3º Aniversário Cacimba Discos … A produtora de artistas independentes comemora niver com showzão coletivo: Sapiranga, Cacá Lopes, Crys Araújo, Deco Morais, Ruan Trajano, Sambossa Sp, Sara Helen, Siqueira e Pablo Moura. Entrada franca. No Armazém do Campo, à alameda Eduardo Prado, 499, nos Campos Elíseos.

… … …

Sexta-feira – 27 de janeiro – 19h30 … Poemas de Amor Deixados na Portaria – de Vitor Miranda … O sarau Poesia com Pecado, realizado mensalmente por Francesca Cricelli e Vitor Miranda, apresenta o livro dele, Poemas de Amor Deixados na Portaria, com a presença da Banda da Portaria, que é formada por João Mantovani (voz e violão), Arthur Lobo (voz e violão), Danilo Trevisan (violino) e pelo próprio Vitor (poesia). No Quinto Pecado Café & Bistrot, à rua Coronel Artur de Godoi, 12, na Vila Mariana.
… … …

Sexta-feira – 27 de janeiro – 20h … Serginho Acústico … Músico apresenta em formato acústico seu repertório de clássicos do reggae, rock, mpb e blues. No Carauari Bar e Mercearia, à praça Carauari, 8, na Vila Maria.
… … …

Sexta-feira – 27 de janeiro – 20h … Rock’n’roll Night … Duas bandas garantem o melhor do classic rock: A Casa Caiu e Pompeia 72. No Santa Sede, à av. Dumont Villares, 2104, na Parada Inglesa.
… … …

05fofinho

Sexta-feira – 27 de janeiro – 21h … Reencontro Anual da Família Rock in Roll … No reencontro de amigos, shows da banda Strutura e de Cicío Bonerges e convidados, além de djs, performances e lançamento de livro. Entrada R$10. Na Fofinho Rock Bar, à av. Celso Garcia, 2.728, perto do metrô Belém.

… … …

Sexta-feira – 27 de janeiro – 22h … Hot Fuzz is Back … A volta do Hot Fuzz aos palcos, com classic rock e som dos anos 80 e 90. No B Music Bar, à rua dos Pinheiros, 518.

… … …

06policueva

Sexta-feira – 27 de janeiro – 23h59 … Álvaro Cueva e Marcio Policastro … Dupla de cantores e compositores do Clube Caiubi faz show com suas parcerias. Algumas músicas estão incluídas no disco Pequeno Estudo Sobre o Karma, de Marcio Policastro e no disco Tempos de Canção, de Álvaro Cueva. A banda é formada por Bia Lima (baixo e vocal), Douglas Froeming (guitarras, violão de aço, cavaquinho e vocal), Léo Costa (violão) e Ulysses Sebastião (bateria e vocal). No Teatro Parlapatões, à praça Franklin Roosevelt, 158. Entrada R$15 e R$30.
… … …

07negrume

Sábado – 28 de janeiro – 14h … Negritude e religião … O Projeto Negrume convida para a roda de conversa sobre racismo religioso, racismo contra pessoas negras e expropriação cultural na religião. Com os convidados Ariele Campos, André Dias e Aloysio Lettra, além das intervenções artísticas de Jô Freitas. Entrada franca. No ceu Lajeado, à rua Manoel da Mota Coutinho, 293.
… … …

08sintonize

Sábado – 28 de janeiro – 14h … Sarau “Sintonize a Poesia” … Atividade interativa, bate-papo com autores e artistas, exposição de obras, declamações de poesias e intervenções performáticas (clique no cartaz). Com organização de Hugo Paz e parceria do Projeto Ecos Latinos. Na biblioteca Parque Villa-Lobos, à av. prof. Fonseca Rodrigues, 2001, no Alto de Pinheiros.
… … …

