virada
virada33
Findi da Virada e eu todo atrapalhado virado no trabalho. Na dura labuta de blog e jornal. Na doce mistura de sarau e cultura. Me virei pra saber se cantou se dançou minha gente bronzeada pela rua. Mais democrática e organizada, a Virada descentralizada chegou bem na quebrada. Diversão e arte para qualquer parte. Festa e protesto que ninguém é besta e nem é de ferro. Deixo aqui meus pitacos e uns vídeos legais. No mais, tem nova seção de poesia tem a magia do mundo reunida no Playing for Change pela diversidade da vida. E uma agenda cheia de possíveis encantos encontros e noitadas por virar. Deixe-se levar se livrar se lavar e vai lá!
… … … … … … … …
VIRADA CULTURAL
… … … … … … … …

 

Quem não foi, perdeu. Eu perdi. Estava de plantão na redação, trabalhando pesado no fim de semana da Virada Cultural. Portanto, este blogueiro, artista e diagramador (xingado de vagabundo e ladrão de dinheiro público por aquele deputado antipovo, para o qual desejo a cassação), não pôde curtir os muitos e diversificados programas artísticos oferecidos à população. A partir do que li na imprensa e nas redes sociais e do que ouvi de amigos e artistas que participaram dela (e dos que não participaram também), deixo aqui algumas curtas considerações.

A descentralização dos palcos (cerca de 100 espalhados pela cidade), além de ser mais democrática, distribuiu melhor o público, facilitando aos moradores dos bairros mais distantes o acesso aos shows e eventos. Também por isso, o centrão recebeu menos gente do que em outras edições, o que proporcionou mais conforto, espaço e visibilidade para assistir aos shows e maior mobilidade aos que desejaram transitar de um palco a outro, usufruindo dos vários shows.

A Virada teve aproximadamente 700 atrações, do Brasil e de mais 10 países: festas de rua, brincadeiras e oficinas com atividades para crianças, performances de artistas circenses, dança e teatro (espetáculos que foram incluídos na ‘happy hour’ de sexta-feira, a novidade desta edição), atividades nos parques, bibliotecas, sescs e em 10 CEUs, apresentação de 24 coletivos de saraus, além de inúmeros shows com artistas anônimos e famosos.

 

 

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, foi a Virada mais pacífica de todas, com 19 ocorrências policiais e seis detidos (4 adultos e 2 menores). Pesquisa da SP Turismo aponta que o paulistano gostou mais da Virada deste ano, dando-lhe nota maior que a do ano passado (de 8,2 para 8,4).

O Sarau da Maria, do qual sou um dos organizadores, se inscreveu pela segunda vez. Eu também, como cantor e poeta, pela terceira vez. Não fomos contemplados. Mas, caso estivesse de folga, eu poderia ter cantado ou declamado em algum dos 24 coletivos que abriram espaço a todo e qualquer tipo de artista que se inscrevesse. Alguns amigos (artistas e organizadores de saraus que nunca participaram), falam em panelinhas e reclamam da presença dos medalhões. Não me alinho com eles. O público merece ver seus grandes ídolos, de graça. Atraído por eles, acaba conhecendo também os artistas jovens e os alternativos da programação. Por mais que possam existir ‘esquemas’ ou que a organização necessite de ajustes, reconheço que a Virada realiza, ano após ano, um louvável e grandioso trabalho de inclusão social através da cultura e de valorização da diversidade. Tarefa que, aliás, é obrigação dos órgãos públicos. Ela é, sim, um evento representativo do amplo leque cultural do Brasil e de Sampa. Para 2017, qualquer que seja o prefeito eleito, sua missão é preservar, aperfeiçoar e ampliar a Virada. Salve ela!

Pra concordar comigo, creio que basta apenas assistir a algum desses vídeos curtos que deixo aqui. São fragmentos dos muitos momentos legais da festa, mostrando a integração feliz entre artistas e público. Se você perdeu ou quer rever, curta aí essa nossa virada virtual:

 

 

