Em semana de casamento de príncipe, pode começar a parecer que outros amores são menores ou mais banais. Mas no fundo a gente sabe que essa coisa de escalonar amor é uma das maiores bobagens que existe. Amor é amor e pronto. No fundo, só interessa o nosso, porque é só ele que a gente sente.

 

E sabe por que eu me casei com você? Por muitas, muitas razões. Razões que não cabem nessa tela e que, possivelmente, não caberão na nossa vida toda. É difícil explicar, mas tento sintetizar assim:

 

me casei com você porque gosto muito do fato de ser o seu rosto a última coisa que eu vejo antes de adormecer e a primeira coisa que vejo quando acordo. Porque dentro da nossa casa eu posso ser o que verdadeiramente sou- sem sapatos especiais, discursos inteligentes e falsas doses de autoconfiança- e ali, sei que sou suficiente. E que você acha que eu bastaria para o mundo sendo assim todo dia, embora eu nunca me convença disso.

 

Me casei com você porque, à noite, gosto de te ouvir falar sobre seu dia e sei que você gosta de ouvir sobre o meu. Mesmo que, durante essas narrativas a gente acabe picando cebola, conferindo umas coisas no instagram ou olhando um pouco para o teto. Mesmo que às vezes a gente não ouça 100% do que o outro diz. Tudo bem, a gente sabe o quanto a gente se importa.

 

Me casei com você porque sempre que eu acho que você vai rir de alguma coisa, você vai lá e ri. E porque eu rio quando te vejo rindo. E a gente ri juntos de coisas nas quais ninguém acharia graça nenhuma. E porque qualquer programa acaba fazendo sentido com você: festa de criança, noitada na sexta, sofá com preguiça, restaurante bom, bar ruim.

 

Me casei com você por estar à vontade ao seu lado. Sei que, por você, está tudo certo com meu pijama de guaxinim. Com minha cara amassada domingo às 11hs. Com minha necessidade de pingar remédio no nariz antes de dormir. E eu estou confortável com seu ronco, seu bizarro hábito de cuspir a pasta de dente na privada e com sua roupa suja no chão do quarto. Está tudo bem, simples assim.

 

Me casei com você porque você diz: vai. Vai em frente. Tenta. Embarca. Corre o risco. E porque quando dá certo você tá lá para a gente comemorar. E quando não dá certo você está lá ainda mais. Casei com você porque acredito no seu voo e porque não tenho medo dele. Porque acho que podemos voar juntos, mesmo que às vezes você tenha que ir para oeste e eu para o sul. Nos encontramos no sudoeste depois.

 

Me casei com você porque não tenho certeza absoluta. E já sou crescida o bastante para saber que quando alguém parece uma certeza absoluta, provavelmente estamos fechando os olhos para defeitos importantes. E porque, sim, há momentos em que me pergunto “será que eu seria mais feliz sem ele?” e depois- às vezes 2 segundos, às vezes 2 dias depois- eu me flagro te olhando em silêncio, sorrindo e pensando “onde eu estava com a cabeça quando cogitei que poderia ser mais feliz sem esse miserável?!”

 

Me casei com você porque não dependo de você para ser feliz, mas sei que a vida tá bem melhor com você por perto. E porque somos livres para ir e livres para ficar. E optamos por ficar, dia após dia. Não poderia ser melhor do que isso.