09bodega

Sábado – 28 de janeiro – 15h … Sarau Bodega do Brasil – no Espaço Plínio Marcos … Este sarau foi transferido do dia 21 para o dia 28, por conta das fortes chuvas de sábado passado. O ‘Autor na Praça’ celebra o aniversário de São Paulo … Para comemorar os 463 anos da cidade, o projeto Autor na Praça recebe o “Sarau Bodega do Brasil” que lança o livro “São Paulo em Cordel”, onde quatorze cordelistas apresentam em versos os monumentos turísticos e/ou históricos da cidade. Haverá leituras e apresentações musicais com a presença de Cacá Lopes, Carlos Moura, Cleusa Santo, Costa Senna, Daniela Bontempi, Jublio Jacobino, Mateus Muradas e Ornela Jacobino, entre outros. No Espaço Plínio Marcos – Tenda Feira de Artes, na Praça Benedito Calixto, em Pinheiros.
… … …

10paparico

Sábado – 28 de janeiro – 15h … Festa Paparico – especial de carnaval … Festa promovida pelo dj João Paulo Carvalho (dj Batman), que também organiza a famosa festa Tô de Bowie. Baianidades, swing, soul e fantasia. No Sobrado, à rua Caraibas, 79, na Pompeia. Entrada franca.

… … …

11samba

Sábado – 28 de janeiro – 19h … Samba Negras em Marcha no Ilú Obá de Min … Samba das mulheres no terreiro da sede do Ilú Obá de Min. No cardápio, comidinhas da Nega Duda com cerveja bem gelada e refri. Venda de colares e peças artesanais de Marcelo Silverio Clarindo. Na alameda Eduardo Prado, 342.
… … …

13saraue

Sábado – 28 de janeiro – 19h … Sarauê … Primeiro Sarauê do ano tem a participação de Carlos Biaggioli, com seu livro “A Curva do Rio” e do mineiro Tokinho Carvalho, fazendo seu som. Exposição (e venda) de peças criadas em pirografia. Microfone aberto. Na praça Júlio César Campos, em Parelheiros.

… … …

kana

Sábado – 28 de janeiro – 20h … Kana e Banda – Pré-Carnaval … A cantora e compositora Kana Nogueira segue com suas apresentações no Viana Grill. O repertório mescla mpb, canções autorais, além de sambas e marchinhas carnavalescas. Com Liw Ferreira no violão e Douglas Froemming na guitarra. Entrada franca. Na rua José Maria Lisboa, 618, no Jardim Paulista.
… … …

renata

Sábado – 28 de janeiro – 22h … Renata Pizi no CCB … A grande cantora Renata Pizi (de quem já falei AQUI) faz show com com Paulo Ribeiro (violão) e Marinho Lemes (bateria e percussão). Na programação, comemoração dos dez anos do programa de rádio Muqueca de Siri. Entrada R$10 (antes das 23h). No Centro Cultural Butantã, à av. Corifeu de Azevedo Marques, 1882.

… … …

14sarapau

Domingo – 29 de janeiro – 15h … Sarau da Paulista … O Sarapau acontece no último domingo do mês. Poetas, músicos, artistas em geral se reúnem diante do prédio da Justiça Federal. Tendo à frente o poeta Rubens Jardim, o grupo resgata o lema da Catequese Poética (movimento cultural de resistência realizado durante os anos de ditadura militar): o lugar do poeta é onde possa inquietar e o lugar da poesia são todos os lugares. Na av. Paulista, esquina com Peixoto Gomide.
… … …

15urutu

Domingo – 29 de janeiro – 16h … Sarau Urutu – 14ª edição … Sarau de resistência, realizado ao lado da linha safira da CPTM, surge no momento em que os moradores – migrantes nordestinos – recebem a notícia de desapropriação para a construção de uma nova estação de trem. O Sarau Urutu existe como forma de assembléia poética, trazendo reflexões sobre problemas do cotidiano. Nesta edição, a música de Anna Bueno (Inspir’ação), oficina de serigrafia com Alcides Rodrigues, intervenção com Coletivo Acuenda (Cabaré D’água), atividades artísticas com as crianças, cine urutu (Robôs) e o microfone aberto.
… … …

16pretasperi

Domingo – 29 de janeiro – 16h … Sarau Pretas Peri na quebrada … Pretas Peri é um coletivo de mulheres negras (Jô Freitas, Juliana Jesus, Tayla Fernandes e Janaina Cintia) que desenvolve diversas ações na periferia de SP (oficinas, debates, mostras artísticas), sendo que a principal delas é o Sarau Pretas Peri, que acontece todo último domingo do mês, no jardim Camargo Velho – Itaim paulista, com microfone aberto. Clique no cartaz (no alto) para ver a programação.
… … …

17chama

Domingo – 29 de janeiro – 17h … Chama Poética – Poesia Das Coisas Simples … Chama Poética inicia a programação de 2017 na Livraria Cultura com um recital Poesia das Coisas Simples, com poemas de Manoel de Barros (foto) em delicada costura musical. Com participação de Alexandre Mello, Liw Ferreira, Gabriel de Almeida Prado e Fernanda de Almeida Prado. Na avenida Paulista, 2073.

