Nossa Mulher Positiva é Suzana Pires; atriz, produtora, autora de novelas e colunista. Ela que é idealizadora do projeto Dona de Si e que visa capacitar mulheres a realizarem seus projetos no cinema, televisão e teatro além de compartilhar sua experiência profissional e, com isso, ajudar elas a se destacarem no mais variados campos da comunicação. Engajada nas causas feministas, Suzana Pires agora sobe aos palcos em outra função: a de palestrante.

Segue a entrevista: 

  1. COMO COMEÇOU A SUA CARREIRA?

SUZANA PIRES: Foi aos 15 anos no TABLADO, no RJ. Em dois meses, consegui passar num teste para uma peça profissional dirigida pela Guida Vianna e pelo Joao Brandão. Desde então, fui emendando uma peça na outra, trabalhando muito jovem com grandes diretores como Gilberto Gawronski, Eduardo Wotzik, Camila Amado. Aos 19 anos entrei para  a faculdade de filosofia na PUC RJ porque eu já escrevia, mas sentia falta de uma formação e eu queria conhecer o mundo grego da dramaturgia e da filosofia. Todo o período da faculdade eu estava em cartaz com alguma peça, fazia stand up, musical, teatro infantil, dava aulas para adolescente, estudava e na PUC montamos duas peças O BANQUETE de Platão e ASSIM FALOU ZARATUSTRA, do Nietzsche como exercício de adaptação de textos filosóficos para a dramaturgia. Foi nesse momento que fui ficando mais segura para tirar meus textos da gaveta. Depois de me formar montei algumas peças minhas e depois tive coragem de produzir DE PERTO, ELA NÃO É NORMAL, meu monólogo que faço desde 2015 e que já virou webserie e em agosto lançamos o filme. Daí em diante, não parei um segundo. Sempre conciliando as carreiras de atriz e de autora.

  1. COMO É FORMATADO O MODELO DO PROJETO DONA DE SI

SUZANA PIRES: DONA DE SI começou como uma coluna na MARIE CLAIRE online onde eu escreveria sobre empreendedorismo feminino, protagonismo, liderança e tabus financeiros. Em apenas seis meses, a coluna já estava dando um número bom de views e ai começou uma demanda por palestras. O que fiz e tem sido muito bacana! Depois um livro, que estou escrevendo. Virou marca, se tornando uma linha de bolsas, bodys, camisetas e por fim um INSTITUTO voltado para a aceleração de talentos que se identifiquem como gênero feminino para audiovisual, como diretoras e autoras. Precisamos de mais espaço para o mundo ser contado sob o ponto de vista feminino. Isso é o que forma uma nova cultura.

  1. QUAL FOI O MOMENTO MAIS DIFÍCIL DA SUA CARREIRA?

SUZANA PIRES: Quando eu precisei assumir a titularidade da novela SOL NASCENTE de uma hora para outra, com a responsabilidade de recolocá-la no trilho da audiência e manter a qualidade.  Foi o maior aprendizado da minha vida, até hoje, em todos os sentidos.

  1. COMO VOCÊ CONSEGUE EQUILIBRAR SUA VIDA PESSOAL x VIDA CORPORATIVO/ EMPREENDEDORA

SUZANA PIRES: É o maior desafio do meu dia-a-dia, mas eu realmente faço questão de separar momentos para meus sonhos profissionais e momentos para meus sonhos pessoais. A vida com gente que nos ama e que a gente ama, é muito mais legal e nos dá mais energia. Por isso, reestruturei a maneira com que eu administrava meu tempo com toda minha equipe (de cada projeto que tenho) e é fundamental que eu guarde o momento para estar com meus pais, minha irmã, minha afilhada, amigas e com um amor. A vida sem amor fica um tédio.

  1. QUAL O SEU MAIOR SONHO?

SUZANA PIRES: Lançar, através do INSTITUTO DONA DE SI, pelo menos dois grandes talentos femininos no mercado audiovisual. Contribuir, de fato, para mudar os números irrisórios que ainda somos na escrita e na direção de filmes e séries.

  1. QUAL A SUA MAIOR CONQUISTA?

SUZANA PIRES: Cada conhecimento que absorvi seja na vida, nos livros ou ouvindo pessoas incríveis

  1. LIVRO, FILME E MULHER QUE ADMIRA:

– LIVRO: Sou muito amante dos livros. Tenho vários prediletos, mas tem um que adoro que se chama COMO AS GIGANTES CAEM, que vai na contramão da auto-ajuda do sucesso. Esse livro são histórias de grandes fracassos e aprendi muito com ele | – FILME: Mulher Maravilha, Moana e Collete |  MULHER QUE ADMIRO: Anna Muylaert