Ainda estou maravilhado relembrando o show da Blubell, sábado passado, no Auditório Ibirapuera. Que show, amigos…  e que cantora! Técnica, voz, presença. Que atriz. Ouçam Blubell e se deliciem. Vejam Blubell e se apaixonem. Blubell é uma flor multicor, é uma estrela azul-vermelha. É arte com diversão. Por mim, hoje eu falava só dela e postava todas as suas canções. Mas eu sei e você sabe que há muitas vozes e sotaques na diversidade da cidade. E a redação desse blog é um grande salão com muito sarau, luau e o escambau desfilando lindos no seu agendão pra esse findi.  Certifique-se. Festifique-se. Fique aqui e curte aí. Curtecircuite-se.

 

blubell3

 

(O novo lay-out do site apresenta defeito no uso do texto em negrito. Mas se você clicar sobre as
palavras em azul e itálico um link deve se abrir.)

 

… … … … … …

‘CONFISSÕES DE CAMARIM’,
O BELO CD DE BLUBELL

… … … … … …

Chamava-se ‘Cartola para Todos’: quando peguei o cd na mão, desconfiei… Pensei se tratar daqueles discos com vários artistas dando roupagens ‘atuais’ aos clássicos do Cartola (como se ele já não fosse suficientemente clássico ou eternamente contemporâneo). Fui ouvir pra saber se o talento atemporal do grande mestre não havia sido maltratado, como vejo acontecer em ‘homenagen$$$’ por aí. Não era o caso. O cd havia sido cuidadosamente gravado pelo músico e produtor Álvaro Fernando, durante um período de 10 anos, com 36 artistas (de estilos e gerações diferentes) que iam passando por seu estúdio. Entre algumas boas gravações, havia ali uma voz bela, superafinada e com brilho especial. A cantora Blubell interpretando ‘Corra e olhe o céu’ é dessas coisas boas da vida que não se esquece e nem se pode deixar de ouvir. Uma iluminação. Infelizmente, não encontrei a gravação no youtube (procure o cd). Pra começo de conversa, posto aqui duas entrevistas dela pra que vocês a conheçam melhor: uma no Ensaio, do grande ‘baixo’ Fernando Faro; outra com o músico Fábio Tagliaferri:

Fascinado após o descobrimento do planeta Blubell, fiquei girando em sua órbita, procurando seu rastro e tentando seguir seus passos. Reconheci seu timbre inconfundível emprestando sofisticação e juventude a um produto qualquer, num comercial na tv (abaixo).

Tempos depois a ouvi cantando um charleston, num projeto superlegal chamado ‘I Charleston SP by Blubell’, que gerou um clipe veiculado na internet (acima). Há uns dois anos a reencontrei ocupando os vocais no cd da banda Blacktie (ex-Música Ligeira – grupo que eu já adorava com o grande Rodrigo Rodrigues à frente, pai da também cantora Laura Lavieri, parceira do Jeneci). Aqui segue o cd inteiro (que é maravilhoso), mas ouçam que interpretação primorosa na primeira canção, ‘Yokohama Girl’ (acompanhada por Fábio Tagliaferri, Swami Jr. e Mario Manga):

Em 2013 ela lançou ‘Diva é a mãe’. Nele, Blubell exercita uma de suas marcas: brincar com as saborosas sonoridades da língua inglesa e as casar com fonemas similares do idioma português. Palavras em francês e algumas entonações em espanhol também fazem parte da mistura. As melodias são bonitas e agradáveis. Ao mesmo tempo em que aparentam frescor, transmitem uma leve sensação nostálgica. E uma certa impressão familiar, tipo ‘já ouvi essa música antes’, vem do fato dela se utilizar de células clássicas de standards da melhor canção americana (ou do pop inglês, ou de boleros…) e as renovar com seu estilo fino e jovial, de cantora que parece ter saído de algum grupo vocal da era do rádio. Do cd ‘Diva é a mãe’, pincei essas duas pérolas:

