Nossa Mulher Positiva dessa semana é Mariana Dias. Formada em Administração pela USP e tem especialização em Empreendedorismo e Inovação pela Universidade de Stanford. Começou sua carreira como trainee da Ambev, onde trabalhou por quatro anos e ocupou o cargo de Business Partner para a América Latina. É CEO e cofundadora da Gupy.

 

  1. Como começou a sua carreira?

Considero que a minha carreira começou enquanto eu estava na faculdade e entrei na empresa júnior da FEA USP. Embora não recebesse salário, foi minha primeira experiência profissional já com grandes responsabilidades. Naquele momento criei uma área de responsabilidade social na empresa para ajudar as comunidades carentes próximas à USP. Depois passei pela área de Marketing da Unilever e tive posteriormente uma experiência incrível de trabalhos voluntários difundindo a cultura brasileira em NY. Finalmente entrei como trainee da Ambev, onde trabalhei por 4 anos e me apaixonei pela área de Gente e Gestão. Lá construi toda minha bagagem de RH para abrir a Gupy no final de 2015.

  1. Como é formatado o modelo de negócios da Gupy?

A Gupy resolve a dor de conseguir gerenciar vagas e candidatos de forma fácil e selecionar os talentos mais aderentes às vagas por meio do nosso algoritmo de inteligência artificial. Para isso, as empresas investem uma mensalidade fixa, que varia de acordo com o tamanho da empresa, e oferece o acesso ilimitado ao nosso software de recrutamento e seleção. Para os candidatos, oferecemos uma plataforma completa para eles gerenciarem todos os seus processos em um único lugar, mas não cobramos nenhum valor.

 

  1. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

Tive muitos momentos extremamente desafiadores, mas posso citar aqueles que geraram decisões críticas e mudaram os caminhos da minha carreira. O primeiro foi quando recebi uma proposta de promoção na Unilever na área de Marketing ao mesmo momento que passei no trainee da Ambev. Lembro de ter ficado balançada com ambas as oportunidades que eram incríveis, mas muito diferentes devido às culturas das organizações. Hoje sei que tomei a melhor decisão pois a Ambev abriu meu caminho na época para atuar no RH. O segundo grande momento foi quando decidi sair da Ambev para criar a Gupy. Isso aconteceu um pouco depois de eu ter recebido uma antecipação da sociedade da Ambev, que era o meu maior sonho desde o ano que tinha entrado como trainee. Lembro que no dia, meu chefe me chamou numa sala com o vice-presidente da área para dar este prêmio e eu fiquei sem reação porque já estava pensando em sair para empreender, então achei que o mais certo seria chamá-lo para tomar um café e ser transparente que, embora estivesse super agradecida pelo reconhecimento e promoção, eu estava pensando em sair da empresa para abrir meu próprio negócio. Essa decisão foi a mais difícil que eu já tomei porque, por mais que estivesse apaixonada pela ideia da Gupy, eu também amava trabalhar na Ambev.

 

  1. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa/empreendedora?

Para ser sincera, esse é um dos meus maiores desafios. Nós mulheres temos muitas atividades, nos cobramos demais e tenho observado que isso tem gerado muitas quebras de expectativas entre as próprias mulheres que não se veem conseguindo dar conta de tudo. Eu não acredito em Mulher Maravilha, acredito que precisamos fazer algumas escolhas de acordo com o que é mais importante para nós e entender quais são os campos que não conseguiremos fazer tão bem quanto gostaríamos e estar tranquila que tudo bem não dar conta de algumas coisas. Isso me ajuda demais a ser transparente comigo mesma no que eu consigo e não consigo fazer e assim investir meu tempo no que é mais importante para mim em cada momento da minha vida. Assim organizo minha agenda e tento com disciplina realizar o que planejei para dar conta das prioridades que acabo sempre revendo todo semestre.

 

  1. Qual o seu maior sonho?

Meu maior sonho é transformar a realidade de contratação no mundo e, com isso, ter pelo menos um bilhão de pessoas mais realizadas. Ou porque a pessoa conseguiu um emprego que a deixou muito realizada ou porque conseguiu contratar uma equipe perfeita para os desafios. O mesmo se aplica para a Gupy, meu sonho é ter uma empresa cada vez melhor para os talentos se realizarem no seu máximo potencial. Acredito que a realização no trabalho é a chave para construirmos coisas incríveis no mundo e termos uma vida pessoal saudável e feliz.

  1. Qual a sua maior conquista?

Minha maior conquista foi achar e convencer meus sócios, que são pessoas muito fora da curva, que tinham ótimos salários e são disputados por todas as empresas, a começarem a Gupy comigo sem receberem nenhum real, mudando totalmente seus estilos de vida e com altíssimo risco de tudo não dar certo naquele começo.

 

  1. Livro, filme e mulher que admira?

Livro: The Hard Thing about Hard Things

Filme: Em busca da felicidade

Mulher que admiro: minha mãe!!!