‘Sei que o mundo pesa muitos quilos. E eu vou guardar meus grilos’. O ufanismo da mídia na Copa. Tão feio, tão fingido, tão antigo… Os pachecões nunca aprendem, nem se sentem arrrependidos. Há um grande negócio em jogo, sempre. Por trás dos gols, do gramado verde, das linhas do jogo. Os assassinos de Mariele continuam soltos. Impunes. Lula, mesmo preso, lidera as pesquisas para presidente. Sem ele, o líder é ‘nenhum dos candidatos’. Mas ‘mande pra Globo um vídeo dizendo que Brasil você deseja’. Claro, um ‘Novo Brasil’, sem ‘os petralhas’ no páreo. Como esse Brasilzão de agora, por quem as panelas não batem. ‘E agora assista aos melhores momentos das votações do STF : Boa noite Bonner, boa noite Renata, boa noite a todos : Obrigado pelas suas informações’. Gente muito educada trabalha nesse ‘novo-jornalismo’ em que a pergunta já vem com a resposta dada. Enquanto os juízes se desentendem (porque não tem VAR no STF?), ‘Sempre pela garagem’, diz Temer a Joesley. ‘Tem que manter isso, viu?’. ‘Vai, Brasil!’, diz Galvão. Ronaldo Fenômeno estampou na camiseta verde-amarela: ‘a culpa não é minha, eu votei no Aécio’. Neymar, se sentindo perseguido, chora para as câmeras do mundo suas lágrimas nem um pingo solidárias: ‘As coisas nunca foram fáceis pra mim’. Talvez seja pelo peso da camisa amarelinha. Mas não, não é pelo menino brasileiro de 14 anos morto por engano no Complexo da Maré. ‘Mãe, o policial do blindado não viu que eu estava com roupa de escola e atirou’. Com sua camisa ensanguentada nas mãos, a mãe afirmou: ‘Essa é a bandeira do meu filho, é com ela que eu vou fazer justiça’. Um  morador do prédio que caiu no Largo do Paiçandu ‘entrevistado’, declarou: ‘o que eu ganho torcendo pela ‘nossa seleção’? Auto-estima’. E ele continua lá, daqui de longe posso tristemente observá-lo, ele e sua ‘enorme auto-estima’: acampado na rua, vendo os jogos na tevê do boteco ou no telão e torcendo pela ‘nossa seleção’ por uma solução por uma eleição por uma delação por uma operação por uma oração. Por uma nação, não, pois são tempos de seletiva indignação: e viva a seleção! ‘Ame-o ou deixe-o’, eu me lembro, eu já conheço esse refrão… ‘Você vai ver como é que estão as coisas… Sei que o mundo pesa muitos quilos. Vou guardar meus grilos. Se o mundo pesa, não vai ser de reza que eu vou viver. Amanheça aqui comigo, meu bem. Sou seu amigo, você vai ver’.

MANUEL CASTELLS >>> Sobre os temas citados acima (Lula, STF, mídia, instituições) não posso deixar de recomendar a leitura da entrevista feita pela insuspeita revista Época com o sociólogo espanhol Manuel Castells (autor do livro Ruptura, onde comenta a crise de legitimidade das democracias representativas no Brasil e no mundo). Além de diferenciar Trump (‘um populista’) de Bolsonaro (‘um fascista’), Castells sugere duas medidas importantes para a superação da crise: ‘controlar a politização do Judiciário e a manipulação da política pela mídia’.

“Afinal o que aconteceu?
Ou, enfim, quem foi que se perdeu
Deixando o som de toda nossa vida silenciar?

Porque um vazio foi se construindo em nós
Ficou distante pra escutar alguma voz
E fomos desaparecendo sem ninguém desconfiar

Escuto a música que acabo de fazer
E de uma nuvem que começa a chover
Minha lágrima salta”.

Neste findi tive o prazer de assistir ao show do cantor e compositor Paulinho Moska, no Sesc Pinheiros. O artista comemorou 25 anos de carreira solo e  apresentou o single/clipe “Minha Lágrima Salta”, primeiro do álbum de inéditas a ser lançado em setembro (a música já está nas plataformas digitais). Acompanhado por poderosa banda, Moska estava superinspirado e mostrou suas qualidades de grande intérprete, além de desfilar vários sucessos: Pensando em Você, A Seta e o Alvo, Somente Nela, Namora Comigo, A Idade do Céu, O Último Dia e Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor (esta, dos irmãos Lô & Marcio Borges). Foi muita beleza em forma de música. Foi muita poesia e amor. Eu fiquei mais fã do cara: Moska é show!