Sábado estive no show de lançamento do seu novo cd, ‘Confissões de Camarim’ (AQUI o álbum completo). Não é tarefa simples dar conta da suntuosidade estética e da qualidade sonora que ecoa pelos amplos espaços do Auditório Ibirapuera. Encravados no verde do parque, os geniais traços vermelhos de Niemeyer e Tomie Ohtake elevam o nível de exigência e firmam com o artista sensível um compromisso emocionado com a face mais sublime da arte. E Blubell, que eu ainda não conhecia em show, se saiu muitíssimo bem, grande cantora e atriz que é. Além de muito bem acompanhada pelos ótimos músicos Igor Pimenta, no baixo; Davi Bernardo, na guitarra; Daniel Grajew, nos teclados e Marcelo Pereira, nos sopros, ainda teve no baterista Carlinhos Mazzoni um cantor com talento humorístico. O show todo tem um clima teatral de alto astral e autogozação. As letras de Blubell (e ela própria) são bem-humoradas. Destilam ironia e dizem coisas inteligentes, sem que se levem a sério demais. Um agradável frescor juvenil exala das composições, mas não se enganem: nada ali é ingênuo. É um universo adulto que os versos retratam. A letrista já sofreu, tombou, sucumbiu, juntou seus cacos, se ergueu e está aqui, toda bela e poderosa para nos contar. Sem ares professorais. A experiência de quebrar a cara e seguir em frente é vivida sem drama, assumidamente. Ela simula chorar, geme e se descabela ao cantar. Faz graça da desgraça, sem jamais perder a ternura, nem a classe. Blubell, sem usar clichê algum, deu toques de feminismo, empoderamento e ainda por cima nos proporcionou uma noite prazerosa e divertida. Não é pouca coisa, não. Ela termina o show com a clássica pergunta que amantes de amores urgentes e inseguros sempre se fazem: ‘Foi bom para você?’. E eu respondo daqui, do meu solitário palco sem camarim: ‘Foi muito bom pra mim, sim.’

Acima, o clipe de ‘Vida em Vermelho’, de seu novo cd. Achei numa entrevista dela a frase: “Tudo o que eu quero na vida é continuar fazendo o que eu faço cada vez mais, sabe? Só subir no palco, cantar e abraçar as pessoas depois”. No show, em vários momentos, a levada da música saltava de rock para bolero, de jazz para charleston. Na letra de ‘No camarim’, ela deixa clara a sua transparência de artista sincera:
O palco é nosso altar / Mas não tem que ajoelhar / Bobagem se acanhar / Chega perto e vem dançar / Eu sei que não é só de artista / Isso de ser meio bipolar / Lá fora o tempo varia de bom à péssimo / Aqui, só céu estrelado e luar / Com meus comparsas eu vou / Extrapolar esse show / De bolero à rock n’ roll / No paraíso eu estou’

Termino com duas canções, talvez as minhas preferidas: a comovente (pero, sem drama) ‘Cosmos’ e a bela e lennoniana ‘Another Day’. Blubell é deliciosa… e vicia. Ouça tudo!

 

 

… … … … … …

PELOS SARAUS:
SHAKYONTE E
SLAM DAS MINAS

… … … … … …

 

andre2

No domingo fui ao ‘Shakyonte Abraça o Mundo‘, evento lítero-musical organizado pelo escritor André Pinto (foto acima) na Livraria Nobel (no Shopping Largo 13, em Santo Amaro), com o apoio da promotora cultural Solange Mazia. Fiquei contente ao ver gente de todas as idades conversando sobre tecnologia, literatura e filosofia no horário em que as televisões passavam o Faustão, programas de auditório e o futebol ao vivo. Conversei, conheci pessoas, cantei duas canções, participei de uma performance interativa, ouvi minipalestras, declamação de poesia e uma ótima dupla de jovens instrumentistas tocando clássicos do chorinho. Parabéns ao André pela iniciativa e obrigado pelo convite.

… … …

janajeff
Saindo de lá, ainda deu tempo de ir ao Slam das Minas, competição poética só para as mulheres. A intenção delas é colocar questões femininas e feministas nos muitos campeonatos que rolam por aí, cuja presença majoritária é de homens. Acompanhei a batalha final, vencida pela poeta Jade, jovem com um texto enxuto, politizado e emocionante. Saí de lá levando alguns zines (dos poetas Janaína Moitinho e Jefferson Santana, na foto acima) e o livro da Mel Duarte (Negra Nua Crua), de quem posto esse vídeo:

… … …

No final do evento na Casa Elefante (mistura de bar, café e loja de discos de vinil) ainda pude assistir ao pocket-show da talentosa cantora e compositora Anna Bueno, de quem sou muito fã, e que acaba de lançar o belo cd ‘Inspir’ação’, com poemas e canções. Desse disco, a canção ‘Quem sabe’ virou clipe:

… … …

Pra terminar, algo que há tempos reparo pelos saraus e slams organizados por jovens: a garotada antenada não está nem aí pra questões de definição de gênero. Cada um faz o que quer, quando quer, enquanto quer e com quem quiser. Sem grilos, armários, policiamentos e nem dar satisfações a pais e às rudes redes sociais. No Slam das Minas, vi amor e amizade, não vi desigualdades nem ofensa. Vi desejo e sexo, sem trauma nem drama. E olhei com admiração para essa nova geração. O resto, amigos, é apenas e tão somente a velha cultura opressora do machismo, que, finalmente, nossos jovens libertos do medo estão começando a enterrar. Fico feliz de imaginar que um mundo colorido, solidário e mais tolerante esteja sendo gestado aí. E vamos à luta, porque ‘eu acredito muito nessa rapaziada’.

(Dia desses me deu uma saudade danada do Moleque Gonzaguinha. Faz muita falta esse cara… mas tá aqui, no vídeo abaixo – e comigo, em meu coração)

 

… … … … … …

SARAU DA MARIA

… … … … … …

sarauvale1001

No próximo dia 8 de outubro, participo de mais uma edição do Sarau da Maria. Já são quase quatro anos de encontros felizes (e brigas), de belas canções e poemas (e textos malcriados), de ardorosos abraços e beijos (e alguns palavrões), de amor e amizade (e raiva e ciúme). Devo dizer que a experiência de conviver com o pessoal da comissão (alguns, velhos amigos) e com artistas dos diversos saraus com os quais nos relacionamos (novos amigos), fez de mim uma pessoa melhor (acho). Obrigado, meus queridos, e me perdoem por meus tantos defeitos. Essa convivência também me tornou um artista mais consciente da precária situação da cultura e da educação em nosso amado País. Digo tudo isso apenas porque sinto que não podemos esmorecer. Como disse o poeta, ‘vamos juntos’.

… … …

MÃOS DADAS
(Carlos Drummond de Andrade)

Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.
Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.
O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida presente.

… … …

Os convidados do Sarau da Maria para essa edição são: os músicos Max Gonzaga (Clube Caiubi) e Daniella Alcarpe & Ruan Trajano. Os poetas Rogerio Duran (Vila Maria) e Paulo D’Auria (do coletivo Poetas do Tietê). Haverá o lançamento do livro ‘Ciranda Poética’, do coletivo Encontro de Utopias, com a presença da poeta e produtora cultural Regina Tieko. E mais a surpresa (poética? teatral? musical?) do Momento Maria, com a querida amiga e poeta Silvia Maria Ribeiro. Sem falar do microfone aberto para quem chegar. Estão todos convidados.

 

… … … … … …

AGENDÃO

… … … … … …
Devido a dificuldades variadas e incontornáveis, voltei a postar apenas uma vez por semana, todas as quintas-feiras pela manhã. Juntei meus pitacos poético-culturais (das quartas) com o agendão (das sextas). O post fica longo, mas não há outro jeito. Quando eu puder, retorno ao formato anterior, mais adequado. Dito isto, já temos aqui a ‘superagenda dos saraus’ para o seu findi, com fotos, cartazes, links e vídeos. Se aparecerem novidades na programação, eu insiro (na sexta) e aviso pelo facebook. Além das sugestões abaixo, acompanhe também as muitas opções contidas no link da Agenda da Periferia. Informe-se, atue e divirta-se!

… … …

inteligencia

Sexta-feira – 30 de setembro – 13h45 … Inteligência Artificial e o Futuro da Humanidade … Seremos descartados? Seremos mais criativos? Teremos menos ou mais trabalho? O que será de nossas mãos quando tudo estiver milimetricamente contado, marcado, analisado por máquinas? Essas e outras perguntas (e algumas respostas) estarão nessa palestra/bate-papo com o escritor e promotor cultural André Pinto, que integra a Semana Tecnológica do Senai. No Senai Ary Torres, perto do terminal Santo Amaro.

… … …

Sexta-feira – 30 de setembro – 19h … Sarau da Angélica …  Além de contar com Angélica e seus deliciosos quitutes, o sarau terá a presença da poeta Clara Noronha e contará com a exposição fotográfica ‘Roda da Vida’, de Amanda Moura, além da música de Nicole Donato. Couvert R$10. Na rua Vicente Rodrigues, 159, Farolândia. O sarau é em Aracaju-SE, mas um convite feito pelo grande compositor e cantador Mauri de Noronha, eu não deixo passar sem registro. Recentemente ele participou do programa Sr. Brasil, do grande Rolando Boldrin, na TV Cultura. Quem não, veja aqui (ele se apresenta do minuto 15 ao 27, acompanhado pelo flautista Chico Pedro).