… … …

18punk

Domingo – 29 de janeiro – 17h … Punk Rock Curitiba no Lino´s Bar … Tradicional reduto do underground curitibano apresenta grande evento com as bandas Javalis do Pântano Hardcore, Falsifix Ramones Tribute, Barbatanas instro surf e A barka. Entrada franca. Arrecadação de material escolar novo e livros usados que serão destinados a instituições competentes. À rua Paula Prevedelo Gusso, 154, Barreirinha, Curitiba.

… … …

Segunda-feira – 30 de janeiro – 18h … Encontro de Movimentos de Cultura de SP … Reunião da classe artística para construir coletivamente uma pauta comum aos movimentos culturais e sociais da cidade. Vários movimentos já estão se articulando e marcando agendas individuais diretamente com o secretário. Isso é importante para garantir as conquistas de cada movimento. Contudo, é preciso discutir políticas gerais, partindo do comum para, juntos e mais fortes, definir as práticas e o conceito de cultura dos próximos 4 anos. Em frente à sala Paulo Emílio, no CCSP, av. Vergueiro 1000.

… … …

gente

Terça-feira – 31 de janeiro – 19h30 … Gente de Palavra – Roberto Bicelli e lançamento de livros … Com apresentação dos poetas Rubens Jardim e Davi Kinski, dois eventos numa noite de alta voltagem poética, no bar da Livraria Patuscada (à rua Luís Murat, 40, na Vila Madalena). Homenagem ao poeta Roberto Bicelli, participante da Catequese Poética, do Sermão do Viaduto e um dos responsáveis (com Piva, Willer e Francheschi) por grande parte da efervescência da poesia paulistana desde os anos 1960. Vejam que preciosidade é esse vídeo de dezembro de 1977, quando do lançamento do livro ‘Antes que eu me esqueça’, de Bicelli:

Na mesma noite, o Sarau Gente de Palavra promove o lançamento dos livros Gema, de Michelle Wisbowski e Amar-te até a morte, de Renato de Mattos Motta. Os autores são também editores e coordenadores do coletivo de poetas Gente de Palavra. Abaixo, as capas estilosas e um belo poema de cada autor:


gema

TEAR
(Michelle Wisbowski)

Amor-tece
meu corpo
sob o teu

amarte

VERSOSUBVERSO
(Renato De Mattos Motta)

poetas não respondem
à necessidade capitalista
de produção
poetas respondem
à necessidade humanista
de emoção
poetas são
subversivos
transformam língua em lâmina
e ferem de morte o sentido
poetas são
corruptores
pegam pequenas palavras
e as obrigam a dizer muito
poetas
são loucos
por sorte
são poucos
… … …

sela

Quarta-feira – 1 de fevereiro – 21h … Demandas Lôca do Play – Festival SÊLA … Festival com cinco dias de ode à feminilidade em bate papos, festa e shows de artistas independentes e talentosas. Neste primeiro dia, Cris Rangel, idealizadora da Lôca do Play Discos e Curadoria, mediará roda de conversa sobre os “Paradigmas da mulher na música”, com as artistas Manallu, Silvia Sant’Anna, Nina Oliveira e Amanda, às 19h. Anna Tréa faz o show #MeClareia, às 22h. Depois, discotecagem de Juli Baldi (23h20). Entrada R$15 (antecipado) e R$20 (na porta). No Breve Pompeia, à rua Clélia, 470. O Festival continua nos dias 2, 3, 4 e 5. Semana que vem, falo mais dele.

sela2

 

… … …

BOM FINDI A TODOS E
ATÉ A SEMANA QUE VEM!

… … …