Nossa Mulher Positiva é Patricia Rocha fundadora da Uma, empresa do ramo editorial e de papelaria que tem como objetivo despertar em cada mulher o sentimento dela mesma como protagonista de sua história.
1. Como começou a sua carreira?
Curiosamente, comecei a minha carreira no setor da Engenharia. Pouco tempo depois, descobri que na verdade as minhas aptidões estavam voltadas à Arte – motivo pelo qual me graduei em Arquitetura e encontrei minha paixão pelo design. Hoje vejo como todas essas etapas foram essenciais para que eu pudesse encontrar e desenvolver a minha missão de empoderar mulheres, promovendo a diversidade e o protagonismo de cada uma como donas de sua histórias.
2.  Como é formatado o modelo de negócios da UMA
Hoje, a UMA é principalmente baseada no comércio online, porém também temos algumas importantes parcerias B2B. Começamos com um só produto, cheio de propósito e emoção de trazer à vida esse projeto – o Planner 2019. Nosso intuito, entretanto, é de aos poucos produzir mais produtos, não somente de papelaria, mas tudo aquilo que possa trazer ao dia a dia das mulheres essa âncora de poder, união e protagonismo. Nosso sonho também é atuar no ramo da educação, pois acreditamos que é por esse caminho que podemos mudar a nossa realidade. Além disso, temos um forte propósito de contribuir com iniciativas que tenham por objetivo apoiar mulheres. Atualmente, 5% de todas as nossas vendas são revertidos para o Instituto Dona de Si, fundado por Suzi Pires.
3. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?
O momento mais difícil da minha carreira foi também o começo da realização de um grande sonho: fundar a UMA.
Optar por empreender, abdicando de uma carreira corporativa tradicional é bastante desafiador. As incertezas e o “frio na barriga” são constantes – é um contínuo teste da sua capacidade e habilidade, postos à prova diariamente. Porém, a realização e felicidade são proporcionais a cada conquista (inclusive as que pareceriam pequenas) !
4. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa/empreendedora.
Confesso que, no começo, é uma tarefa bastante difícil. Como “novos” empreendedores, a dedicação é exclusiva – é necessário fazer de tudo, independentemente dos nossos calendários pessoais. Porém, aos pouquinhos, estou conseguindo delimitar momentos para cuidar do meu bem-estar e estar com aqueles que eu amo, pois são nesses momentos que recarrego minhas energias.
5. Qual o seu maior sonho?
Sonho em constituir uma aceleradora para fomentar e ajudar mulheres a desenvolver seus negócios, melhorando não somente as suas vidas e de suas famílias, mas gerando também um imenso impacto positivo na economia. A experiência de empreender é altamente desafiadora, e poder suportar indivíduos nessa empreitada é extremamente recompensador!
6. Qual a sua maior conquista?
O meu “bebê”: a UMA. rs
Foi uma “gestação” de 12 meses: muita pesquisa, estudos, modelagem de negócios, descoberta de mim mesma… Hoje ver que a UMA é realidade e está impactando positivamente a vida de centenas de mulheres ao redor do Brasil é, para mim, muito emocionante. E estamos nos preparando para alçar vôos ainda mais altos!
7. Livro, filme e mulher que admira.
Um livro que me marcou bastante é o “Como encontrar o trabalho da sua vida”. Trata, de uma forma tão simples quanto esclarecedora, sobre a importância de você se permitir experimentar o “novo” – para se conhecer e encontrar aquilo que te faz feliz.
A mulher que eu mais admiro é também tema do meu filme preferido (documentário): Malala. A história de uma menina, vítima da violência, que se tornou uma grande ativista pela educação das mulheres aos doze anos.