…. … …

sandro

Sexta-feira – 30 de setembro – 19h … Sandro Mendes na Carauari … O cantor apresenta o melhor do rock, com os grandes sucessos do country e do rockabilly. E ainda tem os petiscos, comidinhas e bebidinhas da casa. Entrada franca, no Carauari Bar e Mercearia, na Praça Carauari, 8, Vila Maria.

… … …

Sexta-feira – 30 de setembro – 19h … Chama Poética – A poesia de António Vilhena … Com participação do poeta e cronista português António Vilhena (autor também de livros infantis) e dos músicos, Gabriel de Almeida Prado, Liw Ferreira, Beatriz Pacheco, Natércia Ribeiro Malheiros. Direção de Fernanda de Almeida Prado (criadora do projeto Chama Poética, que existe desde 2004). Na Casa das Rosas. Abaixo, uma entrevista com o escritor.

 

… … …

macieira

Sexta-feira – 30 de setembro – 19h … Macieira Duo … O melhor da mpb com Macieira Duo (Fagner Karú e Lorena Galati) no Quintal da Tia. Happy hour com música, cerveja gelada e petiscos especiais. Rua Catão, 763. Entrada franca.

… … …

anao

Sexta-feira – 30 de setembro – 20h … Cantigas de Nylon … Banda formada por Katriel Pessoa (vocal e violão), Matheus S.O.L (vocal e violão) e Nelson Luques (percussão e vocal) apresenta seu show de reggae, mpb e fó-reggae. No Bar do Anão, na rua Curuçá, 435, na Vila Maria. Entrada franca.

… … …

Sexta-feira – 30 de setembro – 21h … Lançamento do show Etc&Tal – As Bahias e a Cozinha Mineira
O repertório do show é pautado no disco de estreia da banda, ‘Mulher’, mas as músicas ganharam novas roupagens. A banda é formada por Assucena Assucena (compositora e intérprete), Raquel Virgínia (compositora e intérprete), Rafael Acerbi (arranjador e guitarrista), Rob Ashtoffen (baixista), Carlos Eduardo Samuel (tecladista), Vitor Coimbra (baterista) e Danilo Moura (percussionista). No Auditório Ibirapuera, à av. Pedro Álvares Cabral, s/n, no Parque do Ibirapuera. Saiba mais sobre a banda:

… … …

Sexta-feira – 30 de setembro – 23h … Lançamento de clipe: Esboço da Despedida … Ricardo Nash, cantor e compositor que lançou recentemente o cd Santo Menino Vagabundo, apresenta o clipe da música Esboço da Despedida. Saiba mais sobre ele:

 

… … …

feira

Sábado – 1 de outubro – das 10h às 18h … Feira de Publicações Independentes … Encontro para apresentação e troca de trabalhos entre autores independentes e/ou publicados por pequenas editoras. Um conversa com a professora, poeta, filósofa e ativista cultural Maria Vilani encerra o evento. Na Galeria Metrópole, à av. São Luiz, 187, 2º andar. Segue a programação:
10h30 – 12h00: Dani Costa Russo, João Pedro Moraes, Tomas Rosenfeld, Isabel Dias e Estela Miazzi
12h10 – 13h40: Helena Zelic, Michelle Santos, Fabio Manzione e Rômulo Neves
13h50 – 14h50: Pausa/Almoço
15h00 – 16h20: Jarid Arraes, Ni Brisant, Coletivo oitentaedois, Editora Ijumaa (representando Mel Duarte) e Jorge Lescano
16h30 – 17h30: Conversa com Maria Vilani

… … …

gruber
Sábado – 1 de outubro – 10h30 … As Paisagens Paulistanas de Gregório Gruber – Aula aberta … Palestra aborda as paisagens do pintor, que retratam uma São Paulo deserta, vazia, porém impregnada de beleza e lirismo. É a São Paulo onírica, das madrugadas, observada pela fresta da cortina por um habitante solitário. Uma São Paulo de sonho que será descortinada e compartilhada com quem quiser descobri-la. A palestrante Simone Catto é professora de História da Arte, redatora e roteirista de eventos. Entrada franca, no Instituto Sarath, à rua Humberto I, 183, na Vila Mariana.