… … … … … … … …
PLAYNG
FOR CHANGE
… … … … … … … …
E por falar em diversidade, colo aqui mais dois daqueles vídeos bacanas (você já deve ter visto o do Stand by Me, né?) em que artistas de várias regiões do planeta nos divertem ao cantar, dançar e tocar um trecho de uma mesma canção, unidos por uma causa nobre. Playing for Change é um projeto multimídia criado com o objetivo de unir músicos do mundo inteiro em prol de mudanças globais. Integra o projeto a Playing for Change Foundation, uma organização não-governamental que tem construído escolas de música em comunidades carentes. Para colaborar com o projeto, acesse o site e veja todas as informações. Curta a página deles no facebook e fique ligado nas músicas que constantemente são postadas por lá.  Aqui, veja a relação das várias músicas já gravadas. E ouça mais essas duas:

 

… … … … … … … …
UM POETA,
UM POEMA
… … … … … … … …

 

Inauguro esta seção para abrir espaço aos muitos ótimos poetas que ouço por aí, pelos bares e saraus do movimento cultural. Ou os que conheço dos vários livros comprados, doados, roubados, recebidos, aparecidos (livro é um bicho vivo…). Alguns desse poetas eu nunca vi pessoalmente, mas acompanho seus versos, deleitado, via facebook. Aqui é jogo rápido, sem maiores comentários ou análises profundas, nem os elogios que cada um deles merece. Segue o poema, uma pequena ficha do autor e o link para que você o conheça melhor. Pra estreia, um baita timaço com Lourença Lou, Marcelo Adifa, Joelma Bittencourt, Cris de Souza e José Couto. Claro que um poema só não basta. Mas curte aí e vai atrás:

… … … … … … … …

LOURENÇA LOU

Coisas de Lou XXXI

Achávamos que era amor. A vontade de um entrava na vontade do outro. Tanto que doía. E nos perdíamos. Sem saber onde nem quando nem por quê. Não buscávamos saber. Éramos lagos separados pelos ressentimentos. Entre um e outro escorriam palavras e olhares e ódios. Dia sim no outro também. E os filhos boiavam no turvo destas águas. Não percebíamos. Achávamos que era amor. Apesar do amante. Apesar da amante. Apesar do secreto de cada um. E jogávamos as soluções para o dia seguinte. Sem investimentos. Como se amanhãs fossem feitos de milagres. Nenhum dos dois cedia. Achávamos que não perdíamos. Os filhos perdiam. E se perdiam. Atavam e desatavam seus laços. E seguíamos assim. Cada um passageiro de si. E todos nos cobrindo de nós.

sobrevivente

escrevia
para me conhecer
:era passageira de mim

hoje
sou passagem

escrevo
para dar vida
aos silêncios que engoli.

 

Lourença Lou é de Belo Horizonte, formada em Letras. Acaba de lançar Equilibrista, livro que pode ser adquirido na loja virtual da editora Penalux. A renda é revertida para o Projeto Mano Down.

… … … … … … … …

MARCELO ADIFA

Quando estiver preparado

Exila-se longe do corpo
a alma que busca consolo
fugindo das dores, saltando
por sobre o abismo de cores
que o devolvem ao passado

Exila-se, não somente da cidade
e do povo que o fizeram homem
mas das sombras que o perseguem
e assaltam sua memória,
ferindo-o mais que a própria morte

Exila-se
e quando estiver pronto
voltará a vestir suas roupas
será chamado pelo nome
com que foi registrado,

morará entre os seus
novamente

terá voz, será corpo
que se move à sua vontade

 

Marcelo Adifa é de Sorocaba. Este poema faz  parte do livro Exílio, lançado pela Editora Penalux em janeiro de 2015. Poeta e romancista, também é letrista e músico.

 

… … … … … … … …

JOELMA BITTENCOURT

Inutensílio

Poema
não é problema

poema no mundo
há de fartura

o problema
é a falta da outra coisa

que no poema
se procura.

 

Joelma Bittencourt é paraense, formada em Letras. Possui textos publicados em redes sociais, blogs coletivos e antologias.

… … … … … … … …

CRIS DE SOUZA

Pretexto

Basta uma lua
E vira uivo
O verso

Basta um vinho
E vira verso
A uva

Basta um verso
E vira vasto
O resto

 

Cris de Souza é de Vila Velha, ES. Nada mais sei dela. Leio regularmente os ótimos poemas que publica no Facebook. E recomendo.

 

… … … … … … … …

JOSÉ COUTO

Autorretrato

Comecei a
desenxergar-me.
Face ao espelho
Vislumbro o tempo
já desfocado
de mim.

Um profundo assombro
sutis desertos
águas turvas
o desejo e o perfil de ser.
Amalgamam-se na imagem
que não se reflete.

