Calma aí, dá um tempo, respira

Tente não se cobrar tanto assim

Se deixar a gente surta

Se deixar a gente trava

Se deixar a gente pensa

Que é o princípio do fim

 

Segura aí, tá tudo bem

Tente não cair no desespero

Se deixar a gente chora

Se deixar a gente grita

Se deixar a gente pensa

Que tudo é um grande erro

 

Não se cobre desse jeito

Podia ser melhor?

Provavelmente

Podia ser pior?

Certamente

Então relaxa aí,

Pode não estar o ideal

Mas também não está indecente

 

Não carregue o mundo nas costas

Não se obrigue a não falhar

Porque depois doem os ombros

Porque depois aumentam os tombos

E a gente fica tão cansado

Que até trava a lombar

 

Você não pode resolver tudo

A casa desarrumada

A criança malcriada

A lasanha gratinada

A conta atrasada

A camisa descosturada

Sem ficar desesperada, enfim

 

Não se cobre tanto

Pegue leve com você

Perdoe os seus deslizes

Aceite as suas crises

Não seja tão responsável

Falhe quando puder

Fuja quando esgotar

Não há vergonha nenhuma

Em, de vez em quando,

Admitir que é preciso parar

 

 

@ayo ogunseind/unsplash