… … …

sarauzinho

Sábado – 1 de outubro – 10h30 … Sarauzinho Utopias … Nesta edição, Ivani Magalhães e a oficina lúdica e educativa: “Como Contar Histórias Para Bebês”. Participe com uma canção, um poema, um travalíngua ou uma história. Confirme presença pelo inbox do face. Na Casa de Apoio Maria Maria.

… … …

 

Sábado – 1 de outubro – das 14h às 22h … Dia do Graffiti no Bixiga – 2016 … Encontro acontece desde 2006 incentivando a ocupação artística e cultural do espaço público com graffiti, música, oficinas e poesia. Esta edição homenageia Mestre Ananias, grande ícone do Bixiga e da capoeira. A ideia é fazer com que as pessoas circulem por entre os locais das apresentações e aproveitem o bairro. Serão distribuídos 50 kits com tinta spray (3 latas – por ordem de chegada). Se informe sobre os muros liberados. O muro da R. Sto Antonio (1015) é reservado para convidados. Veja a programação:

“Esquenta” com Samba da Treze (0h), na rua 13 de maio, 507 – Grupo Madeira de Lei

 

Rua 13 de Maio, 70 (14h às 22h)
14h – Capoeira da Bela Vista
15h – Sarau do Suburbano
16h – Velha Guarda da Vai-Vai
17h30 – Siba (ver vídeo acima)
19h – Nômade Orquestra
20h30 – Bixiga 70
Discotecagem entre as apresentações: Barravento e Brazilia Teimosa (Boteco Pratododia)

Praça Don Orione (14h às 20h)
14h – DJ Papaleo
14h30 – Thisisto
16h – Vruuum
17h – Free Beats

Espaço de Cultura Bela Vista (14h às 20h)
14h – Kombi do RAP
15h – Poetas do Tietê
15h – Visitando o lado B do Bixiga – Caminhada Educação Patrimonial
16h30 – Frente Nacional de Mulheres no Hop Hop
18h – Kombi do RAP (microfone aberto)

Teatro Sérgio Cardoso (11h às 20h)
11h – Oficina “Musicalização Sustentável”
13h – “Disco baby”
16h – “O Aniversário da Infanta”
Entre as apresentações: Intervenção artística de
“Bolhas Mágicas” com Aline Mineira.

“Saidêra” no Mundo Pensante (23h)
Trupe Chá de Boldo (ver vídeo acima)
R$20 – até meia-noite
R$25 – pós meia-noite

… … …

pizi

Sábado – 1 de outubro – 15h … VerDe Perto: musical infantil … Musical infantil com linguagem simples e poética criado pela cantora e compositora Renata Pizi, vencedora do Prêmio Musique do Estadão e um dos mais belos timbres da nova mpb. Participação do Grupo 3 de Copas, que assina produção e direção. A peça aborda temas como ecologia, reciclagem e preservação do meio ambiente passando por ritmos como o baião, maracatu, pop e o rock. O espetáculo dura 50 minutos e fica em cartaz até 15 de outubro no Teatro Livraria da Vila, no Shopping JK. Entrada R$30 e R$15.

… … …

penseja

Sábado – 1 de outubro – 15h … Sarau Pense Já! 1 ano de Resistência … No niver, pocket-shows com Legant, Banhu Maria e Desa Pauline. Massoterapia com equipe Q.I (Denis Américo). Exposições: Mucunã (Jessica Paula) e Gincobilando (Arthur Krokevec). Intervenção suíça: Vagamundo (Edson Lima), lançamento do livreto ‘Contra-indicação’ (Cleyton Mendes) e microfone aberto. Discotecagem de Carlos Oliveira e Ketchup, encarramento com Engine (Argentina). Apresentação Cleyton Mendes e Deusa Poetisa. Na Associação Cultural Opereta, em Poá.

… … …

altniss

Sábado – 1 de outubro – 16h … Rimas & Melodias – Sesc Interlagos … Rimas & Melodias é um coletivo formado por manas que rimam e manas que cantam. Juntas desde o final de 2015, Alt Niss, Drik Barbosa, Karol de Souza, Stefanie, Tássia Reis, Tatiana Bispo e DJ Mayra Maldjian promovem um diálogo potente entre rap, r&b e neosoul desconstruindo moldes e fortalecendo a presença feminina – sobretudo a negra – no hip hop, no cenário musical, na sociedade. Entrada franca.