 

… … …

A EXPO E O FOTOLIVRO DA ZARA

… … …

Exposição de Fotografias – Plano, seco e pontiagudo >>> Fotografias, cujo tamanho varia de 2 a 7 metros, expostas em cinco fachadas dos edifícios das ocupações da Frente de Luta por Moradia (FLM). As fotos fazem parte do fotolivro chamado Plano, seco e pontiagudo” (co-edição/Editora Ipsis e Editora Madalena, 80 páginas), de Mônica Zarattini. Nos seguintes endereços do centro de SP:
rua Álvaro de Carvalho, 427
rua José Bonifácio, números 137 e 237
rua Quintino Bocaiúva, 242
av. Rio Branco, números 47 e 53

A fotógrafa Mônica Zarattini (jornalista querida, carinhosamente apelidada de Zara) lançou recentemente o fotolivro Plano, seco e pontiagudo. Ela viajou em 1989 e 2016 para o sertão da Bahia, na região onde ocorreu a Guerra de Canudos, há 120 anos. A primeira vez, realizou uma reportagem sobre os 80 anos da morte de Euclides da Cunha, e, na época, fotografou em preto e branco, com filme TRI-X, sistema analógico. Repetiu a mesma rota em 2016 e reencontrou cinco pessoas que se emocionaram muito ao entrar em contato com suas imagens de 27 anos atrás. Desta vez, projetou as fotografias antigas nas pessoas reencontradas e as fotografou novamente, só que em fotos coloridas e no sistema digital. Levou consigo 3 rolos de filmes infrareds, os quais ficaram por 27 anos guardados na geladeira e com eles produziu paisagens.

O fotolivro “Plano, seco e pontiagudo” (co-edição/Editora Ipsis e Editora Madalena, 80 páginas) é fruto desses dois ensaios. A tiragem é de 400 exemplares, numerados e assinados. E o projeto não parou por aí: após o lançamento, a artista deu início à uma série de encontros com os moradores das ocupações dos prédios do centro de SP, da Frente de Luta por Moradia (FLM), onde fez projeções das fotografias e discussões sobre a Guerra de Canudos. Banners com as fotos estão expostos nas fachadas dos prédios no centro da capital.  Mônica Zarattini, que vê semelhanças entre Canudos e as atuais ocupações, lembra que ‘mesmo depois de 120 anos da Guerra de Canudos nosso governo ainda pune os que ocupam um território para viver, trabalhar e ser feliz’

 

… … …

RHAISSA BITTAR
NA TURNÊ ‘SILÊNCIO’

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 21h30 … Rhaissa Bittar – turnê ‘Silêncio’ … Cantora divulga o single ‘A Maior Ambição’ (Zé Manoel e Juliano Holanda), sobre a separação de um casal. Entre poesias de Ferreira Gullar, Alice Ruiz e Paulo Leminski, Rhaissa apresenta novas canções e releituras (de Siba a Roberto Carlos) acompanhada pelo violão de Demetrius Lulo e sob a direção musical de Raul Misturada. No show ela canta, conta histórias, cria personagens e mistura expressões artísticas e gêneros musicais. No Bona, à rua Álvaro Anes, 43. Ingressos a R$30 e R$35. Abaixo, um texto comentando algumas canções e os dois cds da primeira fase da carreira de Rhaissa Bittar:

SOBRE RHAISSA >>> Eu já conhecia e admirava Rhaissa Bittar. Adoro seu disco de estreia, ‘Voilà, sua voz afinada, seu estilo brejeiro. Sua entonação divertida lembra uma Carmen Miranda reciclada e mais intimista (ouçam ‘Boneca de Palha‘, com Mauricio Pereira). Por outro lado, há em seu timbre nuances de uma Billie Holiday levemente festiva, tropical e tropicalista. Rhaissa é uma cantora teatral, surpreendente. Dá a impressão de que canta sorrindo, prazerosamente, como quem brinca. Nos envolve com seus dengos e trejeitos vocais, ora maliciosos, ora docemente infantis. Como aqui, na pueril ‘Piquenique no Horto’:

No cd Matéria Estelar, ela vai desfilando recursos, dando alma aos personagens e se mostrando sempre adequada e a serviço desse difícil repertório eclético (Daniel Galli, autor da maioria das músicas, é um brilhante e quase desconhecido compositor). As ótimas letras flutuam sobre as melodias e atingem às vezes a altura da mais inspirada e comovente poesia (como na bela ‘Artifício‘ ou na delicada faixa-título ‘Matéria Estelar‘). O trabalho gráfico é notável, digno das melhores capas de vinil dos anos 70. Um apurado trabalho conceitual onde nos é contada a história de alguns objetos abandonados: um guarda-chuva, uma lista telefônica, um brinco, um leque ou um tamborim batucando sob os pingos da chuva. E a incrível história da adaga que se apaixonou pelo coração do rei (composição de Filipe Trielli). Ou a do heroico cavalo de xadrez que se sacrifica pela rainha:

Falar de um objeto largado, mesmo que inconscientemente, talvez seja a metáfora mais fiel do estado atual da própria canção brasileira, produto reconhecido internacionalmente e tão desprezado pelos nossos meios de comunicação. Mas que pode voltar a ser ‘útil’. Quem sabe o ‘recado’ do segundo cd de Rhaissa seja justamente esse. Não é exagero dizer que o disco é uma pequena obra-prima. Claro que não vai tocar em lugar nenhum. Você só vai ouvir aqui, quiçá ali e depois nunca mais. E eu, como músico e poeta indignado que sou, me pergunto: pra que serve, então, inventar objetos artísticos tão belos,  repletos de emoção, informação e sutilezas? Pra que criar belezas que não são ouvidas, ou pior, nem compreendidas? (Além destas minhas, ouça também as ‘Lamúrias de uma pera‘, bem mais engraçadas.) Lamento que predomine hoje a ‘jabalização’ da cultura, o balcão de negócios que cria sucessos ‘fáceis’ e repetição incessante do produto que não requer esforço de aceitação. Esses dois belos cds ‘destoam’ originais no mundo pasteurizado da arte-mesmice e dos artistas-iguais. Finalizo este revival da carreira de Rhaissa com a divertida ‘Palitoterapia’:

