Tiziane Machado e a Patrícia Barreto

Tiziane Machado e Patrícia Barreto são advogadas e coordenadoras do aplicativo Oi Advogado, que conecta pessoas a advogados de todas as áreas de forma gratuita.

“A ideia do projeto é a democratização do acesso ao ainda elitizado mundo jurídico”, explica Tiziane. “Queremos ajudar a acabar com a burocracia que ainda persiste nesse universo”, complementa Patrícia.

As advogadas contam que o projeto sempre foi um sonho e comemoram que hoje possa ser um passo no uso das tecnologias para tornar a área mais acessível. Confira a trajetória da dupla a seguir.

Como começou a carreira de vocês?

Tiziane: Minha carreira começou há pouco mais de 20 anos em Fortaleza, onde graduei em Direito. Meu desejo sempre foi lutar contra injustiças que são motivo de profunda indignação de minha parte. Assim, advogando na área do direito público, resolvi seguir o ramo do direito tributário, que não deixa de ser um emaranhado de leis que aprisionam os contribuintes deste País.

Patrícia: Empreender sempre foi a minha inspiração. Me formei em marketing e posteriormente em advocacia. Iniciei minha carreira em uma empresa especializada em marketing estratégico, cursei pós-graduação em Varejo pela USP e Franchising  pela Franchising University. Nessa época, como as redes de franquias estavam expandindo a todo vapor no Brasil, para desenvolver projetos ainda maiores e alavancar novos negócios, me formei em direito, e na sequência ingressei em LLM em Direito Empresarial no Centro de Extensão Universitário. Atualmente possuo meu escritório, estudo diariamente e continuo empreendendo.

Como funciona o app Oi Advogado?

Tiziane: O app foi formatado com o objetivo de abraçar a carência que o brasileiro tem sobre o conhecimento de seus direitos. O aplicativo é inovador, intuitivo e conduz o usuário a procurar advogados por área de atuação, através de palavras chaves.

Patrícia: Possui uma linguagem informal, é acessível e fácil de usar, além de ser gratuito para o cliente. A  ferramenta disponibiliza ainda algumas funcionalidades como: manual para contratar o advogado, tabelas de honorários de todos os estados brasileiros, informações pertinentes aos profissionais, tais como número da OAB, que deve ser consultado no link indicado, currículo, ano de formação e outros títulos, área de especialidade e de atuação. De fato, é democratizar a justiça na sua melhor versão visto que hoje em dia, quase todas as pessoas tem um smartphone.

Qual foi o momento mais difícil nessa jornada de vocês na advocacia?

Tiziane: O começo é sempre difícil. Na área do direito que escolhi há muito mais homens que mulheres. Então sofri muito preconceito no começo da minha carreira, que foi superado com muito estudo. Sempre tive que ser melhor que os meus pares. E assim fiz. Com pouco menos de 5 anos já tinha várias especializações e um mestrado. E nunca mais parei de estudar.

Patrícia: Quando fui demitida por ter descoberto irregulares administrativas dentro de uma grande companhia. Minha principal ferramenta de trabalho sempre foi a ética, portanto, foi um momento difícil mas, ao mesmo tempo desafiador, que me lançou mais uma vez nos trilhos do empreendedorismo. Pode não ser tão óbvio, mas advogar também exige conhecimentos além da legislação, ou seja, são multidisciplinares, principalmente quando se trata de escritório próprio, que envolve gestão administrativa, financeira, contábil, quadro de funcionários e os desafios diários pertinentes a qualquer setor.

Livro, filme e mulher que admira?

Tiziane: livro – ‘Código da vida’; filme – ‘O Diabo veste Prada’; mulher – Ellen Gracie (ex-ministra do STF).

Patrícia: livro – ‘O Homem Mais Rico da Babilônia’; filme – ‘O Curioso Caso de Benjamin Button’; mulher – Malala Yousafzai.