… … …

somdaestrada

Sábado – 1 de outubro – 17h … Som da Estrada no Ferradura … O Projeto “Cada um no seu cada um e todos no Ferradura” apresenta esse mês o duo Som da Estrada, voz e violão com Gi Meireles e Gusmanito. No repertório, releituras de Milton Nascimento, Zé Ramalho, Tom Zé, Chico César e bandas como Secos e Molhados e o Terço, além de canções autorais. Couvert R$8. Na rua Professor Gieg, em São Bernardo do Campo.

… … …

Sábado – 1 de outubro – 19h … Sarau dos Conversadores – 32 ª Edição … Presença do poeta mineiro Santiago Dias, da escritora Telma Acyoli (lançando seu livro, ‘A moça do brinco de rubi’) e do escritor Paulo Netho, divulgando suas obras direcionadas às crianças e jovens de várias idades. Na música, o convidado é o artista Chico Pedro, integrante do Raíces de América. Sarau com microfone aberto e sorteio de livros e cds. Para abrir e fechar o evento, ‘Os Conversadores’ (Edson Tobinaga e Cacá Mendes, no vídeo abaixo), apresentam sua música e poesia falada. Na Livraria da Vila, à alameda Lorena, 1731. Entrada franca.

 

… … …

ricardodedeus

Sábado – 1 de outubro – 19h … Ricardo De Deus – Turnê Vem De Lá – 2016 … Ricardo de Deus é pianista e compositor, natural de Suzano, e reside em Cabo Verde há 17 anos. Lá, desenvolve trabalho pedagógico com o ensino de música, além de shows e gravações com diversos artistas europeus. Em 2006 gravou seu primeiro álbum autoral intitulado ‘Fragmentos’. Agora, lança ‘Vem de lá’, onde mistura bossanova, chorinho, ritmos africanos, música caboverdiana e jazz. No Centro Cultural de Mogi das Cruzes, à praça Monsenhor Roque Pinto de Barros, 360, em Mogi. Ingressos a R$10.

…. … …

maymone

Sábado – 1 de outubro – 19h … Luiz Cláudio Convida Paulo Maymone … O projeto traz, sábado sim, sábado não, um artista para um bate-papo informal sobre arte e suas influências musicais. Nesta edição, o compositor Paulo Maymone. No Espaço CoriscoMix, à rua Espírito Santo, 87, em Santos. Entrada R$10.

… … …

Sábado – 1 de outubro – 20h … Sentidor – Lançamento do disco “Memoro Fantomo _ Rio Preto” … Sentidor é um projeto audiovisual experimental do músico e artista mineiro João Carvalho, representante da cena eletrônica e independente de Minas. As faixas transitam entre o ambiente, o drone e o experimental, com referências em Tim Hecker, Sigur Rós e Holly Herndon. No Idea Espaço Cultural, à rua Bernardo Guimarães, 1200, em Belo Horizonte. Entrada R$10. Saiba mais sobre ele:

 

… … …

Sábado – 1 de outubro – 20h30 … Daniella Alcarpe – em São Paulo no Bistrô Esmeralda … Cantora paulistana apresenta músicas de seus dois álbuns (“Qué que ce qué?” e “O Tempo Salta”) com arranjos para piano (André Repizo) e percussão (Marcos Marques), além de canções inéditas de compositores brasileiros que ela garimpou pelos festivais por todo o Brasil. O Bistrô fica na rua Esmeralda, 29, na Aclimação. Ingressos a R$30 e R$15.  Ouça:

 

… … …

sons2

Sábado – 1 de outubro – 20h30 … Sons e Furyas em AMOR … ‘Amor’ é um excelente livro de André Sant’Anna (AQUI, numa canção de Kleber Albuquerque). Trata-se de poema em prosa, que fala da dor provocada pelo amor e de como ela interfere em todas as coisas. O espetáculo mistura literatura, teatro, música e balé. Entre os números de ‘Sons e Furyas’, estão duas peças, uma de Vanessa Bumagny, outra de Helô Ribeiro, compostas a partir de trechos do livro ‘Joana a Contragosto’, de Marcelo Mirisola. Tem a Luana que faz de tudo até o fim, tem uma outra doida à beira do suicídio, tem um cara orando a Deus… E a banda, com Giba Alves (bateria), Henrique Alves (baixo) e Daniel Oliva (guitarra), tem samba no pé, rock’n’roll nas veias e muita idéia na cabeça. No B_arco Centro Cultural, à rua dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 426, em Pinheiros. Abaixo, a apresentação deles na Casa das Rosas.