 

… … …

JAZZ POETRY,
SEGUNDA EDIÇÃO

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 21h … Jazz Poetry … Evento mensal em que um grupo de escritores lê seus textos ao som de jazz (eles próprios escolhem as músicas). Com Marcelo Montenegro, Aline Bei, Carcarah, Carol Teixeira, Bruno Bandido, Lucas Mayor e Mario Bortolotto. O escritor convidado desta edição é Kleber Felix. No Teatro Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. Ingressos a R$10. Conheça dois poetas que estarão por lá:

Descrição do quarto da mulher que morreu
(Aline Bei)

na gaveta uma carta
dobrada, frases se olhando, coisas como “eu preciso de um cachorro”
convivendo com
“meu remédio pra dormir” e a carta dentro
do quarto escuro que é
um envelope
na gaveta virando
casa
tudo dois passos
a frente, as pequenitudes são assim.
em cima da cômoda descansava uma caixa
aberta naquela
bailarina imóvel
pra onde foi a música? ela pensava caso
pensasse, ao lado um livro
Mal-entendido em Moscou.
a mulher que morreu gostava muito
desse livro
que conta a história de um casal que se desentende numa viagem
os capítulos separados
pelo ponto de vista do homem e
da mulher. depois de ler
esse livro
a morta que na época não estava
morta
sentiu pela primeira vez o grande
do Mundo, as pessoas falavam disso constantemente, mas ela
nunca tinha sentido assim
na pele
o tamanho de tudo que existe.
aquele
era o melhor livro do século
despretensioso e por isso tão bom
falava sobre todos querendo apenas dizer de 1 e também a mulher gostava do rosto
da Simone de Beauvoir
colou um pôster perto da cama.
na foto

a escritora fumava olhando pra câmera

e apenas um animal selvagem
poderia se aproximar daquele
mistério que era
olhar pra alguém que não sentia medo. enquanto isso escorria a colcha
de cetim branco parecendo
leite
bastava deitar na cama pra mulher voltar pro
útero e por fim um tapete
perto da porta
tentando acalmar as coisas, querendo ouvir
da Terra e
dependendo do jeito que a luz batia ali
no quarto
dançava por cima dele uma cruz.

Hotel Europa
(Bruno Bandido)

O hotel não fede a cigarros
mas poderia
também não faz frio lá fora

(prostitutas tomam banho
de sol
enquanto os filhos
nadam em piscina natural)

a bunda da camareira
ao dobrar os lençóis
(dentro de um livro
da Yoko Ogawa)

sempre gostei da
imagem : camareiras fumando
entre um quarto e outro

acendi um cigarro
ela abanou
suas mãos –
saia longa
infinitas
melenas

tive vontade
mostrar o meu pau

evangélicas chupam paus
como gordos em dieta
comem escondidos de si mesmos

como adolescentes fumam
longe dos pais
e fingem que eles
não sabem

é o mesmo princípio
só que com Deus.

No mês passado eu fui ao Teatro Cemitério dos Automóveis pra conferir a primeira edição do ‘Jazz Poetry‘, projeto do dramaturgo Mário Bortolotto ao estilo dos poetas beats, em que escritores interpretam seus textos ao som de solos de jazz. A sala estava lotada e foram necessárias cadeiras extras pra acomodar as mais de 50 pessoas interessadas em curtir poesia num dia de semana às dez da noite. Os poetas se alternavam lendo textos inspirados e inspiradores. Já saí de lá digitando algumas letrinhas no celular, louco pra parar em algum lugar e escrever ou compor. Os muitos personagens e seus/nossos dramas, as histórias criativas/vivas, a diversidade de estilos e ritmos e os modos pessoais e intransferíveis da leitura e literatura de cada um enriquecem e dão graça ao formato. Vale muito a pena ir até lá conferir esta segunda edição. Nas noites de terça e quarta o Teatro Cemitério dos Automóveis oferece montagens teatrais e aos sábados e domingos rolam pocket-shows com artistas alternativos. Fique ligado (sempre que possível, eu dou um toque por aqui).

 

… … …

ABACAXEPA LANÇA EP
NO IBIRAPUERA

… … …

DOMINGO – 1 de julho – 19h … A banda paulista Abacaxepa faz show de lançamento do seu primeiro ep, com quatro canções, sendo três inéditas, consolidando o momento de criação de conteúdo autoral da banda. No Auditório Ibirapuera, à av. Pedro Álvares Cabral, s/n. Ingressos a R$15 e R$30. Com a a participação de Juliana Strassacapa (voz – Francisco, El Hombre), Mateo Piracés Ugarte (voz e violão – Francisco, El Hombre), Lari Eva (trompete), Angela Coltri (sax), Lucas Coimbra (sanfona – Samuca e a Selva) e Luaa Gabanini (performance).

