Nossa mulher positiva é Veronica Oliveira; empreendedora que lançou o Faxina Boa e se tornou a primeira faxineira criadora de conteúdo para redes sociais; gerando uma nova visão sobre o trabalho doméstico.

  1. Como começou a sua carreira?

Em novembro de 2016 fui afastada do meu emprego em um call center após uma tentativa de suicídio, estava em depressão após a perda do emprego anterior e consequentemente a perda da casa, indo morar em um cômodo de cortiço com banheiro compartilhado. Em meu novo emprego ganhava um salário mínimo e com os descontos recebia cerca de 700 reais mensais, o suficiente para o aluguel do quarto e o rateio da água e luz entre os outros moradores. Ficamos lá (eu e meus filhos) por quase um ano. Durante o período de afastamento acabei fazendo uma faxina para uma amiga que, surpresa com o resultado, decidiu pagar pelo serviço. Percebi que isso poderia ser um negócio. Depois de fazer para as amigas decidi buscar clientes na internet e pra isso usei as redes sociais, fiz um post divertido para divulgar e não esperava que tivesse a repercussão que teve, foi uma surpresa!

  1. Como é formatado o modelo de negócios?

Fazemos faxinas pelo período de seis horas, na região central de São Paulo, para um público majoritariamente jovem, descolado, e que não sabe NADA de limpeza hahahahaha

  1. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

A grande barreira da minha profissão é lidar diariamente com o preconceito, que se mostra de forma velada ou explícita; pela internet ou pessoalmente. Por isso mesmo me empenho em produzir conteúdo para internet para acabar com a ideia do emprego “sem valor” e nos posicionar como profissionais que merecem respeito e visibilidade.

  1. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa/empreendedora:

Uma das coisas que me encanta na rotina de faxineira é não estar todos os dias no mesmo horário e no mesmo lugar, sendo assim a primeira coisa que fiz foi adequar meus atendimentos com a possibilidade de passar mais tempo com meus filhos. Com o tempo surgiram as palestras, workshop e trabalhos publicitários além dos cursos, esses sim tomam mais tempo e trazem aquela culpa por não ver mais os amigos, ou perder uma reunião escolar…hoje tento manter uma agenda que contemple um pouco de tudo e principalmente tento não me frustrar quando isso não é possível.

  1. Qual o seu maior sonho?

Profissionalmente eu sonho em escalar o modelo do Faxina Boa para causar  impacto social transformando financeiramente a vida de outras meninas assim como aconteceu comigo. Pessoalmente eu sonho em fazer uma viagem com meus filhos, algo que nunca consegui e eles já estão grandes 🙁

  1. Qual a sua maior conquista?

Trazer relevância e ressignificar o lugar da faxineira no mercado de trabalho. Quando recebo mensagens de meninas (e homens!) que passaram a ter mais orgulho do que fazem por minha causa eu entendo a importância do que eu fiz.

  1. Livro, filme e mulher que admira.

Filme: “Karate Kid II” – (sim! hahahahah! Controle da raiva adolescente, perseverança e respeito aos mais velhos)

Livro: “Mulheres, Raça e Classe” – Angela Davis
Mulher: Joyce “Preta Rara”, ex empregada doméstica e hoje artista maravilhosa!