 

… … …

slampoesia

Domingo – 2 de outubro – 14h … Slam Poesia Edição Contra Corrupção (Valendo Vaga Na Final) … Batalha de poesias autorais acontecerá todo segundo domingo do mês, na Rua Irapucará também conhecida como “rua de lazer”, junto à praça jornalista Alexandre Kadunc, a menos de 5 minutos do Metrô Penha. Para participar, basta ter três textos autorais de até 3 minutos, e se inscrever na hora. Não podendo utilizar objetos cênicos ou acompanhamento musical. Além da vaga para a final em dezembro, o vencedor leva para casa livros e outros prêmios. O poeta Guilvan Miragaya lança ‘Espinheiros’ e ainda tem um pocket-show e o microfone aberto. Realização – Slam Poesia – UAR (União Arte e Rua).

… … …

pontepraca

Segunda-feira – 3 de outubro – 18h … Sarau da Ponte pra Cá – Ediçao de Outubro … O sarau acontece toda primeira segunda-feira do mês, sempre ocupando uma praça, entendendo ‘praça’ como um espaço público urbano livre de edificações, veículos e que dê prioridade ao transeunte. Programação:
-Lançamento Literário Akins Kinte – Obra: Muzimba Na Humildade Sem Maldade.
-Coletivo Convidado – Sarau Clamarte
-Música com Bia Ferreira (Voz e Violão) e Betto Ponciano (Folk Music)
-Artes Visuais (Graffiti): Thicy e Wil Diraiz.
-Exposição Fotográfica com Sandro Cajé
-Exposição artística “Metalmorfose” do Poeta Casulo
-Comida: Acarajé com Iya Ana Rita
-Poetas residentes: Thata Alves, Fabio Lucciano e Davi Oliveira. Produção: Mão Preta
-Endereço: rua Aroldo de Azevedo, s/n (Praça do Campo Limpo), na Zona Sul (em frente ao espaço CITA).

… … …

salvedoutor2

Terça-feira – 4 de outubro – 19h30 … Cine Direitos Humanos – Um Salve Doutor … Filme de Rodrigo Sousa e Sousa e equipe (90 min, classificação – 14 anos). Em São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo, após passar três anos internado na Fundação Casa, KPG (Andrio Candido) está decidido a dar um rumo na vida. Ele sempre se sentiu injustiçado, pelo relacionamento mal-sucedido da mãe e também por morar na periferia. Até que, ao se apaixonar por uma garota de classe social diferente da sua, tudo parece mudar. Entrada franca. No cine Olido, av. São João, 473.

… … …

oselo

Terça-feira – 4 de outubro – 21h … O SELO toca PÉROLA NEGRA … O trio (formado por Pedro Felício, Carolina Delleva e Ernani Sanchez), executa ao vivo, em arranjos que vão do despojado ao inusitado, discos inteiros e na ordem original. O desafio para a estreia – peça fundamental em qualquer discografia da música brasileira – é Pérola Negra, de Luiz Melodia. No Tanger Restaurante, à rua Harmonia, 359, na Vila Madalena.

… … …

laercio

Quarta-feira – 5 de outubro – 18h … Sarau Poético e Leitura Dramática … Lançamento do livro “Nacadema” de Juan Toro, pré-lançamento do livro “Vocalises ou Despetalar-se” de Luciano Garcez e leitura poética de Laercio Silva e Le Tícia Conde em formato de Sarau. Luciano Garcez é um artista de várias linguagens: música, poesia, sátira e dramaturgia. Publicou quatro livros em literatura e lançou um cd de canções. Juan Toro é um autor parte brasileiro, parte chileno, que escreve no idioma de ambos os países, tendo publicado três livros de poesia. Le Tícia Conde é atriz, poeta, romancista e fará uma performance que demonstra a versatilidade de suas criações. Laercio Silva é escritor e editor do Epigrama Coletivo Editorial. Publicou três livros, entre ensaio e poesia. Na Casa das Rosas, à av. Paulista, 37.

 

… … … … … … …

BOM FINDI A TODOS E
ATÉ A SEMANA QUE VEM!

… … … … … … …