Abacaxepa é uma banda com traços tropicalistas na performance e na sonoridade. Iniciou no ano de 2017 a jornada do trabalho autoral, lançando dois singles: “Pimenta” e “O dia que Maria levantou”. Com pegada teatral, a banda valoriza a cultura brasileira e tem em seu discurso, a desconstrução da normatividade no comportamento e na estética. As influências musicais vão do sudeste ao nordeste, do urbano ao rural, do rock ao samba. É formada por Bruna Alimonda (vocal), Carol Cavesso (vocal), Rodrigo Mancusi (vocal), Fernando Sheila (baixo), Juliano Veríssimo (bateria), Ivan Santarém (guitarra) e Vinícius Furquim (teclado e vocal).

 

… … …

ÚLTIMA SEMANA
DO ‘JUNHO FOLK’

… … …

Chega ao fim o festival Junho Folk no Teatro da Rotina. Foi mais uma iniciativa superlegal deste espaço de resistência da arte alternativa coordenado pelo ator Leonardo Medeiros e que tem na jornalista Bijou Monteiro sua curadora musical. Foram quatro fins de semana com shows às quartas, quintas, sextas e sábados. Ingressos a R$40 (na porta) e R$20 (antecipado, no site). Sempre às 21h, na Rua Augusta, 912. No cartaz (acima), a programação completa. Nesta última semana tem:

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 21h … Falso Coral … O grupo mineiro-paulistano formado por Bela Moschkovich, Luis Gustavo Coutinho e Guilherme Giacomini transita entre o pop e o alternativo usando a viola caipira como base de suas composições. No repertório, canções do ep “Folia”, músicas novas e covers (de Florence and the Machine, Clube da Esquina, Blondie e Tião Carreiro) tocados com arranjos de viola. No Teatro da Rotina, à rua Augusta, 912. Entradas a R$40 (na porta) e R$20 (antecipado).

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 21h … LouBlu … Trio de folk paulistano influenciado por Bob Dylan, Neil Young, Beatles, Wilco e Norah Jones. Formado por Guilherme Oliveira (bateria), Giulia Cricenti (voz) e Raphael Ávila (violão e guitarra), LouBlu também conta com Flávio Álvares (guitarra), Rafael Nardini (baixo) e Victor Meira (produção musical e backing vocals). No Teatro da Rotina, à rua Augusta, 912. Entradas a R$40 (na porta) e R$20 (antecipado).

SÁBADO – 30 de junho – 21h … Bruno Vidja … Cantor e compositor lançou em 2017 o álbum autoral “Detox”. No show, apresenta canções do novo álbum “Diálogos Internos” e algumas releituras, acompanhado dos músicos Flávio Moraes e Rafael Bagdonavicius (e convidados). No Teatro da Rotina, à rua Augusta, 912. Entradas a R$40 (na porta) e R$20 (antecipado).

 

… … …

QUEM MATOU MARIELLE?

… … …

MAIS UMA SEMANA SE PASSOU >>> E a polícia ainda não descobriu quem são os assassinos de Marielle Franco. Já são mais de 100 dias de impunidade. No dia 14 de março a vereadora, de 37 anos, foi assassinada no bairro da Lapa, no Rio. Ela era relatora da Comissão dos Direitos Humanos que acompanhava a intervenção militar no RJ. Havia feito denúncia contra abusos policiais e voltava de um evento com jovens negras quando foi baleada. Anderson Gomes, motorista do carro em que ela estava, também foi executado. Protestos e manifestações contra o bárbaro crime se repetem diariamente em várias cidades brasileiras. Marielle lutava por justiça, inclusão e igualdade de direitos. Defendia as causas que todos nós, artistas e coletivos dos saraus, também defendemos. Este blog continua aguardando o esclarecimento do caso e a punição dos assassinos. As balas que a mataram também atingem a todos nós. Não podemos nos calar. Até quando vou ficar semanalmente repetindo esse texto aqui? Queremos a resposta: quem matou Marielle?

 

… … …

AGENDÃO

… … …

Eis aqui a superagenda dos saraus para o seu findi, com fotos e vídeos (clique nas palavras azuladas para acessar links e nos cartazes para ampliar a imagem e ler detalhes). Acompanhe também as muitas opções contidas na página da Agenda da Periferia. Informe-se, inconforme-se, atue e divirta-se!