Ampliam-se os horizontes,
os sentimentos.
Quase translúcido
toco com as pontas dos dedos
o poema.

E, como um milagre,
a linguagem começa a multiplicar-se.

 

José Couto é professor. Publicou A Impermanência Da Escrita, pela Editora Alcance, além de participar de antologias de poesias, crônicas e contos. Escreve sobre poesia no jornal O Alvoradense.

… … … … … … … …
AGENDA
… … … … … … … …
 
Quinta-feira – 2 de junho – 19h …  Cine Concha Independente de Santo André apresenta: Lançamento do Clipe ‘Caminhão de Lixo … Após a exibição do clipe, show com os Os Cabras de Baquirivu na Casa da Palavra. O clipe é uma produção independente do coletivo Lentes Periféricas, a partir de um  projeto de Escobar Franelas. A música é de José Carlos Guerreiro, que também canta e toca, acompanhado por Ronaldo Ferro (guitarra), Francisco Xavier (baixo) e Francisco Américo (bateria).
Sexta-feira – 3 de junho – 20h30 … Vila Morena no Erla … Show com Fábio Abramo (violão), Regina Tieko (voz), Vavá Couto (baixo) e Julio Nascimento (percussão). No repertório, Chico, Milton , Secos e Molhados e outros clássicos da mpb. No Erla – Espaço da Rosa,  a R$10.
Sexta-feira – 3 de junho – 21h … MPB Universitária … Show com os talentosos músicos e compositores ligados ao Clube Caiubi: Adolar Marin, Léo Nogueira, Sander Mecca, Rica Soares, Max Gonzaga, Edu Franco e Marcio Policastro. O MPBU (que ainda conta com Kleber Albuquerque, Marco Vilane e Ricardo Moreira) já planeja lançar um cd com canções inéditas de seus membros. No Gambalaia Espaço de Artes e Convivência.
Sábado – 4 de junho – 13h30 … Sarau Ocupaz com Oliveira … O grupo Poetas do Tietê realiza a quarta edição do sarau no CEU do Jardim Paraná. Na programação, cortejo poético pelas ruas do bairro (12h30), bate-papo com o poeta Oliveira (13h30) e sarau (14h).
Sábado – 4 de junho – 16h … Blablablá na Casa Amarela – ‘Slam? O que é isso?’ …Encontro discutirá SLAM, culturas das bordas, educação, produção cultural independente e arte. Com os convidados  Daniel Carvalho, Mariana Felix e Lucas Afonso. Mediação de Escobar Franelas. Em São Miguel.
Sábado – 4 de junho – 17h … Sarau Pense Já (8°edição) … Arte produzida fora da panela midiática. Sarau organizado e apresentado por Cleyton Mendes e Barbara Cinelli. Nesta edição, pocket-show com Marcos Viegas e lançamento do livro Mania, da escritora e slammer Mariana Felix. Além do palco aberto, um varal de poesia com Mayara Vaz. No Espaço Cultural Opereta, em Poá.
Sábado – 4 de junho – 19h … Lançamento oficial – Perifatividade nas escolas: A poética dos Direitos Humanos … Coletivo Perifatividade lança oficialmente livro e documentário sobre um trabalho que vai além de sua proposta artística habitual e das oficinas que o coletivo já faz nas escolas desde 2011. Trata-se do trabalho enquanto educadores populares, propagadores e defensores dos direitos humanos. São poesias, textos e depoimentos de alunos do EJA, de EMEF’s e de várias escolas do ensino médio regular. Haverá pocket-shows de DJ Luana Hansen e do grupo Influência Positiva, que participaram do documentário. Na Casa de Cultura Chico Science.
Sábado – 4 de junho – 19h30 … SARAU no LIONS CLUBE TUCURUVI … Primeiro sarau no Lions Clube Tucuruvi (entre pelo portão da Av. Dumond Villares). O objetivo, além de reunir amigos e celebrar a arte, é apoiar a continuação dos projetos da entidade na comunidade do Tucuruvi. Apresentação do escritor Marcelo Nocelli (Sarau da Camarilha), pocket-show de abertura com Deise Capelozza e João Emilio (Sarau da Maria), além de muitos convidados. O palco é aberto. Haverá sorteio de livros.