… … …

QUINTA e SEXTA-FEIRA – 28 e 29 de junho >>> Em 12 de junho abriram as inscrições para o edital 2018 (que seleciona projetos para 2019) do programa Natura Musical, com uma nova categoria de contemplados: coletivos de música, casas de shows de pequeno porte, blocos de carnaval, selos e outros. Em 2019 a marca investirá 4,5 milhões de reais no lançamento de novos trabalhos (cds, dvds, eps, vinis, shows, clipes e livros) selecionados pelo Edital. Em seus 13 anos de atividades o projeto sempre procurou contemplar a diversidade cultural brasileira, participando do lançamento e da consolidação da carreira de alguns compositores e intérpretes da nova geração como Liniker e os Caramelows, Francisco, El Hombre, Luedji Luna, Xênia França, Larissa Luz, Johnny Hooker, Filipe Catto, Felipe Cordeiro e Aíla, entre outros. As inscrições podem ser feitas pelo site natura.sponsor.com

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 18H30 … Projeto Jardim Sonoro com Dj Simoníssima … Projeto apresenta híbrido de discotecagem ou música ao vivo em formato de experimentações, sempre ao fim do dia, no Jardim da Piscina, no 11º andar do Sesc 24 de Maio. Simoníssima é dj, pesquisadora musical, gestora cultural e apresenta o programa “Seleta Coletiva – as Batidas de um Brasil Plural”, na rádio Graviola.

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 19H30 … Amigos pela Democracia … Apresentação musical com couvert artístico (R$10) revertido para a manutenção da Instituto São Paulo pela Democracia. No Republica Bar e Gastronomia, à rua Visconde de Itaboraí, 233.

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 20h … Héloa e convidados – no Mundo Pensante … Héloa é atriz, cantora, bailarina e compositora. Se apresenta acompanhada por Carlos Gadelha (guitarra), Xavier (percussão), Jonas Gomes (baixo), Léo Monstro (teclado), Victor Bluhm (bateria) e participação do percussionista Maurício Badé, do compositor Ian Lasserre e das cantoras e compositoras Alessandra Leão, Josyara, Aíla e Illy. A banda Oto Gris faz show de abertura. Entradas a R$10 e R$15. No Mundo Pensante, à rua Treze de Maio, 830, na Bela Vista.

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 20h … Bruna Prado (cantora, compositora e pesquisadora) e São Yantó & Chicão (um pianista, o outro, cantor) se apresentam no projeto Novas Rotações, com pocket-shows de seus respectivos trabalhos. Depois, juntos, interpretam canções de compositores da música brasileira e latino-americana. No Sesc Santana, à avenida Luiz Dumont Villares, 579.

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 20h … Quintasoito de São João convida Ricardo Dutra e Antonio Vito. No Espaço Clariô, à rua Santa Luzia, 96, em Taboão da Serra.

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 20h … Quinta Cunhã com Nani Barbosa … Cantora e compositora faz show solo e intimista. No repertório, canções de seu primeiro disco “Naïf”. Ingressos a R$15. Na Casa Tucupi, à rua Major Maragliano, 74.

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 21h … Lukash lança ‘Venta’ … Segundo álbum do músico só tem autorais e inéditas. Com Marcos Campello (guitarra, violão e sinth), Thiago Nassif (guitarras), Felipe Zenicola (baixo), Marcelo Callado (bateria e charango), Fred Santiago (bateria), Rodrigo Maré Souza (percussão), André Ramos (sax barítono) e Alexander Zhemchuzhnikov (sax tenor). Participação de Bartolo, Mari Romano & Doralyce. No Teatro Ipanema, à rua Prudente de Morais, 824, no Rio de Janeiro.

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 21h … Jazz Poetry … Evento mensal onde um grupo de escritores lê seus textos ao som de jazz (eles próprios escolhem as músicas). Com Marcelo Montenegro, Aline Bei, Carcarah, Carol Teixeira, Bruno Bandido, Lucas Mayor e Mario Bortolotto. O escritor convidado desta edição é Kleber Felix. No Teatro Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. Ingressos a R$10.

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 21h … Um satélite perdido … Show de pré-lançamento do álbum de Gustavo Galo e Peri Pane. Com Daniel Xingu, Nath Calan e participação de Enzo Banzo. Na Funarte (sala Guiomar Novaes), à alameda Nothman, 1058. Ingressos a R$20 e R$10.

… … …

QUINTA-FEIRA – 28 de junho – 21h30 … Rhaissa Bittar – turnê ‘Silêncio’ … No show, cantora divulga o single ‘A Maior Ambição’ (Zé Manoel e Juliano Holanda), sobre a separação de um casal. Entre poesias de Ferreira Gullar, Alice Ruiz e Paulo Leminski, Rhaissa apresenta novas canções e releituras (de Siba a Roberto Carlos) acompanhada pelo violão de Demetrius Lulo, sob a direção musical de Raul Misturada. No Bona, à rua Álvaro Anes, 43. Ingressos a R$30 e R$35.

… … …

SEXTA-FEIRA E SÁBADO – 29 e 30 de junho … Ocupação Coletivo Bixa Pare … Dois dias de ocupação na Oficina Cultural Alfredo Volpi. Na sexta, Bixa Freak Show, às 17h. No sábado, segunda edição do Sarau Bixaria Literária, especial Drag Queens, às 19h. Entrada franca. À rua Américo Salvador Novelli, 416.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 18h30 … Lançamento do livro ‘Banhei minha mãe’, poemas de Beto Furquim e ilustrações de Alex Cerveny. Na Livraria da Vila, à rua Fradique Coutinho, 915, na Vila Madalena. A entrada para o evento é gratuita e o exemplar estará à venda por R$35.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 19h … Sarau das Águas … Roda de conversa sobre as bibliotecas e seus valores, com Ronaldo Vieira, Joana Vieira e Norberto R. do Valle. Lançamento do cd Muska di Butikin, de Zemarcio Kaipira Urbano e presença do poeta Jefferson Santana. No Espaço Formação Assessoria e Documentação, à rua Cambuci do Vale, 109, na Cidade Dutra.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 19h … Sarau Encontro de Utopias – 9 anos … Sarau apresentado pela cantora Regina Tieko aniversaria. Na programação, palco aberto e convidados (clique no cartaz). Na Patuscada, à rua Luiz Murat, 40, na Vila Madalena.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 19h … Com voz e violão, Giba Ribeiro apresenta o melhor da mpb na Black Sheep, à rua Itauna, 146, na Vila Maria.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 19h30Pocket-show – Beto Soul … O cantor e compositor Beto Soul lança seu terceiro trabalho, o ep ‘O Lugar Que Não Se Vê’. No Republica Bar e Gastronomia, à rua Rua Visconde de Itaboraí, 233.

… … …

SEXTA-FEIRA E SÁBADO – 29 e 30 de junho – 20h … A Trupe Chá de Boldo apresenta o show de seu disco mais recente, Verso. No Itaú Cultural , à av. Paulista, 149. Entrada franca.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 20hPotó William e Tiago Andrello apresentam pop, rock e mpb no Carauari, Bar e Mercearia, à praça Carauari, 8, na Vila Maria.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 20h … Black Box – no Kombs Bar … Banda traz o melhor do classic rock. E ainda tem a Feira de Vinil da Charada Discos. Na praça Miguel Ramos de Moura, 175. Na ZL.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 20h30 … Jeanne Darwich – Canta e Encanta … Show da cantora e bailarina paraense tem mpb, pop, música dançante: brega, carimbó, lundú, xote e forró. Com participação da cantora Susie Mathias. Com os músicos Bráu Mendonça (guitarra), Leandro Martins (bateria) e Ayrton Mugnaini (baixo). Couvert R$20. No Sampa jazz music & bar, à rua Arcipreste Ezequias, 245, no Ipiranga.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 20h30 … Gabriel & Déborah … Show intimista com o compositor e cantor Gabriel de Almeida Prado e a cantora Déborah Castolline, acompanhados por Liw Ferreira ao violão. No Espaço91, próximo ao Sesc Pompeia. Reserve lugar e receba o endereço inbox.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 21h … Noite de vocalizações improvisadas com um grupo de cantores descobrindo o que nasce da mistura de diferentes estilos, identidades e experiências musicais. Com Roger Treece, compositor e arranjador, nomeado ao Grammy pelo trabalho no disco VOCAbuLaries de Bobby McFerrin. Participações de Ritamaria, Lenna Bahule, Luana Baptista, Barulho Max, Nani Barbosa, Pedro Iaco, Zuza Gonçalvez e Carol Chrem. Na Casa Gramo, à rua Bento de Abreu, 223, na Lapa. Ingressos a R$15.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 21h … Baile do Padilha … Samba, forró e marchinha no baile eclético organizado pelo cantor e compositor Paulo Padilha, mesclando suas composições com clássicos do cancioneiro nacional. Com o Bloco Todomundo, formado por Paulo Padilha (voz e violão), Marquinho Mendonça (guitarra e cavaco), Paulo Bira (baixo e voz), Samba Sam (percussão e voz) e Felipe Kasteckas (bateria e voz). Ingressos a R$25. No Bambu Brasil, à rua Purpurina, 272.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 22h … Tributo – Canto Geral 50 anos … O célebre lp ‘Canto Geral’ de Geraldo Vandré completa 50 anos de seu lançamento. Concebidas e produzidas em plena efervescência do ‘ano que não terminou’, as 10 faixas do disco mantêm oferecem ao ouvinte uma crônica das lutas políticas e sociais travadas no Brasil dos anos 60. Com a participação de artistas de vários grupos (ver cartaz). Couvert R$15 e R$20. No CCB – Centro Cultural Butantã, à av. Corifeu de Azevedo Marques, 1882.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 22h … Noite de raízes africanas com o cantor, compositor e guitarrista Yannick Delass (República do Congo) que vem com seu quarteto, seguido do show ‘Mutum‘ assinado pelo cantor e compositor Jairo Pereira (Banda Aláfia) com participação da cantora e compositora Xênia França (também da banda). No JazznosFundos, à rua Cardeal Arcoverde, 742. Ingressos a R$40 e R$30.

… … …

SEXTA-FEIRA – 29 de junho – 22h … Mamacitas no MinhocaCarol Zoccoli escalou um supertime de comediantes: Mhel Marrer, Ariana Nutt, Alexandra Dias, Bruna Braga, Ane Freitas, Cintia Rosini, Eva Mansk e Jing Jing. Na rua Cunha Horta, 26.

… … …

SÁBADO – 30 de junho – 10h … Inéditos & Inacabados … O I&I convida o poeta Gilberto Braz para mediar o encontro e debater o tema “O que vai na lata do poeta?”. Na Casa Amarela, à rua Julião Pereira Machado, 7, em São Miguel Paulista.