Sábado – 4 de junho – 19h30 … Sarau A Plenos Pulmões … O sarau tem como característica o incentivo à literatura (falada e escrita). A cada mês um escritor apresenta sua obra no evento. Nesta edição, Marco Pezão lança seu Pés no Chão. Com palco aberto. Na Casa das Rosas.
Sábado – 4 de junho – 20h … Banda Mahatrio apresenta o Show Jazz Rock Fusion … Banda apresenta um repertório instrumental com músicas autorais e releituras de grandes mestres como Jeff Beck, Larry Corryel, Jimmy Hendrix, Stanley Clark, entre outros. Na Cachaçaria e cervejaria Adri & Anão, na Vila Maria. Grátis.
Sábado – 4 de junho – 20h … ALMA, SOM E ROCK’N’ROLL …O músico Raphael Andhra apresenta clássicos do rock, blues, jazz e mpb em seu show Acoustic Rock. No Rota Norte Moto Bar, na Casa Verde.
Sábado – 4 de junho – 20h30 … AbacaxEpa toca no Amado do Dito  … Jovem banda apresenta show divertido e dançante, com interpretações teatrais. Entrada R$ 25,00. O bar fica em Pinheiros.
Sábado – 4 de junho – 21h30 … CECIRO CORDEIRO – Show de Lançamento do CD … Show Jardim das Oliveiras, com músicas inéditas do cantor e compositor pernambucano Ceciro Cordeiro, músico atuante nos movimentos de saraus da zona leste. Em São Miguel.
Sábado – 4 de junho – 21h30 … Cantoria Brasileira … Três talentosos compositores e cantadores da alma brasileira se juntam num mesmo show: Zulu de Arrebatá, Jocélio Amaro e Paulinho Jequié se apresentam no Erla, Bairro do Bexiga. Couvert, R$10.
Domingo – 5 de junho – 14h … 16°Sarau Ocuparte – Ocupa Quente: Poesia que aquece … O sarau continua com a campanha de doação de agasalhos. Nesta edição, lançamento do livro Mania de Mariana Felix, dança circular com Ariane Marques, intervenção poética com Sarau do Vale e varal de poesias com Mayara Vaz e  Mateus MuradásTraga um texto pra escrever no livro do Ocuparte, pois eles pretendem publicar uma antologia com todos os participantes do sarau ao longo do ano. No Parque do Carmo.
Domingo – 5 de junho – 14h … Centenário Do SAMBA E Cultura Afro … Manifestações culturais afro brasileira com samba, djongo e capoeira, além de comidas típicas e sarau com música e poesia. Apresentação e direção musical de Rodrigo Taylor. Atrações: Afrobrass (mpb autoral), Coral Vivace (erudito), Gilberto França (mpb, black e r&b), Caio Moura (mpb e samba), Deise Capelozza (autoral e mpb) e muitos outros convidados. Em Vila Curuça Velha.
Domingo – 5 de junho – 18h30 … Show de lançamento do DVD Cantos Gerais … Os músicos Carlos Mahlungo, Costa Senna, Cacá Lopes, Josué Campos e Tiago Stocco lançam dvd com músicas inéditas de seus trabalhos individuais. A ideia do projeto (que inclui outros instrumentistas e bailarinos) partiu da afinidade artística de Costa Senna com os amigos do Sarau Bodega do Brasil. Ingressos antecipados R$ 15,00, na bilheteria R$ 20,00. No Café Piu Piu, no bairro do Bexiga.
Domingo – 5 de junho – 19h … Los Porongas convida Versalle – Auditório Ibirapuera :: Lançamento do disco … Show de lançamento do disco Infinito Agora, terceiro da banda. O cd é um manifesto em prol da tolerância, do respeito e do diálogo. Participações especiais da banda Versalle, de Porto Velho, e do cantor e compositor Daniel Groove. No Auditório Ibirapuera.
Terça e Quarta-feira – 7 e 8 de junho – 21h … Os Mamutes – uma fratura exposta … Alunos da Escola Superior de Artes Célia Helena, apresentam uma releitura de Os Mamutes, de Jô Bilac. Com direção de Beatriz Morelli, a peça apresenta questionamentos sobre uma sociedade doente. Entrada gratuita (retirar os ingressos na bilheteria com 1h de antecedência). No Teatro Décio de Almeida Prado, no Itaim Bibi.
… … … … … … … …
VALEU, PESSOAL!
ATÉ A SEMANA QUE VEM.
… … … … … … … …