… … …

SÁBADO – 30 de junho – das 15h às 23h30 … La Garçonnière, 20a Edição – GrandBazaar … Sarau acontece a apenas 100 metros do apartamento onde Oswald de Andrade e os modernistas realizavam encontros amorosos e literários em 1918, daí seu nome e o espírito de abrigar amigos e escritores no Estúdio Lâmina (galeria e ateliê para artistas residentes de várias partes do Brasil e estrangeiros). Além de exposições e bazar, a partir das 20h o sarau abre espaço para os convidados Renata Drozdowski, Gabriel Kerhart e Francisco Vilachã, finalizando com o show ‘Sons e Furyas‘:

SONS E FURYAS EM AMOR >>> Concebido pelo escritor André Sant’Anna e pelas cantoras e compositoras Vanessa Bumagny e Helô Ribeiro, o espetáculo combina textos do livro ‘Amor’, de André, canções (e teatralizações) de autoria de Vanessa e Helô, além de uma releitura da canção “O Divã”, de Roberto Carlos. No Estúdio Lâmina, à avenida São João, 108, 4o. andar (na esquina com a rua Líbero Badaró). Entrada R$15. Com bar no local.

… … …

SÁBADO – 30 de junho – das 17 às 23h … Arraiá na Carauari … Famoso bar da ZN que abre espaço para músicos, poetas, saraus e eventos alternativos diversos, promove a sua festa junina com comidas típicas, brincadeiras, churrasco, quentão, vinho quente e caldinhos. Apresentação do Krakatoa Trio. No Carauari Bar e Mercearia, à Praça Carauari, 8, na Vila Maria.

… … …

SÁBADO – 30 de junho – 19h … Bar do Anão … Em novo endereço, o famoso bar da Vila Maria abre espaço para o rock rural e a mpb de Domá Mathias, Biro Dylan e Tatha Luz. E ainda tem o niver do Victor Queiroz (parabéns!). À rua Antonio Fonseca, 426.

… … …

SÁBADO – 30 de junho – 20h … Bia Doxum e Banda no Komb Bar ZL … Cantora da zona leste paulistana, Bia Doxum se apresenta com banda: Ivan Alves, Gelson dos Santos, Rogério Antonio, Bruno Rocha, Giuliano del Sole e Paulo Souza. Entrada franca. Na praça Miguel Ramos de Moura, 175, no Jardim IV Centenário.

… … …

SÁBADO – 30 de junho – 20h … Freud a Deriva interpreta Zé Ramalho (1° disco, de 1978) … Trio composto por Marcelo Mazzucatto, Rene de França e Zé Terra apresenta as canções do célebre disco do artista paraibano. No lendário point de resistência cultural da ZL, o Bar do Frango. Na av. São Lucas, 479. Entrada franca.

… … …

SÁBADO – 30 de junho – 20h30 … Sopa de Letrinhas Sarau … Um dos melhores e mais divertidos saraus da cidade, o Sopa é apresentado pelo poeta Vlado Lima há mais de 15 anos. Nesta edição, entre vários poetas e músicos convidados (ver cartaz), Claudio Laureatti lançando ‘Luz & Tom’, seu livro de poemas e a grande cantora Daniela Neris (da banda Cabeças Enfumaçadas) faz pocket-show de abertura. No Julinho Clube, à rua Mourato Coelho, 585, na Vila Madalena.

… … …

SÁBADO – 30 de junho – 20h30 … Sarau ArteCanal – Arraial … Sarau, em clima de festa junina, recebe o poeta Rafael Carnevalli (na foto acima – que lança seu livro “Maloca”), Alexandre D Lou (e seus ‘textos de imagens’), G.R.A.Ve (com músicas de seu trabalho mais recente “Novo Testamento” e canções de mestres da mpb como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e João do Vale). Na programação, a participação dos ‘residentes’ Ato Real Fora do Tempo (universo nordestino em forma de teatro), Ansur (coreografias dos clássicos de Gonzagão) e Claudemir Santos (leitura dramática do poema Lendário”, do livro “Fantasmas, Demônios e Lendários”). Na Aldeia Satélite Espaço Cultural, à rua Tenente Luiz Fernando Lobo, 118.

… … …

SÁBADO – 30 de junho – 21h… L&P no Lê … No Bar do Lê, tradicional point de roqueiros da Vila Maria, o duo interpreta clássicos do rock nacional, mpb e reggae. Na rua Chico Pontes, 1791.

… … …

SÁBADO – 30 de junho – 21h… Kleber Albuquerque – Canções Caeiras … O grande cantor e compositor musicou 11 poemas de Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa, e as apresenta acompanhado das cantoras Daniella Alcarpe, Marcia Matos e Elaine Guimarães. Rua Duílio, 46, na Vila Romana. Entradas a R$30 e R$15.

… … …

DOMINGO – 1 de julho – 19h … Danilo Gusmão no Baderna … O escritor e compositor apresenta as canções de seu primeiro cd, Ogó, entre outras. Participação do grupo pernambucano Acabocaria, formado por Rafa da Rabeca, Maria Rosa Caldas e Abhul Júnior. Na rua Oscar Freire, 2529, em Pinheiros. Couvert R$10.

… … …

DOMINGO – 1 de julho – 19h … A banda paulista Abacaxepa faz show de lançamento do seu primeiro ep, com quatro canções, sendo três inéditas, consolidando o momento de criação de conteúdo autoral da banda. No Auditório Ibirapuera, à av. Pedro Álvares Cabral, s/n. Ingressos a R$15 e R$30.

… … …

DOMINGO – 1 de julho – 19h … Lançamento do álbum “Obra Filha” de Danilo Moraes … Sétimo disco autoral da carreira do compositor Danilo Moraes tem parcerias com o poeta Paulo César de Carvalho. Participação da cantora moçambicana Lenna Bahule. No Itaú Cultural, à av Paulista, 149. Entrada franca.

… … …

SEGUNDA-FEIRA – 2 de julho – 19h30 … Sarau Suburbano Convicto … Criado e organizado pelo poeta e ativista cultural Alessandro Buzo, o sarau tem palco aberto e recebe a banda Os Listras Negras no pocket-show de abertura. Monahyr Campos lança o livro ‘Negros e Alvos‘ e apresenta as canções feitas a partir dele. Entrada franca. Na rua Treze de Maio, 70 – 2º andar, na Bela Vista.

… … …

TERÇA-FEIRA – 3 de julho – 16h … Agenda Cultural das Perifeiras – com Ruivo Lopes … Todas as terças-feiras você fica por dentro de muitos eventos legais da programação alternativa da cidade. O promotor cultural e dj Ruivo Lopes apresenta o programa Agenda Cultural das Periferias, uma parceria da Ação Educativa com a Rádio Comunitária Heliópolis FM. Tem dica cultural gratuita, sarau, lançamento de livros e discos, bate-papo e cursos, apresentações de teatro, dança e música. Na net, pelo www.radioheliopolisfm.com.br ou no rádio pelo 87,5 FM.

… … …

TERÇA-FEIRA – 3 de julho – 19h … 4º Semana Nelson Mandela … Comemoração pelos 100 anos de nascimento de Nelson Mandela, com várias atividades e show de Lehna Baulle. No Sesc Vila Mariana, à rua Pelotas, 141. Entrada franca.

… … …

TERÇA-FEIRA e QUARTA-FEIRA – 3 e 4 de julho – 21h … A criança – Lado A e Lado B … Peça de Lucas Mayor se divide em Lado A (às terças) e Lado B (às quartas). Clique no cartaz para saber mais. No Cemitério de Automóveis, à rua Frei Caneca, 384. 

… … …

QUARTA-FEIRA – 4 de julho – 19h … Ato Contra a MP 841Sindicato dos artistas e entidades como OAB, Cooperativa Paulista de Teatro e APTI, entre outras, convoca para o ato contra a MP 841 que retira recursos de Cultura, Esporte e Educação. No TUCA, à rua Monte Alegre, 1024, em Perdizes.

… … …

QUARTA-FEIRA – 4 de julho – 20h … Marcia Mah – Turnê Prismah … Cantora apresenta as canções de seu novo álbum. No Museu da Imagem e do Som, à avenida Europa, 158, no Jardim Europa.

… … …

QUARTA-FEIRA – 4 de julho – 21h … Juliano Gauche no Teatro Cacilda Becker … Cantor, produtor e poeta capixaba apresenta as canções de seu terceiro disco, Afastamento. Na rua Tito, 295, na Lapa.

… … …

ATÉ 21 DE JULHO … Arte em Movimento … Seis artistas de diferentes vertentes das artes visuais propõem um encontro de obras, com tema e formato livres, onde o principal intuito é a reunião, o compartilhamento e a troca de experiências (clique no cartaz). Na Boutique Vintage, à rua Padre Adelino , 949, no Belenzinho. Entrada R$10.

… … …

LANÇAMENTO DO CD PULSAÇÃO >>> A cantora Beth Avelar lançou o disco que já está disponível tanto no formato físico (pela Tratore, nas principais lojas e direto com a artista pelo e-mail bavelar@uol.com.br) quanto no digital (nas plataformas Spotify, Deezer, Apple e Itunes). Veja também o videoclipe da música Simplesmente (do grande Paulinho Nogueira) no Youtube e Facebook.

… … …

EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS – Plano, seco e pontiagudo >>> Fotografias, cujo tamanho varia de 2 a 7 metros, expostas em cinco fachadas dos edifícios das ocupações da Frente de Luta por Moradia (FLM). As fotos fazem parte do fotolivro chamado Plano, seco e pontiagudo” (co-edição/Editora Ipsis e Editora Madalena, 80 páginas), de Monica Zarattini. Nos seguintes endereços do centro de SP:
rua Álvaro de Carvalho, 427
rua José Bonifácio, números 137 e 237
rua Quintino Bocaiúva, 242
av. Rio Branco, números 47 e 53

… … …

AGENDÃO >>> Fique ligado, pois o agendão é diariamente atualizado. E toda quinta-feira tem um post novo. 

… … …